quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Evento - 17/08 MARCO LUQUE VOLTA EM CARTAZ COM STAND UP TAMO JUNTO





Marco Luque volta em cartaz com o Stand Up

TAMO JUNTO!

enquanto se recupera de uma fratura




Todas as quartas-feiras de agosto no

Teatro Shopping Frei Caneca







Marco Luque cumpria temporada

com o espetáculo Labutaria

quando um jogo de futebol entre amigos

deixou-lhe com o pé fraturado.



Em Labutaria, Luque apresenta 5 personagens,

o que exige uma grande movimentação do ator

dentro e fora do palco.

Impossível fazer o espetáculo

sem estar 100%.



Luque, então, resolveu dar uma opção ao público

que já comprou os ingressos,

muitos deles pessoas em trânsito por São Paulo, e

apresentar o Tamo Junto! seu o premiado Stand Up,

eleito o melhor do gênero pelo

Guia da Folha em 2009. Os ingressos já comprados

para Labutaria passam a valer normalmente para cada sessão e

a bilheteria estará aberta para quem quiser

ver, ou rever, o engraçadíssimo Stand Up.



Quem preferir o ressarcimento,

deve entrar em contato com a

opção de compra escolhida-

ingresso rápido ou a bilheteria do teatro.

A Macatranja, produtora do espetáculo,

também estará à disposição para esclarecimentos.



Assim que melhorar, Luque retorna com

a temporada de Labutaria.



Tamo Junto!



Marco Luque se apropria do formato

Stand Up Comedy em Tamo Junto!


Sozinho em cena, Luque

relembra histórias pessoais e revela ao público,

que se torna cúmplice durante todo o espetáculo,

suas engraças e deliciosas

reflexões sobre assuntos do cotidiano.


Com todas as apresentações lotadas e sessões extras,

“Tamo junto!” cumpriu 3 temporadas

em São Paulo onde foi eleito pelo público como melhor comédia

Stand Up de 2009 pelo Guia da Folha,

organizado pelo jornal Folha de São Paulo.



Serviço

Marco Luque em Tamo Junto!

Dias 17, 24 e 31 de agosto – quartas-feiras

Horário: 21h30

Local: Teatro Shopping Frei Caneca (600 lugares)

Rua Frei Caneca, 569 - 6º Andar.

Informações: (11) 3472-2226 / 2229 – 2230

Duração: 60 minutos.

Recomendação: 14 anos

Preço: R$ 70,00 (meia R$ 35,00)

Vendas por telefone: (11) 4003.1212

Vendas pela internet: www.ingressorapido.com.br

Bilheteria do teatro:

Terça e quarta, das 13h às 19h.

Quinta a domingo, das 13h até o início do espetáculo.

Aceita todos os cartões de crédito e débito.

Não aceita cheque nem cartão Hipercard.

Estacionamento do Shopping – R$ 5,00 por duas horas.



Evento - 18/8 CONVITE - ABERTURA DA EXPOSIÇÃO DE REGINA JOHAS










A artista plástica Regina Johas convida para a abertura da exposição

Jardins Circulares

dia 18 de agosto, às 18h, no Espaço VEREDAS,

Rua Lisboa, 328, em Pinheiros



JARDINS CIRCULARES_e Cartaz





Jardins Circulares reúne a produção mais recente da artista Regina Johas. A exposição tem como núcleo central a série fotográfica Jardins Circulares, imagens noturnas de jardins que se encontram no limiar do desaparecimento, ameaçadas pelas ervas daninhas. Segundo a artista, muitas foram as fontes de inspiração para este trabalho, dentre estas os mares negros de Sugimoto.



Além desta série, Johas traz também uma vídeo-instalação e uma série de gravuras em metal, trabalhos que partem das mesmas questões que a série principal.



Nas palavras da artista, Jardins Circulares “nos propõe viver o jardim como um campo de espelhos. A imagem-cristal, no campo de espelhos, multiplica-se num conjunto de virtualidades e este conjunto absorve a nossa atualidade. Reverberando continuadamente, o rebatimento infinito no mínimo circuito da imagem (presente-passado, atual-virtual), oferece dois aspectos da experiência do tempo: cada momento é atual e virtual, é, ao mesmo tempo, percepção e lembrança.”



172



Regina Johas é artista plástica e pesquisadora. Mestre (1997) e Doutora (2004) em Artes (concentração em Artes Plásticas) pela Escola de Comunicações e Artes da USP, formada pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) e com especialização em História da Arte pelo Instituto de História da Arte da Universidade de Colônia, Alemanha (1989).



A exposição, que inaugura no dia 18 de agosto, estará aberta à visitação até o dia 6 de setembro, no Espaço VEREDAS, Rua Lisboa, 328, em Pinheiros/ São Paulo.

Exposição:

Jardins Circulares

Artista:

Regina Johas

http://www.canalcontemporaneo.art.br/portfolio_geral.php?c_lingua=P&c_tipo=4&c_artista=29

Local: Espaço VEREDAS

Rua Lisboa, 328, Pinheiros, São Paulo

Tel: 3081 3505

Abertura: 18 de agosto, das 18 às 22 horas.

Visitação: de 19 de agosto a 6 de setembro de 2011.

Horário de visitação: terça a sexta das 14h às 17h, Sábados das 10h às 13h.



Ficha técnica das obras

Jardins Circulares, 2011

Fotografia digital (série de 7 imagens)

30 x 80 cm

(tiragem: 4 cópias por imagem)



Pós-paisagens, 2010

Fotografia digital (álbum contendo sete imagens)

33 X 55 cm

(tiragem: 4 álbuns)



Fragmentos_estes luminosi, 2011

Gravuras em metal

30 x 30 cm

(tiragem: 4 cópias por matriz)



Livro de areia, 2011

Vídeo-instalação





Regina Johas é artista plástica e pesquisadora. Mestre (1997) e Doutora (2004) em Artes (concentração em Artes Plásticas) pela Escola de Comunicações e Artes da USP, formada pela FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado) e com especialização em História da Arte pelo Instituto de História da Arte da Universidade de Colônia, Alemanha (1989).



Como artista trabalha com mídias diversas, focando relações entre corpo, tempo e espaço. Participou em diversas exposições nacionais e internacionais. Possui obras nos seguintes acervos públicos: Museu de Arte Moderna, São Paulo; Museu Nacional de Belas Artes, Rio de Janeiro; Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Paraná; Museu de Arte de Ribeirão Preto, São Paulo. Participação em exposições recentes: "Trans_imagem", Galeria Virgilio - SP/2010 (curadora); "Sobre o Desenho" , MABE/ Lutetia - FAAP/2008; Ctrl_C Ctrl_V", SESC Pompéia/SP/2007; 7ème Mondiale de l`Estampe et de la Gravure Originale , Triennale de Chamalières, Chamalières, França/2006. 10 anos de um novo MAM: Antologia do acervo , MAM/SP/2005; 38. Bienal Internacional de Cerveira , Vila Nova de Cerveira, Portugal/2005; Ocupação , Paço das Artes, São Paulo/2005. Premiada pelo Museu Nacional de Belas Artes/FUNARTE/Rio de Janeiro (1995); pelo MARP/ Ribeirão Preto (1993); residência temática Discovery no Bannf Centre for the Arts (2000), Alberta/Canadá.



Como pesquisadora, investiga vetores conceituais da arte contemporânea e gênese dos processos criativos. Líder do Grupo de Pesquisa ECCOAR/Aquário (www.grupodepesquisaeccoar.com.br) cadastrado no CNPq. É Professora Titular Doutora na Fundação Armando Álvares Penteado, do Curso de Artes Plásticas (FAP/FAAP) e do Curso de Arquitetura e Urbanismo (CAU/FAP/FAAP) desta instituição. Professora Doutora na pós-graduação (FAAP/ História da Arte).




evento - musica - Degustação Musical


clique para ampliar

evento - SÉRGIO ABRANCHES LANÇA LIVRO EM CURITIBA






Sempre Um Papo promove lançamento de livro de Sérgio Abranches

O projeto Sempre Um Papo retorna ao Paraná e em parceria com a Volvo, traz a Curitiba o sociólogo, cientista político e jornalista Sérgio Abranches para debate sobre o tema “Ambiente, Sustentabilidade e Desenvolvimento”. O evento acontece no Teatro Londrina, no Memorial de Curitiba, na próxima terça-feira, dia 16.

Após o debate Abranches autografa o livro “Copenhague: Antes e Depois" (Civilização Brasileira). Na obra ele une sociologia e jornalismo e faz um contundente relato de um dos mais importantes encontros diplomáticos da história: a Cúpula global sobre o clima, ocorrida na 15ª Conferência das Partes (COP 15). O “Sempre Um Papo” tem mediação do jornalista mineiro Afonso Borges e consiste em um bate-papo informal entre o escritor e o público.

“Copenhague: Antes e Depois” apresenta uma profunda análise dos fatos, contextualiza os acontecimentos, além de expor os bastidores da polêmica reunião COP 15. A cobertura do evento realizada pelo autor confere traços investigativos ao livro. Sérgio Abranches mostra como as decisões tomadas no evento tiveram a força de determinar os rumos das sociedades e influenciaram diretamente a vida de todos. Na COP 15 foram discutidos temas que definirão os rumos de todo o século, na economia, na sociedade, no uso da tecnologia, nos modos de vida e na distribuição geográfica das populações. O encontro surpresa entre os presidentes dos EUA e da China foi outro acontecimento que causou espanto na comunidade internacional. Estes e outros acontecimentos são analisados pelo cientista político, que ainda esclarece diversos pontos sobre as mudanças climáticas e aponta novos caminhos a serem trilhados após a conferência.

Sérgio Abranches é sociólogo (bacharelado e mestrado na Universidade Federal de Brasília) e cientista político (PhD, Cornell University), além de colunista, comentarista do boletim Ecopolítica da rádio CBN e blogueiro.



