quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

APAP/PR abre exposição "Arte Cura" de Caliel Hauffe no dia 4 de março


Suas obras mostram os sentimentos de amor e plenitude ressaltados em cores, formas e movimentos, que apontam o caminho da espiritualidade


Tela de Caliel para a exposição "Arte Cura"
(Divulgação)
Telas do artista plástico Caliel Magalhães Hauffe compõem a exposição “Arte Cura” e podem ser apreciadas nas salas da APAP/PR - Associação Profissional dos Artistas Plásticos do Paraná. A abertura da mostra está marcada para 4 de março (domingo), das 11 às 13 horas, nas salas das Arcadas de São Francisco. 
Natural de Curitiba, Caliel Hauffe concilia pincéis e tintas às aulas do curso de ciências e tecnologia de alimentos. O interesse pelas artes plásticas surgiu em um momento de introspecção espiritual, que trouxe novo sentido para sua vida. As obras mostram os sentimentos de amor e plenitude ressaltados em cores, formas e movimentos, que apontam o caminho da espiritualidade. 
Caliel Hauffe sublinha que o processo criativo da exposição começou por meio do contato com a natureza. Atento aos sinais que esta conexão transmite e ciente do elo entre o cosmo e macrocosmo, o artista observa que “elétrons habitam as órbitas dos átomos, os elétrons somos nós, humanos, os átomos são a arte, o centro, para onde tudo se vai e de onde vieram todas as criações”. É a “arte da alma”, define.
Para ele, a arte é o caminho ao absoluto, é a essência da vida humana. “O principal objetivo da arte é unir espírito, alma, sentimento, sensações e a natureza tanto relacionada ao meio em que vivemos quanto ao nosso interior”, explica Caliel. O artista revela que a “a arte é uma voz insonora que para ser ouvida é necessário estar na mesma sintonia”. 
A exposição “Arte Cura” do artista plástico Caliel Magalhães Hauffe permanecerá aberta para visitação até 4 de abril. 
Serviço:
Exposição “Arte Cura” do artista plástico Caliel Magalhães Hauffe
Período de exposição: 4 de março a 4 de abril
Horário de visitação: de segunda à sexta, das 14h às 18h; domingos das 11h às 13h
Associação Profissional de Artistas Plásticos do Paraná - APAP/PR
Av. Jaime Reis, 107, salas 7 e 11, nas Arcadas de São Francisco – Curitiba/PR
Tel.: (41) 3232-0408 - www.apap.com.br - apap@apap.com.br
Classificação: Livre - entrada franca

Ciclo de palestras na Casa-Museu Ema Klabin mostra a importância da mulher na arte e na literatura e faz homenagem à Zelia Gatai


Ao longo deste ano a Casa-Museu Ema Klabin vai desenvolver um programa especial de encontros com o tema mulher com curadoria da pesquisadora Ana Beatriz Demarchi Barel
A presença engajada da escritora Zélia Gattai entre os temas do ciclo de palestras Mulheres e Seus Saberes
 
