sábado, 4 de julho de 2009

Palestra gratuita sobre Comunicação para Empresas de TI acontece em Campinas

Devido à grande procura para a primeira data da palestra “Comunicação para Empresas de TI” que aconteceu no mês de junho, o Núcleo Softex Campinas vai realizar o evento novamente na próxima terça-feira, dia 07 de julho, das 10h às 12h30.

O objetivo é apresentar as formas de divulgação jornalística para valorizar a marca da empresa, aumentar a visibilidade perante os públicos de interesse e, consequentemente, ganhar maior representatividade no mercado de Tecnologia da Informação.

Ministrada pela diretora-executiva do Escritório de Comunicação, Aurea Regina de Sá e pelo diretor da Lógica Digital, Rafael Rez Oliveira, o conteúdo da palestra vai abordar os seguintes serviços: Assessoria de Imprensa, Jornal Corporativo, Newsletter e Site. A programação também inclui Marketing de Busca, como o Google mudou a escolha de prestadores de serviço, além de apresentar as tendências da comunicação digital para as empresas de TI.

O evento é gratuito e as vagas limitadas. Informações sobre inscrições podem ser obtidas pelo portal do Softex Campinas www.cps.softex.br, por e-mail com Rachel Albino, rachel@cps.softex.br ou pelo telefone (19) 3287.7060.

Serviço

Palestra Comunicação para empresas de TI
Data: 07/07/2009
Horário: 10h às 12h30
Local: Núcleo Softex Campinas, localizado Estrada da Telebrás, Km 0,97 no campus da Unicamp
Valor: 1 quilo de alimento não perecível para doação a entidade carente

Informe JB agora em rede nacional na TV

A tradicional coluna de política Informe JB ampliou sua divulgação. Desde maio está na TV, em rede nacional, numa parceria com a Rede Vida de Televisão. Com flash direto da redação do Jornal do Brasil, em Brasília, ou do Congresso, o colunista Leandro Mazzini comenta as principais notícias dos bastidores de política e economia, diariamente no Jornal da Vida. O telenoticiário vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 21h30, com apresentação de Luiz Antonio Monteiro.

O Informe JB já havia estreado ano passado um blog no JB Online. "Cada vez mais temos a necessidade de ampliar a abrangência do noticiário de cada veículo, em um trabalho sério de convergência de mídias. É notável como colegas que são de mídia impressa a cada dia mais tornam-se também radialistas, repórteres online e apresentadores de TV. É um bom caminho, e sem volta", diz o colunista.



Cobertura - Canal aberto e NET - canal 26 / TVA - canal 73 / SKY - canal 21 / TEC SAT - canal 3

Conservação e Restauro de Monumentos e peças de Valor Artístico - Cultural

A conservação e o Restauro de monumentos e de peças de valor artístico são questões prioritárias na salvaguarda do Património histórico/cultural.

Apoiada por recursos humanos altamente qualificados e pelos recursos tecnológicos mais adequados, a equipa do Instituto Ibérico do Património está preparada para oferecer as melhores soluções em consultoria científica, limpeza e recuperação de peças de valor patrimonial, adequando a sua acção, às especificidades de cada trabalho.


Consultadoria científica e intervenção na limpeza e recuperação, realizado pela equipa do IIP sobre o Monumento a Hércules do escultor José Simões de Almeida, localizado em Vila Franca de Xira.



Para informação detalhada do serviço e marcação de reunião contacte o Instituto Ibérico do Património por telefone ou email.



Saiba mais em www.iipatrimonio.org

Contacte-nos pelo 210 967 349

E-mail: geral@iipatrimonio.org

Terça Brasileira tem show de Fernando Lobo


As influências na formação da música brasileira estão reunidas no espetáculo “Miscigenação”, em cartaz no Teatro Paiol, às 20h desta terça-feira (7).

Um espetáculo que reúne as influências étnicas presentes na formação da música brasileira é a atração do programa Terça Brasileira, às 20h desta terça-feira (7), no Teatro Paiol. O músico paranaense Fernando Lobo é o responsável pelas composições e arranjos do show “Miscigenação”, com um repertório que vai do folclórico à música de vanguarda.

Nascido em Paranaguá, Fernando Lobo atua no cenário artístico paranaense desenvolvendo projetos musicais em diferentes linguagens. O artista trabalha com música étnica, samba, jazz, música instrumental brasileira e soul music, além de participar de grupos vocais, acompanhando cantores e instrumentistas. Entre as formações com as quais dividiu o palco estão o Grupo Bayaka, Grupo de MPB da UFPR, Muv, Pé de Chinelo, Brasilidade, Coral Curumim e Grupo Serenô.

A abordagem de diversos estilos e repertórios permite que o cantor e compositor transite com naturalidade pelas nuanças da música atual. Como arte-educador, ministra aulas de instrumento, educação artística e música corporal em escolas e festivais, entre ele o de cultura popular do litoral paranaense e o Festival de Inverno da Universidade Federal do Paraná. Atualmente, Fernando Lobo dedica-se à pesquisa da música africana e à música corporal.

Serviço:

Programa Terça Brasileira no Paiol

Espetáculo “Miscigenação”, com o cantor e compositor Fernando Lobo que apresenta composições e arranjos próprios.

Data e horário: Dia 7 de julho de 2009 (terça-feira), às 20h

Local: Teatro Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)

Ingressos: R$ 10 e R$ 5

Informações de bilheteria: (41) 3213-1340

Programa

1 – Casa velha – tema instrumental de característica indiana

2 – Terreiro de Zumbi – ponto de Candomblé

3 – Tesouro do céu – canção em Afoxé

4 – Mar do Sul – canção

5 – Um mundo entre nós – canção

6 – Eclipse no olhar – tema instrumental com percussão sinfônica

7 – Estrela cadente – canção

8 – A caminho da estação – jazz instrumental

9 – Dia de sol – samba

10 – Teclas e canto – canto étnico

11 – Djoule – canção em ritmo africano

12 – Noir – tema instrumental

13 – Enredo de Angola – samba enredo

14 – Pé de acerola – tema instrumental brasileiro

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Museu da Gravura tem workshop de Litogravura com Uiara Bartira

Artista plástica curitibana, responsável pela formação de uma geração de professores, propõe explorar os caminhos dessa linguagem da gravura.



De 6 a 24 de julho, o Museu da Gravura de Curitiba, uma das unidades gerenciadas pela Fundação Cultural de Curitiba, oferece o workshop “Litografia & Litogravura”, comandado por Uiara Bartira, artista plástica curitibana de renome internacional. As turmas, com aulas em horários diferenciados, têm vagas limitadas e as inscrições devem ser feitas na secretaria de cursos do Centro Cultural Solar do Barão. Informações pelo telefone (41) 3321-3373.

A proposta de Uiara Bartira é agregar artistas interessados nesta linguagem artística, abordando fatos que antecedem a formação e implantação da Casa da Gravura (1980) e do Museu da Gravura de Curitiba (1989 a 1983), processos pelos quais foi a responsável. O encontro no Solar do Barão remete ao processo histórico do Barão do Serro Azul, antigo proprietário da casa que abrigou a Impressora Paranaense, primeira Litografia do Paraná, e que hoje sedia o Museu da Gravura de Curitiba.

Entre os temas a serem discutidos estão os critérios básicos da Litografia e da Litogravura e a familiarização com os materiais ligados a essas linguagens, além do exercício da potencialidade criadora dos participantes. Também serão esclarecidos todos os passos envolvidos na elaboração da obra, desde a preparação da matriz, gravação e acidulação, passando por rolos e prensa, até a impressão da imagem litográfica.

O workshop leva ao Museu da Gravura um dos nomes mais importantes das artes paranaenses. Nascida em Curitiba, Uiara Bartira é formada pela Embap – Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Em seu currículo constam estudos sobre gravura, desenho e pintura com Fernando Calderari, especialização em Gravura e Desenho, com Roberto DeLamônica e Marshall Glasier, na The Art Students League, além de Fotogravura, com Brenda Zlamony, no Bob Blackburn – Workshop, em Nova Iorque (EUA).

