sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Tensão entre o STF e o MPF


Na última segunda feira (22/8), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, suspendeu a delação premiada do empresário Léo Pinheiro, ex-presidente da construtora OAS, devido ao vazamento de informações na revista Veja. O vazamento envolve o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Segundo a revista, engenheiros da empresa OAS fizeram o diagnóstico de problemas de infiltração na residência de Toffoli e este contratou empresa indicada por Leo Pinheiro para fazer a reforma necessária.
Na prática, o vazamento não envolve crime, mas indica proximidade entre o ministro do STF e o ex-diretor da OAS, condenado a 16 anos e quatro meses de prisão por crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Toffoli afirma não ter  relação de intimidade com Léo Pinheiro e que ele mesmo custeou a obra em sua residência.

O celular de Leo Pinheiro foi apreendido, as informações foram analisadas e não foram encontradas conversas diretas entre eles. Em diálogos com outros funcionários da empresa, Pinheiro cita “agrados ao ministro do Supremo” e menções a ele envolvendo interesses comerciais da OAS.

Os acordos entre procuradores e Léo Pinheiro para delação premiada que preveem confidencialidade dos depoimentos em contribuição com a investigação da Operação Lava-Jato duram meses, e os investigadores têm exigido do ex-diretor da OAS novas informações. O objetivo é encontrar denúncias que comprometam o ex-presidente Lula. Estão sob suspeita as reformas do sítio em Atibaia e o apartamento no Guarujá, propriedades falsamente atribuídas a Lula.

A reportagem abriu uma forte tensão entre o STF e Ministério Público Federal (MPF). O ministro Gilmar Mendes, do STF, criticou duramente o vazamento à Veja. Para ele, toda acusação deve ser investigada, mas a reportagem não apresenta favorecimento ou contrapartida da empreiteira a favor de Toffoli e “serve apenas para constranger o ministro”. Mendes afirma que o Ministério Público tem direcionado delações para comprometer ministros do STF e do Superior Tribunal de Justiça (STJ), com objetivo de intimidá-los.

Para Gilmar Mendes, Toffoli pode ter se tornado alvo de procuradores do Ministério Público por contrariar interesses, conceder habeas corpus e determinar que executivos que cumpriam prisão preventiva passassem a regime domiciliar, entre eles Leo Pinheiro e o ex-ministro Paulo Bernardo.

Gilmar também acusou o Ministério Público de "totalitário", com uso de práticas "absolutistas”, pelo “combate ao crime a qualquer preço". Mendes também afirmou que "Não é de se excluir que os próprios investigadores tentam induzir os delatores a darem a resposta desejada" e faz críticas contundentes à força-tarefa da Lava Jato, ao questionar que "Eles estão defendendo até a validação de provas obtidas de forma ilícita, desde que de boa-fé. O que isso significa? Que pode haver tortura feita de boa-fé para obter confissão? E que ela deve ser validada?", em referência a uma das medidas do pacote anti-corrupção defendida pelo Ministério Público e pelo juiz Sergio Moro. O ministro Gilmar Mendes disse que "é preciso colocar freios" na atuação dos procuradores da República, referindo-se diretamente aos investigadores e juízes que se ocupam da Operação Lava Jato, e defendeu indiretamente investigação sobre eles.

Segundo diversos juristas, a matéria da Veja foi considerada ridícula, irresponsável, leviana, especulativa e demonstra a intensa pressão que o Judiciário tem sofrido nos últimos tempos. Segundo o ex-ministro do STF, Sepúlveda Pertence, em entrevista à Conjur em julho desse ano, quando perguntado se o Judiciário também faz parte da crise, respondeu que “os poderes estão envolvidos entre si. E o fenômeno Curitiba é inteiramente novo” e que “...uma crítica, por mais pontual que seja, por mais consequente que seja, ao 'juiz de Curitiba' tornou-se um pecado mortal ou uma conspiração”.

Cabe lembrar que foi o próprio Gilmar Mendes que suspendeu a nomeação do ex-presidente Lula para o ministério da Casa Civil, alegando “desvio de finalidade” na nomeação de Lula com o objetivo de deslocar o foro de seu julgamento criminal da primeira instância para o Supremo Tribunal Federal. A suspensão da nomeação baseou-se na interceptação ilícita de gravação de um telefonema de Dilma a Lula, quando o próprio juiz da operação já havia mandado cessar os grampos.  Com isso, Gilmar Mendes determinou que a investigação do ex-presidente fosse mantida na primeira instância, em Curitiba, com o juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato.

