sábado, 12 de fevereiro de 2011

Inscrições abertas para cursos na Rua da Cidadania da Matriz


Estão abertas as inscrições para diversos cursos da área de música e artes na Rua da Cidadania da Matriz, na Praça Rui Barbosa. As opções são violão popular, teclado, violino, viola, flauta doce, canto coral, técnica vocal, desenho e pintura. A mensalidade é de apenas R$ 35. Mais informações sobre horários, conteúdos, materiais e pré-requisitos podem ser obtidas no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br (cultura nos bairros/regional matriz) ou pelos telefones: 3313-5816 e 3313-5817.

Clube Literário do Porto

Dia 12 | Sábado

Piano bar

17h00 – 19h30
Cultura Integrada

Tema: "Cultuar a Vida - Sexualidade Consciente"

Dinamizadora: Maria Adelina Lopes

Piano bar

22h00
Recital de alunos da Academia de Música de Costa Cabral

Dia 13 | Domingo

À porta do CLP

23h30 – 00h30

Serenata “Dia dos Namorados”

Grupo de Fados do ISEP

13_serenata_fados.jpg

*********************************



EXPOSIÇÕES PARA VER ATÉ AO DIA 14:

Galeria do piso 2

Exposição de pintura “Ivan Severiano”, de Ivan Severiano

01_Ivan Severiano.jpg

Nota biográfica:

Ivan Samuel Pereira Severiano nasceu a 10 de Setembro de 1985 em Torres Vedras, Portugal. Artista desde que se conhece, as suas pinturas e os seus desenhos têm tido divulgação a nível internacional. Já participou em algumas exposições colectivas sendo esta a primeira exposição individual no Porto.

Galeria da Cave

Exposição de Pintura “Dream”, de Álvaro Marques

01_Alvaro Marques_Dream.jpg

Nota biográfica:

ÁLVARO MARQUES - Artista Plástico, nasceu em Massarelos – Porto em 1963, seguiu estudos no Liceu de Vila Nova de Gaia, tendo efectuado em paralelo uma formação complementar na Academia Comercial Tecla, onde frequentou o Curso de Desenho de C.Civil.
O gosto pelo desenho técnico, leva-o a frequentar em 1987, através da Federação dos Sindicatos da Metalurgia Matalomecânica e Minas de Portugal, o Curso de Desenho de Máquinas.
Desde tenra idade desenhou, tendo iniciado na Pintura, mais concretamente em 1989, altura em que começou a dar largas à sua imaginação, interessando-se por todo o tipo de trabalhos ligados às Artes.
Ao longo da sua carreira profissional, a área de Desenho/Pintura, esteve sempre presente, tendo colaborado com empresas de publicidade, como A.Perdigão e Mário Ceriz, na concepção de maquetas para Stand de Expositores.
Em 1991, concretiza a sua 1ª.Exposição Colectiva, que se realizou na Casa Tait – Porto, com Patrocínios da Rank Xerox, Diário de Notícias e Rádio Comercial, sobre o tema “Pintores de Domingo”.

********************************

A NÃO PERDER

Dia 19 | Sábado

Galeria da Cave

14h30 – 18h30

Workshop de percussão para crianças

Formador: Paulo Rodrigues (Paulo das Cavernas)

Estão abertas as inscrições para o workshop de Percussão para crianças dos 6 aos 12 anos, no dia 19 de Fevereiro, sábado, das 14h30 às 18h (com intervalo).

Inscrições: 7 euros

As inscrições podem ser efectuadas no Clube Literário do Porto ou pelo email: institutodemusica.clp@gmail.com


Org.: Instituto de Música do CLP (IMCLP)

Apareçam!!!!!

logotipo_CLP.jpg

Clube Literário do Porto

Rua Nova da Alfândega, nº 22

4050-430 Porto

Tel. 222 089 228

Fax. 222 089 230

Email: clubeliterario@fla.pt

URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

BLOGUE: http://clubeliterariodoportofla.wordpress.com/

Samba e literatura na agenda de domingo



O programa Música nos Parques acontece no Parque Barigüi, enquanto o Parque São Lourenço recebe o Biblioparque, posto móvel de empréstimo gratuito de livros.

Lazer e cultura marcam a programação preparada pela Fundação Cultural de Curitiba para o fim de semana, com música e atividades literárias em espaços urbanos. Neste domingo (13), às 15h30, o Parque Barigüi sedia mais uma edição do programa Música nos Parques, com a apresentação do Grupo Serenô, enquanto o Parque São Lourenço recebe o Biblioparque, posto móvel de empréstimo gratuito de livros, que atenderá das 10h às 18h. Em caso de chuva, o equipamento não poderá funcionar.

Um mergulho no universo do samba de raiz é a proposta do Grupo Serenô, que interpreta composições próprias como resultado de intenso trabalho de pesquisa sonora por todo o Brasil. Roseane Santos (voz e percussão), Marco Filgueiras (cavaco), Eduardo Gomide (voz e violão), Gustavo Proença (voz e percussão), Raphael Araújo (percussão) e Manchinha (gaita ponto) mostram que o samba nunca deixou de ser lamento, celebração dos amores e das dores, das alegrias e das saudades, além de revelar a existência do samba paranaense.

Com três anos de atuação no cenário musical curitibano, o Grupo Serenô une sonoridades vindas das chulas e modas de viola, do maracatu e das cirandas, do samba de roda e do samba de partido, até chegar à forma urbana de fazer samba. O show do grupo, neste domingo (13), integra o programa Música nos Parques, que seleciona as atrações por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura com o objetivo de proporcionar lazer e diversão gratuita a milhares de curitibanos.

Leitura – Atividades literárias também integram as opções deste domingo (13), com o Biblioparque atendendo no Parque São Lourenço, das 10h às 18h. O equipamento, que foi inaugurado em outubro do ano passado, numa parceria entre a Fundação Cultural e a Vivo, permite que os frequentadores dos parques emprestem livros gratuitamente, mediante apresentação de um documento. Ele é itinerante e conta com uma estrutura especial para proteger uma estante de títulos atuais da literatura brasileira e estrangeira, além de acomodar mesas, cadeiras e pufs. O Biblioparque integra o programa Curitiba Lê, desenvolvido pela Prefeitura para incentivar o hábito da leitura entre os curitibanos.

Serviço:

Música nos Parques

Show do Grupo Serenô

Local: Parque Barigüi

Data e horário: 13 de fevereiro de 2011 (domingo), às 15h30

Entrada franca

Biblioparque

Local: Parque São Lourenço

Data e horário: 13 de fevereiro de 2011 (domingo), das 10h às 18h

*Se estiver chovendo, o Biblioparque não poderá ser montado.

Minas Shopping investe em ações para comemorar o carnaval

Centro de compras terá exposição para resgatar tradições da festa brasileira

Para celebrar o carnaval, o Minas Shopping resolveu resgatar alguns momentos marcantes de uma das principais festas brasileiras. Entre as ações de comemoração está a exposição “Bonecas de luxo vestem fantasias de carnaval”, que fica no shopping de 15 de fevereiro a 13 de março. Na mostra, os visitantes vão poder conhecer todo o luxo exibido nos carnavais passados e um pouco da história das escolas de samba e da própria festa.