Uiara Bartira foi responsável pela formação de uma geração de professores de gravura. Também foi membro do Conselho de Arte da 21ª Bienal Internacional de São Paulo e curadora geral das IX e X Mostras da Gravura Cidade de Curitiba e da exposição Brasil Reflexão 97 – A Arte Contemporânea da Gravura, eventos da Fundação Cultural de Curitiba. Participou de dezenas de exposições individuais e de mostras oficiais nacionais e internacionais, em cidades como Taiwan, Porto Rico e Paris. Suas obras integram acervos de vários museus e coleções particulares de artes no Brasil, Egito, Austrália e Inglaterra.



Serviço:

Workshop “Litografia & Litogravura”, com Uiara Bartira

Local: Museu da Gravura Cidade de Curitiba (Centro Cultural Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro)

Data: de 6 a 24 de julho de 2009, de segunda a sexta-feira, com as seguintes opções de horários:

Turma A – das 9h às 12h e das 14h30 às 17h30

Turma B – das 9h às 12h e das 19h às 22h

Vagas limitadas

Investimento: R$ 50

Inscrições na secretaria de cursos do Centro Cultural Solar do Barão

Informações pelo telefone (41) 3321-3373

PROGRAMAÇÃO CLUBE LITERÁRIO DO PORTO






Dia 3 de Julho
sexta-feira
Auditório

13h00

Políticas de Drogas, Democracia E Direitos Humanos


Conferência em Espanhol e Português

5º Conferência Latina sobre Redução de Riscos


Conferência aberta ao público dedicada às “Políticas de Drogas, Democracia e Direitos Humanos, onde participam Luís Filipe Guerra (Juiz de Paz do Julgado de Paz do Porto, Portugal), Mónica Cuñarro (Magistrada do Ministério Público, Argentina), José Henrique Torres (Juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo, Brasil), Pablo Ruiz Guttiérrez (Juíz do Tribunal de Primeira Instância e Instrução nº5 Collado Villalba, Espanha), Luigi Marini (Juiz Conselheiro do Supremo Tribun
al de Cassação, Itália) e Eduardo Maia Costa (Juiz do Supremo Tribunal de Justiça, Portugal. A conferência será moderada por Martín Vazquez Acuña (Juiz do Tribunal Oral nº1, Argentina).

21:30h

Lançamento do livro “Eutanásia e outras Questões Éticas no Fim da Vida”


Lançamento do livro
“Eutanásia e outras Questões Éticas no Fim da Vida” (Coordenação: Rui Nunes, Guilhermina Rego, Ivone Duarte), da Colectânea Bioética Hoje, editado pela Gráfica de Coimbra.

A apresentação da o
bra vai estar a cargo do Professor Altamiro da Costa Pereira (professor da Faculdade de Medicina do Porto) e do Dr. Paulo Duarte Teixeira (Juiz de Direito).

Piano-Bar


21:30h
Tertúlia sobre “A emergência do princípio feminino e a realização das mulheres”
Tertúlia em torno do tema da “Emergência do princípio feminino e a realização das mulheres”, com a participação de Rosa Maria Oliveira, autora do livro de poesia Magna Mater e do psicólogo clínico e tradutor Paulo Lima Santos.

A dramatização de poemas estará a cargo do grupo de teatro Ceta (Círculo Experimental de Teatro de Aveiro) e da Oficina de Música de Aveiro.


23:00h

Concerto


Sofia Guedes, soprano

Francisco Seabra, piano

Dia 4 de Julho
sábado
Auditório

21h30
Apresentação do nº 6 da revista Callema


A Cooperativa Literária apresenta no Clube Literário do Porto o número 6 da Revista Callema.

Durante a sessão, a Sombra do Amor-edições apresentará a colecção de poesia Máquinas Líricas.












Galeria

21h30


Inauguração da exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André







Piano-Bar

23h00

Melodias de Sempre

Daniela Anjo, flauta transversal

Miguel Oliveira, piano

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt
BLOGUE: http//www.clubeliterariodoporto.wordpress.com

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

De 3 a 9 de julho de 2009

Domingo, 5 de julho – ingresso a R$1,00


CINEMATECA - Sala Groff – Rua Carlos Cavalcanti nº 1.174 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3252 (diariamente, das 14h30 às 21h) – Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br


FRONTEIRA (BR/2008 – 35mm – 85’) Direção de Rafael Conde. Elenco: Berta Zemel, Débora Gómez, Alexandre Cioletti. Fronteira narra uma história de amor e mistério em um velho sobrado onde vive Maria Santa, jovem cuja fama de milagreira ultrapassa as montanhas do interior de Minas. A chegada de dois novos personagens terá efeitos perturbadores sobre Maria Santa: um viajante, com quem vive uma intensa paixão, e Tia Emiliana, velha senhora empenhada em preparar um grande milagre. Classificação 14 anos

Sessões às 16h e 20h

Ingresso pago: R$5,00 (inteira) - R$2,50 (meia) – R$1,00 (domingo)




PROGRAMAÇÃO

De 3 a 9 de julho de 2009

Domingo, 5 de julho – ingresso a R$1,00

CINE LUZ – Rua XV de Novembro, nº 822 / fone (41) 3321-3270 (De segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h30) e (41) 3321-3261 (diariamente, das 14h30 às 21h). Ingressos a R$ 5 e R$ 2,50 (estudantes). Gratuito para pessoas com idade a partir de 60 anos. www.fccdigital.com.br


DIVÃ (BR, 2009 – 90’). Direção de José Alvarenga Jr. Elenco: Lilia Cabral, José Mayer Reynaldo Gianecchini, Cauã Reymond. Mercedes, uma mulher de 40 anos que vive às voltas com as alegrias e desafios da sociedade contemporânea, casada e mãe de dois filhos, decide, mesmo sem saber bem o porquê, procurar um psicanalista. E, assim, o que antes era apenas uma curiosidade, se transforma em uma experiência devastadora, que provoca uma série de mudanças em sua vida cotidiana. No divã, Mercedes questiona o seu casamento, a realização profissional e seu poder de sedução. A melhor amiga Mônica, a companheira de todos os momentos, vê de perto a transformação de Mercedes e participa de suas novas experiências e descobertas, apesar de nem sempre concordar com suas escolhas. As revelações de Mercedes para o analista, assim como as conversas com a melhor amiga, dão novo rumo à vida de Mercedes que a princípio parecia boa, estável, mas sem grandes emoções. É só o princípio de uma grande transformação. Classificação 14 anos

Sessões às 15h30, 17h30 e 20h

Domingo, dia 5 - sessões somente às 17h30 e 20h

A OITAVA COR DO ARCO-ÍRIS (BR, 2004 – 80’). Direção de Amauri Tangará, com Diego Borges, Izabel Serra, Waldir Bertúlio. Na pequena vila de Nossa Senhora da Guia, vive o menino Joãzinho, criado pela avó Dona Dindinha que muito doente sustenta o neto com a mísera aposentadoria que recebe. Quando Joãzinho flagra a avó rezando a Deus, pedindo para que ele a leve logo, pois não suporta as dores da saúde fragilizada por conta da idade, o menino resolve vender “Mocinha”, sua cabrita de estimação. Com o dinheiro arrecadado, Joãozinho pretende comprar os remédios da avó. Começa aí a jornada do pequeno protagonista, que percorre as vilas ao redor de sua moradia a fim de conseguir vender a cabrita. Classificação livre.

Domingo, dia 5 – sessões às 10h30 e 15h30

Fundação lança edital inédito para pesquisas sobre paisagem ferroviária de Curitiba

Dois editais estão com inscrições abertas. Um deles, na área de patrimônio histórico, tem a finalidade de promover a pesquisa sobre as influências do tráfego ferroviário na paisagem urbana de Curitiba.