A Casa-Museu Ema Klabin, no jardim Europa, em São Paulo, promove um ciclo de palestra “Mulheres e Seus Saberes” com professores especialistas no assunto. Durante o ano, serão oferecidas onze palestras com diferentes olhares que mostram o protagonismo feminino.   As inscrições podem ser realizadas no site do museu: https://emaklabin.org.br/
A pesquisadora Ana Beatriz Demarchi Barel e a professora Elaine Dias abrem o ciclo de palestras no dia 3 de março com os temas “Em Textos e Telas: A Representação da Mulher e do Universo Feminino & A Formação Artística das Mulheres no Século XIX”. Tanto concreta como simbolicamente a mulher firma seu lugar no mundo, trazendo contribuições de inegável importância para o enriquecimento da humanidade.
No dia 17 de março, Ana Beatriz Demarchi Barel ministra a palestra “ Zélia Gattai: A Luminosa Existência de Uma Paulistana do Bixiga”. Pretende-se apresentar a riqueza de uma mulher solar e generosa que nos inspira à reflexão sobre as potencialidades do feminino.
No dia 24 de março, o pós-doutor pela Universidade de Columbia, Marcos Fabris, ministra a palestra “A construção e a avaliação do feminino na fotografia latino-americana”, o encontro investiga os recursos artístico-fotográficos utilizados para construção de um tipo específico de “feminino” no âmbito da indústria da notícia na América Latina. Na contramão de tais modos encontra-se a produção artístico-fotográfica de Grete Stern, fotógrafa alemã radicalizada na Argentina. O conjunto de sua obra problematizará o local social ocupado pelas mulheres, emancipando assim as artes fotográficas em solo latino-americano.
Em abril, dia 7, a palestra “O romance e o lugar da mulher na consolidação da família nuclear” será ministrado pela professora Valéria De Marco. A revolução industrial e a francesa significaram a transferência do poder político e econômico a uma nova classe social: a burguesia. As profundas transformações da vida social estenderam-se a todos os aspectos da sociedade e, nos que mais concernem ao mundo da cultura. Nesse contexto, o romance tornou-se a forma literária hegemônica que permite compreender o novo lugar da mulher na consolidação de um novo modelo de família, dominante até os dias atuais. 
Serviço: Ciclo de palestras 'Mulheres e Seus Saberes'
3 de março -   das 11h às 13 h-  Em Textos e Telas: A Representação da Mulher e do Universo Feminino (Ana Beatriz Demarchi Barel) e A Formação Artística das Mulheres no Século XIX (Elaine Dias) -   30 vagas -  R$35,00
17 de março - das 11h às 13 h-  Zélia Gattai: A Luminosa Existência de Uma Paulistana do Bixiga (Ana Beatriz Demarchi Barel) - 30 vagas - R$40,00
24 de março - das 11h às 13 h-   A construção e a avaliação do feminino na fotografia latino-americana (Marcos Fabris) - 30 vagas - Valor: R$40,00
7 de abril - das 11h às 13 h-  O romance e o lugar da mulher na consolidação da família nuclear (Valéria De Marco) - 30 vagas - R$40,00
Indicação: livre
Inscrição: www.emaklabin.org.br   
Casa- Museu Ema Klabin
Endereço: Rua Portugal, 43, Jardim Europa, São Paulo. Telefone (11) 3897-3232
 
Sobre os palestrantes:
Ana Beatriz Demarchi Barel tem pós-doutorado em história pela USP, é docente efetiva da Universidade Estadual de Goiás (UEG). Realizou residência em pesquisa na Biblioteca Brasiliana Mindlin da USP sobre relações França-Brasil no século XIX.  Estudou história da arte na Ecole du Musée du Louvre. É doutora em literatura brasileira pela Université Paris III Sorbonne Nouvelle.
Elaine Dias é doutora em História pela UNICAMP, docente no Departamento de História da Arte da UNIFESP e dedica-se em suas pesquisas às relações entre a França e o Brasil no século XIX.
Valéria De Marco doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada (USP), Professora de Literatura Espanhola no Departamento de Letras Modernas (USP), Coordenadora no Brasil do projeto internacional EDI-RED Historia Cultural de la edición Iberoamericana (ss. XIX-XX), Diretora presidente da Edusp (Editora da Universidade de São Paulo.)
Marcos Fabris é doutor pela FFLCH-USP com pós-doutorado na Universidade de Columbia -Nova York, Université Paris Ouest Nanterre - Paris, MAC-USP, FFLCH-USP - São Paulo e UNIFESP São Paulo. É autor dos livros Correspondências: pintura, fotografia e o retrato da modernidade e Trabalho da encenação - ensaios sobre fotografia norte-americana. Suas publicações e palestras mais significativas incluem reflexões sobre arte moderna europeia e fotografia europeia, norte-americana e latino-americana.
 

Sheridan's: Ícones nacionais em destaque na quinta


 
Bandas nacionais que marcaram o rock são homenageados na quinta-feira (22/2) do Sheridan's Irish Pub. A banda O'Brown abre a noite com um repertório todo voltado ao Charlie Brown Jr., valorizando hits e as favoritas dos fãs. Em seguida, o FourFace sobe ao palco interpretando destaques do Raimundos, banda que marcou os anos 90 e 2000 com  seu som mais pesado e letras irreverentes. O pub abre às 19h e tem entrada livre até 21h, após R$ 5.
 