É claro que o vazamento de delações foi o que deflagrou o golpe, assim como foram claras as intenções do judiciário de interferir na arena política. A omissão do STF perante a Vara de Curitiba pode ter sido tardiamente retratada. Maior rigor do STF no esclarecimento de provas e sua interferência nas ações de Ministério Público poderiam ter levado os acontecimentos do país a outros rumos. Há que se refletir sobre os impactos e limites da politização do judiciário e judicialização da política. O que o Brasil assiste, em muitos casos, é o “desvio de finalidade” do Judiciário, eximindo-se de suas competências por vezes e, por outras, intervindo sobre o que não é de sua responsabilidade, qual seja, restabelecer a ordem jurídica e a normalidade constitucional.

Em resposta às críticas de Gilmar Mendes, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou na terça-feira (23/80 que não houve vazamento de informações da delação de Léo Pinheiro e que ela está suspensa. Disse ainda, "O Brasil vive hoje um jogo de dois lados (...)”, o que de fato observamos tanto na atuação do Ministério Público quanto na do Supremo Tribunal Federal.

Rock ao Piano de Bruno Hrabovsky na Capela Santa Maria


O pianista curitibano Bruno Hrabovsky se apresenta neste sábado (27), às 19h, pela primeira vez na Capela Santa Maria levando ao espaço mais uma edição do “Rock ao Piano”. O projeto que já percorreu 37 cidades do Sul e Sudeste do país realiza releituras de clássicos do Rock, como Pink Floyd, Metallica, Iron Maiden e System of a Down, usando apenas o piano acústico. Os ingressos estão à venda por R$ 15,00 e R$ 30,00.

REPERTÓRIO
:
System of a Down – Aerials
Iron Maiden – Fear of the Dark
Epica – Chasing the Dragon
Rammstein – Seemann
Symphony X – Accolade II
ruído/mm – Requiem for a western manga
Radiohead – Creep
Metallica – Fade to Black
(intervalo – 10’)
Pink Floyd – Echoes
Pink Floyd – Summer ‘68
Pink Floyd – High Hopes
Pink Floyd – Comfortably Numb
The Rolling Stones – Angie
The Beatles – While my guitar gently weeps
Queen – Bohemian Rhapsody
Guns n’ Roses – November Rain
Serviço:
“Rock ao Piano”
Data: sábado, 27 de Agosto de 2016
Horário: 19h
Local: Capela Santa Maria
Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro
Valor: R$ 30,00 e 15,00 (meia-entrada)
Classificação: acima de 5 anos

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

SHOW DE ISABELLA TAVIANI EM CURITIBA É REMARCADO PARA 27 DE OUTUBRO



Apresentação em homenagem aos Carpenters, originalmente marcada para 27 de agosto, ganha nova data na cidade
 
O show Carpenters Avenue, em que a cantora Isabella Taviani faz um tributo à dupla norte-americana The Carpenters em Curitiba, foi remarcado para o dia 27 de outubro (quinta-feira). Quem adquiriu ingressos referentes à apresentação agendada originalmente para 27 de agosto pode obter informações sobre a troca ou ressarcimento com a Disk Ingressos, no telefone (41) 3315-0808 ou pelo e-mail atendimento@diskingressos.com.br. As entradas para a nova data seguem à venda no site www.diskingressos.com.br.

O repertório que será apresentado conta com releituras de faixas que fizeram sucesso nas vozes dos irmãos Karen e Richard, além de alguns lados B, como We’ve only just begunPlease Mr. PostmanOnly yesterdaySolitaire(They long to be) Close to youFor all we knowl can’t smile without you e Sometimes.

Carpenters Avenue é o nome do álbum que Isabella lançou neste ano. O disco teve músicas gravadas nos Estados Unidos e no Brasil. No país norte-americano, as bases foram registradas no lendário Capitol Studios e contou com nomes como Larry Goldings (arranjador de James Taylor), Leland Sklar, Brandon Fields e Cheche Allara.