“Sempre Um Papo”


Com 25 anos de contínua atividade, o projeto “Sempre Um Papo” é considerado um dos mais importantes meios de incentivo a leitura da América Latina. Criado em 1986, em Belo Horizonte, pelo jornalista Afonso Borges, o “Sempre Um Papo” é reconhecido como um dos programas culturais de maior credibilidade do País. Ao longo de sua história, já ultrapassou os limites de Belo Horizonte e chegou a 23 cidades, em 8 estados da Federação, bem como do Distrito Federal.

Além dos eventos “ao vivo”, o “Sempre Um Papo” tem exibição semanal pela TV Câmara. Os programas vão ao ar aos sábados, às 19h, e aos domingos, às 16h. Cerca de 80 dos melhores encontros do “Sempre Um Papo” já foram gravados e estão disponíveis para download livre nos sites da Câmara dos Deputados e do “Sempre Um Papo”.



Serviço:

Sempre um Papo com Sérgio Abranches.

Data e hora: Dia 16 de agosto de 2011, terça-feira, às 19h30

Local: Teatro Londrina - Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 – Bairro São Francisco).


evento - Mulher Século XXI

EVENTO
Mulher Século XXI será tema de encontro na Biblioteca Nacional

O século XXI alavancou uma nova ordem de gênero no Brasil. E não são poucos os exemplos. Na política, além da presidente Dilma Rousseff, a primeira mulher no comando executivo do país, alguns dos principais ministérios são ocupados hoje por mulheres. O nome de maior prestígio no futebol brasileiro internacionalmente, hoje, é Marta, reconhecida por cinco anos consecutivos como a melhor jogadora do mundo. Esse período de supervalorização da mulher no país será o tema do último encontro do projeto Mulheres Inesquecíveis, que retratará a Mulher Século XXI. No debate, estarão presentes a escritora Cecília Prada e a presidente da Fundação Theatro Municipal, a cineasta Carla Camurati (foto). No Auditório Machado de Assis, da Biblioteca Nacional (Entrada pelo jardim da Rua México, s/n° – Centro), quinta-feira, dia 11/08, às 18h. Entrada grátis

evento - Debates sobre o Brasil Hoje


clique para ampliar

evento -Aparecimento de Sri Balarama!


Dia 13 - Aparecimento de Sri Balarama!







"Jnanasim,a espada do conhecimento, é dada por Krishna, e quando alguém serve o guru e Krishna para segurar a espada das instruções de Krishna, Balarama dá a força. Balarama é Nityananda. Vrajendranandana yei, saci-suta haila sei, balarama ha-ila nitai. Esse bala - Balarama - vem com Sri Caitanya Mahaprabhu, e ambos são tão misericordiosos que nessa Era de Kali podemos facilmente nos abrigar nos Seus pés de lótus. Eles vem especialmente para salvar as almas caídas desta era. Papi tapi yata chila, hari-name uddharila. Sua arma é sankirtana, hari-nama. Assim devemos aceitar a espada do conhecimento de Krishna e sermos fortes com a misericórdia de Balarama. Portanto adoramos Krishna-Balarama em Vrndavana. No Mukunda Upanishad (3.2.4) está dito:



nayam atma bala-hinena labhyo
na ca pramadat tapaso vapy alingat
etair upayair yatate yas tu vidvams
tasyaisa atma visate brahma-dhama



Não é possível atingir o objetivo da vida sem a misericórdia de Balarama. Sri Narottama dasa Thakura portanto diz, nitaiyera karuna habe, vraje radha-krishna pabe: quando recebemos a misericórdia de Balarama, Nityananda, podemos facilmente obter os pés de lótus de Radha e Krishna.



se sambandha nahi yara, brtha janma gela tara,
vidya-kule hi karibe tara



Se uma pessoa não tem qualquer contato com Nitai, Balarama, então mesmo que seja um erudito com grande conhecimento,um jnani ou tenha nascido numa família muito respeitável, nada disso lhe ajudará. Devemos, portanto, conquistar os enimigos da consciência de Krishna com a força recebida de Balarama."



SB 7.15.45 – Significado escrito por Sua Divina Graça A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, fundador-acharya da ISKCON.







BALARAMA é a primeira expansão pessoal do Senhor Krsna, a Suprema Personalidade de Deus. Todas as outras encarnações se expandem dEle. Nos passatempos do Senhor Krsna, Ele atua como o irmão mais velho de Krsna. Juntos, Krsna e Balarama executam muitos passatempos como pequenos vaqueiros na terra de Vrndavana. O Senhor Balarama carrega um arado e uma maça e é conhecido por Sua grande força. (Veja o Sri Caitanya-caritamrta, Adi-lila, capítulo 5, Veja o 10º Canto do SB, ou o livro Krishna - A Suprema Personalidade de Deus.)



evento - MARATONA DE SANKIRTANA LATINO AMERICANA


FESTIVAL ENCERRAMENTO

DA MARATONA DE SANKIRTANA LATINO AMERICANA

SRI BALARAMA JULHO 2011



Convidamos a todos os devotos para prestigiarem o Festival de Encerramento da Maratona de Sankirtana Latino Americana Sri Balarama Julho 2011,
que acontecerá em Vrajabhumi, Teresópolis, no dia 14 de agosto, domingo, no dia seguinte ao Festival de Balarama.

Além do Sankirtana-yajña extático, teremos as ilustres presenças de:
· Dhanvantari Swami
· Candramukha Swami
· Hanumam Prabhu (Trustee da BBT e Secretário Zonal do GBC)
· Nanda KumaraPrabhu (Diretor da BBT do Brasil)
· Aravinda Prabhu (Diretor da BBT do México)
· Murajit Das Prabhu (Diretor da BBT da Argentina)
· Caturatma Prabhu e Palika Mataji (Diretores da BBT do Peru)




evento - musica -Tango e samba se encontram com o rock

Noite Fora do Eixo apresenta: Violentango (ARG) e Homem Canibal (CWB)

Tango e samba se encontram com o rock no palco do Era só o que Faltava


A capital paranaense recebe mais uma edição do projeto ''Noite Fora do Eixo'', a iniciativa começou com o objetivo de fomentar a economia criativa entre as cidades que são sedes dos coletivos que formam o Circuito Fora do Eixo em todo país. Com um gráfico que conta com 500 edições anuais, e a circulação de 1500 artistas em todo o Brasil e países da América Latina, o projeto, que vem crescendo e aquecendo o mercado da música nacional e internacional, traz a Curitiba a mistura de duas bandas que tem em seu país de origem sua principal influência.

No Violentango os integrantes são jovens demais para dançar o tango da velha guarda, e encontraram na música instrumental a expressão máxima de sua arte. Em apenas 5 anos de idade este quinteto de tango moderno instrumental já percorreu a Europa e a América do Sul, gravou e lançou quatro álbuns e apresentou centenas de espetáculos multimídia em festivais, teatros, praças e pontos turísticos em todo o mundo.

A outra banda a se apresentar é o Homem Canibal, que é mais um representante paranaense da música brasileira de qualidade. A banda está na estrada há quase 7 anos, soma muitos shows e atrai cada vez mais a atenção do público e da crítica. No show, além do repertório de músicas autorais, grandes nomes da música são homenageados com releituras inusitadas e interessantes: Rage Against The Machine, Caetano Veloso, Chico Sciense e a Nação Zumbi, Martinho da Vila, Pedro Luís e a Parede e muitos outros.



Realização: Fora do Eixo Curitiba, Homem Canibal

Apresentação: Era Só o Que Faltava

Endereço: Avenida República Argentina, 1334- Portão

Início dos shows: 23:30h

Informações e Reservas: 41 3342-0826

Ingressos: R$20,00 na hora

R$15,00 lista amiga (listamiga@faltava.com.br)

evento -Couve-flor e convidados em espetáculos no Cleon Jacques





A arte da dança toma conta do Teatro Cleon Jacques, no Parque São Lourenço, com as apresentações do grupo curitibano Couve-flor e seus convidados, o paulistano Eduardo Fukushima e o carioca Bernardo Stumpf, artistas selecionados pelo programa Rumos Itaú Cultural de Dança 2009/10. Com espetáculos diferentes a cada noite, de quarta a sexta-feira (10, 11 e 12), sempre às 20h, o público conhecerá trabalhos que resultaram de intensas pesquisas sobre o movimento corporal.

O grupo Couve-flor Minicomunidade Artística Mundial leva ao palco a segunda edição da Mostra de Repertório, patrocinada pela Petrobras, com seus componentes retomando quatro produções realizadas há alguns anos. Na quarta-feira, apresentam-se Gustavo Bitencourt e Neto Machado. Na noite seguinte, será a vez de Cristine Bourger e Michelle Moura. Finalmente, na sexta-feira, acontecem as performances dos convidados Eduardo Fukushima e Bernardo Stumpf, seguidas de uma mostra de videodança para encerrar as atividades.

Gustavo Bitencourt resgata uma produção de 2004, que surgiu da proposta de mapear o corpo. Já Neto Machado escolheu um trabalho que marcou o início de sua trajetória como diretor e coreógrafo. “Foi minha primeira experiência como autor e a primeira vez que assinei um trabalho. E, anos depois, ele ainda fala muito de minha poética. Quero conversar com as referências pessoais de cada um do público”, afirma.

Michelle Moura recria um trabalho feito há quatro anos, quando se interessou pela relação movimento e espaço. Ela diz que o jeito de fazer mudou, mas as questões presentes naquela época ainda permeiam a montagem. “O repertório é a história, o percurso do artista”, ressalta a coreógrafa. Cristiane Bouger, que vive e trabalha em Nova Iorque (EUA), retoma uma produção densa, abordando ausência e morte. "Entrar em cena para realizar este trabalho é como entrar em um rito e em uma guerra", compara a artista, que mostrou o mesmo trabalho em Nova Iorque e Bucareste (Romênia).



Os convidados – Na sexta-feira (12), o público terá a oportunidade de acompanhar o trabalho de dois artistas selecionados pelo programa Rumos Itaú Cultural de Dança 2009/10. Convidados pelo grupo Couve-flor, o paulistano Eduardo Fukushima apresenta “Como superar o grande cansaço?”, e o carioca Bernardo Stumpf mostra “Jimmy, the jungle beast”.