 
O'Brown e FourFace no Sheridan's Irish Pub
 
Data: Quinta-feira, 22 de fevereiro
Horário: A casa abre às 19h
Entrada: livre até 21h, após R$ 5
Telefone: (41) 3343-7779 | www.sheridansirishpub.com.br

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

CAIXA CULTURAL TRAZ A CURITIBA A PEÇA NA SELVA DAS CIDADES – EM OBRAS





Com texto original de Bertold Brecht, a montagem oferece um novo olhar a partir de pesquisa realizada pelo grupo mundana companhia. A direção geral é assinada por Cibele Forjaz, mas conta com “propositores de encenação” da própria companhia para cada nova temporada/ocupação





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta uma versão inusitada da peça Na Selva das Cidades. Escrita em 1927, pelo dramaturgo alemão Bertolt Brecht (1898-1956), a obra ainda desafia o tempo, quase um século depois. De uma atualidade aguda, o texto alinha exclusão social aos podres poderes da vida em sociedade. Esses aspectos são investigados à exaustão para a montagem trazida pelo grupo mundana companhia.



Com direção geral de Cibele Forjaz, a peça tem elenco formado por Aury Porto, Carol Badra, Guilherme Calzavara, João Bresser, Luah Guimarãez, Mariano Mattos Martins, Sylvia Prado, Vinícius Meloni e Washington Luiz Gonzales. A pesquisa resultou em um livro distribuído gratuitamente para escolas de teatro e instituições de todo o país.



Parte do conjunto de principais realizadoras de teatro contemporâneo no Brasil, a mundana companhia fez jus a seu nome durante o desenvolvimento da estrutura da peça: ao longo de dois anos, enveredou por toda São Paulo pesquisando, de corpo presente, sua humanidade. A partir daí, arquitetou um espetáculo que se transforma, literalmente, a cada temporada/ocupação.



A partir do glossário urbano adquirido, a montagem conta a mesma história a partir de novos pontos de vista. Ao trabalho da diretora Cibele Forjaz soma-se sempre uma equipe propositiva formada por componentes do grupo que assumem uma espécie de curadoria. Em Curitiba, Aury Porto, Bia Fonseca, Flora Belotti e Rogério Pinto vão liderar a Ocupação #17 PALCO. Eles estudam o espaço e propõem, para toda a equipe, a forma que a peça assumirá durante a temporada/ocupação.



Em Curitiba, Na Selva das Cidades – Em Obras os criadores apresentam o palco à italiana – espaço nada comum na trajetória da mundana companhia. “A imersão por São Paulo, durante a pesquisa de linguagem, nos deu um eixo. Desde o início estabelecemos uma equipe propositiva que aponta rumos. Toda a ficha técnica está o tempo inteiro envolvida, em movimento, sem um pensamento pronto e acabado para a montagem”, explica Aury Porto, fundador junto com Luah Guimarãez da mundana companhia. As peculiaridades que envolvem a montagem e o processo de criação da companhia serão apresentados durante um bate papo com o público, que será realizado no dia 4 de março, às 15 horas, com entrada franca.





Bixiga – Perdizes: Potência das experiências



Um dos textos com mais elementos expressionistas de Brecht, Na Selva das Cidades mostra a luta entre dois homens, mas também o embate com a cidade. Em 1969, o Teatro Oficina realizou uma montagem do texto considerada antológica. “Lina Bo Bardi levou, para dentro da Oficina, restos de moradias do Bixiga que estavam sendo demolidas para a construção do Minhocão, que liga Bixiga a Perdizes”, conta Aury Porto. Esse processo orientou a pesquisa de campo da mundana companhia. O impacto da imersão dos artistas com o intercâmbio junto aos moradores de SP foi vertiginoso. “Não podíamos criar uma montagem, digamos, formal. A cidade nos deu um estímulo que, na sala de ensaio, se esvaía. Decidimos abrir a possibilidade de mudar tudo a cada nova agenda de apresentações. Já fizemos sem palavra alguma; outra vez fizemos em uma hora, depois em três”, contextualiza Aury.