A exposição trará bonecas Barbie vestidas com fantasias de escolas do Rio de Janeiro e São Paulo, dispostas na praça central do shopping, que será decorada para o evento. Serão, no total, 19 bonecas trajando réplicas perfeitas dos figurinos luxuosos usados nas décadas de 1960 a 90 e nos anos 2000. As fantasias expostas recriam roupas utilizadas por passistas, destaques, corso e rainhas de bateria. Completando o cenário, legendas contam a história de cada fantasia, do enredo usado na época, das Escolas e da maior festa folclórica do mundo.

Mais tradição

Além de resgatar um pouco do passado da festa de maior expressão no país, o Minas Shopping vai dar a seus clientes a chance de aproveitar o tradicional carnaval de Salvador. A partir desta semana, será montado um espaço no shopping simulando um camarote da famosa festa baiana. No espaço, os visitantes poderão participar de jogos interativos e concorrer a kits para curtir o carnaval, que incluem itens como óculos coloridos, CDs de axé, porta-documentos à prova d’água, entre outros.

Além disso, no local, serão disponibilizados cupons promocionais, nos quais os participantes têm que responder a uma frase sobre por que ir para o carnaval de Salvador. Os autores das três melhores respostas ganham uma viagem para Salvador com tudo pago, com entrada para o bloco do Asa de Águia (1º lugar); um par de abadás para o camarote Skol Folia no Axé Brasil (2º lugar) e um par de abadás para a pista do Axé Brasil (3º lugar).

Agenda Cultural FCC de 11 a 17 de fevereiro


clique para ampliar

Victor de Castro expõe a Geometria do Caos



Artista visual cearense radicado na Suíça, Victor de Castro expõe a Geometria do Caos em Fortaleza



Radicado na Suíça, o artista visual cearense Victor de Castro chega a Fortaleza para apresentar a sua exposição individual "Geometria do Caos", com curadoria de Solon Ribeiro, no Centro Cultural Banco do Nordeste (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108).

Gratuita ao público, a mostra será aberta na próxima quinta-feira (dia 17), às 18 horas. Dentro da programação de abertura, acontecerá, às 20 horas, a performance "Aqui se acabam todas as diferenças", com Victor de Castro, Uirá dos Reis e Reginaldo Dias. A exposição ficará em cartaz até o próximo dia 20 de março (horários de visitação: terça-feira a sábado, de 10h às 20h; e aos domingos, de 10h às 20h).



Texto do artista Victor de Castro sobre a exposição

"O meu âmbito com esse projeto é desafiar o limite das categorias que constituem uma coleção de imagens. Tentar fragmentar a idéia da série em um elemento ou em conjuntos de elementos, dois, três, e daí por diante.

O mundo no qual vivemos se baseia na ordem arbitrária da linguagem. O que ando experimentando me leva a crer em um outro tipo de linguagem, algo que releva da coleção, da assemblage, da aglomeração, da justaposição, de um cavalgamento, de uma transgressão da ordem em vigor.

Neste trabalho focalizo minha atenção em elementos, fatos do cotidiano real ou de um cotidiano imaginário, inconsciente. Ao fio do tempo comecei a constituir o que chamo de um arquivo vivo de imagens. Essas imagens me interessam pelo fato de sofrerem uma mudança considerável de status, uma vez isoladas pela fotografia.

São cenas do cotidiano, paisagens, objetos, pessoas, detalhes que nos passam desapercebidos, visto que nossa atenção está sendo sempre bombardeada com imagens, imagens e mais imagens.

E como a nossa capacidade de leitura, a meu visto, está sendo aos poucos reduzida ao que conseguimos enxergar a um primeiro nível superficial, desejo voltar à interpretação, proporcionar uma outra forma de leitura. Uma leitura polifônica, que se baseia em eixos, formais e semânticos, sem que essa suscite uma ordem linear, arbitrária ou narrativa.

Mostrar uma imagem tal e qual. Constituir uma coleção de imagens.

Esse será o projeto principal da exposição e o enfoque com o qual desejo apresentar uma seleção dos trabalhos realizados desde 2006. A idéia é de se basear sobre a estética do Caos para definir a montagem da exposição. Outros livros serão projetados em forma de slide-shows e ao mesmo tempo mostrarei a parte de video arte que constitui minha pesquisa".

Programação de shows do Alambique Cachaçaria BH


Fevereiro 2011**

Sábado - dia 12

Alessandro Calegari

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$20 (feminino), R$30 (masculino). Camarote Heritage: R$30 (feminino) e R$50 (masculino).

Segunda-feira – dia 14

A casa não abrirá

Terça-feira – dia 15

Diogo & Danilo (sertanejo)

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$20 (feminino – 100% off ao apresentar carteira da faculdade ou boleto bancário) e R$30 (masculino – 50% off ao apresentar carteira da faculdade ou boleto bancário). Camarote Germana: R$30 (feminino) e R$60 (masculino).

Quarta-feira – dia 16

Rodrigo Ribeiro e Toninho Moreira (sertanejo)

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$15 (feminino – 100% off ao apresentar qualquer tipo de carteira de estudante até às 23h59) e R$25 (masculino). *Camarote open bar: R$55 (feminino) e R$95 (masculino). *(whisky 8 anos, espumante Salton, cachaça Germana, Ice, caipirinhas, chopp, refrigerante, água, cerveja e rodada de caldos).

Quinta-feira – dia 17

Marcelinho de Lima & Camargo (sertanejo)

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$20 (feminino) e R$30 (masculino). Camarote Germana: R$30 (feminino) e R$60 (masculino).

Sexta-feira – dia 18

Renan & Rafael (sertanejo)

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$15 (feminino) e R$25 (masculino). Camarote R$30 (feminino) e R$60 (masculino).

Sábado - dia 19

Lívia Cristo (Axé)

Alambique Cachaçaria BH – Av. Raja Gabaglia, 3.200, Estoril, (31) 3296-7188. Abertura da casa: 21h. Pista: R$20 (feminino), R$30 (masculino). Camarote Heritage: R$30 (feminino) e R$50 (masculino).

**Programação sujeita a alteração.

Classificação: Maiores de 18 anos portando documento com foto, menores de 18 anos acompanhados dos pais ou com irmãos maiores de 21 anos.

Confira no site as agendas semanais: www.alambique.com.br/programacao

MARCELO MANSFIELD e CARLOS FARIELO


DEVIDO AO GRANDE SUCESSO,

MARCELO MANSFIELD e CARLOS FARIELO

ESTENDEM A TEMPORADA DA COMÉDIA

MÁ COMPANHIA

ATÉ O DIA 19 DE MARÇO, SEMPRE ÀS SEXTAS E SÁBADOS,

NO ESPAÇO DOS PARLAPATÕES.



DEVIDO AO GRANDE SUCESSO COMÉDIA CONTINUA

EM CARTAZ ATÉ 18 DE MARÇO NO ESPAÇO DOS PARLAPATÕES



MARCELO MANSFIELD e CARLOS FARIELO em

MÁ COMPANHIA



A comédia “MÁ COMPANHIA” apresenta uma colagem de textos

e personagens dos atores Marcelo Mansfield e Carlos Farielo,

consagrados em participações especiais em espetáculos como

“Terça Insana”, “Quinta Q Pariu”, “Casal de Segunda”,

“Segundas Intenções”, “Rashowbico”

e nos programas de TV “Zorra Total”

(TV Globo) e “Cafi-Break” (Blue TV, da TVA).



“Má COMPANHIA”

é um apanhado geral dos estilos de comédia

que vem lotando teatros no Brasil nas últimas duas décadas:

stand up, esquetes, humor visual e comédia de personagem.