A Fundação Cultural de Curitiba está com inscrições abertas para novos editais do Programa de Apoio e Incentivo a Cultura, financiados com recursos do Fundo Municipal da Cultura: Identificação e registro da paisagem ferroviária de Curitiba e Difusão em Teatro. O edital da área de patrimônio histórico, destinado à pesquisa sobre as influências do tráfego ferroviário na paisagem urbana de Curitiba, é inédito. A proposta é incentivar projetos que façam a identificação e o registro de edificações da rede ferroviária com significado histórico, existentes ao longo das linhas de trem, especialmente na região dos bairros Rebouças e Vila Oficinas.

“O processo de expansão econômica e urbana de Curitiba entre o final do século 19 e meados do século 20 teve muito a ver com a criação da Estação Ferroviária, no Rebouças. Indústrias passaram a se instalar naquela região e também na Vila Oficinas, provocando o crescimento e a configuração de uma nova paisagem arquitetônica nessas direções”, explica o historiador da Fundação Cultural de Curitiba, Marcelo Sutil. O que se constata, entretanto, é que as edificações construídas junto aos ramais ferroviários e que têm significado histórico estão se perdendo. De acordo com Marcelo Sutil, com essas pesquisas será possível produzir um inventário dessas construções.

A equipe para apresentação de projetos deve ser composta por, no mínimo, um historiador e um arquiteto. As informações obtidas a partir das conclusões apresentadas pelos projetos servirão para subsidiar a administração municipal na elaboração do Plano Setorial de Controle Ambiental e Desenvolvimento Sustentável. Para esse edital foi destinado o montante de R$ 110 mil, sendo que poderão ser aprovadas mais de uma proposta com custo de no máximo de R$ 60 mil.

O outro edital regulamenta as inscrições para projetos que receberão apoio financeiro para a pós-produção de espetáculos teatrais, nos diversos gêneros e destinados ao público adulto e infantil. Os espetáculos serão apresentados em espaços culturais e comunitários das nove regionais do município, conforme um cronograma que será elaborado pela Fundação Cultural de Curitiba. Para esse edital será disponibilizado um total de R$ 450 mil. O edital prevê uma contrapartida social em que os contemplados devem realizar cursos, oficinas e apresentações gratuitas para a comunidade.

Os editais, regulamentos e formulários de inscrição estão disponíveis no site da Fundação Cultural – www.fccdigital.com.br, link “Lei/Editais – Lei de Incentivo”, no menu “Editais de inscrições”. Os prazos de inscrição encerram-se no dia 31 de julho.

E CONTINUA O SHOW DE IMBECILIDADE

Comentarista da Band chama no ar goleiro do Corinthians de "filho da p..."; veja o vídeo

Da Redação do COMUNIQUE-SE

Um vídeo caseiro disponível no YouTube flagrou Oscar Roberto Godói chamando o goleiro do Corinthians de "filho da p..." durante transmissão da Band. O autor do vídeo capturou a imagem da televisão com uma filmadora e colocou na Internet.

Na quarta-feira (01/07), o Corinthians conquistou a Copa do Brasil ao empatar com o Internacional, por 2 a 2, em Porto Alegre. A ofensa aconteceu nos acréscimos do segundo tempo, quando o Corinthians, na prática, já havia garantido o título. O goleiro Felipe sofreu uma falta na pequena área e ficou caído no chão para ganhar tempo. Nesse momento, Godói disse claramente: "vai ficar no chão o filho da p...".

Jornalista formado, Godói foi árbito de futebol e atualmente é comentarista esportivo da Band. A reportagem do Comunique-se tentou contato com Godói durante a tarde desta quinta-feira (02/07), mas seu celular não estava disponível. Segundo a assessoria de imprensa, a emissora ainda não se pronunciou.

Assista abaixo ao vídeo com o problema na transmissão e opine. Para você, Godoy deixou escapar o palavrão? Ou foi traído pelo microfone acidentalmente aberto? Coloque na área de comentários a sua interpretação.



Últimos dias da mostra sobre vida e arte de Guilmar Silva


A trajetória de um dos nomes mais representativos das artes plásticas paranaenses está retratada na exposição que encerra neste domingo (5), no Solar do Barão.



O público tem até domingo (5) para apreciar, no Centro Cultural Solar do Barão, a produção de Guilmar Silva. Falecida no ano passado, a artista plástica, que era funcionária da Fundação Cultural de Curitiba, deixou uma obra essencial na pintura paranaense, além de ter exercido importante papel como produtora cultural e incentivadora de novos artistas. A exposição integra a série de eventos sob o tema Ética e Estética de Guilmar Silva, que contou com mesa-redonda, lançamento de livro, palestra da crítica de arte Angélica de Moraes e exibição vídeo com depoimentos de artistas, críticos e personalidades.

A mostra, organizada pela artista plástica Estela Sandrini junto com os filhos de Guilmar, Silvio Silva Júnior e Fabiana Vieira Silva Wendler, faz uma retrospectiva da sua produção artística, reunindo uma coleção completa de gravuras e desenhos, bem como diferentes fases e técnicas da sua pintura. Estela Sandrini e os filhos de Guilmar também são os autores do livro que foi lançado na abertura da exposição, no mês de maio passado, mostrando a trajetória da artista e passagens relevantes de sua história.

O projeto de realização da exposição retrospectiva, do livro e dos debates em torno da obra de Guilmar Silva foi financiado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. De acordo com Fabiana Wendler, a proposta da homenagem se concretizou em torno de dois traços fortes da personalidade de Guilmar. “A ética sempre pautou a sua vida e a estética foi a matéria-prima do seu trabalho”, explica Fabiana. Apesar de sua obra despontar como uma das mais expressivas da arte brasileira contemporânea, Guilmar Silva optou muitas vezes por dedicar o seu tempo às atividades profissionais. Teve importante atuação na revitalização do Solar do Barão, espaço que agora acolhe os eventos em sua homenagem. Também ajudou a revitalizar os mecanismos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Curitiba.

Ao longo de sua carreira, iniciada no curso de Pintura da Escola de Música e Belas Artes do Paraná (1977), Guilmar realizou mais de 70 exposições individuais e coletivas por todo o Brasil. Suas obras, caracterizadas pela organização espacial e pictórica do cubismo, compõem os acervos do Museu Metropolitano de Arte de Curitiba, Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Museu de Arte de Santa Catarina e Universidade Federal do Paraná.



Outras exposições: Também neste domingo (5), encerram mais duas exposições que estão em cartaz no Centro Cultural Solar do Barão. Uma delas, intitulada Ateliê de Edílson Viriato, é dedicada a Guilmar Silva e reúne trabalhos realizados pelo artista plástico Edílson Viriato e 26 alunos e artistas que frequentam o seu ateliê, sendo que todos eles conviveram e desenvolveram fortes laços de amizade com a artista.

A exposição Portrait, com curadoria de Nilza Procopiak, apresenta obras do acervo do Museu da Fotografia. Todas são retratos, mas trazem sempre um elemento inusitado. Segundo a curadora, “a exposição abrange não somente essa classificação pela qual a fotografia é reconhecida e separada das demais fotos, senão todas aquelas obras fotográficas em que uma pausa acontece e o olhar do fotógrafo – em primeiro lugar – e depois o do público percebem, num átimo de tempo, todo o contexto que envolve retrato e retratado, até mesmo quando este – ausente – está apenas insinuado”.


Serviço: Exposições Ética e Estética de Guilmar Silva, Ateliê de Edílson Viriato e Portrait. Local: Centro Cultural Solar do Barão (Museu da Gravura e Museu da Fotografia) – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro Data: aberta à visitação até o dia 5 de julho de 2009. Horário: de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábado e domingo, das 12h às 18h. Entrada franca. Informações: (41) 3321-3269

Felipe Andreoli, do CQC, é agredido por torcedores do Inter no estádio Beira-Rio


O repórter do CQC, Felipe Andreoli, foi agredido por torcedores do Internacional, no estádio do Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). O incidente aconteceu na noite desta quarta-feira (01/07), durante a partida entre o Colorado e o Corinthians. As imagens da agressão serão exibidas no próximo programa.