Dessa maneira, a companhia assumiu o risco de investir no inusitado. “Os conceitos acabados e as formas fixas não cabiam mais nesse trabalho. O próprio texto de Brecht é cheio de lacunas. Percebemos que era a partir destas lacunas que o trabalho se abriria para o nosso tempo e suas questões, para uma comunicação mais livre entre a nossa equipe de criação e o público, entre o teatro e a cidade, entre a ficção e a realidade. Resolvemos, então, abrir radicalmente o espetáculo para a potência das experiências vividas, em grupo, com a cidade. A partir desse novo paradigma, tudo passou a ser móvel e inacabado. A cada nova ocupação, tudo se transforma na relação com o espaço ocupado. Desta forma, o cenário propõe sempre uma nova intervenção no espaço. Da mesma forma, a luz, o vídeo, os figurinos e os objetos de cena só existem a partir da relação com esse novo espaço e seus conceitos. O trabalho dos atores não tem marcas fixas, mas regras de jogo que determinam a movimentação e o desenho da cena. Cada Ocupação é singular, cada sessão é uma estreia. Lutando diariamente contra a nossa tendência às relações hierárquicas e às formas prontas, estamos no risco, prontos para o inesperado”, conclui Cibele Forjaz.





Sobre a mundana companhia



Desde o ano 2000, inspirados pela militância política dos artistas de teatro da cidade de São Paulo junto ao movimento “Arte contra a Barbárie”, Aury Porto e Luah Guimarãez desejavam criar um núcleo artístico formado essencialmente por atores-produtores. A partir daí, um diretor – com afinidades afetivas e estéticas com os membros da companhia – seria convidado a participar. O mesmo ocorreria com os profissionais das outras áreas, como cenografia, figurino, música, luz, e até mesmo outros atores. A cada projeto a companhia teria um novo corpo que daria vazão às ideias de continuidade e transitoriedade. Esse é o pensamento que caracteriza a mundana companhia.



Essa companhia, de encontros conscientemente transitórios, recebe o adjetivo antes do substantivo e tem seu nome integralmente grafado com letras minúsculas. Esboça-se, assim, um projeto em constante construção por diversas mentes e mãos, num processo que pode ser chamado de “frátria”, em dissonância com a supremacia do ideário de pátria – tão caro à maioria das sociedades modernas. Essas especificidades nas relações internas se refletem nas relações com os espectadores e, obviamente, nos temas a serem investigados a cada novo projeto. Apesar de elaborado desde a virada do século, o primeiro trabalho deste núcleo artístico só foi realizado muitos anos depois.



O repertório da mundana companhia é formado pelas montagens: A Queda (2007), adaptação do romance de Albert Camus; Das Cinzas (2009), com texto de Samuel Beckett; O Idiota – uma novela teatral (2010), realizado a partir da obra homônima de Fiódor Dostoiévski; Tchekhov 4 - Uma Experiência Cênica (2010), primeiro trabalho do diretor russo Adolf Shapiro com atores brasileiros – montado por ocasião do centenário de Anton Tchekhov; Pais e Filhos (2012), com encenação adaptada do romance homônimo de Ivan Turguêniev, mais uma vez dirigida por Adolf Shapiro; O Duelo (2013), criado a partir da novela de Tchekhov, que foi a temporada anterior da mundana companhia na cidade de Curitiba em 2014. Atualmente, está apresentando a peça Dostoiévski Trip, de Vladímir Sorókin, com direção de Cibele Forjaz, numa coprodução com a Cia Livre.





Serviço

Teatro: Na Selva das Cidades – Em Obras


Data: 02 a 04 de março de 2018 (sexta a domingo)

Horário: sexta às 20h; sábado às 17h e às 20h; e domingo às 18h.

Ingressos: Vendas a partir de 24 de fevereiro (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA). A compra pode ser feita com o cartão vale-cultura.

Bilheteria: (41) 2118-5111 (De terça a sábado, das 12h às 20h. Domingo, das 16h às 19h.)

Classificação etária: 14 anos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Debate com os criadores: 04 de março, às 15h, com entrada franca.