Quase um estudo de estilo, num formato simples,

sem cenários monumentais ou figurinos intricados.

Uma evento teatral com texto simples, mas eficaz e a presença

cênica carismática dos dois veteranos atores dão o tom ao espetáculo.



Serviço:

Temporada Inicial: de 7 de janeiro a 19 de fevereiro

TEMPORADA EXTENDIDA ATÉ O DIA 19 DE MARÇO

sempre às sextas e sábados, às 23:59h

Duração: 70 minutos

Recomendação: 14 anos

Local: Espaço dos Parlapatões

Praça Roosevelt, 158 - Centro - Tel.: 3258-4449

Ingressos: R$ 30,00 inteira / R$ 15,00 meia (estudantes, classe e ingresso amigo)

Chico César canta sucessos


Chico César canta sucessos acompanhado da sanfona de Lívia Mattos

Músico paraibano mistura o frevo e o forró com estilos globais, como o ska e o reggae





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta o cantor e compositor Chico César, acompanhado da sanfoneira Lívia Mattos, de 18 a 20 de fevereiro. O músico paraibano apresenta sucessos de sua carreira, com ênfase no último trabalho “Francisco, Forró y Frevo”, além de canções românticas consagradas na música popular brasileira. Chico e Lívia dialogam com seus instrumentos, experimentando diferentes sonoridades e ritmos.



Chico transita com facilidade entre o regional e o global. Neste show, o paraibano expõe o diálogo da música brasileira com estilos universais, como o xote com o reggae e o frevo e o arrasta-pé com o ska. Os dois estilos brasileiros nortearam a produção do álbum “Francisco Forró y Frevo”, um disco vivo e alegre. O foco é a força dos ritmos que animam o carnaval e os festejos juninos do nordeste: o frevo e o forró. No que se refere especificamente ao frevo, o álbum traz uma novidade: a junção da linguagem das orquestras de metais de Pernambuco com a guitarra baiana dos trios elétricos de Salvador dos anos 70.



Além das canções próprias, Chico acha espaço para as músicas românticas que ficaram marcadas em sua voz e na de numerosos intérpretes, como Maria Bethânia, Daniela Mercury e Elba Ramalho. Entre os sucessos, estão: "Onde estará o meu Amor", "Templo", "À Primeira Vista" e "Pensar em Você".



Chico César



Nascido no município de Catolé do Rocha, interior da Paraíba, Chico César se mudou aos 16 anos para João Pessoa. Se formou em jornalismo e, ao mesmo tempo em que atuou na profissão, se dedicou a música. Em 1991, quando foi convidado para fazer uma turnê pela Alemanha, é que decidiu deixar o jornalismo para se dedicar somente à música.



Possui sete álbuns gravados: “Aos Vivos” (1995), “Cuscuz Clã” (1996), “Beleza Mano” (1997), “Mama Mundi” (2000), “Respeitem meus cabelos, brancos” (2002), “De uns tempos pra cá” (2006) e “Francisco, forró y frevo” (2008). Seu primeiro livro, “Cantáteis, cantos elegíacos de amizade”, foi publicado em 2005, pela editora Garamond. Tomou posse na presidência da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) em maio de 2009.



Lívia Mattos

Lívia Mattos é uma jovem sanfoneira que vem atuando na cena musical baiana e paulista. O repertório conta com músicas instrumentais de sua autoria e clássicos de Dominguinhos, Sivuca, Oswaldinho e Hermeto Pascoal. Seu trabalho é focado na música nordestina, com o xote, o xaxado, o baião e o arrasta pé. Em 2008, gravou um álbum produzido por Oswaldinho do Acordeon, com destaque para seu trabalho autoral. Além da música, Lívia se dedica ao circo, fundindo diversas possibilidades artísticas como instrumento de criação e inspiração.

Serviço



Música: Chico César

Local: Teatro da CAIXA – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba/PR

Data: de 18 a 20 de fevereiro

Hora: sexta e sábado 21h e domingo 19h

Ingressos: R$20 e R$10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41)2118-5111(de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, as 16 às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Asanas e Parábolas: A sabedoria do yoga


Asanas e Parábolas: A sabedoria do yoga e da filosofia vedanta para o yogue moderno
de Zo Newell


128 Páginas;


O uso dos asanas para a reflexão, a introspecção e a cura

Editora Pensamento lança manual de utilização das representações dos deuses indianos para a prática do yoga


Asanas e Parábolas, escrito por uma experiente praticante de yoga e especialista em teologia, mostra como é possível utilizar as representações coloridas dos deuses e deusas indianos na prática do yoga. Zo Newell mostra a relação entre as imagens e mitos indianos e as posturas físicas do yoga, e explica como executar essas posturas, bem como sua simbologia.

Os asanas selecionados para este lançamento da Editora Pensamento estão organizados em torno da figura central de Shiva, o Senhor dos Yogue.

Zo examina o uso dos asanas, da mitologia e do conjunto de imagens evocativas em termos culturais, como ferramentas para aprofundar a prática de yoga através da observação do corpo, mente e emoções. As histórias, personagens e imagens podem afetar de modo espiritual e emocional, enquanto os asanas afetam fisicamente.

A autora traz também, na apresentação de Asanas e Parábolas, um pouco de sua história pessoal: a maneira como ela chegou a amar e confiar na sabedoria das histórias, e como estas a guiaram nos períodos difíceis de seus anos de crescimento.

A Autora:
Zo Newell conheceu o yoga por intermédio do dr. Rammurti S. Mishra (Sri Brahmananda Sarasvati) quando tinha 14 anos. Ela fez seu mestrado em estudos teológicos na Harvard Divinity School, em 1988, e doutorado em história e teoria crítica da religião na Vanderbilt University. Zo mora em Nashville, Tennessee, onde dá aulas de yoga restaurativo e filosofia do yoga.

UM LANÇAMENTO
***

A História Secreta do Ocidente


A História Secreta do Ocidente
A influência das organizações secretas na história ocidental da
Renascença ao Século XX
de Nicholas Hagger


528 Páginas;


Estudo analisa influência das organizações secretas
na história ocidental

Livro desvenda origens das revoluções, da renascença até o século XX


Ao contrário do que se acredita, a civilização ocidental como a conhecemos hoje não é o resultado final de um progresso constante, mas sim de uma sucessão de revoluções. Nicholas Hagger, um dos mais respeitados estudiosos e intérpretes da história mundial contemporânea, autor de mais de trinta livros, sustenta essa teoria e apresenta em A História Secreta do Ocidente, da Editora Cultrix, um importante estudo inédito, sobre a influência e o papel das organizações secretas que deflagraram as marés de revoluções e que ditaram os rumos da humanidade.

Num primeiro momento, Hagger faz uma narrativa cronológica dessas revoluções, da Renascença à Revolução Russa e, numa segunda etapa, descortina a sua teoria, baseada na constatação de que os regimes políticos que regeram o mundo corromperam as ideias expressas por intelectuais, fato que acendeu o estopim das revoluções. A abordagem é singular, pois o autor explora ideias e influências até então não manifestas, que permaneciam “secretas”, remontando às seitas heréticas – gnóstica, templária, cátara e rosacruciana - ao Priorado de Sião, às facções no interior da franco-maçonaria e às atividades de famílias como os Rothschilds, entre outras organizações.

Hagger sustenta que a maré de revoluções está chegando ao nível máximo nos nossos tempos, como mostra em seu livro A Corporação – A História Secreta do Século XX e o Início do Governo Mundial do Futuro, publicado pela Editora Cultrix.

