sábado, 24 de outubro de 2009

Capela Santa Maria apresenta o Quarteto Brasileiro de Violões

Nesta terça-feira (27), às 20h, dentro da Série Guitarríssimo, o grupo interpreta a Suíte Ibéria, a mais importante composição do espanhol Isaac Albéniz.

O Quarteto Brasileiro de Violões apresenta-se na Capela Santa Maria, às 20h desta terça-feira (27), dentro da Série Guitarríssimo do Instituto Cervantes. No programa, em homenagem ao centenário de morte do compositor Isaac Albéniz, está a “Suíte Ibéria”, a mais importante obra para piano da música espanhola contemporânea, transcrita para o violão. O espetáculo mostra o talento do grupo que explora tanto o violão convencional de seis cordas como o de oito cordas.

A “Suíte Ibéria” consolidou o nacionalismo musical espanhol, abrindo assim oportunidade ao reconhecimento internacional da música daquele país. A obra foi composta por Isaac Albéniz, entre 1905 e 1909, ano da morte do compositor. O concerto na Capela Santa Maria é uma oportunidade única de assistir à singular mescla da grande obra para piano do compositor espanhol e a audaciosa interpretação do Quarteto Brasileiro de Violões.


Serviço:

Série de Concertos Guitarríssimo do Instituto Cervantes, em parceria com a Fundação Cultural de Curitiba

Apresentação do Quarteto Brasileiro de Violões

Data e horário: 27 de setembro 2009 (terça-feira), às 20h

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro)

Ingressos: R$ 10 ou R$ 5 mais um quilo de alimento não perecível

Informações de bilheteria: (41) 3321-2840

Doceira e Poeta


Doceira e Poeta
de Cora Coralina
Ilustradora - Cláudia Scatamacchia


Formato: 23x30
Nº de Páginas: 114

Em julho de 1979 o Brasil foi surpreendido com uma carta de Carlos Drummond de Andrade endereçada a uma poeta, até então, pouco conhecida, com o seguinte texto: "Não tendo seu endereço, lanço essas palavras ao vento, na esperança que ele as deposite em suas mãos (...) Seu livro é um encanto, seu lirismo tem a força e a delicadeza das coisas naturais.". A poeta em questão, uma senhorinha de quase noventa anos, nasceu Ana Lins dos Guimarães Peixoto e a essa altura era conhecida como Cora Coralina, a doce poeta de Goiás.

Embora escrevesse desde menina, essa senhora só publicou seu primeiro livro pouco antes de completar 76 anos, depois de ter ficado viúva. O que ela fez então nesses anos todos, antes de encantar o público e a crítica com sua prosa e seus poemas? Criou quatro filhos e trabalhou muito enquanto poetou. Morou por 45 anos no interior e na capital de São Paulo, onde vendeu livros, teve uma loja de armarinhos e uma chácara de flores. Ao voltar para Goiás, tornou-se doceira, junto a um fogão à lenha.

Conhecedores da doçura de seus versos, os leitores de Cora Coralina sempre se perguntaram como teriam sido os doces feitos por ela. Para matar essa curiosidade, a Global Editora, com a anuência de Vicência Brêtas Tahan, filha da poeta, está lançando Cora Coralina Doceira e Poeta. Uma obra planejada não só como um livro de receitas, mas também em comemoração aos 120 anos de nascimento da poeta e em homenagem a esta mulher aguerrida, que sempre esteve à frente de seu tempo.

Enquanto decidiam quais receitas integrariam o livro - escolhidas a dedo em cadernos amarelecidos pelo tempo -, a equipe percebeu que, mesmo tendo vivido mais de quarenta anos no estado de São Paulo, as receitas tinham uma profunda relação com os costumes goianos, em especial com a cidade de Villa Boa de Goyaz, terra natal de Cora Coralina. Com isso, os organizadores viajaram para Goiás com o objetivo de captar momentos reveladores dessa relação e tornar visíveis para os leitores as circunstâncias da vida da poeta.