Relatório anual “O estado dos direitos humanos no mundo”

Participe, dialogue, amplie sua voz!
Olá Eduardo!

O ano de 2018 já começou cheio de desafios para os direitos humanos… intervenção, ameaças, denúncias e muita luta. É, esse ano promete, e é por isso que queremos marcar um encontro especial com você para falar sobre tudo isso e mais um pouco.

Vamos lançar nosso relatório anual “O estado dos direitos humanos no mundo” - um importante material que traz um panorama da situação em 157 países e territórios no mundo. O lançamento será nesse dia 22 e, para ampliar o debate no Brasil, vamos tratar de temas e questões que são tabus na nossa sociedade. Como responder a essas perguntas?
Venha fazer parte desse debate! Sua presença fará toda diferença! Por isso, já pode ir marcando na agenda: quinta-feira, dia 22, às 19h30, estaremos ao vivo na página do Quebrando Tabu transmitindo, debatendo e dialogando com você sobre sobre direitos humanos no Brasil em 2018.  Confirme presença no nosso evento e não perca!
QUERO PARTICIPAR!

Armored Dawn embarca para nova rápida tour pela Europa ao lado de Saxon e Diamond Head

O Armored Dawn, um dos novos representantes do metal brasileiro no exterior, embarcou para mais uma importante série de apresentações na Europa. O grupo vai acompanhar as lendárias bandas Saxon e Diamond Head, dois cultuados nomes do histórico movimento NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal), em cinco datas entre Holanda e Alemanha. Shows fazem parte da turnê promocional do novo álbum “Barbarians in Black”, que será lançado mundialmente, na próxima sexta-feira (23/02) via AFM Records.

Saxon e Armored Dawn também vão dividir o mesmo palco no Brasil. O encontro está programado para o dia 3 de maio, na Tropical Butantã, em São Paulo. Ingressos já à venda. Mais informações abaixo.





Shows fazem parte da turnê promocional do novo álbum “Barbarians in Black”, que será lançado mundialmente no próximo dia 23 de fevereiro - foto: Denis Ono

Após excursionar ao lado do Fates Warning no começo do ano passado, a banda brasileira Armored Dawn está de volta à Europa. O grupo, que recentemente assinou contrato com gravadora alemã AFM Records para o lançamento mundial do tão aguardado novo álbum “Barbarians in Black”, embarcou rumo ao Velho Continente para mais uma importante série de apresentações.

Eduardo Parras (vocal), Timo Kaarkoski (guitarra), Tiago de Moura (guitarra), Fernando Giovannetti (baixo), Rafael Agostino (teclado) e Rodrigo Oliveira (bateria) foram escolhidos para acompanhar os lendários Saxon e Diamond Head, dois representantes do histórico movimento NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal), em cinco apresentações entre Holanda e Alemanha.

Para esta rápida turnê, os músicos prepararam, para o europeu e para os brasileiros que vivem por lá, setlist com as principais composições do elogiado debut álbum “Power of Warrior” e novo registro “Barbarians in Black”, além de algumas surpresas. Mais informações sobre a agenda de shows do grupo em http://armoreddawn.com.

Confira um trecho do último ensaio antes da viagem em https://www.facebook.com/UltimateMusicPR/videos/1970957189599551.



Saxon e Armored Dawn vão reeditar este encontro também no Brasil, em show no dia 3 de maio, na Tropical Butantã, em São Paulo. Esta será a única apresentação do grupo inglês no País. Este evento conta com produção da Top Link Music, em parceria com a Rádio & TV Corsário.

Os ingressos continuam à venda pelo site da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/show/5586-saxon-saopaulo-sp/) e pontos autorizados pela empresa na capital paulista, Barueri, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Campinas, Jundiaí, Sorocaba e Guarujá.




“Barbarians in Black” traz 10 temas épicos, arrojados, ambiciosos, espontâneos, repletos de potencia e agressividade, demonstrando todo o talento de um dos novos representantes do metal brasileiro no exterior.

A produção teve a assinatura de Bruno Agra (We are Harlot) e Kato Khandwala (The Pretty Reckless, Papa Roach), a mixagem e masterização de Sebastian "Seeb" Levermann (Rhapsody of Fire, Orden Ogan, entre outros).