Na peça de Fukushima, o cansaço foi estudado por seis meses e, a partir da pesquisa, gestos e intenções criaram uma linguagem corporal sobre o tema. Em sua montagem, Bernardo Stumpf aborda o estudo do movimento, com base em experiências corporais e intelectuais. A programação encerra com uma mostra de videodança, igualmente premiada pelo programa Rumos Itaú Cultural de Dança 2009/10.



Serviço:

Mostra de Repertório do grupo curitibano Couve-flor e apresentações de convidados

Data e horário: dias 10, 11 e 12 de agosto de 2011 (quarta, quinta e sexta-feira), sempre às 20h

Local: Teatro Cleon Jacques (Parque São Lourenço – Rua Mateus Leme, 4.700)

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada)

Assessoria de Imprensa: Eduardo Simões – (41) 9943-9131



Programação:



Dia 11 de agosto (quinta-feira): “WALK EAST — Poemas eróticos de Norma Kluster / Capítulo I – Notas sobre a ausência”, de Cristiane Bouger; e “Linhas de pensamento #2 ou a tarefa de dizer coisas importantes para pessoas românticas”, de Michelle Moura



Dia 12 de agosto (sexta-feira) – Eventos selecionados pelo programa Rumos Itaú Cultural de Dança 2009/10: “Como superar o grande cansaço?”, de Eduardo Fukushima; e “Jimmy, the Jungle Beast”, de Bernardo Stumpf. Depois das performances, acontece uma mostra de videodança.

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.




Heitor escreveu sobre o primeiro livro do clube de leitura e espera os comentários dos alunos, sócios do clube e de quem mais quiser participar. Ele também conta outros eventos de sua vida agitada pelo livro. Leia em http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

*****

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Evento - Aniversario do Senhor Balarama


clique para ampliar

Evento - Lançamento Pedro Martinelli


Clique para ampliar

evento - musica - Show Ednardo - lançamento de livro/CD






SESC Belenzinho apresenta Ednardo, que lança livro/CD sobre movimento cultural Massafeira Livre


O projeto Arquivo do SESC Belenzinho apresenta artistas e grupos que consolidaram seu nome no cenário da música brasileira por meio de uma carreira profícua ou pela proposta estética inovadora. São músicos que se destacaram pelo trabalho alternativo em contraponto ao que é difundido pela indústria fonográfica estabelecida.

Depois de nove anos longe dos palcos paulistanos, o cantor e compositor cearense Ednardo participa do projeto Arquivo do SESC Belenzinho, no dia 13 de agosto, sábado, às 21 horas. O show comemora o lançamento do livro Massafeira 30 Anos – Som Imagem Movimento Gente (Aura Editora), que traz junto o CD duplo Massafeira Livre, homônimo ao festival ocorrido há mais de 30 anos, em Fortaleza, quando o disco foi gravado.

O álbum duplo foi, recentemente, remasterizado pela Sony Music e traz, além de Ednardo, vários outros intérpretes: Belchior, Fagner, Rodger Rogério e Teti, além das vozes de Lúcio Ricardo, Ângela Linhares, Chico Pio, Ana Fonteles, Régis & Rogério, Tânia Cabral, Calé Alencar, Mona Gadelha, Pachelly Jamacaru, Graco, Vicente Lopes, Petrúcio Maia e Sérgio Pinheiro, entre outros. O CD, com 23 faixas, é vendido também separadamente.

O livro Massafeira 30 Anos – Som Imagem Movimento Gente foi publicado, em 2010, e agora ganha lançamento no SESC Belenzinho, em São Paulo. Organizado por Ednardo, a obra foi escrita coletivamente por diversos artistas e jornalistas: o próprio Ednardo, Calé Alencar, Rosemberg Cariry, Brandão, Mona Gadelha, Ruy Vasconcelos, Fausto Nilo, Michel Platini, Gilmar de Carvalho, Dalwton Moura, Henilton Menezes, Nelson Augusto, Eleuda de Carvalho e outros. O livro traz muitas imagens inéditas, fotos de Gentil Barreira, ilustrações de Brandão, fotogramas do filme realizado por Ednardo durante o Massafeira Livre, imagens de Rosemberg Cariry, além de trabalhos de vários outros artistas.

Massafeira Livre



O festival Massafeira Livre ocorreu no Theatro José de Alencar, em 1979, em Fortaleza, reunindo grande parte da classe artística cearense, durante quatro dias, com oito horas diárias de duração. Ednardo foi diretor artístico e também produziu o evento. Cerca de 400 artistas - entre músicos, poetas, atores, dançarinos, artistas plásticos, fotógrafos e cineastas - participaram do evento apresentando suas manifestações artísticas autorais. A repercussão e adesão foram tamanhas que a Massafeira se tornou um movimento cultural coletivo, que envolveu também um grande público espectador e revolucionou o conceito das apresentações tradicionais no Ceará. Como a música teve um destaque especial, o movimento gerou um disco duplo que lançou, em 1980, grandes nomes da cultura cearense e deixou marcado na história a determinação desses jovens artistas.




Nas palavras de Ednardo, “o movimento cultural coletivo Massafeira Livre exalou uma efervescência febril, bela e loucamente solta durante quatro dias. Era como se fosse o carnaval mudando de data e mais verdadeiro”. Essa “feira” cultural com espírito inovador e iconoclasta não apenas exibiu os jovens coletivos artísticos ou os mais conhecidos à época, como também os expoentes da terra natal de José de Alencar mostraram a cara, alguns veteranos estreantes em palcos da capital: o poeta popular, improvisador e compositor Patativa do Assaré; a Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto (que tem uma importante participação no filme de Bia Lessa, Crede Mi, de 1996); o mestre rabequeiro Cego Oliveira; entre muitos outros.



Ednardo


Compositor, cantor e diretor de cinema, Ednardo iniciou sua trajetória em 1970, quando venceu o Festival Nordestino da Música Brasileira, promovido pelos Diários e Rádios Associados - TV Tupi. Nascido em Fortaleza, ele é autor de mais de 400 músicas e letras, distribuídas em 15 discos originais, 15 compilações, 4 trilhas de cinema, 2 trilhas para Teatro, 2 vídeos com especiais de TV, e alcançou reconhecimento nacional como um dos mais importantes artistas da Música Popular Brasileira. Sua obra repercute por várias gerações e suas músicas são executadas também em países como Portugal, Espanha, França, Japão, Israel, Alemanha, Itália, Holanda, Argentina, Uruguai, Cuba, México e em comunidades latino-americanas nos EUA.

Repercute até hoje o sucesso da emblemática “Pavão Mysteriozo”, música de abertura da novela Saramandaia (TV Globo), de Dias Gomes com direção de Walter Avancini. Ele também participa das trilhas sonoras dos filmes Luzia Homem (de Fábio Barreto, onde viveu também o personagem Poeta de Cordel), Tigipió, premiada nos festivais de Karlov Vary (Checoslováquia) e de Verona (Itália), O Calor da Pele (de Pedro Jorge de Castro) e Cauim, no qual produz, roteiriza e dirige filme homônimo ao disco Cauim, que será lançado em DVD. Compôs ainda para a novela Tocaia Grande (TV Manchete), sobre obra de Jorge Amado com direção de Walter Avancini. É dele a música de cordel de encerramento do folhetim, no qual também participou como ator.

Entres os sucessos de sua careira, destaque para “Terral”, “Pavão Mysteriozo”, “Artigo 26” , “Flora”, “A Manga Rosa”, “Beiramar” “Carneiro”, “Enquanto Engoma a Calça”, “Imã”, “Rubi”, “Longarinas”, “Pastora do Tempo”, “Lagoa de Aluá”, “Ingazeiras” e outros. Mais de 50 intérpretes gravaram músicas de Ednardo, entre eles Elba Ramalho, Fagner, Belchior, Ney Matogrosso, Vânia Abreu, Luiz Caldas, Amelinha, Ceumar, Cláudio Lins, Inti-Aymará & Nacha, Nonato Luiz, Renato Aragão, Eliana Pittman, Mona Gadelha, Moisés Santana, Banda Paralela, Grupo Mawaca e outros.

Repertório do show
O show de Ednardo inclui, além de composições do CD Massafeira Livre, canções importantes de sua carreira.

Repertório completo: “Cariri” (Ednardo), “Imã” (Ednardo), “Ingazeiras” (Ednardo), “Mucuripe” (Fagner e Belchior), “Passeio” (Belchior), “Longarinas” (Ednardo), “Na Asa do Vento” (João do Vale e Luiz Vieira), “Amor de Estalo” (Ednardo e Brandão), “Dono dos Teus Olhos / Kalu” (Humberto Teixeira), “A Palo Seco” (Belchior), “Artigo 26” (Ednardo), “Flora” (Ednardo, Dominguinhos e Climério), “Lagoa de Aluá” (Ednardo, Vicente Lopes e Climério), “É Cara de Pau” (Ednardo e Brandão), “A Manga Rosa” (Ednardo), “Beira Mar” (Ednardo), “Dorothy Lamour” (Petrúcio Maia e Fausto Nilo), “Lupiscínica” (Petrúcio Maia e Augusto Pontes), “Carneiro” (Ednardo e Augusto Pontes), “Cavalo Ferro” (Fagner e Ricardo Bezerra), “Pavão Mysteriozo” (Ednardo), “Enquanto Engoma a Calça” (Ednardo e Climério) e “Terral” (Ednardo).

Projeto Arquivo Show: Ednardo Músicos: Ednardo (voz, violão, guitarra e teclados), Manassés (violão de 12 e cavaquinho), Lú de Souza (guitarra), Luis Miguel (contrabaixo), Edson Filho (teclados) e Denílson Lopes (bateria). Dia 13 de agosto - Sábado - às 21 horas SESC Belenzinho - www.sescsp.org.br/belenzinho Endereço: Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho/SP - Tel: (11) 2076-9700 Teatro (392 lugares). Duração: 1h30. Classificação etária: 12 anos.