LANÇAMENTO DA








CAFÉ FILOSOFICO


Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL (EDIÇÃO COMEMORATIVA)



FORMAÇÃO ECONÔMICA DO BRASIL (EDIÇÃO COMEMORATIVA)

de Celso Furtado



Páginas - 616


É de 1959 a primeira edição de Formação econômica do Brasil. Em cinquenta anos, seguiram-se mais de trinta edições e traduções em nove línguas. Escrita quando o economista estava na Universidade de Cambridge, a obra frutificou ao longo dos anos, tendo inspirado gerações de pesquisadores e universitários que a ela dedicaram teses não só na área de economia, como da sociologia, política, história.

A originalidade do enfoque de Celso Furtado (1920-2004) foi debruçar-se sobre o passado para esclarecer o presente, isto é, buscar nos cinco séculos de nossa história as raízes dos problemas que dificultavam o desenvolvimento do país. Também inovadora era a combinação do método histórico com a análise econômica, que o levou a esboçar uma visão interpretativa da sociedade brasileira e a abrir novos horizontes da compreensão do passado. Esse "modo amplo de ver", como escreveu na época o historiador Francisco Iglesias, foi uma das razões que fez seu colega francês, o historiador Fernand Braudel, a considerar Formação econômica do Brasil um dos grandes livros de história econômica do mundo.

A edição comemorativa foi organizada por Rosa Freire d'Aguiar Furtado, que também assina uma introdução sobre o economista e sua obra mais conhecida, e apresentada pelo historiador Luiz Felipe de Alencastro, titular da cátedra de história do Brasil em Sorbonne. Além do próprio livro, a edição traz críticas e artigos publicados desde os anos 1950 e assinados por 21 renomados historiadores e economistas que, no Brasil e no exterior, escreveram sobre Formação econômica do Brasil, e também um caderno de fotos, uma cronologia da vida de Celso Furtado e uma lista completa de suas obras publicadas no Brasil e no exterior.

O AUTOR
Celso Furtado (C. Monteiro F.) nasceu em 26 de julho de 1920 em Pombal (Paraíba) e faleceu em 20 de novembro de 2004 no Rio de Janeiro. Filho de Maurício de Medeiros Furtado, de família de magistrados, e de Maria Alice Monteiro Furtado, de família de proprietários de terra. Foi casado com a jornalista Rosa Freire d`Aguiar.

Estudos secundários no Liceu Paraibano, em João Pessoa, e no Ginásio Pernambucano, no Recife. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1944), Doutor em Economia (1948) pela Universidade de Paris (Sorbonne). Estudos de pós-graduação na Universidade de Cambridge, Inglaterra (1957), sendo Fellow do King`s College. Participou da Força Expedicionária Brasileira durante a Segunda Guerra Mundial.
Técnico de Administração do Governo Brasileiro (1944-45). Economista da Fundação Getúlio Vargas (1948-49);

Como Diretor da Divisão de Desenvolvimento da CEPAL (1949-57), contribuiu de forma decisiva, ao lado do economista argentino Raúl Prebish, para a formulação do enfoque estruturalista da realidade socioeconômica da América Latina;

Diretor do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico (BNDE) (1958-59);

No Governo de Juscelino Kubitschek, elaborou o Plano de Desenvolvimento do Nordeste, que deu lugar à criação da SUDENE, órgão que dirigiu por cinco anos (1959-64);

No Governo João Goulart, foi o primeiro titular do Ministério do Planejamento (1962-63);

Com o golpe militar de 1964, teve seus direitos políticos cassados por dez anos, dedicando-se então à pesquisa e ao ensino da Economia do Desenvolvimento e da Economia da América Latina em diversas universidades como as de Yale (EUA, 1964-65), Sorbonne (França, 1965-85), American University (EUA, 1972), Cambridge (“Cátedra Simon Bolívar”- Inglaterra, 1973-74), Columbia (EUA, 1976-77);

Com a redemocratização, foi embaixador do Brasil junto à Comunidade Econômica Européia (1985-86), em Bruxelas, e Ministro da Cultura do Governo Sarney (1986-88), quando elaborou a primeira legislação de incentivos fiscais e fez a defesa da identidade cultural brasileira;