Isabella Taviani
Com 15 anos, participou de um festival estudantil e recebeu cinco dos nove prêmios em disputa. Animada pelo resultado, começou a estudar canto lírico, influenciada pela mãe pianista e pelo avô cantor de ópera. A soprano dramática Isabella era fã de Maria Callas e Renata Tebaldi.

A paixão pela MPB, no entanto, fez Isabella recusar o convite para estudar canto lírico em Milão aos 22 anos e persistir na luta pelo reconhecimento no seu País. Desde então, gravou seis álbuns e dois DVDs.

Carpenters
Formada pelos irmãos Karen e Richard Carpenter, a dupla atingiu o topo das paradas de sucesso em 1970, com a faixa (They long to be) Close to you, de Burt Bacharach e Hal David. Em uma época em que rock pesado fazia sucesso, os Carpenters atingiram enorme popularidade com o chamado soft rock, vendendo milhões de cópias de seus discos. Com uma agenda disputada, lançaram 11 álbuns em 14 anos de carreira. O duo foi encerrado com a morte de Karen, em 1983, aos 33 anos, decorrente de uma parada cardíaca por conta de distúrbios alimentares.


Serviço:
Música: Isabella Taviani em Carpenter’s Avenue
Local: Guairinha - Rua XV de Novembro, 971, Centro – Curitiba (PR)
Data: 27 de outubro de 2016
Hora: quinta-feira, às 21h
Ingressos: à venda pelo Disk Ingressos - (41) 3315-0808 e http://www.diskingressos.com.br
Bilheteria Teatro Guaíra: de segunda-feira a domingo, das 10h às 22h
Informações: (41) 3315-0808
Lotação máxima: 504 lugares

Gênero, renda e raça na universidade brasileira


Relatório da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) atualiza o mapeamento da vida social, econômica e cultural dos estudantes de graduação das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) brasileiras para 2014.
O relatório mostra que as mulheres são maioria no ensino superior, mas diversas desigualdades se mantém dentro da universidade, tais como as desigualdades nas áreas de conhecimentos, como mostra tabela abaixo. A pesquisa aponta também que: i) as graduandas provêm de famílias com renda familiar per capita média (R$ 835,10) inferior à dos indivíduos do sexo masculino (R$ 1.007,19); ii) os homens, de modo geral, possuem maior domínio no uso dos computadores; iii) homens são maioria entre estudantes que se envolvem com algum tipo de movimento (artístico, cultural, político etc); iv) homens são a maioria dos beneficiários dos programas de mobilidade internacional. Assim, a despeito da maior inserção das mulheres no ensino superior, ainda restam inúmeras desigualdades para serem enfrentadas em prol de relações de gênero mais igualitárias.
Fonte: Andifes, 2016
Quanto à raça, em 2003, autodeclarados (as) brancos (as) somavam 59,4% da população dessas instituições, mas em 2010 esse índice caiu para 53,93% e em 2014/5 reduziu para 45,67%. Já autodeclarados (as) pretos (as) têm crescido em participação nas Ifes de 5,9% (2003) para 8,72% (2010) e 9,82% (2014/5). Pardos (as), na mesma trajetória, foram de 28,3% para 32,08 e em 2014/5 para 37,75%.
Quanto à renda, 66,19% dos discentes das Ifes vivem com renda per capita média familiar de até 1,5 salário mínimo (sendo que 31,97% vivem com até 0,5 salário mínimo, e 21,96% vivem com renda entre 0,5 e 1 salário mínimo). Em outras palavras, dois de cada três estudantes encaixam-se no perfil vulnerável, um valor até 50% maior do que aquele registrado na pesquisa feita em 2010. Assim, é falso o mito de que as Ifes são redutos da elite brasileira, argumento utilizado para justificar o fim da gratuidade do ensino.
Aponta-se que a democratização da universidade se deve à Lei Federal nº 12.711, de 2012 (lei de cotas), ao Sistema Enem Sisu que permitiu maior mobilidade territorial e às políticas de valorização real do salário mínimo, crédito, emprego e renda (que infelizmente se encontram em risco). Ainda, aponta-se que o crescimento do Plano Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) - que apoia a inclusão de estudantes em situação de vulnerabilidade social - permitiu que ingressantes vulneráveis permanecessem vinculados às Ifes, mas o PNAES precisa ser transformado em uma Política Nacional de Assistência Estudantil.
O relatório conclui que nunca a universidade refletiu tanto a composição social da população brasileira e que o perfil discente das Ifes hoje requer assistência estudantil.