Ingressos pelo INGRESSOSESC: R$ 32,00 (inteira); R$ 16,00 (usuário matriculado e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública); R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes).
Estacionamento: R$ 6,00 (não matriculado); R$ 3,00 (matriculado, trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo / usuário). Acesso universal. Ar condicionado.

Shows do projeto Arquivo - agosto/2011: Plebe Rude - 5 e 6/08, sexta e sábado, 21h30. Comedoria. Ingressos: R$24,00; R$12,00, R$6,00. Marcelo Nova - 12/08, sexta, 21h30 - Comedoria. Ingressos: R$ 24,00, R$ 12,00, R$6,00. Ednardo - 13/08, sábado, 21h - Teatro. Ingressos: R$32,00; R$16,00; R$8,00. Made in Brazil - 13/08, sábado, 21h30. Comedoria. Ingressos: R$24,00, R$12,00, R$6,00.

evento - musica - 32 artistas e bandas de 10 estados


Programação musical reúne, no CCBNB, 32 artistas e bandas de 10 estados das cinco regiões do Brasil


Trinta e dois artistas e bandas de dez estados das cinco regiões do Brasil - Nordeste (Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Bahia e Sergipe), Sudeste (Minas Gerais), Sul (Rio Grande do Sul), Centro-Oeste (Distrito Federal) e Norte (Pará) - integram a programação musical "Cultura vai à Feira", que o Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) realizará gratuitamente no período de 17 a 20 deste mês, de 12 horas às 20 horas. Serão oito shows a cada dia.

Conheça a seguir a programação:



Carol Oliveira (CE) - dia 17, às 12h.

Carioca, mas cearense por opção, desde a adolescência cultiva o respeito e o trato pela música e a cultura popular brasileira, reconhecida e referendada no cenário local por sua voz marcante, é admiradora da bossa nova e do samba de raiz. O show será um passeio por esse genêros músicais, apreciado por todos que fazem parte da história da música brasileira.



Kazane (CE) - dia 17, às 13h.

Artista plástico, Ilustrador e um dos principais ícones do Blues na cena local, seu trabalho autoral exauta a diversidade e excentricidade do nosso povo e da cidade. O formato atual é em quinteto, sendo assim Kazane Blues, pode fundamentar as diversas expressões desta forma musical, egressa dos EUA e tão bem aceita no Brasil.



Lia Veras (CE) - dia 17, às 14h.

A professora de canto Lia Veras, que já se apresentou em diversos festivais de música dentro e fora do estado. Em 2010, desponta na cena autoral cearense como letrista, tendo seus escritos musicados pelos compositores Rogério Lima, Carlos Hardy, Márcio Resende e Luciana Costa. Apresenta o show, "Pra te dizer algo assim", com uma nova roupagem dos trabalhos de artistas consagrados e algumas de suas composições.



Lorena Nunes (CE) dia 17, às 15h

Intérprete que vem ganhando entusiasmados elogios e chamando atenção na expoente geração da música cearense, apresenta o show "Ai de Mim", uma homenagem à autores cearenses como Rogério Franco, Rodger Rogério, assim como releituras de grandes compositores brasileiros, como João Bosco e Aldir Blanc, Chico Buarque e Caetano Veloso.



Elvis Boamorte e Os Boavidas (SE) - dia 17, às 16h.

Grupo uriundo de Sergipe tem como proposta de composição a utilização de acordes cheios de swing, utilizando a mais comum característica brasileira que é a de misturar vários gêneros musicais, do samba-rock ao axé. Com harmonia distorcida e letras despretensiosa, eles já conquistaram o público.



The Baggios (SE) - dia 17, às 17h.

O duo sergipano que iniciou suas atividades em 2004, apresenta seu trabalho em terras alencarinas. Possuem habilidade natural ao misturar o blues primitivo ao rock in roll, suas letras enraizadas nas questões sociais contemporânea, embebidos nas águas turvas e viciadas da música negra, com essetrabalho, foram contemplados em vários festivais nacionais.



Marcos Lessa (CE) - dia 17, às 18h

Jovem, talentoso e determinado, iniciou sua carreira em 2007, lançando o primeiro CD autoral "Olhares da Vida", teve como parceira Clarisse Araripe. Cantou o "Pessoal do Ceará", num projeto com o instrumentista Manassés. Sua busca incessante por novos conhecimentos e experiências, não o deixam parar, nesse show interpreta os conterrâneos Belchior, Fagner, Ednardo, Petrúcio Maia e Fausto Nilo, como também suas composições.



Carlos Zens (RN) - dia 17, às 19h

Carlos Zens , instrumentista, compositor e cantor potiguar, segue as veredas do Mar ao Sertão da música brasileira, onde apresenta um repertório alegre, leve e rítmico, dedicado a contemplação com o mar e a veneração com o sertão. Além de nos presentear com citações poéticas: IMENSIDÃO; "Guimarães Rosa","NÃO GOSTO DE SERTÃO VERDE" Câmara Cascudo," O RETRATO DO SERTÃO, Patativa do Assaré e " JANELAS NO MAR " de Odylo Costa Filho.



Gustavo Portela (CE) - dia 18, às 12h.

Instrumentista e compositor cearense, originário da banda Et Circense e Encarne, apresenta um trabalho coeso de composições coletivas, intitulado "movimento", com canções inéditas de sua autoria como também contribuição de outros artistas locais, possue uma diversidade de rítmos, letras poéticas e uma sonoridade bem peculiar.



Talma & Gadelha (RN) - dia 18, às 13h

O som das terras potiguaras ganham espaços em nossos palcos, o grupo liderado por Simona Talma e Luiz Gadelha, nos remete ao rock in roll dos anos 70, revelado pelos Mutantes ou Rita Lee, e ao mesmo tempo lembra a pegada indie rock, isso será conferido no show, "Matando o Amor", mesmo nome do CD, produzido por Anderson Foca.



Bonecas da Barra (CE) - dia 18, às 14h.

Influenciados pelos grandes nomes do rock in roll e por sua irreverência, o grupo desenvolveu uma característica própria e marcante que atrai o público do começo ao fim. Nesse show o grupo comemora o lançamento do seu single, com algumas canções inéditas, assim como releituras do EP "Batom Navalha".



Roraima In Trio (PI) - dia 18, às 15h

Ele é um representante da Música Brasileira Contemporânea. Roraima é um músico que experimenta estilos, e com seu talento peculiar, cria a sua maneira de fazer música. O trio de músicos mostra toda versatilidade e o swing da música piauiense. No repertório, além de músicas autorais, uma releitura de grandes nomes. Sempre com arranjos do trio.



Khalil Gibran (CE) - dia 18, às 16h

No show "Noturno", Khalil Gibran desvenda o universo lírico e desiludido, com letras e arranjos que nascem sob o signo do novo, suas canções possuem originalidade e qualidade estética. Nesse pocket show, contará com a participação especial de Paulo Façanha e Isaac Cândido, além dos riffs de guitarra 'assinados' pelo guitarrista Mimi Rocha.



Topaz (RS) - dia 18, às 17h

Quarteto gaúcho apresenta seu mais novo trabalho, "III" (terceiro), com letras inteligentes que combinam perfeitamente com as melodias bem trabalhadas e muito diferentes do que estamos acostumados a ouvir. Após sucesso como "Notas de Rodapé", que teve clipe gravado no inicio de 2010, a Tópaz lançou o single "O Maior Idiota do Mundo". A canção levou o quarteto a ser destaque na rede de microblogs Twitter.



André Marinho (RJ) - dia 18, às 18h.

Carioca, escolheu o cenário nacional para apresentar sua poesia que aborda temas sociais, traduz em leveza as situações vividas no cotidiano e o romantismo, característica do verdadeiro poeta. No show, "Domingo no Parque", o artista fará um mix dos CDs "Batuque dos Anjos" e "Vida de Gato", de forma descontraida, numa levada quase de improviso, com a participação de Aroldo Araújo e Luizinho Duarte, responsáveis por vários de seus arranjos



Lia Sophia (PA) - dia 18, às 19h

Nascida na Guiana Francesa, chegou ao Brasil aos 2 anos de idade, sempre conviveu com diversos estilos musicais, do gospel ao brega, do bolero ao zouk, merengue, além das fortes influências do carimbó e do marabaixo, ritmos típicos da região norte. Revela em seu segundo CD, "Castelo de Luz", sua multiplicidade artística, que vai da composição a produção.



Forró da Roça (CE) - dia 19, às 12h

Há quase dez anos de estrada o grupo foi criado com o intuito de enaltecer a cultura de nossa região e demonstrar a essencia do autêntico forró nordestino. Seu primeiro CD, lançado em 2003, recebe a ilustre participação de Dominguinhos, assinando umas das faixas. O grupo conta hoje com uma nova formação mantendo a mesma caracteristica lhe é peculiar, a alegria.



Kiko Klaus (MG) - dia 19, às 13h.

Pernambucano, radicado em Belo Horizonte, o cantor, compositor e produtor musical Kiko Klaus é classificado pela mídia e público como um dos mais promissores artistas nacionais, possue estilo próprio e voz marcante. Com mais de dez anos de carreira, lança o CD "Mesmalua", uma mistura de samba, bossa, baião e maracatu, turbinados por toques eletrônicos e pegadas funks, é o que chama de: música brasileira planetária.



Alegoria da Caverna (CE) - dia 19, às 14h

Show que marca mais de uma década de trajetória, "Os Alegóricos estão voltando", arrastando a massa com alegria contagiante, um passeio pelo rock, reggae, country, grooves, samba e o que eles chamam de psicodelia. O espetáculo é uma mistura de cores e estilos, que vai do moderno ao tradicional, do global ao local, mexendo com os sentidos e o corpo dos ouvintes.



Felipe Cordeiro (PA) - dia 19, às 15h.

O paraense é dono de uma sonoridade rica de referências que vão da lambada ao pop-retrô, flertando com o tecnobrega que ele denomina de Kitsch-pop-cult. Premiado em diversos festivais, o artista se destaca como um dos principais representantes da música em sua região. Este ano lança seu mais novo CD, mesmo nome do show, "Kitsch-pop-cult".