Em seu blog, Andreoli conta que a equipe do CQC chegou ao estádio acreditando que poderia gravar normalmente, mas não foi isso o que aconteceu. Um grupo de torcedores do Internacional se aproximou e começou a xingar os profissionais com palavrões e a chamá-los de conrintianos.

“Tomei uma gravata e tive que me livrar. Se não fosse um santo segurança do estádio a gente ia apanhar feio. Eu, o cinegrafista e produtor. Por sorte o grandão apareceu. Um ou outro torcedor ainda tentou nos proteger ajudar, vale ressaltar”, comentou.

Após o susto, Andreoli criticou o fanatismo, que acaba gerando situações como a vivida por ele na noite do Beira-Rio.

“Todo fanático é imbecil. Seja ele um fanático religioso, político ou esportivo. Nada em excesso na vida é bom. E no estádio de futebol o que não falta é babaca fanático, babaca bêbado, enfim vários tipos. Não estou generalizando”, afirmou.

Também nesta quarta-feira, Danilo Gentili, outro repórter do CQC, foi agredido por um segurança no Senado.

Bosque do Papa comemora 29º aniversário da visita de João Paulo II


A entrega das casas restauradas pela Prefeitura acontece neste domingo (5), na festa em homenagem ao Papa João Paulo II, realizada anualmente pela comunidade polonesa.



O Bosque do Papa – Memorial da Imigração Polonesa sedia neste domingo (5) a festa em comemoração ao 29º aniversário da visita do Papa João Paulo II a Curitiba. A homenagem ao papa falecido em 2005 tem início às 13h e completa-se com a entrega de duas casas de troncos, restauradas pela Prefeitura de Curitiba. Datadas do século 19, as casas em troncos encaixados sem pregos integram a paisagem do bosque, e remetem ao modo de vida dos primeiros imigrantes poloneses.

Neste ano, o tradicional encontro promovido pela Fundação Cultural de Curitiba, Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Missão Católica Polonesa no Brasil e Braspol também comemora outras datas importantes para a comunidade polonesa. Com uma extensa programação cultural, serão lembrados os 140 anos da imigração polonesa no Brasil, os 50 anos da presença da Congregação Sociedade de Cristo no Brasil, os 20 anos da democratização da Polônia e o Dia do Imigrante Polonês no Paraná, festejado em 2 de maio. A entrada é franca.

Entre as atrações oferecidas ao público estão apresentações de grupos folclóricos, bandas e corais. A entrega das casas restauradas será às 16h, com a presença de Dom Pedro Fedalto, arcebispo emérito de Curitiba; Rizio Wachowicz, presidente da Braspol; e padre Zbigniew Jósef Minta, provincial da Sociedade de Cristo.

Composto por sete casas de troncos de pinheiro encaixados, o Memorial reconstitui o ambiente no qual viviam os imigrantes que começaram a chegar a Curitiba em 1871. Duas das casas foram tratadas e recuperadas da infestação de cupins. A madeira recebeu aplicações de produtos preventivos para evitar novos ataques das pragas. Alguns troncos muito comprometidos foram substituídos por madeira nova. O telhado de barro também foi trocado.

Todo o trabalho de desmontagem, tratamento e remontagem teve acompanhamento de um arquiteto especialista em patrimônio histórico.



Confira a programação completa:

13h – apresentações das bandas polonesas “Os Guri” e “Herdeiros da Polônia”; grupos folclóricos italiano “Anima Dantis”, português “Alma Lusa” e polonês “Wesoly Dom”; corais “Santa Cecília” e “Santa Ana de Abranches

16h – entrega das duas casas típicas restauradas pela Prefeitura Municipal de Curitiba no Bosque João Paulo II, com descerramento de placa comemorativa.

17h – apresentação da banda polonesa “Coração Nativo”



Serviço:

Festa do 29º Aniversário da visita do Papa João Paulo II a Curitiba, com a entrega de duas casas de troncos, restauradas pela Prefeitura Municipal

Data e horário: dia 5 de julho de 2009 (domingo), a partir das 13h

Local: Memorial da Imigração Polonesa – Bosque João Paulo II (Rua Mateus Leme)

Entrada franca

quinta-feira, 2 de julho de 2009

MINHA VIDA NA HORIZONTAL



MINHA VIDA NA HORIZONTAL
My Horizontal Life: A Collection of One-Night Stands
de Chelsea Handler


272 páginas

Este livro não pode ser levado a sério, ou também pode. Um livro escvrito por uma mulher sobre suas aventuras e desventuras na "horizontal".









A AUTORA
Joy Chelsea Handler (nasceu em 25 de fevereiro de [1975) é uma norteamericana, comediante de stand-up, humorista, apresentadora de televisão, atriz, e agora autora de best-sellers . Atualmente tem seu próprio talk show no E! Rede de televisão por cabo. Em 2009, ela ganhou o Prêmio - Bravo A-List Award.





UM LANÇAMENTO



Seis vezes literatura



O friozinho chega aos poucos ao Rio de Janeiro e leva o carioca a buscar algo que aqueça a temporada – como um chocolate quente ou o famoso cafezinho. Para acompanhar, nada melhor do que leitura de qualidade, “servida” em um ambiente que tem tudo a ver com a nova estação. Pronto: está montado o cenário para o lançamento coletivo que a Editora da Universidade Federal Fluminense (EdUFF) promove, no dia 9 de julho, às 19 horas, na Livraria Argumento do Leblon.

Durante o evento, que tem entrada franca, serão lançadas seis das mais recentes publicações da editora na área de Letras e Literatura. São elas: Conversas ao Sul: ensaios sobre literatura e cultura latino-americana, de Lívia Reis; Sobre mulheres e estrangeiros: alguns romances de Olga Gonçalves, de Silvio Renato Jorge; Narrativa biográfica e outras artes: reflexões sobre escrita literária e criação estética na Trilogia da mão, de Mário Cláudio (autoria de Dalva Calvão); Valores do abjeto, de Ângela Maria Dias e Paula Glenadel (organizadoras); Interação, contexto e identidade em práticas sociais, de Fernando Afonso de Almeida e José Carlos Gonçalves (organizadores); e As certezas de Dom Quixote, obra de José Carlos Barcellos, lançada postumamente.

A Livraria Argumento fica na Rua Dias Ferreira, 417, Leblon, Rio de Janeiro, e o evento promete tornar-se um memorável encontro de quem ama livro e literatura.

Lançamentos da Editora Fundação Perseu Abramo em julho


Dicionário do Movimento Operário e Revista Perseu nº 3 na ANPUH

A EFPA e o Centro Sérgio Buarque de Holanda (CSBH/FPA) lançam o livro Dicionário do Movimento Operário e a Revista Perseu: História, Memória e Política nº 3 durante o XXV Simpósio Nacional de História – ANPUH, que acontece em Fortaleza entre os dias 12 e 17/7. O lançamento acontece no dia 13/7, às 17hs, no Museu de Arte da UFC (MAUC).

Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana fazem apresentação no Museu da Casa Brasileira


Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana fazem o espetáculo “Dança dos Ritmos” no domingo, 5 de julho, às 11h, no Museu da Casa Brasileira (MCB) – instituição vinculada à Secretaria de Estado da Cultura. O show será recheado de ritmos do mundo, com ênfase África, continente em que Carlinhos Antunes trabalhou nos últimos anos, realizando um documentário sobre música e dança em Burkina Faso, país do centro-oeste africano.



Repertório com músicas de Carlinhos Antunes: “Sarau o quê”, “Maria Rosa”, “Anita Rosa”, “Africanita”, “Choro de Anita”, “Calicaribe!”, “Xaxados y Perdidos”, “Sombras da Romãzeira” e “Latina”. O programa traz ainda canções como “Nandus Dance”, do Grupo Mynta; “Baião de Cinco”, de Gabriel; e “Flamenquita”, de Beto Angerosa.