Membro do Conselho Editorial das revistas Econômica Brasileira (1954-64), Desarollo Ecnómico (Buenos Aires, 1966-70), El Trimestre Econômico (México, 1965- ), Revista de Economia Política (São Paulo, 1981- ), Pensamiento Iberoamericano (Madri, 1982- );
Membro do Conselho Acadêmico da Universidade das Nações Unidas (Tóquio, 1978-82), do Committee for Development Planning das Nações Unidas (1979-82), da South Commission (1987-91), da Commission mondiale pour la Culture et lê développement (ONU/UNESCO, 1993-95), do Comitê International de Bioéthique (UNESCO, 1995-97);

Doutor Honoris Causa das Universidades: Técnica de Lisboa (Portugal, 1987), da Estadual de Campinas-UNICAMP (Campinas, SP, 1990), Federal de Brasília (Brasília, 1991), Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre, 1994), Federal da Paraíba (João Pessoa, 1996), Pierre Mendès-France (Grenoble, França, 1996), Estadual do Ceará (Fortaleza, 2001), Estadual de São Paulo-UNESP (São Paulo, 2002), Federal do Rio de
Janeiro (Rio de Janeiro, 2002);

Membro do PEN Clube do Brasil (1991);

Em 1997, a Academia de Ciências do Terceiro Mundo, sediada em Trieste, criou o “Prêmio Celso Furtado”, outorgado a cada dois anos a um cientista social do Terceiro Mundo;
Em 2001 a Fundação Carlos Chagas de Apoio à Pesquisa do estado do Rio de Janeiro instituiu o “Prêmio Celso Furtado de desenvolvimento”;

Membro da Academia Brasileira de Ciências (2003).

O economista Celso Furtado não se considerava “homem de letras”, mas homem de pensamento. Como pensador o reconhecem também críticos e estudiosos da economia, como o economista Francisco de Oliveira, ao afirmar que a obra de Celso Furtado vai além de outras interpretações da realidade brasileira, “não porque seja teoricamente superior, senão porque foi escrita in actione. Enquanto as obras anteriores explicaram e “construíram” o país do passado, a de Furtado explica e “constrói” o Brasil de seus dias”.

Na revista Estudos Avançados da USP (n.15-43,2001), Tomás Szmrecsányi, professor do Instituto de Geociências da UNICAMP, escreve que “Celso Furtado continua sendo até hoje o economista brasileiro mais conhecido e melhor conceituado no mundo todo (...) não tanto pelos cargos que ocupou aqui e no exterior, mas principalmente ao interesse e à qualidade dos seus trabalhos científicos e técnicos em áreas tão diversas como a História Econômica, a Teoria do Desenvolvimento, a Política Econômica e o Planejamento. Já se contam às dezenas os estudos monográficos, as teses universitárias e os livros que foram publicados a respeito dos seus trabalhos”.

No Correio das Artes n. 400 (de 31 de outubro de 1997), suplemento mensal de A União, de João Pessoa, Evandro Nóbrega, Coordenador Geral e Editor dessa edição comemorativa de sua recepção na ABL, registrou esse depoimento de Celso Furtado: “Quando, finalmente, aos 26 anos de idade, comecei a estudar Economia de maneira sistemática, minha visão do mundo já estava definida. Assim, a Economia não chegaria a ser mais que um instrumental, que me permitia com maior eficácia tratar problemas que vinham da observação da História ou da vida dos homens em Sociedade.Pouca influência teve a Economia, portanto, na conformação do meu espírito. Nunca pude compreender a existência de um problema “estritamente econômico”. Por exemplo, a inflação nunca foi, em meu espírito, outra coisa senão a manifestação de conflitos de certo tipo entre grupos sociais. Da mesma forma, uma empresa nunca foi outra coisa senão a materialização do desejo e Poder de um ou vários agentes sociais, em uma de suas múltiplas formas”.