Pastel de Miolos (BA) - dia 19, às 16h

O rock baiano tem uma ótima representação, banda PDM, com mais de quinze anos de estrada, adquire sua maturidade musical, explorando um pouco de metal e pós-punk, de forma completamente peculiar, tudo isso será conferido no show "Da Escravidão ao Salário Mínimo", a banda consegue ser visceral e direta, com a potência suficiente pra tirar qualquer um da letargia.



Érika Machado (MG) - dia 19, às 17h

Após uma série de apresentações em diversos centros culturais de Portugal, a cantora, compositora, instrumentista e artista plástica retorna ao Brasil com show em novo formato, trazendo novas versões para as canções dos CDs "No Cimento" (2006) e "Bem Me Quer Mal Me Quer" (2009), ao lado da parceira Cecília Silveira. 60 min.



Ska Brothers (CE) - dia 19, às 18h

Primeira banda de ska tradicional do estado do ceará, o ritmo que tem origem na Jamaica, foi facilmente adaptado ao Brasil. Surgiu em 2006 com a proposta de divulgar o ritmo e resgatar os maiores clássicos do Ska Music. O grupo também se propõe criar releituras de clássicos da música pop adaptadas ao estilo, realizando uma mistura interessante entre propostas e gêneros.



Julia Says (PE) - dia 19, às 19h

Projeto musical pernambucano, formado por Antony Diego e Pauliño Nunes, nasceu com o intuito de promover música livre, que perpassa as diversas vertentes, sem se prender a nenhuma. Em 2008, lança o primeiro EP, intitulado simplesmente de "Julia Says", selecionada para o festival internacional SXSW (South by Southwest Conferences and Festivals), em março de 2010 em Austin, Texas.



Fabio Lobo (PA) - dia 20, às 12h

Paraense, influenciado pelos rítmos da região norte, tais como: carimbó, o siriá e a marujada, passeia também pela música afro-indígena e caribenha. Seu repertório é formado por canções de domínio público e por suas composições, fruto de seu trabalho lançado em 2010, intitulado "Carimbó Pai d´égua", O artista compõem um repertório que alia o tradicional, o popular e o contemporâneo.



Validuaté (PI) - dia 20, às 13h.

Grupo piauiense, com mais de seis anos de estrada, lança seu mais novo álbum, "Alegria Girar", que conta com as participações especiais do poeta Ferreira Gullar, do ator e vocalista Lirinha, do ator e dublador Isaac Bardavid e do cantor, compositor e ator Zéu Britto. O show é uma combinação de ritmos, sons, performances e poesia.



Carlinhos Nação (SP) - dia 20, às 14h

Paulistano, radicado no ceará, o cantor e compositor Carlinhos Nação, agora em carreira solo, após uma longa trajetória na banda "Nação Regueira". No show homenageará o rei do reggae, Bob Marley, incluindo alguns dos hits de sua autoria, como: "Sorriso Seu" e "Sentimento Bom", executadas nas principais rádios locais, é o toque brasileiro unido ao genero musical vindo da Jamaica.



Ellen Oléria (DF) - dia 20, às 15h

Atriz, cantora e compositora, destaca-se como um dos maiores expoentes do cenário musical brasiliense, canta e encanta, dentro e fora do palco, com seu sorriso aberto, mistura de swing brazuca e performance jazzística. Apresenta o seu primeiro CD, intitulado "peça", lançado em 2009, com letras e melodias envolventes, misturando samba, afoxés, jazz e hip hop.



Isaac Cândido (CE) - dia 20, às 16h

"Além da Fronteira", é o trabalho encorpado de um dos maiores nomes da cultura local, compositor, instrumentista e produtor, com mais de 20 anos de carreira. O show demonstra a maturidade litero-musical de Isaac, faz um passeio por vários ritmos, em letras poéticas e delicadas, com uma sonoridade marcante, apimentadas por seu timbre vocal grave.



Soraya Castelo Branco (PI) - dia 20, às 17h

Com seu doce canto, elegante postura de palco, além de grande interação com o público, Soraya Castello Branco ou simplesmente Sol é considerada por muitos, dona de uma das vozes mais afinadas da nova geração. É representante dos melhores compositores nordestinos.



Maglore (BA) - dia 20, às 18h

Formada desde 2009, o grupo é destaque na cena independente da Bahia, apostam no rock tropical, com influências do folk americano, isso tudo unido ao 'caldeirão' de ritmos que é a cidade de Salvador. No show "Cores ao vento", a ideia é misturar a base do rock clássico britânico com a irreverência "pop-moderna" em letras e cores.



Racional Soul (CE) - dia 20, às 19h

A banda surgiu em 2008, com o intuito de homenagear o mestre Tim Maia, apresentando novas versões do Racional vol 1 e 2 de 1973/74. Com o passar do tempo foram inserindo ao repertório releituras de grandes nomes da música brasileira, como também músicas inéditas autorais, com letras que expressam toda sua brasilidade e conscientização social, deixando nítido a beleza e a riqueza étnica de nosso país.

artigo - Austeridades Espirituais


Austeridades Espirituais
SB Canto IV, Capítulo 30, Verso 4

Tradução e comentário por Srila Prabhupada








TRADUÇÃO

Ao fim de dez mil anos de rigorosas austeridades praticadas pelos Pracetas, a Suprema Personalidade de Deus, em recompensa por suas austeridades, apareceu ante eles sob Sua forma tão prazenteira. Isto satisfez os Pracetas e mitigou o esforço de suas austeridades.



SIGNIFICADO

Praticar dez mil anos de rigorosas austeridades não parece um esforço muito feliz. Todavia, os devotos, os estudantes sérios da vida espiritual, submetem-se a tais austeridades para obter o favor da Suprema Personalidade de Deus. Naquela época, quando era muito longa a duração de vida, as pessoas podiam praticar rigoro¬sas austeridades por milhares de anos. Dizem que Valmiki, o autor do Ramayana, praticou austeridades de meditação por sessenta mil anos. A Suprema Personalidade de Deus apreciou as austeridades praticadas pelos Pracetas, e por fim apareceu ante eles sob uma forma aprazível. Assim, todos eles ficaram satisfeitos e esqueceu as austeridades que haviam praticado. No mundo material, se alguém obtém sucesso após trabalhar arduamente, ele fica muito satisfeito. De modo semelhante, o devoto esquece todos os seus esforços e austeridades assim que entra em contato com a Suprema Personalidade de Deus. Embora Dhruva Maharaja fosse apenas um menino de cinco anos, submeteu-se a rigorosas austeridades, comendo meras folhas secas, bebendo apenas água ou não comendo nada. Dessa maneira, depois de seis meses, ele foi capaz de ver a Suprema Personalidade de Deus, face a face. Quando ele viu o Senhor, esqueceu-se de todas as suas austeridades e disse: svamin krtartho smi. "Meu querido Senhor, estou muito satisfeito."



Evidentemente, estas austeridades foram praticadas em Satya¬-yuga, Dvapara-yuga e Treta-yuga, mas não nesta era de Kali. Nesta Kali-yuga, pode-se alcançar os mesmos resultados simplesmente cantando o maha-mantra Hare Krsna. Como as pessoas desta era são caídas, o Senhor faz a gentileza de dar-lhes o método mais fácil. Pelo simples fato de cantar o mantra Hare Krsna, pode-se alcançar os mesmos resultados. Contudo, como ressalta o Senhor Caitanya Mahaprabhu, somos tão infelizes que nem sequer sentimos atração pelo cantar do maha-mantra — Hare Krsna, Hare Krsna, Krsna Krsna, Hare Hare / Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare.


Notícia - Fundação Cultural credencia mediadores de leitura





A Fundação Cultural de Curitiba abriu edital para credenciamento de pessoas físicas com conhecimentos na área de literatura e leitura, para atuar como “mediadores de leitura” do programa Curitiba Lê. O trabalho será desenvolvido na Estação da Leitura (Terminal do Pinheirinho), no Bondinho da Leitura (Rua XV de Novembro), no Biblioparque e em outros espaços a serem definidos pela Fundação. Os interessados devem apresentar a documentação necessária até o dia 12 de agosto, às 17h, na sede da FCC (Rua Engenheiros Rebouças, 1732 – Rebouças).

Os proponentes deverão apresentar projetos de realização de Rodas e Ciclos de Leitura, ou outras propostas de atividades relacionadas ao incentivo à leitura. Dos classificados serão inicialmente contratados até seis credenciados para a execução das atividades, mediante a celebração de contrato de prestação de serviços.

O edital com todas as informações está disponível no site da Fundação Cultural de Curitiba (www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br), em “Editais”. Também é possível obter cópia do edital e seus anexos na Coordenadoria Administrativa da FCC, em horário comercial (das 9h30 às 12h e das 14h às 17h30). A sessão de abertura dos envelopes acontecerá no dia 15 de agosto, às 9h30, na Sala de Licitações da FCC, no mesmo endereço.







evento -formadores e articuladores de cenas artísticas

Encontro reunirá agentes formadores e articuladores de cenas artísticas em países da América do Sul



O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) realizará, no âmbito do V BNB Agosto da Arte, o "Encontro Sul-Americano - Inventando o Lugar", que pretende reunir agentes formadores e articuladores de cenas artísticas em países da América do Sul, no formato de mesas-redondas, workshops e intervenções.

Com o objetivo de apresentar e discutir o panorama das artes visuais na contemporaneidade, o encontro tem como base a ideia de mobilidade, deslocamento e intercâmbio entre países deste continente focando em iniciativas, projetos e obras que estimulem ou problematizem a questão. Como consequência, as conversas pretendem discutir as realidades políticas e sociais de cada país representado através de suas respectivas dinâmicas de circulação internas e externas.

Com curadoria de Beatriz Lemos (RJ) e Yuri Firmeza (CE/SP), o encontro, no período de 10 a 13 deste mês (quarta-feira a sábado da próxima semana), reunirá críticos, curadores, artistas visuais e pesquisadores que estarão envolvidos - em sua maioria - em mais de uma atividade proposta para o evento, reconhecendo, assim, as diferentes atuações desses profissionais.