A Orquestra Mundana é formada por Carlinhos Antunes (viola, violão, kora, cuatro venezuelano, tiple colombiano, balafon e voz), Beto Angerosa (percussão), Luis Cabrera (saxofones tenor, alto e soprano, e flauta) e Rui Barossi (contrabaixo acústico), Danilo Penteado (piano e cavaco), Laura Sokolowicz (oboé); Simone Sou (percussão).Além da flautista Celina Charlier, participa do espetáculo a bailarina flamenca Úrsula Correa.



A apresentação faz parte do projeto Música no Museu, consolidado na agenda de São Paulo como uma alternativa de lazer que reúne música de qualidade em um cenário agradável: o terraço do Museu da Casa Brasileira, em frente ao seu jardim de 6.600 metros quadrados.



O espetáculo é um pós-lançamento do DVD de Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana gravado no Auditório Ibirapuera no início de 2009, que teve como convidados Badi Assad, Paulo Betti, Barbatuques, Mawaca e Celina Charlier.



Carlinhos Antunes é um músico versátil. Conhece 40 países e já atuou como solista ou em grupo, no Marrocos, Peru, Nicarágua, Suíça, Holanda, Cuba, França, Inglaterra, Grécia, Itália, Espanha, Turquia, Croácia, Suriname e Burkina Faso. No Brasil, atuou com grandes nomes, como Tom Zé, Adoniran Barbosa, Jair Rodrigues, Badi Assad,Vânia Bastos, Fátima Guedes, Filó Machado, Grupo Tarancón, etc. Além dos festivais internacionais, nos quais participa desde 1987, Carlinhos Antunes, seu Sexteto e a Orquestra Mundana realizam shows em vários estados e cidades brasileiras, em locais como Sala São Paulo, Teatro São Pedro, Teatros Pinheiros, Pompéia, Vila Mariana, Santana do Sesc, Museu da Casa Brasileira, Teatro Castro Alves, em Salvador e Teatro Municipal de Araraquara, Taubaté e São José dos Campos.



Carlinhos Antunes tem sete CDs e DVDs: Paisagem Bailarina e Mundano, ambos pela Lua Music, Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana, pela Tratore, Carlinhos Antunes e Pascal Lefeuvre Duo, pelo selo Albacarma, gravado na França em 2006, Trio Atlântico, gravado em maio de 2007, também na França. CD e DVD da Orquestra Mediterrânea, gravado ao vivo pelo Sesc, sob direção e regência de Carlinhos Antunes, Livio Tragtenberg e Magda Pucci, com 24 artistas convidados de várias partes do mediterrâneo. Em maio e agosto de 2007, Carlinhos Antunes participou de vários projetos na França, Espanha e Suíça. É representante no Brasil do Festival internacional Nuits Atypiques de Langon, da França e do MercoSul cultural.



Serviço Música no Museu – “Carlinhos Antunes e Orquestra Mundana”
Domingo, 5 de julho, às 11h
Entrada franca

Duração: 60 min

Capacidade: 230 lugares

Local: Museu da Casa Brasileira – Terraço - Av. Brig. Faria Lima, 2705

Tel. 3032-3727
Jardim Paulistano
Site: www.mcb.org.br

Estacionamento: R$ 10,00

Visitação: de terça a domingo, das 10h às 18h

Ingresso: R$ 4,00 Estudantes R$ 2,00 Gratuito domingos e feriados

Acesso para pessoas com deficiência. Visitas monitoradas: 3032-2564

quarta-feira, 1 de julho de 2009

VARENNES

VARENNES
- A morte da realeza: 21 de junho de 1791
de Mona Ozulf



Páginas - 360

Varennes é uma comuna francesa na região administrativa da Aquitânia, no departamento Dordonha. Estende-se por uma área de 4,05 km², com 377 habitantes, segundo os censos de 1999, com uma densidade 93 hab/km².

O LIVRO

Em meio aos episódios tumultuosos e sangrentos que compõem a saga da Revolução Francesa, um deles se destaca pela ausência quase total de violência e aparente inocuidade: a fuga do rei Luís XVI, na noite de 20 de junho de 1791, abortada 36 horas depois no vilarejo de Varennes. Com a pressão popular de 1789, o monarca fora obrigado a deixar a distante Versalhes e instalar-se no palácio das Tulherias, no centro de Paris, bem como tivera de engolir artigos da nova Constituição que limitavam muito seus poderes. Insatisfeito e considerando-se prisioneiro num palácio úmido e frio, ele se passa ridiculamente por burguês e, acompanhado de toda a família, tenta escapar para Montmédy, na fronteira leste do país, onde estão forças monarquistas leais. Acontece que no meio do caminho ele é reconhecido e mandado de volta para a capital. A própria Assembleia tenta abafar o alcance do evento, fingindo acreditar num "rapto" do rei, preocupada que está em institucionalizar a Revolução e retomar a vida "normal" do país. Mas a verdade é que essa "viagem" representa uma fratura na história francesa e terá consequências indeléveis: ela destrói a imagem de um Luís XVI paternal, provoca o divórcio entre o rei e a nação, lança sobre o monarca a suspeita de traição ao povo, abre espaço para a ideia republicana até então pouco divulgada e renova a turbulência revolucionária que desembocará no Terror, do qual Luís XVI será uma das primeiras vítimas.
Em Varennes - A morte da realeza, a eminente historiadora Mona Ozouf reconstitui essa história que deu origem a muitas obras de ficção e ao extraordinário filme de Ettore Scola, Casanova e a Revolução, com o estilo saboroso de uma contadora de histórias e a argúcia de uma pesquisadora que evita as simplificações e sai em busca dos detalhes significativos que compõem um quadro complexo de um momento decisivo da Revolução Francesa e, por conseguinte, da história da humanidade.

A CRITICA

"Impecável na narração, magistral na arte do retrato, sugestiva e sempre sutil na sua reflexão política [...], Mona Ozouf nos dá um grande livro." - Le Monde

"Mona Ozouf inscreve seu nome junto ao dos historiadores e escritores que sempre cultivaram o duplo prazer de escrever História e nos contar histórias." - L'Express

A AUTORA

Mona Ozulf

Nasceu em 1931, em Plouha, na França. Historiadora formada em filosofia, é diretora de pesquisas no Centro Nacional da Pesquisa Científica (CNRS). Colaboradora da revista Nouvel Observateur, publicou diversas obras sobre a Revolução Francesa, a República francesa e literatura, com destaque para La fête revolutionnaire, Les mots des femmes e Les aveux du roman. Em colaboração com François Furet escreveu o influente e polêmico Dicionário Crítico da Revolução Francesa.



UM LANÇAMENTO







LANÇAMENTO


clique para ampliar

Cinemateca de Curitiba compõe comissão nacional de arquivos de filmes

A Cinemateca de Curitiba foi escolhida para participar da comissão executiva do Sistema Brasileiro de Informações Audiovisuais. A Cinemateca está representada pelo funcionário Marcos Sabóia.

A Cinemateca de Curitiba, representada pelo seu funcionário Marcos Stankievcz Sabóia, foi escolhida para integrar a comissão executiva do SIBIA – Sistema Brasileiro de Informações Audiovisuais. O sistema, que reúne acervos de 40 instituições brasileiras, foi formado pelo Ministério da Cultura, com o objetivo de melhorar as condições de guarda e pesquisa dos arquivos cinematográficos em todo o Brasil.

A comissão executiva, responsável pela coordenação desse trabalho, foi escolhida durante uma reunião dos representantes de todos os acervos, realizada de 8 a 11 de junho, na Cinemateca Brasileira de São Paulo. A comissão tem quatro integrantes e ficará responsável pelo encaminhamento das demandas e sugestões dos participantes do programa ao Ministério da Cultura. Entre as propostas do SIBIA está a de possibilitar a troca de informações, padronizar procedimentos e oferecer treinamento na área de arquivos fílmicos.

Inscrições abertas para oficina de férias

O Centro de Criatividade de Curitiba está com inscrições abertas

para a oficina “Encantarias de Inverno”, que acontece em julho e é destinada ao público infantil.