Agenda Cultural para o fim de semana


A programação completa e mais detalhes sobre os eventos no site fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Sexta-feira, 26 de agosto
Música: Show do percussionista pernambucano Gilú Amaral (Orquestra Contemporânea de Olinda) Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº – Prado Velho
Data e horário:
26 de agosto de 2016 (sexta-feira), às 20h
Ingressos:
R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
https://www.youtube.com/watch?v=70FhjMA3Ngo

Cinema:
Documentário Iván
Sinopse:
“IVÁN” retrata a história real de Iván Bojko, que durante a Segunda Guerra Mundial foi tirado à força de seu país por nazistas, realizou trabalhos forçados na Alemanha, imigrou para o Brasil, foi impedido de fazer contato com familiares, e após 68 anos retornou à Ucrânia, aos 91 anos, em um reencontro com sua família, seu país e seu passado.
Data:
até 3 de setembro
Horário: às 17h (exceto em 27 e 28/08, quando será exibido às 14h)
Local:
Cinemateca de Curitiba
Endereço:
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco
Ingressos:
R$ 10 e R$ 5 (meia)
Trailer: https://www.youtube.com/watch?v=XBG6TKJ7_cY

Artes Visuais
: Novas exposições do Museu da Gravura Cidade de Curitiba
  • “Fragmentos Remodelados”, de Diego Bachmann
  • “Paisagem-Lugar”, de Elaine Stankiewich
  • “Gravura Indireta”, de Cezar Siqueira, Jéssica Luz, Lui Zuccherelli, Toni Graton e Vinícius Buzzato
  • “Ateliês do Museu da Gravura”, de alunos e artistas frequentadores dos ateliês
  • “Uma jovem artista”, de obras de Gilda Belczak pertencentes ao acervo
Datas e horários: de 18 de agosto a 13 de novembro de 2016. De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h. Entrada franca


Sábado, 27 de agosto
Música: Show Carlos Navas & João Egashira
Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº
Data e horário: às 20h
Ingressos: R$ 30 e 15 (meia-entrada)

Fotografia:
“A Minha Metrópole”, de Milton Boeira -  “Pós-Poste”, de André Nacli
Local: Museu da Fotografia – Solar do Barão (R. Carlos Cavalcanti, 533)
Datas e horários:
Até 29 de setembro, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.
Entrada franca


Cinema:
Litercultura apresenta Ran de Akira Kurosawa (Ran, 1985, 35mm, 160’)
Sinopse: Ran é um filme franco-japonês de 1985, do gênero drama de guerra, com roteiro baseado na peça King Lear de William Shakespeare. No Japão do século 16, um senhor feudal decide dividir suas posses entre os três filhos. Os mais velhos se tornam rivais e começam a lutar pelo controle total das terras, o que ameaça arruinar os domínios da família. O filho mais novo, que quer se manter fiel ao pai, é banido pelos irmãos e é o único com coragem para lhe contar o que está acontecendo. Horário: 19h
Classificação:
16 anos
Entrada Franca
Música: Rock ao Piano com Bruno Hrabovsky Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 273 - Centro Horário: 19h Ingresso: R$ 30,00 e 15,00 (meia)

Domingo, 28 de agosto
Teatro de Bonecos:
Colecionador de Histórias
Horário
: 11h
Local: Teatro do Piá Endereço: Praça Garibaldi, 7, Palacete Wolf - São Francisco Entrada Franca

Exposição
: “Alceu Chichorro e a cultura material do jornalismo curitibano em meados do século 20”
Datas e horários: De 8 de julho de 2016 a 31 de janeiro de 2017. De terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h. Sábados, domingos e feriados, das 9h às 14h. Local: Casa Romário Martins – Largo da Ordem, 30
Entrada franca

Contas externas registram déficit em julho


Em julho, assim como no mês anterior, as contas externas do Brasil registraram déficit. Mais precisamente, o resultado negativo foi da ordem de US$ 4,050 bilhões.  O resultado é melhor que o de julho de 2015, quando foi de US$ 5,684 bilhões. Cabe destacar que o resultado de julho mostra uma agudização dos resultados das contas externas que vinham apresentando evolução positiva até maio deste ano. No entanto, é importante destacar que se trata do menor déficit para o mês desde 2009. Uma análise do acumulado do ano mostra que o déficit nas transações correntes soma US$ 12,541 bilhões.