Do encontro participarão nomes como: Paulina Varas (Chile), Maria Fernanda Cartagena (Equador), Lia Colombino (Paraguai), Rodrigo Quijano (Peru), Esteban Alvarez (Argentina), Maria Isabel Rueda (Colômbia), Elisita Balbontin (Chile) e Makaroni (Chile), além de Davi da Paz (Ceará), Wallace Masuko (São Paulo), Francisca Caporalli (Minas Gerais), Solon Ribeiro (Ceará), Newton Goto (Paraná), Pablo Assumpção (Ceará), Clarissa Diniz (Pernambuco), Enrico Rocha (Ceará), Giseli Vasconcellos (Pará) e Uirá dos Reis (Ceará).

Conheça a seguir programação do Encontro:



Dia 10, quarta-feira

18h às 21h - Dinâmicas para mobilidade

Pensar e pontuar estratégias de mobilidade na arte a partir de uma proliferação de programas de residência na América do Sul. Em que momento esses programas se consolidam e passam a legitimar artistas e críticos? Quais são seus paradoxos, diferenças e impactos no sistema de arte?

Mediação: Davi da Paz (Fortaleza)

Palestrantes: Paulina Varas / CRAC (Valparaíso, Chile), Wallace Masuko (São Paulo), Francisca Caporalli / JACA (Belo Horizonte)



Dia 11, quinta-feira

14h às 17h - Arquivo e memória do presente

Que atitudes operar para que se ative a potência da memória no presente em detrimento de mero arquivo nostálgico? A circulação de conhecimento que potencializa um (re)conhecimento entre mundos.

Mediação: Solon Ribeiro (Fortaleza)

Palestrantes: Maria Fernanda Cartagena (Quito, Equador), Lia Colombino (Assunção, Paraguai), Newton Goto (Curitiba, PR)



18h às 21h - Produção crítica e deslocamento

Pensar é pensar em rede? Qual a importância crítica em acompanhar este movimento de intercâmbios em contexto sul-americano? A crítica/curadoria e o contexto cultural.

Mediação: Pablo Assumpção (Fortaleza)

Palestrantes: Rodrigo Quijano (Lima, Peru), Esteban Alvarez (Buenos Aires, Argentina), Clarissa Diniz (Recife)



Dia 12, sexta-feira

18h às 21h - Arte, especificidade e globalização

Local/global. Híbridos. Clausura. Identidade. Representação. Fluxo. Antropofagia. Em que regime de produção os artistas se inserem ao transitarem incessantemente entre lugares? Como e o que produzem nos lugares por onde passam? Deixam resquícios?

Mediação: Enrico Rocha (Fortaleza)

Palestrantes: Maria Isabel Rueda (Bogotá, Colômbia), Elisita Balbontin (Santiago, Chile), Giseli Vasconcellos (Belém, PA)



Lançamentos de Publicações e websites como iniciativas de intercâmbio

Dia 12, sexta-feira, às 22h

Local: Salão das Ilusões (Rua Coronel Ferraz, 80 - Centro)

Exposição/difusão de publicações independentes. Canal de intercâmbios e circulação de trabalhos entre diferentes países.



Apresentações/performances

Dia 13, sábado, às 20h

Local: Alpendre (Rua José Avelino, 495 - Praia de Iracema)

Com: Makaroni (Chile) e Uirá dos Reis (CE)




evento -formadores e articuladores de cenas artísticas

Encontro reunirá agentes formadores e articuladores de cenas artísticas em países da América do Sul



O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) realizará, no âmbito do V BNB Agosto da Arte, o "Encontro Sul-Americano - Inventando o Lugar", que pretende reunir agentes formadores e articuladores de cenas artísticas em países da América do Sul, no formato de mesas-redondas, workshops e intervenções.

Com o objetivo de apresentar e discutir o panorama das artes visuais na contemporaneidade, o encontro tem como base a ideia de mobilidade, deslocamento e intercâmbio entre países deste continente focando em iniciativas, projetos e obras que estimulem ou problematizem a questão. Como consequência, as conversas pretendem discutir as realidades políticas e sociais de cada país representado através de suas respectivas dinâmicas de circulação internas e externas.

Com curadoria de Beatriz Lemos (RJ) e Yuri Firmeza (CE/SP), o encontro, no período de 10 a 13 deste mês (quarta-feira a sábado da próxima semana), reunirá críticos, curadores, artistas visuais e pesquisadores que estarão envolvidos - em sua maioria - em mais de uma atividade proposta para o evento, reconhecendo, assim, as diferentes atuações desses profissionais.

Do encontro participarão nomes como: Paulina Varas (Chile), Maria Fernanda Cartagena (Equador), Lia Colombino (Paraguai), Rodrigo Quijano (Peru), Esteban Alvarez (Argentina), Maria Isabel Rueda (Colômbia), Elisita Balbontin (Chile) e Makaroni (Chile), além de Davi da Paz (Ceará), Wallace Masuko (São Paulo), Francisca Caporalli (Minas Gerais), Solon Ribeiro (Ceará), Newton Goto (Paraná), Pablo Assumpção (Ceará), Clarissa Diniz (Pernambuco), Enrico Rocha (Ceará), Giseli Vasconcellos (Pará) e Uirá dos Reis (Ceará).

Conheça a seguir programação do Encontro:



Dia 10, quarta-feira

18h às 21h - Dinâmicas para mobilidade

Pensar e pontuar estratégias de mobilidade na arte a partir de uma proliferação de programas de residência na América do Sul. Em que momento esses programas se consolidam e passam a legitimar artistas e críticos? Quais são seus paradoxos, diferenças e impactos no sistema de arte?

Mediação: Davi da Paz (Fortaleza)

Palestrantes: Paulina Varas / CRAC (Valparaíso, Chile), Wallace Masuko (São Paulo), Francisca Caporalli / JACA (Belo Horizonte)



Dia 11, quinta-feira

14h às 17h - Arquivo e memória do presente

Que atitudes operar para que se ative a potência da memória no presente em detrimento de mero arquivo nostálgico? A circulação de conhecimento que potencializa um (re)conhecimento entre mundos.

Mediação: Solon Ribeiro (Fortaleza)

Palestrantes: Maria Fernanda Cartagena (Quito, Equador), Lia Colombino (Assunção, Paraguai), Newton Goto (Curitiba, PR)



18h às 21h - Produção crítica e deslocamento

Pensar é pensar em rede? Qual a importância crítica em acompanhar este movimento de intercâmbios em contexto sul-americano? A crítica/curadoria e o contexto cultural.

Mediação: Pablo Assumpção (Fortaleza)

Palestrantes: Rodrigo Quijano (Lima, Peru), Esteban Alvarez (Buenos Aires, Argentina), Clarissa Diniz (Recife)



Dia 12, sexta-feira

18h às 21h - Arte, especificidade e globalização

Local/global. Híbridos. Clausura. Identidade. Representação. Fluxo. Antropofagia. Em que regime de produção os artistas se inserem ao transitarem incessantemente entre lugares? Como e o que produzem nos lugares por onde passam? Deixam resquícios?

Mediação: Enrico Rocha (Fortaleza)

Palestrantes: Maria Isabel Rueda (Bogotá, Colômbia), Elisita Balbontin (Santiago, Chile), Giseli Vasconcellos (Belém, PA)



Lançamentos de Publicações e websites como iniciativas de intercâmbio

Dia 12, sexta-feira, às 22h

Local: Salão das Ilusões (Rua Coronel Ferraz, 80 - Centro)

Exposição/difusão de publicações independentes. Canal de intercâmbios e circulação de trabalhos entre diferentes países.



Apresentações/performances

Dia 13, sábado, às 20h

Local: Alpendre (Rua José Avelino, 495 - Praia de Iracema)

Com: Makaroni (Chile) e Uirá dos Reis (CE)




Lançamento -As Políticas Culturais e o Governo Lula


As Políticas Culturais e o Governo Lula lançado no VII Enecult

"Políticas Culturais e o Governo Lula"

No encerramento do VII ENECULT (Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura), que aconteceu em Salvador, Bahia, entre os dias 3 e 5 de agosto, será lançado o livro “As Políticas Culturais e o Governo Lula”, de Antonio Albino Canelas Rubim (Coleção Brasil em Debate).

O evento foi no Forte São Diogo (Barra). Saiba mais sobre o livro clicando aqui http://www.efpa.com.br/telas/produtos/detalhes.asp?Id_Produto=297






Hare Krishna! Todas as glórias a Srila Prabhupada!






Janmastami: No dia 22 de agosto celebramos Krishna Janmastami – o dia de aparecimento de Krishna! Procure visitar o templo mais perto ou passar o final de semana em uma de nossas comunidades rurais!



Vyasa-puja de Srila Prabhupada: No dia seguinte de Janmastami, ou seja no dia 23 de agosto, é o Vyasa Puja de Srila Prabhupada, seu dia de aparecimento.

Agenda CLP Agosto’11


Agosto’11





Exposições





Galeria piso, 2
(Até 22 de Agosto)



Exposição de pintura "|Polis|semia", de Arnaldo Macedo




De volta à Polis. À invicta. A Maçã convida para uma orgia de tintas e palavras. Observo. Sou um espectador. Da paleta escorregam cores irreais. O pincel conduz as minhas mãos que se entregam à tela. Calados, perplexos, hipnotizados, os meus olhos dançam acompanhando o ritmo atordoante. Será amor, ódio, raiva, alegria, tristeza, medo? Serão homens, mulheres crianças, astros, animais, cidades, natureza, vento, mar, sonhos? ...

Será real ou surreal? Mas, afinal, o que é real? E o surreal?





Nota Biográfica: Arnaldo Macedo. Com um percurso essencialmente autodidacta e uma obra que atravessou vários estilos, a sua pintura fixou-se na corrente surrealista resultante da influência do pintor surrealista Salvador Dali e do escritor Mário Cesariny. O seu imaginário deambula entre a força simbólica das imagens e a subtileza das palavras. Ganhou um segundo e terceiro prémio num concurso em Vizela. Tem participado regularmente em exposições colectivas e individuais.