O Centro de Criatividade de Curitiba promove durante as férias de julho a oficina “Encantarias de Inverno”. Os contadores de histórias da Casa da Leitura Augusto Stresser e os professores dos cursos de modelagem e da oficina do Boi de Mamão estão propondo um trabalho em conjunto. Depois de ouvir histórias e contos, as crianças são convidadas a construir os personagens e cenários, trabalhando com técnicas de modelagem e confecção de adereços. As aulas acontecem entre os dias 13 e 16 e 20 e 23 de julho, das 14h às 17h30.

Além de participar das sessões literárias, as crianças terão oportunidade de reconstruir o universo das histórias, trabalhando uma variedade de materiais como papel, tecido, lã e vime. Todos juntos ao final participam de um cortejo, a exemplo do que acontece com a festa do Boi de Mamão. A contação de histórias será feita pelos educadores Rosi Greca, Rosângela Rauen, Leandro Borgonha e Lucas Buchile Pinto. As atividades de modelagem e adereços serão orientadas por Fernando Rosenbaum e Elói Egídio Pereira.

Serviço:

Oficina “Encantarias de Inverno” para crianças (6 a 12 anos)

Local: Centro de Criatividade de Curitiba – Rua Mateus Leme, 4.700 – São Lourenço.

Data: de 13 a 16 e de 20 a 23 de julho, das 14h às 17h30

Inscrições:

Sessões de contação de histórias - gratuitas

Oficinas de modelagem e adereços - R$ 15 por aula avulsa ou R$ 50 por pacote de uma semana

Informações: (41) 3313-7191


Orquestra apresenta-se com solo de contrabaixo de Marcos Machado


O contrabaixista Marcos Machado é o convidado do próximo concerto da Orquestra de Câmara de Curitiba, nos dias 3 e 4 de julho,

na Capela Santa Maria.

O próximo concerto da Orquestra de Câmara da Cidade de Curitiba, marcado para os dias 3 e 4 de julho (sexta-feira, às 20h, e sábado, às 18h30), na Capela Santa Maria – Espaço Cultural, terá a participação especial do contrabaixista Marcos Machado, músico brasileiro que vive atualmente nos Estados Unidos, onde desenvolve carreira como spalla da Meridian Symphony Orchestra. O concerto terá a regência do maestro Wagner Polistchuk.

O programa abre com a orquestra executando as Bachianas Brasileiras nº 9, de Heitor Villa-Lobos (1887-1959). Em seguida, serão apresentadas obras de autores contemporâneas – Samskara, do francês Jean-Pascal Beintus (1966), Ponteio e Mini Concerto para Cordas, de Cláudio Santoro (1919-1989), e Nove Variações sobre Paganini, do americano Frank Proto (1931).

Além das conhecidas Bachianas Brasileiras, de Villa-Lobos, e da obra Ponteio, talvez a composição de Cláudio Santoro mais executada pelas orquestras brasileiras, o concerto da Orquestra de Câmara de Curitiba traz algumas novidades. Em sua primeira exibição com a orquestra curitibana, Marcos Machado sugere uma obra de Jean-Pascal Beintus, talentoso compositor francês que também faz trabalhos para teatro e cinema. Foi ele o autor da trilha sonora original dos filmes A última hora (The 11th hour), com Leonardo di Caprio, Syriana, de Alexandre Desplat, e do ganhador do Globo de Ouro O despertar de uma paixão (The Painted Veil).

Outra exclusividade é a obra de Frank Proto, atualmente considerado um dos mais respeitados compositores nos Estados Unidos e com o qual Marcos Machado mantém estreitos contatos. O contrabaixista já trouxe para o Brasil várias composições de Proto, apresentando-as com orquestras brasileiras. O virtuosismo de Marcos Machado chamou a atenção do compositor americano, que o descreveu como “brilhante”. Sua performance com a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, na estreia latino-americana da composição Carmen Fantasy, de Frank Proto, foi considerada “espetacular”.

Nascido em Bagé (RS), Marcos Machado iniciou sua formação com o professor Milton Masciadri, no Conservatório de Música da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre. Continuou os estudos na University of Georgia e obteve o título de doutor em música pela University of Illinois. Paralelamente, aperfeiçoou-se na Europa. Tem feito diversas turnês pela Itália, França, Suíça, Portugal, Alemanha, Inglaterra, Brasil e Argentina como spalla e solista. Já se apresentou nos principais festivais europeus, entre eles o Montreux Jazz Festival (Suíça). É também professor de contrabaixo erudito e jazz na University of Southern Mississippi (EUA).

Regência – Diretor artístico da Camerata Antiqua e da Orquestra de Câmara de Curitiba, o maestro Wagner Politschuk tem comandado importantes orquestras, entre elas a Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), a Sinfônica da Universidade de São Paulo, a Sinfônica do Theatro Municipal de São Paulo, a Sinfônica de Mendoza (Argentina) e a Sinfônica do Teatro Nacional de Brasília, além da Hermitage São Petersburgo Orchestra, na Suíça. Em seu currículo constam premiações em diversos concursos nacionais e internacionais e, como trombonista, participações de solista convidado em orquestras da Europa.

Serviço:

Concerto da Orquestra da Câmara de Curitiba com o contrabaixista Marcos Machado. Regência de Wagner Politschuk

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro).

Data e horário: dia 3 de julho (sexta-feira), às 20h; dia 4 de julho (sábado), às 18h30.

Ingressos a R$ 10 ou R$ 5 (mais um quilo de alimento não perecível) / promoção não cumulativa.

terça-feira, 30 de junho de 2009

A BIBLIOTECA ESQUECIDA DE HITLER

A BIBLIOTECA ESQUECIDA DE HITLER
- Os livros que moldaram a vida do Führer
de Timothy W. Ryback


Páginas - 336

Sabe-se que as três bibliotecas particulares de Adolf Hitler, localizadas em Berlim, Munique e no refúgio de Obersalzberg, nos Alpes bávaros, chegaram a abrigar mais de 16 mil volumes. O mais enigmático dos genocidas do século XX possuía coleções completas de Shakespeare, Goethe, Schiller, Kant e Fichte, encadernadas com ostensivo luxo e assinaladas com o característico ex-libris nacional-socialista. Livros sobre ocultismo e misticismo racial também despertavam a atenção do leitor assíduo, porém caótico, que se vangloriava de ler ao menos um livro por dia.
Timothy W. Ryback, autor de The last survivor: legacies of Dachau, premiado em 2003 com o Hans Rosenberg Book Prize, dá merecido destaque aos livros que influenciaram a escrita de Mein Kampf na célebre prisão de Landsberg, depois do putsch frustrado de 1923, mas não deixa de mencionar curiosos volumes presenteados por admiradores e bajuladores, trechos assinalados por Hitler nas margens dos livros ou detalhes como a presença física do ditador num fio de cabelo encontrado em meio às páginas envelhecidas. Durante oito anos de incansável pesquisa em coleções públicas e particulares nos Estados Unidos e na Europa, Ryback rastreou desde os livros lidos pelo obscuro cabo-mensageiro Hitler, nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial, até as consoladoras leituras dos dias finais no bunker de Berlim, em 1945. O trabalho do historiador e diplomata norte-americano foi altamente elogiado por Ian Kershaw, o maior especialista em Adolf Hitler da atualidade.

O AUTOR
Timothy W. Ryback

Doutorou-se em alemão pela Universidade Harvard, onde também ensinou história e literatura. Autor do premiado The last survivor: legacies of Dachau, escreve regularmente no New York Times, na New Yorker e na Atlantic Monthly. É cofundador e codiretor do Institute for Historical Justice and Reconciliation, sediado em Haia, e membro da Académie Diplomatique Internationale de Paris.