Celso Furtado está entre os grandes economistas do mundo que estudaram, no pós-guerra, e de forma pioneira, os problemas do desenvolvimento econômico relacionando-os com problemas históricos, como Gunnar Myrdal, Raúl Prebisch, Ragnar Nurkse, Hans Singer e outros.

NA ABL - Oitavo ocupante da Cadeira 11 , eleito em 7 de agosto de 1997, em sucessão a Darcy Ribeiro e recebido pelo Acadêmico Eduardo Portella em 31 de outubro de 1997.

Sobre a formação da Formação econômica do Brasil de C. Furtado , Tamás SZMRECSÁNYI escreveu - "(...) Trata-se de um clássico no sentido literal da palavra, de uma obra pioneira e referencial da nossa historiografia econômica. Ao mesmo tempo, todavia, devido a seu caráter extremamente sintético, não é de fácil assimilação para os que carecem de adequado preparo econômico e/ou histórico. Na verdade, o livro em questão possui até alguns mistérios, os quais têm freqüentemente instigado seus leitores e usuários, apesar – ou talvez por causa – dos três avisos que figuram na sua Introdução. Dizem estes que: o trabalho não passa de “um esboço do processo histórico de formação da economia brasileira”; por esse motivo, há uma omissão quase
total de referências à “bibliografia histórica brasileira”; os seus últimos capítulos baseiam-se, em parte, num trabalho anterior – o livro A Economia Brasileira, publicado pelo autor em 1954 . De modo geral podemos classificar os historiadores econômicos e seus trabalhos em três categorias intelectuais: a dos economistas com conhecimentos de História, a dos historiadores com conhecimentos de Economia, e a dos demais cientistas sociais com conhecimentos tanto de Economia como de História. Com base na leitura da Formação econômica do Brasil, somos levados a incluir o seu autor na primeira dessas categorias. Mas, ao fazê-lo, logo nos deparamos com dois problemas. Um, que se refere principalmente à história do Brasil mas tem também uma conotação historiográfica mais geral: diz respeito à origem dos conhecimentos históricos de Celso Furtado, tão parcamente indicada pelas poucas fontes nacionais e portuguesas que ele cita no seu texto e/ou nas suas notas de rodapé. O outro problema, correlato ao anterior e aparentemente de mais fácil solução, é de natureza teórica e relaciona-se fundamentalmente ao tratamento econômico dispensado pelo autor a seus dados e informações de caráter histórico."

UM LANÇAMENTO






Elba Ramalho



O forró nordestino vai invadir Curitiba e a programação do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante. No dia 28 de outubro, o Teatro Guaíra será palco para o show da cantora Elba Ramalho. Em única apresentação, a cantora apresenta músicas do CD Balaio de Amor, além de clássicos que consagraram sua carreira.

O show está repleto de xotes e baiões, além do choro “Ilusão nada mais”, de Dominguinhos e Fausto Nilo. O repertório inclui, ainda, gravações dos compositores nordestinos Chico Bezerra, Acioly Neto, Maciel Melo, Dominguinhos, Rogério Rangel, Petrucio Maia, Antonio Barros e Cecéu, Terezinha do Acordeon, Flavio Leandro e do sanfoneiro Cezinha.

Elba inicio sua carreira na década de 70, quando, após integrar o elenco da montagem original da peça A ópera do malandro, de Chico Buarque, surpreendeu o país com o LP Ave de Prata, inspirado na composição homônima de Zé Ramalho. O disco já incluía canções de compositores nordestinos, uma das marcas da cantora ao longo da carreira, além da faixa Não sonho mais, de Chico Buarque.

Filha do nordeste brasileiro, nascida no alto sertão da Paraíba, sob o signo de Leão, cercada de religiosidade e fé, Elba herdou a musicalidade de seu pai, que a despertou cedo para a mais sublime das formas de comunicação: a música. Foi também rodeada pelo solo seco e vegetação árida que a cantora se familiarizou cedo com os mais diversos ritmos da região: baião, maracatu, xote, frevo, pastoril, caboclinhos e forrós. Gêneros que preservam a pureza de uma cultura eminentemente popular.