MPB4 solta a voz na CAIXA Cultural



O grupo vocal carioca lança “Antologia de Boleros” em cinco apresentações na capital paranaense





O consagrado grupo MPB4 realiza cinco apresentações na CAIXA Cultural, de 11 a 14 de agosto. Os shows marcam o lançamento do álbum “Antologia de Boleros", que conta com canções versadas para o português e músicas importantes na história do grupo vocal, faixas inéditas ou rearranjadas para a apresentação.



Grandes compositores foram convidados pelo MPB4 para atualizar grandes clássicos do bolero como: Zélia Duncan, Fernando Brant, Caetano Veloso e Paulo César Pinheiro, entre outros. Os arranjos vocais estão modernos, calçados em harmonias atualizadas e requintadas, privilegiando a sonoridade presente nos diversos tipos de violões, como o de 7 cordas, o requinto e a viola de 12 cordas.



O público poderá curtir canções como “Cálice” (Chico Buarque e Gilberto Gil); “Conversa com o Coração” (Guinga e Paulo César Pinheiro); “Todos os Palcos” (Miltinho e Magro); “Labirinto” (Guilherme Arantes); e “Festa da Firma” (Dalmo Medeiros), além das músicas, o show conta com a adaptação de um texto de Luis Fernando Veríssimo, que trata da ressaca do exagero de bebidas.


MPB4


Criado em 1962, o MPB4 iniciou com a formação do trio: Ruy, Aquiles e Miltinho, se tornando um quarteto com a chegada de Magro Waghabi, atualmente conta com a presença de Dalmo Medeiros no lugar de Ruy.



Com quase 45 anos de carreira, o grupo possui mais de trinta álbuns gravados com músicas de novos compositores e de grandes nomes, como Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Chico Buarque, Ivan Lins, Djavan, Noel Rosa, Aldir Blanc, Edu Lobo e muitos outros. O MPB4 foi contemplado, três vezes, com o Prêmio Sharp na categoria de melhor conjunto (1987, 1989 e 1995).



O trabalho do grupo fez parte de toda uma geração, transformando algumas de suas interpretações em marcos da música brasileira contemporânea. Desde os anos 1960, o quarteto esteve presente em todos os movimentos culturais e políticos, enfrentando com sua voz a censura e a repressão política.



A presença de textos no show faz parte da história do MPB4, sendo que alguns deles não puderam ser exibidos para o público, devido à censura. O show "MPB4 na República do Peru", escrito em parceria com Chico Buarque e Antônio Pedro, e "MPB4 no País das Maravilhas", com texto de Carlos Eduardo Novaes, foram vetados, sendo este último proibido na íntegra, pela Censura Federal. O show "Amigo É Pra Essas Coisas" em 1989, contou com um texto de Luís Fernando Veríssimo, assim como as apresentações da CAIXA Cultural.



Ficha Técnica



MPB4

· Dalmo (voz e percussão)

· Miltinho (voz e violão)

· Aquiles (voz e percussão)

· Magro Waghabi (diretor musical, arranjador, voz, teclado e percussão)

Músicos

· Marcos Feijão (bateria e percussão)

· Pedro Reis (violão, guitarra e bandolim)

· João Márcio Macedo (baixo)



Serviço



Música: MPB4 com o show “Antologia de Boleros”

Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: de 11 a 14 de agosto

Hora: de quinta-feira a sábado, às 21h e domingo, às 19h e 21h

Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12h às 19h, sábado e domingo, das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)

www.caixa.gov.br/caixacultural



Nova janela
Imprimir tudo
Pedro Martinelli/13 de agosto/lançamento do livro





Galeria da Cave


(Até 15 de Agosto)



Exposição de pintura “p [artes] do corpo…”, de Jorge Vilaça



Descrição: cid:image085.jpg@01CC3427.9DD91400


Arte,

poderão existir enumeras definições de Arte..

todas elas com a sua razão e palavra,

mas para mim, Arte é o exteriorizar de todos os desejos... paixões.. viagens.. cores..

..é o exteriorizar da alma.

Tudo pode ser considerado Arte.



E como em tudo,

a Arte apenas tem o valor que nós lhe damos.



Por mais definições que se tentem dar, ou por mais explicações que se tentem procurar..

..a Arte vai continuar a ser algo que surge do interior do Artista para ser exposto ao mundo.

E nada mais belo que doar a alma ao mundo e servi-lo, dando-lhe cor, formas, sons ou palavras.





Jorge Humberto Machado Vilaça, nasceu em Santo Tirso - Portugal, a 1 de Fevereiro de 1968.

Artista, que desde já muito cedo se relaciona com a arte, pois a sua profissão principal é Mestre de Cabeleireiro, tem salão próprio e administra aulas de formação profissional, nas telas é dedicado a todas as técnicas, com um gosto especial para a pintura, fotografia e escultura erótica.









:: Dia 2 | terça-feira

Piano bar, 21h30

Porto, lugar de escrita



Tertúlia literária com Miguel Miranda e Inês Botelho, no âmbito do curso aPorto



Descrição da sessão:

- Breve apresentação biográfica dos autores por Filipa Fava

- Conversa sobre o que é escrever sobre o Porto (de que forma a cidade se torna presente nas obras) e no Porto (como é ser escritor nesta cidade)

- Leitura de excertos das obras dos autores pelos formandos









:: Dia 5 | sexta-feira

Piano bar, 22h30

Bruno Carneiro, contrabaixo

Pedro Gomes, piano









:: Dia 6 | sábado

Auditório, 21h30



Lançamento do livro “Dono do Vento”, de António Pinheiro

Sobre a obra: Haverá melhor sensação que sentir o vento no rosto? Que outro sentimento nos desperta se não a intensa força da liberdade? Uma visão da possível convivência entre culturas e tradições diferentes e de como estas são inevitavelmente alteradas pelas gerações.
(Ana Paula Reis)

Sobre o autor: António Pinheiro prima pela versatilidade, toco viola, cavaquinho (acordes minhotos) e harmónica. Já fez rádio, teatro de revista, escreve poesia (em 2000 venceu o 1º Prémio do Concurso de Poesia – Associação da Mariadeira, na Póvoa de Varzim). A pintura é outro dos seus grandes interesses. Depois de várias exposições, em 2007 participou no 1º Salão Artes Plásticas Portugal e ainda no Encontro Anual dos Artistas Plásticos de Sintra. E, depois disso, participou em diversas colectivas. Entre as muitas actividades em que divide o seu tempo salienta-se ainda a edição do livro “Deus já não vai à Igreja” (2010) e agora “Dono do Vento”. Já este ano participou no livro “Textos Soltos”, comemoração do Dia Internacional do Livro pela Euedito Print On Demand e na Revista Euedito Mag, nº1.







Piano bar, 22h00

Ciclo de recitais “Conservatório de Música do Porto” | Recital 8/12











:: Dia 7 | domingo

Piano bar, 18h00-20h00



Musicalidade Poética

Org.: José M. Silva







:: Dia 9 | terça-feira

Piano bar, 21h30

Porto, lugar de escrita



Tertúlia literária com Miguel Miranda e Inês Botelho, no âmbito do curso aPorto



Descrição da sessão:

- Breve apresentação biográfica dos autores por Filipa Fava

- Conversa sobre o que é escrever sobre o Porto (de que forma a cidade se torna presente nas obras) e no Porto (como é ser escritor nesta cidade)

- Leitura de excertos das obras dos autores pelos formandos







:: Dia 12 | sexta-feira

Auditório, 21h30

Apresentação do livro “Gente de pouca letra”, de Tito Pinto




Sobre a obra: "Gente de Pouca Letra" é um livro que tem como base o twitter do assinante "che_hnvd" dessa rede social. Nestas páginas encontram-se assuntos de extrema importância mas outros também de importância extrema - vidas, política, pensamentos, labuta, economia e coisas parecidas, desporto, bebedeiras, cinema e ainda um super-extra são alguns dos temas abordados. O prefácio do João Quadros (autor de “O último a sair”, “Herman Enciclopédia”, etc.) só prova que como o autor do livro ele também tem problemas de ordem neurológica.









:: Dia 13 | sábado

Auditório, 22h00


Lançamento do livro de poesia "por eu me lembrar de ti" do Eng. Nuno Guimarães, Escritor e Adido Cultural na Embaixada de Portugal na Lituânia



Apresentação da obra a cargo de Pedro Baptista



Declamação por Angelo Vaz





Nuno Guimarães nasceu em Moçambique em 1960. Aos 10 anos mudou-se para a cidade do Porto onde fez todo o seu percurso académico tendo obtido a licenciatura em Engenharia Civil na universidade daquela cidade.

Ainda na cidade do Porto esteve ligado a alguns projectos culturais tendo também colaborado com o jornal Primeiro de Janeiro e com a Rádio Clube de Matosinhos.



Em 1998 publica, em edição de autor, o seu primeiro livro “Encontros, Desencontros e Contradições”.



Em 2006 abandona por completo a engenharia e passa a exercer funções de leitor de Português na Universidades de Vilnius e Vytautas Magnus de Kaunas, ambas na Lituânia. Simultaneamente assessoria a Embaixada de Portugal na Lituânia, sendo o responsável pela programação cultural portuguesa naquele país e curador de várias exposições ali realizadas.

O seu afastamento de Portugal provoca em Nuno Guimarães uma grande necessidade de escrever, colocando na sua poesia a saudade, os conflitos de alma, e as vivências dalguém que vive sempre entre viagens.



Depois de um grande interregno de publicações, em Novembro de 2009 surge o livro “ rio que corre indiferente” (Temas Originais). Também neste ano de 2009 foi convidado a representar Portugal no Festival Internacional de Poesia da Primavera, na Lituânia. Este Festival produziu uma antologia, “Poezijos Pavasaris 2010”, com 176 poemas de vários autores da Lituânia e um autor de cada um dos seguintes países: Rússia, Síria, Geórgia, Polónia, Letónia, República Checa e Portugal, com três poemas de Nuno Guimarães traduzidos para lituano.