As transações correntes ou contas externas são compostas pela balança comercial (comércio de produtos entre o Brasil e outros países), pelos serviços (adquiridos por brasileiros no exterior) e pelas rendas (remessas de juros, lucros e dividendos do Brasil para o exterior), e é um dos principais meios para avaliar o setor externo brasileiro.

Assim, é importante destacar que uma contenção da piora das transações correntes tem sido pautada pelo resultado da balança comercial. Em julho, a balança comercial ficou positiva em US$ 4,327 bilhões. No acumulado do ano, o saldo está positivo em US$ 26,680 bilhões frente a US$ 3,899 bilhões nos sete primeiros meses de 2015. No entanto, dada a forte valorização da moeda brasileira em curso, a balança comercial deve incorrer em resultados mais modestos, com impacto negativo sobre as contas externas. É preocupante o resultado que pode se desdobrar nos próximos meses advindos de uma nova onda de sobreapreciação do Real. Isto porque quanto maior
o déficit nas contas externas, maior a vulnerabilidade externa do país.

Aniversário da independência da Ucrânia tem exibição especial na Cinemateca



Nesta semana, a Ucrânia celebra o 25º aniversário de sua independência. Para comemorar a data, a Cinemateca de Curitiba exibe o filme  "IVÁN", que traz a história real do refugiado ucraniano Iván Bojko, que em 1948 imigrou para o Brasil, e só aos 91 anos teve a oportunidade de retornar a sua terra natal, em uma viagem registrada neste filme do diretor Guto Pasko. O filme fica em cartaz  até 3 de setembro, com sessões diárias às 17h (exceto em 27 e 28/08, quando será exibido às 14h). 

Nesta semana, também são realizadas sessões especiais nas cidades paranaenses de Guarapuava, Irati, Prudentópolis, Ponta Grossa, e nas capitais Porto Alegre e Brasília. 
Sobre o longa-metragem
“IVÁN” retrata a história real de Iván Bojko, que durante a Segunda Guerra Mundial foi tirado à força de seu país por nazistas, realizou trabalhos forçados na Alemanha, imigrou para o Brasil, foi impedido de fazer contato com familiares, e após 68 anos retornou à Ucrânia, aos 91 anos, em um reencontro com sua família, seu país e seu passado.
Em breve, estará disponível nas plataformas digitais Netflix, iTunes, Google Play e Net Now. “IVÁN” é uma realização da GP7 Cinema, com produção de Andréia Kaláboa e patrocínio da Petrobras, com distribuição da Moro Filmes através do Edital do FSA para distribuição. O filme tem apoio institucional da ONU (por meio da ACNUR – Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) e dos Escoteiros do Brasil.

Serviço:
Exibição do documentário Iván
Data: até 3 de setembro
Horário: às 17h (exceto em 27 e 28/08, quando será exibido às 14h).
Local: Cinemateca de Curitiba
Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1174 – São Francisco
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia)