O autor:
Nicholas Hagger nasceu em Londres em 1939, formado na Worcester College.Escritor, filósofo e intérprete da história mundial contemporânea e da influência das organizações secretas na história das revoluções ocidentais, lecionou Literatura Inglesa no Iraque, Líbia e Japão.

UM LANÇAMENTO

A Grande Mudança


A Grande Mudança
Como Participar da Criação de um Novo Mundo a Partir de 2012
de Lee Carroll; Tom Kenyon; Patricia Cori; Martine Vallée


206 Páginas;

Coletânea traz mensagens positivas e alentadoras sobre 2012

Autores sensitivos canalizam mensagens de seres intergalácticos e mostram caminhos para a construção de uma nova ordem mundial

Com o propósito de ajudar as pessoas a entender melhor e enfrentar as mudanças cósmicas previstas para acontecer em 2012, a escritora canadense Martine Vallée reuniu no livro A Grande Mudança – Como participar da criação de um novo mundo a partir de 2012, textos dos três dos mais renomados autores internacionais sobre o assunto, sensitivos que se dedicam a transmitir ensinamentos inspiradores.

O livro, lançamento da Editora Cultrix, traz mensagens positivas e práticas. Uma delas é de Kryon, entidade multidimensional canalizada por Lee Carroll, segundo o qual, para enfrentarmos 2012, devemos apenas demonstrar nossa intenção espiritual para que o campo quântico do DNA seja ativado em nosso corpo. Thomas Kenyon canaliza as energias de um grupo de entidades intergalácticas conhecidas por Háthores, cuja mensagem, pela simplicidade, é alentadora: “apenas encontre um jeito de viver a vida com alegria e felicidade”. Já Patricia Cori, ao transmitir as mensagens do Alto Conselho do Sírio, lembra que o futuro jamais é predeterminado e que o passado é uma ilusão – diferente para cada um de nós.

A Grande Mudança é uma obra que visa a aceleração da consciência cósmica antecipada pelos maias, egípcios, índios e indivíduos de outras civilizações. Os autores dedicam parte do espaço para passar instruções práticas sobre o que – e como – fazer para participar ativamente da criação de uma nova ordem mundial.

Os autores:
Lee Carroll é autor de livros com mensagens de Kryon, cujas energias canalizam há mais de vinte anos. É criador dos “grupos de luz de Kryon”, e promove encontros em diversos países. Tom Kenyon é professor, cientista, xamã e psicoterapeuta, e realiza sessões de cura pelo uso do som. Patricia Cori é médium clarividente, guia espiritual, professora e autora de livros sobre os seres do Sírio. Martine Vallée, organizadora do livro, é responsável por divulgar escritores de sucesso como Gregg Braden, autor de A Matriz Divina e O Segredo de 2012, publicados pela Editora Cultrix, e Drunvalo Melchizedek, autor de O Antigo Segredo da Flor da Vida e Serpente de Luz, ambos da Editora Pensamento.

UM LANÇAMENTO

3º FESTIVAL DO JÚRI POPULAR 2011


3º FESTIVAL DO JÚRI POPULAR 2011
De 14 a 20 de fevereiro de 2011

Realização:
Revista Piauí
Porta Curtas Petrobrás
Produção:
Sobre Tudo Produção
Apoio em Curitiba:
Fundação Cultural de Curitiba
Cinemateca de Curitiba

Entrada franca
Classificação 14 anos para todos os filmes


Ampliando seu raio de atuação, o mais abrangente festival de cinema do país acontecerá simultaneamente em 22 cidades brasileiras, entre os dias 14 e 20 de fevereiro.
O Comitê de Seleção, formado por Eduardo Ades (produtor e curador), Ines Aisengart Menezes (curadora), Maria Flor Brazil (produtora), Raphael Mesquita (diretor e produtor) e Angelo Defanti (coordenador do festival), avaliou as mais de 400 inscrições e 41 filmes foram selecionados.
Antes de cada uma das sessões, em todas as salas de exibição, a cada um dos espectadores será ofertada uma cédula de votação que apresentará todas as categorias de todos os filmes que serão exibidos. Ao fim de cada exibição, uma urna estará disponível para o público depositar as cédulas, após a sua avaliação em cada uma das categorias.
Os filmes da mostra competitiva concorrerão nas seguintes categorias, sob o julgamento do público: Grande Prêmio, Melhor Ficção, Melhor Documentário, Melhor Animação, Melhor Experimental, Melhor Direção, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Montagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Ator e Melhor Atriz.
O Grande Prêmio receberá o Prêmio Porta Curtas Petrobras, Prêmio Estúdios Mega, Prêmio Distribuição Curta o Curta, dentre outros prêmios em serviços. A Melhor Fotografia ainda receberá o Prêmio Kodak.
Mas informações: www.festivaldojuripopular.com.br

Dia 14
Às 16h: Sessão Hors-Concours:

ELETRODOMÉSTICA, de Kleber Mendonça Filho, 22’, PE/2005, fic.
Classe média, anos 90, 220 Volts.

VIDA MARIA, de Marcio Ramos, 8’, CE/2006, anim.
Acompanhamos Maria durante o seu trabalho, no sitio onde vive. Vai dos 5 aos 45 anos e passa todo seu estilo de viver para sua filha Lurdes.

ONDE ANDARÁ PETRÚCIO FELKER, de Allan Sieber, 12’, RJ/2001, anim.
A conturbada trajetória do artista plástico performático Petrucio Felker é traçada através de diversos depoimentos.

A INVENÇÃO DA INFÂNCIA, de Liliana Sulzbach, 26’, RS/2000, doc.
Ser criança não significa ter infância. Uma reflexão sobre o que é ser criança no mundo contemporâneo.

Às 18h: Programa 1 - Mostra Competitiva:

ANGELI 24H, de Beth Formaggini, 25’, RJ, doc.
Documentário sobre o cartunista Angeli e as transformações em sua obra. O filme é centrado na sua obsessão pelo trabalho e na crise entre ser um artista da cultura pop, produzindo diariamente novas charges e tirinhas para várias mídias, e, ao mesmo tempo, exigir de si mesmo radicalidade e capacidade de se renovar, sempre botando o dedo na ferida.

A DAMA DO PEIXOTO, de Douglas Soares e Allan Ribeiro, 12’, RJ, doc.
Ela está aqui, está ali, e os invisíveis são os outros.

AMIGOS BIZARROS DO RICARDINHO, de Augusto Canani, 20’, RS, fic.
A produção conta a história de um rapaz levado ao limite da tensão em um ambiente corporativo. Quando essa crise torna-se insustentável, ele desenvolve uma reação estranha: narra aos seus colegas as pequenas e insólitas histórias de seus amigos e familiares na cidade satélite de Viamão, na grande Porto Alegre.

SÓ MAIS UM FILME DE AMOR, de Aurélio Aragão, 19’, RJ, doc.
Entre Janeiro e Julho de 2009, Emanuel e Gabriela estiveram separados. Ela em Paris. Ele no Rio de Janeiro. Durante esse período trocaram dezenas de vídeos que para eles funcionaram com cartas de amor. Ao longo dos 19 minutos do filme, eles tentam recontar essa história.

CONTAGEM, de Gabriel Martins e Maurilio Martins, 18’, MG, fic.
Um acontecimento, quatro pessoas e a cidade de Contagem.