UM LANÇAMENTO






Lançamentos de Ana Maria Machado



SAIBA MAIS EM



lançamentos da

Traição mortal


Traição mortal
de J. D. Robb


Coleção: Série Mortal
Páginas: 420



Ao investigar um homicídio cometido num ambiente que lhe é bem familiar — um hotel de seu marido —, a detetive Eve Dallas se vê diante de um assassino que aprecia de forma muito especial as coisas sofisticadas da vida... e da morte.

No luxuosíssimo Roarke Palace Hotel, uma camareira entra na suíte 4.602 para a habitual troca de lençóis e toalhas, mas enfrenta o seu pior pesadelo. Um assassino a deixa morta, estrangulada por um fino fio de prata. É mais um ataque do assassino conhecido como Sly Yost, um apreciador de boa música, bons vinhos e... homicídios. Um assassino de aluguel que atua entre a elite. A tenente Eve Dallas o conhece bem. O problema é que, nesse caso intrincado, conhecer o assassino não a ajuda a elucidar o crime. Porque existe mais alguém envolvido. Alguém com motivos pessoais. E Eve é obrigada a enfrentar a aterrorizante possibilidade de que o alvo verdadeiro de tudo isso seja, na verdade, o seu marido Roarke.

UM LANÇAMENTO



Petrobras e Confederação Brasileira de Handebol promovem campeonato nacional escolar do esporte

Leia mais em

********ESPECIAIS****************

Secretário da Presidência mostra detalhes do Blog do Planalto

O secretário de imprensa da Presidência, Nelson Breve, apresentou detalhes do Blog do Planalto, que estreia no fim de julho. O projeto, que está na fase de montagem de equipe, foi apresentado pela primeira vez ao público. Entretanto, o layout ainda não está definido. A ideia é fazer uma votação popular para escolher a versão final. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira, durante o 10° Fórum Internacional Software Livre, em Porto Alegre.

“É a primeira vez que alguém de fora do governo vê este layout”, disse Breve.

O presidente Lula não vai escrever no blog. O espaço será mantido e atualizado por uma equipe de cinco profissionais: um programador, um webdesigner, um repórter, um redator e um coordenador. No início, o site será conservador, sem espaço para a manifestação dos leitores.

“Primeiro, vamos ver como funciona. Não sabemos como vai ser isso, quantos vão comentar, se será lido só por jornalistas ou se vai virar um sucesso”, explica Breve.

PROGRAMAÇÃO JULHO DE 2009

1 de Julho de 2009 - 4ª Feira

AUDITÓRIO


20h30

Mini-curso de Budismo



2 de Julho de 2009 - 5ª Feira

AUDITÓRIO




5ª Conferência Latina sobre Redução de Riscos (CLAT5)



11h30 – 13h | Suporte Básico de Vida



Workshop em português

Local: Clube Literário do Porto

Moderador: Eduardo Silva (APDES, Portugal)

Participantes do INEM



16h00 | O Papel do Traficante na Redução de Riscos



Workshop em Português e Inglês

Local: Clube Literário do Porto * Rua Nova da Alfândega, 22 - 4050-430 PORTO

Moderadora: Isabel Ponte (IDT, Portugal)

Theo van Dam (LSD, Holanda)

António Magalhães (GNR de Guimarães, Portugal)

Mário Silva (Portugal)



17h – 18h30 | Redução de Riscos, Exclusão Social e Direitos



Humanos: Soluções Interventivas

Workshop em português, francês e espanhol



Moderador: Jorge Barbosa (IDT, Portugal)

Serge Longère (PROSES, França)

Alba Mestres (Grupo Enfermaria Barcelona, Espanha)

Marco Manso (Aliança RR Fátima Cavalcanti, Brasil)



3 de Julho de 2009 - 6ª Feira

AUDITÓRIO


5ª Conferência Latina sobre Redução de Riscos (CLAT5)



13h | Políticas de Drogas, Democracia E Direitos Humanos



Conferência em Espanhol e Português



Moderador: Martín Vázquez Acuña (Juiz do Tribunal Oral nº 1, Argentina)

Relator: Luís Filipe Guerra (Juiz de Paz do Julgado de Paz do Porto, Portugal)

Mónica Cuñarro (Magistrada do Ministério Público, Argentina)

José Henrique Torres (Juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo, Brasil)

Pablo Ruz Gutiérrez (Juiz do Tribunal xde Primeira Instância e Instrução nº 5 Collado Villalba, Espanha)

Luigi Marini (Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Cassação, Itália)

Eduardo Maia Costa Juiz do Supremo Tribunal de Justiça, Portugal)



14h30 – 16h | Clínica de Proximidade



Workshop em Português



Moderadora: Paula Portela (Enfermeira E.T. Gaia, Portugal)

Isabel Prado e Castro (médica, Portugal)

Raquel Duarte (CDP de Gaia, Portugal)

José Fraga (Centro Hospitalar de Gaia, Portugal)





21:30h







Lançamento do livro “Eutanásia e outras Questões Éticas no Fim da Vida” (Coordenação: Rui Nunes, Guilhermina Rego, Ivone Duarte), da Colectânea Bioética Hoje, editado pela Gráfica de Coimbra.

A apresentação da obra vai estar a cargo do Professor Altamiro da Costa Pereira (professor da Faculdade de Medicina do Porto) e do Dr. Paulo Duarte Teixeira (Juiz de Direito).


21h30

"A emergência do princípio feminino e a realização das mulheres"

Tertúlia com a participação Rosa Maria Oliveira autora do livro de Poesia Magna Mater e do psicólogo clínico Dr. Paulo Lima Santos.


A dramatização de Poemas do Magna Mater está a cargo de Ana Salgueiro, Ana Parreira, Ana Paula Relvas e Anabela Lopes do grupo de teatro Ceta de Aveiro e de ZéTo Rodrigues da Oficina de Música de Aveiro.



23:00h

Concerto

Sofia Guedes, soprano

Francisco Seabra, piano


4 de Julho de 2009 - Sábado

AUDITÓRIO

21h30

Apresentação da revista literária Callema n 6

PIANO-BAR


23:00h



Melodias de Sempre

Daniela Anjo, flauta transversal

Miguel Oliveira, piano

GALERIA


21:30h

Inauguração da exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


5 de Julho de 2009 - Domingo


GALERIA


Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


6 de Julho de 2009 - 2ªFeira

GALERIA


Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES


7 de Julho de 2009 - 3ªFeira

AUDITÓRIO


21:30 - 23:30h



Oficina de Filosofia Prática e Pensamento Crítico



Inscrições

revistaumcafe@gmail.com

91 668 63 99

GALERIA

Exposição de pintura “Vislumbres de um olhar” de Maria André

CAVE


EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIA re-n/haciendo-Me, DE MHCAVIEDES

Projeto Afina-se revela talentos musicais

Alunos dos cursos práticos do Conservatório de MPB mostram o resultado do aprendizado em espetáculos gratuitos, de 1º a 14 de julho.



O resultado do trabalho desenvolvido nas salas de aulas do Conservatório de Música Popular Brasileira de Curitiba, no primeiro semestre do ano, pode ser conferido pelo público em espetáculos gratuitos. No período de 1º a 14 de julho, os alunos participam do Projeto Afina-se, com apresentações no Auditório Nhô Belarmino e na Praça Jacob do Bandolim do Conservatório de MPB, no Teatro Londrina do Memorial de Curitiba, no TUC – Teatro Universitário de Curitiba e no Wonka Bar.

O evento proporciona às comunidades a possibilidade de apreciar o talento e a criatividade desses novos artistas. Nos shows, sob orientação dos professores, sobem ao palco estudantes iniciantes e de nível avançado dos diversos cursos de instrumento, canto e práticas de conjunto. De cunho didático, o projeto conta com toda uma estrutura de produção, que abrange o aparato de cartazes e programas impressos, sonorização e iluminação, ingredientes indispensáveis para estabelecer uma ponte entre a escola e o ambiente musical profissional.