Serviço Show com a cantora Elba Ramalho Data: 28 de outubro Horário: às 20h Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada) para estudantes, idosos. Clientes e funcionários do Banco do Brasil também pagam meia (benefício válido, inclusive, para o acompanhante). Classificação indicativa: Livre Local: Centro Cultural Teatro Guaíra Endereço: Rua XV de Novembro, nº 971 - Centro

AS SUSPEITAS DO SR. WHICHER


SUSPEITAS DO SR. WHICHER, AS
- A história real de um dos crimes mais chocantes da Inglaterra vitoriana e do detetive que inspirou Charles Dickens e Arthur Conan Doyle

Kate Summerscale


Páginas - 440

Um crime que parece saído de um romance de mistério; um detetive que serviria de modelo a personagens de Charles Dickens e Wilkie Collins. É isso o que narra e discute o aclamado e premiado livro As suspeitas do sr. Whicher, de Kate Summerscale.

O assassinato de um menino de três anos num casarão rural do sul da Inglaterra, em 1860, chocou o país, suscitando horror e ao mesmo tempo excitando a curiosidade mórbida da população. Paralelamente à investigação empreendida pelo detetive Jack Whicher, da Scotland Yard, a imprensa, os escritores de ficção e os cidadãos comuns desenvolveram suas hipóteses e teorias para tentar solucionar o enigma do crime da Road Hill House.

Baseada numa pesquisa exaustiva, a autora não apenas deslinda passo a passo o andamento do caso, com suas surpreendentes reviravoltas, como traça um quadro vívido da sociedade da época e das contradições da moralidade vitoriana expostas no curso das investigações. Discute também a ambígua figura do detetive policial, que era então uma novidade tanto na literatura de ficção como na vida real.

E, mais que tudo isso: numa narrativa envolvente e eletrizante, As suspeitas do sr. Whicher mostra que, um século e meio depois de cometido, o hediondo crime mantém seu impacto e seus mistérios.


A AUTORA
Kate Summerscale
Nasceu na Inglaterra em 1965. Estudou em Oxford e formou-se em jornalismo em Stanford. Em 1997 ganhou o prêmio Somerset Maugham por seu livro The queen of Whale Cay. As suspeitas do sr. Whicher conquistou o prêmio Samuel Johnson de não ficção em 2008.

A AUTORA FALA SOBRE O LIVRO



UM LANÇAMENTO






Ariano Suassuna participa da programação do CCBB Itinerante em Curitiba



Um dos destaques da etapa de Curitiba do projeto Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante, a caravana do Vozes de Mestres – Festival Internacional de Cultural Popular, está na capital paranaense com eventos que movimentando o cenário cultural da cidade até o 1º de novembro. Música, oficinas, mesa-redonda e dança compõem a grade de programação.

No dia 27 de outubro, com a presença do escritor Ariano Suassuna, será realizada a mesa-redonda Brasil: quem somos nós e como chegamos a ser o que somos?. Também participam do debate os mestres do Fandango Paranaense, Martinho dos Santos e Leonildo Pereira. A anfitriã do debate será a artista plástica e pesquisadora Rejane Nóbrega. Durante o evento, que será mediado pela mineira Déa Trancoso, será discutida a diversidade cultural brasileira em seus mais variados aspectos.

Ariano Suassuna é um dos mais importantes dramaturgos brasileiros. Autor dos célebres Auto da Compadecida e A Pedra do Reino, é um defensor militante da cultura do Nordeste. O escritor é o idealizador do Movimento Armorial, que tem como objetivo criar uma arte erudita a partir de elementos da cultura popular do Nordeste Brasileiro. O movimento procura orientar para esse fim todas as formas de expressões artísticas: música, dança, literatura, artes plásticas, teatro, cinema, arquitetura, entre outras expressões.

Obras de Ariano Suassuna já foram traduzidas para inglês, francês, espanhol, alemão, holandês, italiano e polonês. Desde 1990, ocupa a cadeira 32 da Academia Brasileira de Letras, cujo patrono é Manuel José de Araújo Porto Alegre, o barão de Santo Ângelo.