Às 20h: Programa 6 – Mostra Competitiva :

O PLANTADOR DE QUIABOS, de Coletivo Santa Madeira, 15’, SP, fic.
Sinopse: No interior do estado de São Paulo, Seu João se vê dividido entre o aumento de sua produção de quiabos e a realização de um sonho efêmero de sua filha.

7 VOLTAS, de Rogerio Nunes, 19’, SP, doc.
Diversas crônicas se entrelaçam numa espiral narrativa, poética e quase onírica, sobre um lugar onde o sinuoso rio Tamanduateí descrevia sete voltas.

O DIÁRIO DA TERRA, de Diogo Viegas, 1’, RJ, anim.
Uma menina conta como seu dia a dia na Terra vem sendo mudado.

ENSOLARADO, de Ricardo Targino, 14’, RJ, fic.
Lena é a única menina da casa, mas não é só isso que a faz diferente dos outros quatro irmãos. Os meninos gostam de acompanhar a mãe ao rio, onde ela faz panelas e potes de barro e onde lavadeiras de fazendas por ali lavam suas roupas e vasilhas. Eles brincam no mato e correm atrás dos animais da fazenda. Lena não gosta de nada disso. Lena gosta de brincar dentro de casa, sempre sozinha, de janelas fechadas, longe do sol. Na fazenda, eles esperam pela vinda de Seu Deraldo, fazendeiro que mora na cidade e que vez por outra visita a propriedade. Desta vez, a visita reserva mais emoção que das outras, porque Seu Deraldo não voltará só. Todos ali sabem. Todos ali sentem.

ORQUESTRA DO SOM CEGO, de Lucas Gervilla, 13’, SP, doc.
Dois sanfoneiros cegos, um filme mudo e um de-compositor musical.

BALANÇOS E MILKSHAKES, de Erick Ricco e Fernando Mendes, 10’, MG, anim.
Um amor vivido por duas crianças é lembrado por um narrador.

CARRETO, de Marília Hughes e Cláudio Marques, 12’, BA, fic.
Tinho conhece Stephanie. Uma amizade se inicia.

VERÃO, de Thiago Pedroso e Hiro Ishikawa, 9’, Sp, fic.
Um dia de sol, um dia de chuva.

Dia 15
Às 16h: Programa 6 – Mostra Competitiva

Às 18h: Programa 2 – Mostra Competitiva:

ELA VEIO ME VER, de Essi Rafael, 16’, MS, fic.
Delcides espera a chegada de Tatiane. Eles vão passar uma tarde juntos, pela primeira vez. Uma chance para conversarem e se conhecerem, livres do resto do mundo. Porém, face ao jorro de assuntos triviais e aparentemente inofensivos, existe um universo de sentimentos. Ansiedade. Timidez. Insegurança. Medo. Até o pôr do sol, uma relação pode ser formada ou destruída. Tudo depende de um beijo.

GERAL, de Anna Azevedo, 15’, RJ, doc.
O palco é a geral do estádio do Maracanã. Em cena, os torcedores conhecidos como “geraldinos”, num espetáculo de êxtase, fúria, alegria e dor.

IZAMARA, de Diogo Hayashi, 9’, SP, anim.
Quando ele teve certeza que ela havia partido...

O SOM DO TEMPO, de Petrus Cariry, 10’, CE, exp.
"O sertão está em toda parte, o sertão é dentro da gente." - Guimarães Rosa. O concreto avança contra Dona Maria, mas ela segue em frente, com toda calma do mundo.

147, de Marcelo Tannure, 4’, MG, anim.
Uma simples ajuda pode se tornar algo arriscado. Então o que fazer quando a velocidade falar mais alto? Só nos resta o desespero.

TEMPESTADE, de Cesar Cabral, 10’, SP, anim.
Um marujo solitário navega, através de oceanos tumultuados por tempestades, em busca do reencontro com sua amada. Segue uma rotina rígida de afazeres até que mudanças inesperadas em sua rota alteram seu destino.

A NOITE POR TESTEMUNHA, de Bruno Torres, 24’, DF, fic.
Cinco amigos se encontram; um índio se perde numa cidade desconhecida. Juntos, eles viverão uma noite de inconsequência e culpa. O curta-metragem é uma adaptação de um acontecimento real que chocou o Brasil.

Às 20h: Programa 5 – Mostra Competitiva:

RATÃO, de Santiago Dellape, 20’, DF, fic.
Goma é um garoto que ajuda Tio a vender CD's piratas na Feira do Paraguai, em Brasília. Enquanto Tio busca a iluminação espiritual, Goma se envolve com a máfia japonesa que controla a Feira.

INSTANTÂNEOS, de Andra Capella, 15’, RJ, doc.
O retrato de uma noite do último fotógrafo de bares da Lapa.

O SOLITÁRIO ATAQUE DE VORGON, de Caio D'Andrea, 6’, SP, fic.
Uma manchete diz "Vorgon e Vorga destroem cidade durante briga!" E a foto do jornal mostra dois monstros gigantes lutando. À noite, Vorgon volta a atacar. Um soturno ataque solitário.

BAILÃO, de Marcelo Caetano, 17’, SP, doc.
A memória de uma geração visitada por seus personagens. O cenário é o centro de uma grande cidade; o enredo, a urgência da vida. E o Bailão o ponto de convergência destas histórias.

CAOS, de Fábio Baldo, 15’, SP, fic.
Um homem recebe o chamado do sol

AS AVENTURAS DE PAULO BRUSCKY, de Gabriel Mascaro, 20’, PE, doc.
O artista Paulo Bruscky entra na plataforma de relacionamento virtual “Second Life” e conhece um ex-diretor de cinema, Gabriel Mascaro, que hoje vive, se diverte e trabalha fazendo filmes na rede virtual. Paulo encomenda a Gabriel um registro machinima em formato de documentário de suas aventuras no “Second Life”.

Dia 16
Às 16h: Programa 5 – Mostra Competitiva

Às 18h: Programa 3 – Mostra Competitiva:

GAROTO DE ALUGUEL, de Tarcísio Lara Puiati, 22’, RJ, fic.
Um homem recebe uma proposta inusitada: participar de um reality show transmitido 24h pela internet. O único problema: as câmeras filmam o que acontece dentro do corpo e não fora. E se ele levar um tiro?

COMO É BONITO O ELEFANTE, de Lucas Barbi e Juruna Mallon, 8’, RJ, fic.
O regresso daquele que tenta entender o que não é seu, nem seu lugar de origem, mas que já ocupou com suas memórias.

FANTASMAS, de André Novais Oliveira, 11’, MG, fic.
O fantasma da ex.

HARUO OHARA, de Rodrigo Grota, 16’, PR, doc.
Hoje você vê a flor. Agradeça à semente de ontem.

PEIXE PEQUENO, de Vincent Carelli e Altair Paixão, 4’, PE, doc.
Enquanto todos estão ocupados com a pesca da aldeia...

A INVENTARIANTE, de Patricia Francisco, 07’, SP, exp.
A própria diretora escolhe e exibe doze objetos do cotidiano da avó Ana para fazer um pedido de inventário.

RECIFE FRIO, de Kleber Mendonça Filho, 23’, PE, fic.
Estranha mudança climática faz Recife, na região Nordeste do Brasil, passar a ser uma cidade fria. O documentário de uma TV estrangeira examina os efeitos da mudança em toda uma cultura que sempre viveu em clima quente.