Em Março de 2010 publica o livro “chei(r)os de palavras” (Corpos Editora).



Em Novembro de 2010 é publicado o primeiro livro de poesia bilingue Português – Lituano, da história da literatura dos dois países. Com o titulo “vieniš(um)as - solidão“ (Naujoji Romuva), este livro resulta de um projecto desenvolvido em colaboração com duas estudantes lituanas de Português, Giedre Šadeikaite e Irma Vitukynaite, que interpretaram e traduziram 30 dos seus poemas para lituano.



Para além do lituano, possui também poemas traduzidos para inglês, francês, russo, polaco e bielorrusso.



Em Maio de 2011 é editado o seu último livro “por eu me lembrar de ti” (Corpos Editora).



Nuno Guimarães é também o responsável pelo projecto “Poezijos Signalai”, iniciado em 2010, uma actividade que leva à Lituânia a tradição das tertúlias de poesia portuguesas e através do qual se pretende divulgar a poesia dos dois países. Este programa possibilitou a um número significativo de poetas dos dois países ter já poemas traduzidos nas duas línguas.









:: Dia 16 | terça-feira

Piano bar, 21h30

Sessão de Poesia

Participação de actores portuenses

Org.: aPorto









:: Dia 19 | sexta-feira

Piano bar, 23h00



Jazz no Clube

Fátima Serro, voz











:: Dia 20 | sábado

Piano bar, 21h30



Melodias de Sempre

José Veloso Rito, piano



Descrição: Descrição: image020.png@01CC340C.0EB470A0

Neste recital de piano, José Veloso Rito, presença habitual no piano-bar do CLP, interpretará músicas de sua autoria, bem como algumas obras do repertório clássico e standards do jazz. Um bom argumento para uma noite descontraída, na companhia de um amigo, saboreando o seu café ao som de melodias que tão bem reconhecerá.











:: Dia 23 | terça-feira

Piano bar, 21h30

Sessão de Poesia

Participação de actores portuenses

Org.: aPorto









Galeria piso 2 (até 31 de Agosto)

Exposição de pintura "Subtilezas" de Antonieta Castro


Inauguração, 20h00


Nas obras de Antonieta Mariz de Castro…

As cores chegam-nos num suave silêncio… que se vai esbatendo à medida que nos deixamos velejar por uma doce brisa até às profundezas da “serenata” de Shubert … Águas serenas que se unem ao céu numa cumplicidade intemporal. Reflexos de uma alma de luz esboçam a paz branca que envolve embarcações de sonhos… imaginários de cores suaves… vestígios de vida! Apontamentos de quem navega ao encontro de alguma claridade… ou de si próprio… à velocidade dos sentimentos, quem sabe rumo a um novo amanhecer ou ao (re)encontro de um espaço e de um tempo por viver. Subtilezas… da arte sublime… de quem pinta com a água a água de onde emerge o próprio Ser.

(ana homem de albergaria)









:: Dia 26 | sexta-feira

Piano bar, 22h30

Concurso de Música CLP // 2011

Concerto 1/10











:: Dia 27 | sábado

Piano bar, 22h30

Concurso de Música CLP // 2011

Concerto 8/10

Filipa Cardoso, piano









Descrição: Descrição: Descrição: logotipo_CLP.jpg



Clube Literário do Porto

Rua Nova da Alfândega, nº 22

4050-430 Porto

Tel. 222 089 228

Fax. 222 089 230

Email: clubeliterario@fla.pt

URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

BLOGUE: http://clubeliterariodoportofla.wordpress.com/

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Lançamento - Evento - 'Matemática imperfeita', do artista plástico Felipe Barbosa



'Matemática imperfeita', do artista plástico Felipe Barbosa

de Felipe Barbosa


292 páginas

21x25cm











EVENTO
12 de agosto, às 19h, Livraria da Travessa do Shopping Leblon











O LIVRO
Felipe Barbosa lança pela editora Apicuri o livro 'Matemática Imperfeita', apresentando um apanhado dos 15 anos de sua carreira, em que a quase totalidade de sua produção está representada. A publicação, patrocinada pelas galerias que representam o artista, a Cosmocopa Arte Contemporânea e Baró Galeria, é ricamente ilustrada e possui um índice remissivo reunindo todas as fichas técnicas. O livro serve de referência para pesquisadores, colecionadores e interessados em arte contemporânea. Uma coletânea de textos críticos, organizada pelo próprio artista, reúne Marisa Flórido, Fernanda Lopes, Guilherme Bueno, Felipe Scovino e Luciano Vinhosa, e amplia as possibilidades do mergulho na obra.

Veja mais em http://www.felipebarbosa.com/







LANÇAMENTO DA




Lançamento -Jogos de Identidade: O Esporte em Cabo Verde




Jogos de Identidade: O Esporte em Cabo Verde

de Victor Andrade de Melo


292 páginas

14x21cm


O livro discute a importância da prática esportiva no continente africano. Cabo Verde é o país abordado, onde, além de presença constante, o esporte foi ativamente mobilizado no processo de construção de identidades.


Caminhando na fronteira entre os estudos do esporte, os estudos africanos e os estudos pós-coloniais, este livro se dedica a discutir as práticas esportivas em Cabo Verde, em que a organização do esporte no arquipélago se deu, em grande parte, em função da ação e dos desejos dos caboverdianos, muito além de qualquer pretensa disciplinarização colonial.



O Autor:

Victor Andrade de Melo é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Programa de Pós-Graduação em História Comparada e Escola de Educação Física e Desportos). Coordenador do “Sport”: Laboratório de História do Esporte e do Lazer. Bolsista de produtividade em pesquisa/CNPq.





Coleção

A coleção Sport: História tem o objetivo de publicar investigações históricas que tenham as práticas corporais institucionalizadas como objeto central. Esporte, educação física, dança, capoeira, ginástica, práticas corporais alternativas são encarados como uma possibilidade privilegiada de discutir um determinado contexto, em seus aspectos sociais, culturais, econômicos e/ou políticos.






LANÇAMENTO DA












Lançamento - O Surfe nas Ondas da Mídia: Esporte, Juventude e Cultura







O Surfe nas Ondas da Mídia: Esporte, Juventude e Cultura

de Rafael Fortes


376 páginas

O LIVRO
Na década de 1980, o surfe se consolida como atividade profissional e a revista FLUIR se torna porta-voz deste esporte. O livro analisa a mídia construída ao redor do surfe e discute as relações entre esporte, cultura e juventude.

O AUTOR
Rafael Fortes combina estudos de comunicação com história e sociologia dos esportes usando como objeto o surfe e sua relação com a mídia e o consumo. Fruto de sua tese de doutorado pela UFF, este livro é um exemplo de como é possível unir um texto leve e agradável com reflexões de alto nível. Ao analisar a revista Fluir, marco de toda uma geração nos anos oitenta, o autor constata como a revista ajudou a retratar e também a construir uma série de imaginários acerca do surfe no país. Um livro importante, tanto no cenário do surfe como no da pesquisa científica.


A coleção Sport: História tem o objetivo de publicar investigações históricas que tenham as práticas corporais institucionalizadas como objeto central. Esporte, educação física, dança, capoeira, ginástica, práticas corporais alternativas são encarados como uma possibilidade privilegiada de discutir um determinado contexto, em seus aspectos sociais, culturais, econômicos e/ou políticos.



LANÇAMENTO DA





Evento - 12/8 REESTREIA 74ª MOSTRA MACUNAÍMA


Montagens exibidas na 74ª Mostra do Teatro Escola Macunaima

serão reapresentadas de 12 de agosto a 6 de novembro

74ª Mostra de Novo

do Teatro Escola Macunaíma

Edward Mãos de Tesoura

está entre as peças do final de semana de estreia

Edward Mãos de Tesoura

Data: 12, 13 e 14 de agosto

Horários: 19h e 21h

Teatro: 1

Capacidade: 86

Gênero: Drama

Duração: 70 min.

Recomendação (idade): 12 anos

Direção: Beto Marcondes

Autor: Caroline Thompson

Sinopse:

Uma vendedora de Avon acidentalmente descobre

Edward, um estranho jovem que mora sozinho

em um castelo e que foi criado por um inventor

que morreu antes de lhe concluir.

Edward possui apenas enormes lâminas no lugar das mãos

que o impedem de se aproximar dos humanos,

a não ser quando dá vazão à sua solidão interior,

usando sua criatividade com as tesouras.

No entanto, Edward é vítima de sua inocência e,

se é amado por uns, é perseguido e usado por outros.

(Entre Parentes)

Data: 12, 13 e 14 de agosto

Horários: 19:00 e 21:00

Teatro: 2

Capacidade: 96

Gênero: Comédia

Duração: 70 minutos

Recomendação (idade): 10 anos

Direção: Alex Capelossa

Autor: França Junior

Sinopse

Família que enlouquece unida, permanece unida.

Brigas, equívocos, armações, melindres e muitas confusões.

Tudo que acontece nas melhores famílias e provocam inusitados risos e fofocas.

É o que vemos nessas quatro peças de França Junior.

‘Entre parentes’. Uma comédia estritamente familiar.

Espaços de Silêncio

Data: 12, 13 e 14 de agosto

Horários: 19h e 21h

Teatro: Teatro 5

Capacidade: 72

Gênero: Drama

Duração: 80 minutos

Recomendação (idade): 14 anos

Direção: Simone Shuba

Autor: Vários

Sinopse

“Se eu sou o silêncio, de dizer o meu nome, deixei de sê-lo.”

Os ingressos custam R$ 14,00,

meia entrada para estudantes e terceira idade,

e R$ 3,00 para os alunos da escola.

Os ingressos podem ser adquiridos

na sede do Macunaíma e

também pelo site www.macunaima.com.br

Teatros do Macunaíma 1, 2, 3, 4 e 5

www.macunaima.com.br

Rua Adolpho Gordo, 238 – Barra Funda

(11) 3667.0807