Recentemente, o grupo lançou videoclipe cinematográfico para “Sail Away”, lyric video para a impressionante “Chance to Live Again” e trailer no Youtube da AFM Records com trechos de “Bloodstone”, “Men of Odin” e “Survivor”. Confira os vídeos abaixo.

O tracklisting oficial de “Barbarians in Black” é o seguinte:
01. Beware of The Dragon
02. Bloodstone
03. Men of Odin
04. Chance to Live Again
05. Unbreakable
06. Eyes Behind The Crow
07. Sail Away
08. Gods Of Metal
09. Survivor
10. Barbarians In Black


Formado em São Paulo (capital), o Armored Dawn tem conquistado o seu espaço com muita determinação, trabalho e perseverança, se destacando no cenário internacional em razão de importantes turnês ou shows com respeitados nomes da música mundial como Megadeth, The Offspring, Tarja, Sabaton, Symphony X, De La Tierra, Rhapsody, Fates Warning, Marillion e até Texas Hippie Coalition. Além disso, foram a única banda brasileira a tocar no Motörboat, o tradicional e concorrido Cruzeiro do Motörhead.




Links relacionados:
https://www.facebook.com/ArmoredDawn
https://www.facebook.com/afmrecords
https://www.facebook.com/saxon
https://www.facebook.com/DiamondHeadOfficial
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR
ARMORED DAWN - Chance To Live Again (2018) // Official Lyric Video //  AFM Records
Armored Dawn - "Chance to Live Again"
Trailer "Barbarians in Black"
ARMORED DAWN - Sail Away (2018) // official clip // AFM Records
Armored Dawn - Sail Away

Gibiteca abre inscrições para cursos



A Gibiteca de Curitiba abriu inscrições para os cursos regulares do primeiro semestre. Os cursos disponíveis são de mangá, ilustração, quadrinhos, desenho artístico, pintura com aquarela, quadrinhos para crianças e workshop modelo vivo.
As aulas começam em março e o valor da mensalidade para cada modalidade é de R$ 55. As inscrições podem ser feitas na Gibiteca, na Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone: 3321-3250

Confira os cursos disponíveis:
Mangá - professor João Ferreira
De 06/03 a 26/06. Terça-feira, das 14h às 16h

Ilustração - retrato - professor Douglas Cruz
De 06/03 a 26/06. Terça-feira, das 16h às 18h

Quadrinhos - noturno - professor Ivan Sória
06/03. Terça-feira, das 19h às 21h

Quadrinhos - nível básico - professor Francis Ortolan
De 07/03 a 20/06. Quarta-feira, das 14h às 16h

Quadrinhos - nível intermediário - professor Francis Ortolan
De 07/03 a 20/06. Quarta-feira, das 16h às 18h

Quadrinhos – narrativa e roteiro - professora Mylle Silva
De 01/03 a 21/06. Quinta-feira, das 14h às 16h


Quadrinhos – nível básico - professor Ariel Morais Dacunha
De 02/03 a 22/06. Sexta-feira, das 10h às 12h

Desenho artístico - professora Hosana Cristina
De 02/03 a 22/06. Sexta-feira, das 14h às 16h

Pintura com aquarela - professora Hosana Cristina
De 02/03 a 22/06. Sexta-feira, das 16h às 18h

Quadrinhos para crianças de 7 a 10 anos
De 03/03 a 23/06. Sábados, das 10h às 12h.

Quadrinhos – nível básico - professor Marcelo Lopes 
De 03/03 a 23/06. Sábado das 10h às 12h

Quadrinhos – nível intermediário - professor Francis Ortolan
De 03/03 a 23/06. Sábado das 14h às 16h

Quadrinhos – nível avançado - professor Francis Ortolan
De 03/03 a 23/06. Sábado das 16h às 18h

Workshop Modelo Vivo - professor Marcelo Lopes / Douglas Cruz.
Valor: R$ 30,00.
Na primeira e terceira sextas-feiras do mês / das 19h às 21h


Serviço: inscrições para cursos regulares
Valor da mensalidade: R$ 55 por curso
Outras informações: 3321-3250