Às 20h: Programa 4 – Mostra Competitiva:

EU NÃO QUERO VOLTAR SOZINHO, de Daniel Ribeiro, 17’, SP, fic.
Sinopse: A vida de Leonardo, um adolescente cego, muda com a chegada do novo aluno na escola. Enquanto tem que lidar com os ciúmes da amiga Giovana, precisa entender os sentimentos despertados pelo novo amigo, Gabriel.

TRANSCOMUNICAÇÃO, de Arthur Tuoto, 3’, SP, exp.
A fragilidade de um sinal televisivo revela uma experiência de abalo e fascínio.

FÁBULA DAS TRÊS AVÓS, de Daniel Turini, 17’, SP, fic.
Natália é uma pequena órfã que será levada por um sujeito esquisito a conhecer as suas avós. Ela terá que escolher uma de que goste de verdade. Mas suas avós não são muito normais.

NALU, de Stefano Capuzzi Lapietra, 6’, SP, fic.
Um menino, o mar e uma prancha de surf entre eles.

FORMIGAS, de Caroline Fioratti, 18’, SP, fic.
Fim da Segunda Guerra Mundial. No Brasil, a derrota do Japão divide a comunidade japonesa em dois grupos radicais. Uma família de imigrantes encontra-se em perigo. Para as pequenas irmãs, são formigas gigantes que ameaçam seu pai.

MÍDIA OBSOLETA, de André Sicuro, 1’, RJ, exp.
Você também é uma Mídia Obsoleta.

INTERVALO, de Alexandre Rafael Garcia, 9’, PR, fic.
Pedro tem 16 anos, namora Ana e cursa o ensino médio. Em uma tarde qualquer: o colégio, olhares, a piscina. O azul.

RAZ, de André Lavaquial, 19’, RJ, fic.
Enquanto o mundo à sua volta se movimenta, Raz, um menino que canta rap nos vagões do metrô, tenta trilhar o seu próprio caminho pelas ruas da cidade.

Dia 17
Às 16h: Programa 4 – Mostra Competitiva

Às 18h: Sessão Hors-Concours

Às 20h: Programa 3 – Mostra Competitiva

Dia 18
Às 16h: Programa 3 – Mostra Competitiva

Às 18h: Programa 1 - Mostra Competitiva

Às 20h: Programa 2 – Mostra Competitiva

Dia 19
Às 16h: Programa 2 – Mostra Competitiva

Às 18h: Programa 4 – Mostra Competitiva

Às 20h: Programa 1 - Mostra Competitiva

Dia 20
Às 16h: Programa 5 – Mostra Competitiva

Às 18h: Programa 6 – Mostra Competitiva

Às 20h: Sessão Hors-Concours

Geometria Sagrada e as Origens da Civilização


Autor revela o uso secreto dos números sagrados ao longo da história

A obra é um panorama baseado no trabalho em curso sobre a reconstrução da antiga ciência

Geometria Sagrada e as Origens da Civilização

A revelação dos maiores enigmas da história por meio

da ciência dos números

de Richard Heath



248 Páginas

O uso onipresente de certos números e proporções sagradas pode ser encontrado ao longo da história, influenciando tudo: desde a arte e a arquitetura até o desenvolvimento das religiões e sociedades secretas. Em Geometria Sagrada e as Origens da Civilização, Richard Heath revela as origens, as influências e o significado mais profundo dessas ocorrências sincrônicas numéricas e como elas foram deixadas dentro do nosso ambiente planetário durante a criação da Terra, da Lua e do nosso sistema solar.

Explorando a astronomia, a harmonia musical, a geomancia, estudo dos centros sagrados e os mitos, o autor revela o uso secreto do conhecimento dos números sagrados na construção das catedrais góticas e a influência importante desses números na fundação da moderna cultura do Ocidente.

Heath explica por que a arquitetura templária de Washington representa a Nova Jerusalém, e identifica o papel que as sociedades secretas desempenham como repositório para a informação numérica sagrada. Aqueles que tentam decifrar seu significado sem compreender as origens planetárias desse conhecimento permanecem com uma informação contraditória, obscura e geralmente ilusória.

Examinando culturas pré-históricas e monumentais ao longo das Eras das Trevas e registros históricos posteriores, Geometria Sagrada e as Origens da Civilização, lançamento da Editora Pensamento, fornece uma chave para a compreensão do verdadeiro papel e significado dos números.

o Autor:
Richard Heath é web designer, com formação em engenharia elétrica e da computação, e autor de outras obras sobre a geometria sagrada. Atualmente mora na Escócia e está disponível para possíveis entrevistas via e-mail.

UM LANÇAMENTO


PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

PROGRAMAÇÃO

De 11 a 17 de fevereiro de 2011

CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti, 1.174 – fone: (41) 3321-3252 (diariamente, das 9h às 12h e das 14h às 22h30 – sábados e domingos, das 14h30 às 22h30) www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

REFLEXÕES DE UM LIQUIDIFICADOR (BR, 2010 – 80’ – 35mm). Direção de André Klotzel, com Selton Mello (voz do liquidificador) , Ana Lucia Torre, Germano Hauit.

Um filosófico liquidificador nos conta de sua amizade com Elvira, uma dona de casa que passa por um momento agitado em sua vida. Seu marido, Onofre, desapareceu há alguns dias, e ela decide ir à policia dar queixa do sumiço.

Em meio a reflexões sobre a vida e as diferenças entre os objetos e os seres humanos, o liquidificador nos conta como tudo começou. Classificação 16 anos

De 11 a 13, sessões às 15h45, 18h e 20h

Ingresso pago: R$5,00 (inteira)

R$2,50 (meia)

R$1,00 (aos domingos)

3º FESTIVAL DO JÚRI POPULAR

De 14 a 20, sessões às 16h, 18h e 20h – Entrada franca

(ver programação em anexo)

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Circo da Cidade “Zé Priguiça” abre agenda de espetáculos






A montagem “GiraMundi”, que tem apresentações neste fim de semana, usa a arte circense para traduzir a magia dos livros.



Duas apresentações, neste fim de semana, marcam a abertura da temporada 2011 de espetáculos no Circo da Cidade “Zé Priguiça”. Instalado na Rua Benedicto Siqueira Branco, s/n, no Alto Boqueirão (próximo ao Armazém da Família Jardim Paranaense), o Circo tem como cartaz a montagem “GiraMundi”. Na sexta-feira (11), às 10h, o show é destinado aos alunos de escolas públicas da Regional Santa Felicidade. No sábado (12), às 15h, o espetáculo é aberto à comunidade, dentro da proposta de levar a arte circense a todos os bairros da cidade.

O espetáculo “GiraMundi”, promovido pela Associação dos Profissionais da Área Artística do Paraná – Aspart, foi selecionado por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura e usa técnicas de circo para revelar o universo dos livros. Entre acrobacias, equilibrismo, malabarismo e humor, os artistas apresentam o livro como um objeto mágico, capaz de dar asas à imaginação.

Com uma estética contemporânea, “GiraMundi” surpreende o público pela poesia e performances de impacto visual. A montagem conta com a participação da Cia. La Arena, de Buenos Aires, trazida a Curitiba por Imã.circo e Aspart com o objetivo de promover um intercâmbio entre artistas argentinos e criadores curitibanos.

A direção geral de “GiraMundi” está a cargo de Gerardo Hochman, sendo que Michelle Porto responde pela direção artística. No elenco estão Mariano Carneiro, Irene de Paz, Marcelo Junior, Luthy Milano, Clara Parada, Pablo Morizio e Pablo Pramparo. A trilha sonora é de Ary Giordani e a coreografia é assinada por Josefina Gorostiza, com cenário e figurinos de Cristine Conde, adereços de Adriana Madeira e iluminação de Anri Aider.