Confira a agenda de apresentações das turmas e seus respectivos professores:



Dia 1º de julho (quarta-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Praça Jacob do Bandolim

CANTO POPULAR (Suzie Franco), CANTO POPULAR (Ana Cascardo)



Dia 2 de julho (quinta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

BAIXO ELÉTRICO (Marcelo Pereira), VIOLÃO (Guilherme Campos), CANTO POPULAR (Adriana Fabro)



Dia 3 de julho (sexta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

CAVAQUINHO (Julião Boêmio), CANTO POPULAR (Joubert Guimarães)



Dia 4 de julho (sábado), às 14h

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

FLAUTA TRANSVERSAL (Zélia Brandão), CONJUNTO DE MPB (Glauco Sölter), VIOLÃO (Cláudio Menandro), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



Dia 6 de julho (segunda-feira):

às 18h30 – Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

PIANO PARA CRIANÇAS (Cristina Loureiro), ACORDEOM (Marina Camargo), ACORDEOM (Rubens Pires), PIANO (Beth Fadel), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



às 20h – Wonka Bar

PERCUSSÃO (Alex Figueiredo)



Dia 7 de julho (terça-feira), às 18h30

TUC – Teatro Universitário de Curitiba

VIOLÃO (Fabiano “Tiziu” Silveira), TROMBONE (Osmário Estevam Jr.), BATERIA P/ CRIANÇAS (Paulo Oliveira), CANTO POPULAR (Adriana Fabro)



Dia 8 de julho (quarta-feira), às 18h30

TUC – Teatro Universitário de Curitiba

PIANO (Reginaldo Nascimento), CANTO POPULAR (Joubert Guimarães), CANTO POPULAR (Suzie Franco)



Dia 9 de julho (quinta-feira), às 19h

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina

CANTO POPULAR (Suzie Franco), CANTO POPULAR (Ana Cascardo)



Dia 11 de julho (sábado), às 14h

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

VIOLÃO/ VIOLA CAIPIRA (Rogério Gulin)



Dia 13 de julho (segunda-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

SAXOFONE (Raul Valente), VIOLÃO P/ CRIANÇAS (Daniel Fagundes)



Dia 14 de julho (terça-feira), às 18h30

Conservatório de MPB – Auditório Nhô Belarmino

BATERIA (Toni Antoniacomi)



Endereços:



Conservatório de MPB de Curitiba – Rua Mateus Leme, 66 – Setor Histórico – telefone 3321-3208

Memorial de Curitiba – Teatro Londrina – Rua Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico – telefone 3321-3313

TUC – Teatro Universitário de Curitiba – Galeria Julio Moreira, 30 – Setor Histórico – telefone 3321-3312

Wonka Bar – Rua Trajano Reis, 326 – São Francisco – telefone 3014-6252

segunda-feira, 29 de junho de 2009

MELÔ DO DIPLOMA DE JORNALISTA

Da série - Perco o amigo mas não perco a piada!

Sorria, afinal é segunda feira e ainda teremos muitos meses de "dunguices"!

domingo, 28 de junho de 2009

Ensaios sobre corvos e escrivaninhas

À MESA COM O CHAPELEIRO MALUCO
- Ensaios sobre corvos e escrivaninhas

de Alberto Manguel

Páginas - 248


O LIVRO

Para Erasmo de Roterdã, a loucura - o alegre extravio da razão - explica muitas das atividades em que incorrem os seres humanos: a guerra, o amor, a política, as artes. Bertrand Russell, ao completar noventa anos, comentou: "Ao longo de toda a vida, ouvi dizer que o homem é um animal racional; até hoje, porém, não tenho uma só prova de que seja mesmo". A verdade é que em todas as épocas houve loucos, e a atual não é exceção. Neste livro de ensaios saborosos, Alberto Manguel parte das frases mais famosas de Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, para inventariar um universo de personagens, artistas e obras que se nutrem do tipo de demência sublime que, desde a Antiguidade, desafia regras e instituições. Assim, o leitor encontrará Pinóquio, o capitão Nemo e Dom Quixote ao lado de Stevenson, Borges, Gaudí e Van Gogh, e partirá em viagem pelo mundo de sonhos e realidades em constante mutação que chamamos de "cultura". Um livro de brincadeiras finas e reflexões bem fundamentadas sobre o prazer inigualável da leitura.

O AUTOR
Nasceu em 1948, em Buenos Aires, e é hoje cidadão canadiano. Passou a sua infância em Israel, devido ao seu pai ser embaixador argentino nesse país. Completou os estudos no Colégio Nacional de Buenos Aires, nunca chegando a frequentar qualquer curso universitário. Em 1968 transferiu-se para a Europa e, à excepção de um ano em que esteve de volta a Buenos Aires, onde trabalhou como jornalista para o periódico La Nación, viveu em Espanha, em França, em Inglaterra e em Itália. Enquanto esteve na Europa ganhou a vida como leitor para várias editoras, como a Gallimard, Denöel, Les Lettres Nouvelles, em Paris, Calder & Boyars em Londres e exerceu o cargo de editor estrangeiro na Editora Franco Maria Ricci em Milão.


Em meados dos anos 70, aceitou o cargo de editor-assistente das Editions du Pacifique, uma editora do Tahiti. Em 1982, depois de publicar The Dictionary of Imaginary Places (em colaboração com Gianni Guadalupi), mudou-se para o Canadá, onde residiu até 2001. Editou uma dúzia de antologias de contos sobre temas que vão do fantástico à literatura erótica. Autor de livros de ficção e de não-ficção, desenvolve uma actividade intensa como editor e tradutor, além de contribuir regularmente para jornais e revistas do mundo inteiro. Actualmente reside em França. É membro da União de Escritores Canadianos, do PEN Canadá e da Fundação Guggenheim. Foi nomeado oficial da Ordem das Artes e das Letras, em França.


A OBRA

»Não Ficção
1985 - Into the Looking-Glass Wood: Essays on Books, Reading, and the World
1996 - A History of Reading
2006 - With Borges
2006 - A Room Full of Toys: The Magical Characters of Childhood
2006 - The Library at Night
2006 - Magic Land of Toys
2006 - A Reading Diary: A Year of Favourite Books (2006)

»Antologias
1968 - In another Part of the Forest: The Antology of Gay Literature (Com Craig Stephenson)
1984 - The Oxford Book of Canadian Ghost Stories
1984 - Black Water: The Book of Fantastic Literature
1985 - Dark Arrows: Stories of Revenge
1985 - Other Fires: Short Fiction by Latin American Women
1988 - Evening Games: Stories for Parents and Children
1990 - Black Water 2: More Tales of the Fantastic
1991 - White Fire: More Tales of the Fantastic
1991 - By the light of the Glow-Worm Lamp: Tree Centuries of Reflections on Nature
1993 - The Gates of Paradise: The Antology of Erotic Literature
1998 - Fathers and Sons: An Antology
2006 - The Ecco Book Of Christmas Stories

»Novelas
1980 - The Dictionary of Imaginary Places
1991 - News from a Foreign Country Came
2004 - Stevenson Under the Palm Trees

»Outros Géneros
2001 - Reading Pictures: A History of Love and Hate
1997 - The Bridge of Frankenstein
1998 - The Ark in the Garden: And Other Fables for our times

Obras editadas em Portugal
1998 - Uma História da Leitura (Editorial Presença)
2003 - Stevenson sob as Palmeiras (Asa)

Obras do autor publicadas pela Companhia das Letras

À MESA COM O CHAPELEIRO MALUCO

AMANTE DETALHISTA, O

BIBLIOTECA À NOITE, A

CIDADE DAS PALAVRAS, A

DICIONÁRIO DE LUGARES IMAGINÁRIOS

HISTÓRIA DA LEITURA, UMA

LENDO IMAGENS

LIVROS E OS DIAS, OS

NO BOSQUE DO ESPELHO

STEVENSON SOB AS PALMEIRAS

UM LANÇAMENTO






TRES NOVOS LIVROS DE BARTOLOMEU CAMPOS DE QUEIRÓS





















lançamentos da

DOIS NOVOS LIVROS DE MARINA COLASANTI

































LEIA EM



lançamentos da