SERVIÇO Mesa-Redonda: Brasil: quem somos nós e como chegamos a ser o que somos?, com Ariano Suassuna Data: 27 de outubro de 2009 Horário: 19h Local: Teatro Guaíra – Grande Auditório Ingressos: Entrada gratuita – Inscrições no site www.vozesdemestres.com Classificação indicativa: Livre

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

SIMBOLISMO E O SIGNIFICADO DOS NÚMEROS

SIMBOLISMO E O
SIGNIFICADO DOS NÚMEROS
de Hajo Banzhaf


Páginas: 216 págs

Os números não expressam somente quantidades, eles também são símbolos complexos, com inúmeros significados. Esse conhecimento oculto tem uma longa tradição no Ocidente. Neste livro, Hajo Banzhaf integra todas as fontes importantes ligadas ao simbolismo dos números, desde a Bíblia, o Tarô e a Astrologia até os antigos filósofos e a moderna psicologia profunda.

Nesta obra instigante e reveladora, o simbolismo dos números se transforma numa importante e fascinante chave para a compreensão da vida.






O AUTOR

HAJO BANZHAF (1949–2009), foi o astrólogo e especialista em Tarô mais
conhecido da Alemanha. Após estudar Filosofia e seguir carreira como bancário durante
doze anos, começou a trabalhar, a partir de 1985, como escritor, astrólogo e a
ministrar cursos e seminários especializados em Astrologia e Tarô. Hajo Banzhaf foi,
durante muitos anos, editor da série “Kailash” da Editora Hugendubel, em Munique, e
autor e coautor de vários livros sobre Astrologia e Tarô, que foram traduzidos em mais
de vinte idiomas, entre eles O Tarô e a Viagem do Herói, As Chaves do Tarô, Guia
Completo do Tarô , O Livro do Tarô, Manual do Tarô, Tarô – Magia no Dia a Dia e Tarô
– Sabedoria para Todos os Dias, publicados pela Editora Pensamento.

UM LANÇAMENTO


PARANORMALIDADE


PARANORMALIDADE
de Dra. Elizabeth Lloyd Mayer


Páginas: 288 págs

Em 1991, quando a harpa rara e entalhada à mão que pertencia à sua filha foi roubada, o mundo familiar da ciência e do pensamento racional de Lisby Mayer virou pelo avesso. Depois que a polícia desistiu de encontrar qualquer pista, uma amiga lhe sugeriu procurar um rabdomante – um especialista em encontrar objetos perdidos. Como não tinha nada a perder – e quase por brincadeira –, a dra. Mayer concordou. Dois dias mais tarde, sem sair de sua casa no Arkansas, o rabdomante informou as coordenadas exatas da rua em São Francisco, Califórnia, onde a harpa
se encontrava.

Profundamente abalada, mas decidida a entender o que havia acontecido, Lisby deu início à jornada de quatorze anos de descobertas que ela narra neste livro inspirador e extremamente agradável de se ler. Sua primeira surpresa: dezenas de colegas vinham passando, em segredo, por experiências semelhantes, receosos de serem rotulados de crédulos ou loucos.

Paranormalidade: Um Conhecimento Extraordinário é uma tentativa de romper o silêncio imposto pelo medo e investigar o que a ciência tem a dizer sobre esses e inúmeros outros fenômenos “inexplicáveis”. Dos textos de Sigmund Freud sobre telepatia às experiências secretas da CIA com visão remota, da avançada neurociência ao estranho mundo da física quântica, o trabalho da dra. Mayer revela uma pesquisa fascinante e digna de crédito acerca do plano onde a mente parece ultrapassar as leis da natureza.

Ela não nos pede para acreditar. Em vez disso, oferece-nos um livro profundamente intrigante e otimista, com implicações de longo alcance não só para a investigação científica, mas também para o modo como vivemos no mundo.