A forma descentralizada de atendimento do Circo da Cidade “Zé Priguiça” permite que habitantes dos bairros que formam as nove Regionais Curitibanas tenham a oportunidade de conferir as atrações. Os moradores de cada Regional são levados até o local por meio de ônibus especiais, disponibilizados gratuitamente. As sessões serão realizadas às quintas e sextas-feiras, às 10h e 15h, agendadas para alunos de escolas municipais e entidades sociais. Aos sábados, sempre às 15h, será feita uma apresentação gratuita, aberta à comunidade.

O programa também compreende oficinas de técnicas circenses e um seminário com o diretor da companhia argentina La Arena, Gerardo Hochman, voltado aos artistas da cidade. As oficinas, que estão em desenvolvimento desde o mês de janeiro, com turmas pela manhã e à tarde, atendem crianças e adolescentes, na faixa etária de 7 a 17 anos, vindas das escolas da Rede Municipal de Ensino e da comunidade em geral. O objetivo dos cursos é o desenvolvimento pessoal dos participantes, sem o intuito de profissionalização.



História – O Circo da Cidade anima os bairros curitibanos há mais de 30 anos, constituindo-se em importante instrumento do município para a valorização da cultura local. Oferecendo oficinas de artes circenses e dando espaço para as manifestações artísticas das comunidades, é uma valiosa referência nos locais em que se instala e, em muitos casos, uma semente produtiva, capaz de revelar novos talentos.

Ao longo dos anos, o Circo da Cidade se adequou às políticas culturais, mas sempre manteve a disposição de atendimento à população da periferia. A revitalização do projeto Circo da Cidade tornou-se realidade em 2008, por meio de edital do Fundo Municipal da Cultura da Prefeitura de Curitiba, ganhando o nome de Circo da Cidade “Zé Priguiça”, em homenagem ao palhaço Zé Priguiça, personagem do artista curitibano Pedro Irineu dos Santos, falecido em 2001.

Atualmente instalado no Alto Boqueirão, o Circo da Cidade cumprirá novos trajetos, percorrendo todas as Regionais curitibanas e desenvolvendo suas atividades durante um ano em cada endereço.



Serviço:

Circo da Cidade “Zé Priguiça”

Temporada do espetáculo “GiraMundi”, promovido pela Associação dos Profissionais da Área Artística do Paraná – Aspart, com a participação da Cia. La Arena, de Buenos Aires (Argentina), até o dia 26 de fevereiro de 2011.

Local: Rua Benedicto Siqueira Branco, s/n – Alto Boqueirão (próximo ao Armazém da Família Jardim Paranaense) – telefone: (41) 3287-5307

Sessões às quintas-feiras e sextas-feiras, às 10h e às 15h, para escolas municipais e entidades sociais, e aos sábados, às 15h, para toda a comunidade, com entrada franca.

Ensaios das escolas de samba colocam a cidade em ritmo de Carnaval

Ensaios das escolas de samba

colocam a cidade em ritmo de Carnaval



As escolas de samba de Curitiba estão em pleno ritmo de Carnaval. Em alguns bairros da cidade, é possível ouvir de longe o repique das baterias e a animação que toma conta das quadras de ensaio. São quatro agremiações que concorrem ao título de campeã do Carnaval 2011, mais duas escolas do Grupo B e dois blocos carnavalescos. Quem quiser pode conferir a festa. Os ensaios são abertos ao público.

A Escola de Samba Mocidade Azul tem vários ensaios programados, mas domingo é o melhor dia, pois é o momento em que todos os componentes se reúnem. Quem for até lá verá a bateria completa e a performance dos três cantores do samba-enredo, do casal de mestre-sala e porta-bandeira, dos passistas e destaques. “Só não verá as fantasias e alegorias, para não estragar a surpresa do desfile”, diz o presidente Altamir Lemos. A entrada para o ensaio é gratuita.

Um ambiente familiar com toda segurança é o que promete a Escola de Samba Acadêmicos da Realeza, nos ensaios que são realizados nas noites de terça a quinta-feira, no Music Hall (Rebouças). “Temos muitas crianças entre os componentes”, conta a diretora Bárbara Muriden. Ela diz que os ensaios são para valer e todos se empenham muito, o que não impede que o público participe da festa. O ingresso custa R$ 3 e, para garantir a segurança, além da revista em homens e mulheres, há um limite de mil pessoas na lotação do espaço. Excepcionalmente nesta semana, o ensaio de quinta foi transferido para a sexta-feira (11), pois neste dia a escola promove simultaneamente um Gala Gay.

Os carnavalescos também tomam conta da quadra da Escola de Samba Leões da Mocidade, nas noites de quarta a sexta-feira. O ingresso custa R$ 5 para homens e é gratuito para mulheres. Além da animação do ensaio, o público pode conhecer os bastidores da produção. O barracão onde estão sendo produzidas as fantasias e alegorias fica próximo ao ginásio alugado pela escola para este período. “Quem quiser pode ir até lá e visitar. Estamos trabalhando direto, todos os dias, inclusive nos finais de semana”, convida o presidente Vilmar Alves.

O barracão da Leões da Mocidade é, aliás, um dos Pontos de Cultura de Curitiba. A escola concorreu a um edital e foi contemplada no final do ano passado, depois de cumprir os requisitos do convênio entre a Prefeitura e o Ministério da Cultura. As atividades do Ponto de Cultura “Escola do Samba”, como é chamado, estão começando, mas não vão se restringir ao período de Carnaval. Durante todo o ano, serão promovidas para a comunidade oficinas de artes carnavalescas.



Confira os locais, datas e horários dos ensaios das Escolas de Samba de Curitiba aqui *****

Dia 10 – Aparecimento de Sri Advaita Acharya


leia em
*****

Gibiteca oferece cursos de HQ e Mangá

Gibiteca oferece cursos de HQ e Mangá no primeiro semestre



As inscrições já estão abertas e as aulas têm início em março.



A Gibiteca de Curitiba (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro), uma das unidades da Prefeitura Municipal, está com inscrições abertas para os cursos de História em Quadrinhos – HQ (níveis Básico, Intermediário e Avançado) e Mangá (Quadrinhos japoneses). As aulas têm início em março e os alunos contam com opções de turmas em dias e horários diferenciados. Qualquer um dos cursos tem custo mensal de R$ 40 e o pagamento da primeira mensalidade deve ser feito no ato da matrícula. Informações no local ou pelo telefone (41) 3321-3250.

Confira a programação:



HQ NÍVEL BÁSICO

Quintas-feiras

Professor: Fúlvio Pacheco

Período: 10 de março a 7 de julho de 2011

Horário: das 14h30 às 16h30

Vagas: 20



Sextas-feiras

Professor: Fúlvio Pacheco

Período: 11 de março a 2 de julho de 2011

Horário: das 16h às 18h

Vagas: 20



Sábados

Professor: André Caliman

Período: 12 de março a 1º de julho de 2011

Horário: das 14h às 16h

Vagas: 20



HQ NÍVEL INTERMEDIÁRIO

Quartas-feiras

Professor: André Caliman

Período: 16 de março a 29 de junho de 2011

Horário: das 14h30 às 16h30

Vagas: 20



HQ NÍVEL AVANÇADO

Sábados

Professor: André Caliman

Período: 12 de março a 2 de julho de 2011

Horário: das 16h30 às 18h30

Vagas: 20



CURSO DE MANGÁ (Quadrinhos japoneses)

Segundas-feiras

Turma 1:

Professor: Fúlvio Pacheco

Período: 14 de março a 28 de junho de 2011

Horário: das 9h45 às 11h45

Vagas: 20



Turma 2:

Professor: Fúlvio Pacheco

Período: 14 de março a 28 de junho de 2011

Horário: das 16h às 18h

Vagas: 20

O filme Amadores do Futebol é indicado ao Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2011




Depois de um período de participações em festivais brasileiros e internacionais, e de sessões em salas de exibição, o documentário paranaense Amadores do Futebol foi indicado para o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2011.