Músico da Orquestra de Olinda faz show no Paiol



            O percussionista Gilú Amaral, fundador e integrante da Orquestra Contemporânea de Olinda, apresenta-se nesta sexta-feira (26), às 20h, no Teatro do Paiol. Reconhecido na cena pernambucana como um dos melhores percussionistas da sua geração, o músico tem uma vasta experiência adquirida em parcerias com artistas como Naná Vasconcelos, Renata Rosa, Mundo Livre S/A, Bonsucesso Samba Clube e Banda de Pau e Corda, dentre outros grupos com os quais tocou em importantes festivais de música no Brasil, Europa e África.
O show solo intitulado “Percursos” é uma viagem construída a partir da vida do artista, onde os elementos inspiradores provêm dos sons de seus instrumentos percussivos que realimentam suas melodias. Em "Percursos”, o artista renova a sua interação com o público e esbanja conhecimento, fazendo a plateia perceber a encantadora mensagem que passa nos seus toques, ora macios, ora fortes, mas sempre emocionantes.
Entre os trabalhos mais conhecidos de Gilú Amaral estão a Orquestra Contemporânea de Olinda, o grupo instrumental Wassab e a Academia da Berlinda, todos considerados de extremo bom gosto por sua contemporaneidade e popularização de instrumentos de várias partes do mundo, principalmente do continente africano. 
Gilú Amaral vivencia a música desde a sua infância em Olinda, sua terra natal, conhece as estruturas rítmicas consagradas nos terreiros de candomblé e da cultura popular, desfilando por diferentes escolas e grupos musicais locais. Mas a sua identidade foi criada além das fronteiras do Brasil, unindo valores culturais e musicais da cena brasileira e internacional. Toda essa experiência possibilita um domínio sobre diversos ritmos, desde o maracatu, forró, coco, ciranda e cavalo marinho, além da música latino-americana e africana.

Serviço:
Show do percussionista pernambucano Gilú Amaral
Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº - Prado Velho
Data e horário: 26 de agosto de 2016 (sexta-feira), às 20h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

FESTA CATARINENSE DE HIP HOP AGITA SÁBADO DO +55



A cena hip hop de Santa Catarina toma conta do +55 neste sábado (27/8), com a festa Cosmopolita. No line up, os DJs Kefing, Grillo Matos e A.k.A. Dias agitam a pista da casa com destaques do gênero. A Cosmopolita é ícone do hip hop catarinense, destaque nas programações da Praia Brava de Balneário Camboriú, onde foi criada. A casa abre às 18h e aceita as reservas no (41) 9247-3322.
O paulista Kefing é um dos maiores nomes na discotecagem de rap nacional. Em seus sets, passa por várias vertentes da black music, surpreendendo o público a cada apresentação. Já subiu no palco com Sabotage e fez sua primeira tour para a Europa com a banda Veiga e Salazar, em 2003, tocando no Festival de Cannes. De lá para cá, também teve destaque em shows com nomes do rap mundial como o norte-americano Mos Def e o francês Mc Pyroman.

Residente da festa Cosmopolita, o Dj Grillo Matos é sócio da Black Feeling, empresa especializada em festas de hip hop. Matos faz parte da cena catarinense, renovando e valorizando o rap local. A.k.A. Dias, curitibano conhecido do público no +55, completa a lista de DJs da noite. Ele já se apresentou com Ludmilla, Mc Biel e Naldo Benny, com seus sets bem marcados pela nova geração de black music da cidade.

FESTA COSMOPOLITA NO +55
Data: sábado, 27 de agosto
Horário: abertura da casa às 18h
Entrada:R$ 30 feminina e R$ 60 masculina
Endereço: R. Vicente Machado, 866 - Batel
Informações e reservas: (41) 9247-3322

SOVIET TEM POP, EDM E R&B NO FIM DE SEMANA



A programação para o fim de semana do Soviet conta com os sucessos do pop, EDM e R&B. A casa alternativa do Grupo Taco conta com festas para sexta-feira e sábado, sempre começando às 23h. A sexta (26/8) conta com os DJs residentes ADRN, Duda Rezende, Fefo e Pedrô. A noite tem double de vodka e Ypióca até as 2h. A entrada, de R$ 25, tem desconto na lista amiga, saindo por R$ 15 até 1h. Estudantes com comprovante pagam R$ 10 até a meia-noite.

Já no sábado (27/8), os residentes Dimis, Pedrô e Vitor Cruz recebem a convidada Judy, do Bar do Simão, que faz um set especial para a noite. Até 1h, o Soviet tem double de vodka, gim e Bacardi. A entrada é R$ 30, na lista amiga ficando R$ 20 até 1h. Estudantes pagam R$ 15 até meia-noite. A lista amiga está disponível no Soviet App, aplicativo para iOS e Android.

SOVIET
Sexta-feira, 26 de agosto - 23h - Entrada: R$ 25, estudantes pagam R$ 10 até 0h, lista amiga R$ 15 até 1h
Sábado, 27 de agosto - 23h - Entrada: R$ 30, estudantes pagam R$ 15 até 0h, lista amiga R$ 20 até 1h
Endereço: R. Bispo Dom José, 2277 - Batel