A AUTORA



UM LANÇAMENTO

CAIXA CULTURAL CURITIBA RECEBE FESTIVAL COM 40 FILMES DE 12 PAÍSES


Único festival de Super 8 do País, Curta 8 apresenta retrospectiva inédita de cineasta argentino


Começa nesta sexta-feira (23), na CAIXA Cultural Curitiba, a quinta edição do Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba, o único festival dedicado ao Super 8 no País, que exibirá até domingo (25) mais de 40 filmes de 12 países. O evento recebe a primeira retrospectiva brasileira do cineasta argentino Ernesto Baca, que conversa com o público na noite de sábado (24). Na abertura, às 19h, Cristian Borges, professor da ECA/USP e doutor em cinema pela Universidade Paris III, apresenta a série de quatro filmes “História privada de revoluções pessoais”, rodada, respectivamente, na Inglaterra, República Tcheca, Portugal e Grécia. Borges foi co-curador das mostras "Agnès Varda – o movimento perpétuo do olhar" (2006), "Alain Resnais – a revolução discreta da memória" (2008) e "Novo Cinema Independente Alemão: uma outra política do olhar" (2009).

Nas noites de sexta e sábado acontecem as mostras competitivas, com filmes nacionais e estrangeiros, que concorrem a dez prêmios. Entre as premiações, está a oferecida pela Kodak, um dos apoiadores do Curta 8: quatro rolos de filme 16mm e cinco cartuchos Super 8. Já a Locall de Cinema e Televisão oferece R$ 4 mil em aluguel de equipamentos. O júri do festival é composto pelo produtor Bruno Gehring (Apucarana, 1982), pelo realizador Goyo Anchou (Mar del Plata, 1973) e pela crítica Lila Foster (Nova Iorque, 1980).

O paulista Marcos Bertoni é o convidado da noite de domingo, quando apresenta quatro de seus trabalhos no formato. Ele é o idealizador do movimento Dogma 2003, cuja única regra é a não utilização de uma câmera ao fazer filmes, parodiando o Dogma dinamarquês. No caso de “No fundo do poço: a biografia não autorizada de Edir Macedo (2005)”, credita a autoria do filme a Zezinho do Apocalipse – enquanto se apresenta como seu representante. Arquiteto de formação, Bertoni trabalha com esculturas e também modelagem para publicidade e cinema. Fez o passarinho da Zorba, os dedinhos do Castelo Rá-Tim-Bum, a máscara da Tiazinha e ainda o ratinho que aparecia nos comerciais do jornal Folha de São Paulo.

Pelo segundo ano consecutivo, o festival apresenta duas sessões com os filmes resultantes da oficina Tomada Única, ministrada em setembro por Leandro Bossy e Pedro Merege. Cada um dos 12 realizadores curitibanos selecionados recebeu um cartucho de Super 8 (3’20”) da organização do festival com o desafio de fazer um curta com edição no gatilho da câmera, no ato de filmar; sem edição posterior. Enquanto os filmes estavam sendo revelados, os realizadores desenvolveram trilhas sonoras que podem ser apresentadas ao vivo ou a partir de gravações. Uma surpresa tanto para o público quanto para os realizadores, que assistirão a seus filmes pela primeira vez.

Os ingressos para todas as sessões são gratuitos e podem ser retirados com antecedência na bilheteria do Teatro da CAIXA, que fica na Rua Conselheiro Laurindo, 280. Mais informações no (41) 2118-5111 ou ainda no site do evento: www.curta8.com.br.

O Curta 8 tem idealização e curadoria de Leandro Bossy. É produzido por Antonio Carlos Domingues/Perfil Comunicação. Tem direção de produção de Rafael Urban e design gráfico de Adriana Alegria. A projeção fica sob a responsabilidade de Lucas Vega. Curta 8 – Festival Internacional de Cinema Super 8 de Curitiba é promovido pela CAIXA Cultural Curitiba e conta com os apoios de Kodak, Rádio Lumen FM e Locall de Cinema e Televisão


CURRÍCULO DOS CONVIDADOS

Cristian Borges (São Paulo, 1974)
Sexta-feira, dia 23, às 19h, conversa com o público após a exibição da série “História privada de revoluções pessoais” (40’)
É professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA/USP e doutor em cinema pela Universidade de Paris III. Os filmes apresentados nesta sessão foram rodados, respectivamente, na Inglaterra, República Tcheca, Portugal e Grécia, entre 1998 e 2000, como parte prática do mestrado em cinema na Universidade de Bristol, no Reino Unido. Codirigiu durante vários anos o Festival Brasileiro de Cinema Universitário (FBCU, no Rio de Janeiro) e foi cocurador das mostras "Agnès Varda – o movimento perpétuo do olhar" (2006), "Alain Resnais – a revolução discreta da memória" (2008) e "Novo Cinema Independente Alemão: uma outra política do olhar" (2009).