Um dos poucos indicados da Região Sul do país, o longa-metragem mostra o universo do futebol amador em diversas cidades do Paraná. Os personagens são jogadores, torcedores, dirigentes, árbitros, todos apaixonados e dedicados ao futebol como entretenimento, como vivência coletiva.

Está é a primeira fase do prêmio que ainda terá uma nova etapa com 5 indicados por categoria. A seleção para a nova fase será feita a partir dos votos dos integrantes da Academia Brasileira de Cinema. Amadores do Futebol está concorrendo como melhor documentário e também em várias outras categorias, como melhor direção, fotografia, roteiro e montagem.

http://academiabrasileiradecinema.com.br/gp2011/filme/amadores-do-futebol

*****

Imigração espanhola no Brasil


A Imigração espanhola no Brasil é tema de exposição no Instituto Cervantes



De 12 a 25 de fevereiro, o Instituto Cervantes de Belo Horizonte, órgão oficial do Governo da Espanha e referência mundial na difusão da cultura hispânica, recebe a Mostra “Memória Gráfica da Imigração Espanhola”. Promovida pela Embaixada da Espanha, a exposição exibe 75 fotografias de imigrantes espanhóis em países do continente americano e diversas cidades brasileiras como Porto Alegre, Rio de Janeiro, Salvador e Belo Horizonte.



A exposição, que possui fotos em preto e branco e colorida, está dividida em duas partes. A primeira, denominada “A Viagem”, retrata a difícil trajetória dos imigrantes aos novos destinos. Já a segunda parte, “Vida social e laboral”, mostra a vida social e a rotina de trabalho dos espanhóis nos novos lares. As fotos são acompanhadas por uma legenda que contextualizam o momento e data da imagem.



A mostra, que já passou por São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, é aberta ao público e tem entrada franca.



Lançamento da exposição

O lançamento oficial da exposição será realizado no dia 11 de fevereiro ( sexta-feira), às 20h. A abertura da mostra é aberta ao público e haverá coquetel com a presença do conselheiro de Trabalho e Imigração da Embaixada da Espanha no Brasil, Jesús Salas Zapatero, e o diretor do Instituto Cervantes em Belo Horizonte e cônsul da Espanha em Minas Gerais para assuntos de Educação, Ignácio Martinez-Castignani. O evento também marca o início das comemorações do primeiro centenário do Grêmio Espanhol.



Serviço:

Mostra de fotografias “Memória Gráfica da Imigração Espanhola”

Data: 12 a 25 de fevereiro

Horário: De segunda a sexta de 9h às 20h e aos sábados de 9h às 14h.

Local: Instituto Cervantes de Belo Horizonte - Praça Milton Campos, 16 – 2º andar – Serra. Belo Horizonte/MG

Informações: (31) 3789-1600 ou bec1belo@cervantes.es

Entrada franca

Inscrições para as oficinas literárias da Fundação Cultural

s oficinas, que têm opções para os públicos infanto-juvenil e adulto, recebem inscrições de 10 de fevereiro a 10 de março.



De 10 de fevereiro a 10 de março, a Fundação Cultural de Curitiba recebe inscrições para as Oficinas de Análise e Criação Literária, que acontecem entre os meses de fevereiro e novembro. As inscrições podem ser efetivadas das 9h às 12h e das 13h30 às 18h, na Coordenação de Literatura, instalada no Palacete Wolf (Praça Garibaldi), mediante a doação de um livro de literatura infanto-juvenil novo. Os títulos devem ser escolhidos entre uma lista proposta pela Fundação Cultural. Informações pelo telefone (41) 3321-3317.

As oficinas são gratuitas e permitem que os participantes entrem em contato com a produção de vários escritores e teóricos, levando à reflexão sobre processos criativos, tanto por meio de leituras como pela produção de textos literários. As oficinas destinadas ao público adulto – duas que trabalham com todos os gêneros literários, mais duas que atendem a gêneros específicos – acontecem no Palacete Wolf. A oficina infanto-juvenil será desenvolvida na Escola Estadual Padre João Wislinski, no Bairro Santa Cândida.

As aulas, ministradas quinzenalmente por especialistas na área, acontecem em dias e horários variados. Cada oficina terá um total de 20 encontros, que se estenderão até o mês de novembro. Ao término do processo, os textos produzidos pelos alunos e selecionados por uma comissão de profissionais da literatura integrarão uma publicação específica, em forma de jornal, com o objetivo de divulgar o resultado dos trabalhos.

Confira a relação de oficinas e seus respectivos endereços:



OFICINAS PARA O PÚBLICO ADULTO – Todos os gêneros literários

1 – Oficina Ler e Criar

Ministrante: Amarildo Anzolin

Local: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Centro)

Dia e horário: aos sábados, quinzenalmente, das 14h às 18h



2 – Oficina do Escritor Narrativa – Leitura, Produção, Vivência

Ministrante: Otto Leopoldo Wink

Local: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Centro)

Dia e horário: aos sábados, quinzenalmente, das 14h às 18h



OFICINAS PARA O PÚBLICO ADULTO – gêneros literários específicos

1 – Jornalismo Cultural e Crítica Literária – Exercícios

Ministrante: Otto Leopoldo Wink

Local: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Centro)

Dia e horário: às quartas-feiras, quinzenalmente, das 19h às 23h



2 – Dramaturgia: O Épico e o Satírico, a Crueldade e o Absurdo

Ministrante: Paulo Afonso Castro

Local: Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Centro)

Dia e horário: às terças-feiras, quinzenalmente, das 19h às 23h



OFICINA PARA O PÚBLICO INFANTO-JUVENIL

Oficina Entrelinhas

Ministrante: Jane Sprenger Bodnar

Local: Escola Estadual Padre João Wislinski (Rua Francis Bacon, 7 – Santa Cândida)

Dia e horário – às quartas-feiras, quinzenalmente, das 14h às 18h



Serviço:

Oficinas de Análise e Criação Literária da Fundação Cultural de Curitiba

Informações e inscrições:

Coordenação de Literatura - Secretaria de Cursos

Palacete Wolf – Praça Garibaldi, 7 – Fone: (41) 3321-3317



Período de inscrições: 10 de fevereiro a 10 de março de 2011



Requisitos para inscrição:

Para o público infanto-juvenil: faixa etária de 10 anos a 17 anos

Para o público adulto: a partir de 18 anos, com 2º grau completo

Comprovação de alguma atividade na área da criação literária (ex: texto de sua própria autoria, participação em cursos/oficinas como aluno ou ministrante)



No ato da inscrição entregar: ficha de inscrição devidamente preenchida e doação de 1 (um) livro de literatura infanto-juvenil novo, escolhido de uma lista sugerida pela Fundação Cultural.