Ernesto Baca (Buenos Aires, 1969)
Sábado, dia 24, às 19h, conversa com o público após a exibição de sessão com seus curtas-metragens. Seus longas-metragens realizados em Super 8, Música para astronautas (65’, 2008) e Samoa (65’, 2006), serão exibidos, respectivamente, nos dias 24 e 25, às 17h.
É diretor e professor de cinema formado pelo Centro de Pesquisa e Experimentação, o Cievyc. Seu cinema, com forte influência da filosofia oriental, foi definido por um periódico argentino como “radicalmente autoral, de proposições experimentais, espírito onírico e feitura artesanal que entrelaça símbolos e imagens como se fossem peças de um quebra-cabeças”. Baca recebeu diversas bolsas para o desenvolvimento de seu trabalho, como a de Hubert Balls, do Festival de Roterdã, para o seu próximo filme, “Ganges”. Em 2006, em Amsterdã, foi o curador de uma mostra de cinema experimental argentino no teatro Rialto. É a primeira vez que o cineasta apresenta a sua obra completa em Super 8 no Brasil.

Marcos Bertoni (São Paulo, 1955)
Domingo, dia 24, às 19h, conversa com o público após a exibição de sessão com quatro de seus curtas-metragens.
É o idealizador do movimento Dogma 2003, cuja única regra é a não utilização de uma câmera ao fazer filmes. No caso de “No fundo do poço”, credita a autoria do filme a Zezinho do Apocalipse – enquanto se apresenta como seu representante. Arquiteto de formação, Bertoni trabalha com esculturas e também modelagem para publicidade e cinema. Fez o passarinho da Zorba, os dedinhos do Castelo Rá-Tim-Bum, a máscara da Tiazinha e ainda o ratinho que aparecia nos comerciais do jornal Folha de São Paulo.
CURRÍCULOS DOS JURADOS

Bruno Gehring (Apucarana, 1982) é o coordenador de produção da Mostra Londrina de Cinema e o coordenador da Mostra Marília de Cinema. Um dos fundadores e atual Diretor-Financeiro da Kinoarte (Instituto de Cinema e Vídeo de Londrina) e diretor comercial da revista Taturana, também de Londrina. Coordena projetos de exibição (Kinoarte Mostra Curtas) e formação (Oficinas Kinoarte). Co-diretor dos curtas Manequim 37 (2003) e João Pipoca (2004); produtor dos curtas O Quinto Postulado (2006), Satori Uso (2007), Booker Pittman (2008), Maria Angélica e Altiplano Pari (2009), que somam mais de 20 premiações em festivais nacionais e internacionais. Atualmente se dedica à pré-produção do longa Pé de Veludo.

Lila Foster (Nova Iorque, 1980) é integrante do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de São Carlos com trabalho dedicado ao acervo de filmes domésticos da Cinemateca Brasileira. Formada em Filosofia pela Universidade de São Paulo (2005), durante os últimos anos tem dedicado especial atenção a questões de cinema e preservação, principalmente após dois anos de trabalho no setor de Catalogação da Cinemateca Brasileira. Redatora da revista Cinética, entusiasta das produções em bitolas alternativas e do cinema dos primeiros tempos, em outubro último participou da XVIII Le Giornate del Cinema Muto, em Pordenone, Itália.

Goyo Anchou (Mar Del Plata, 1973) egresso da Universidad del Cine, em que realizou seus curtas-metragens em 16mm e 35mm Supositorios de LSD, HIV e Mi noche triste, e onde mais tarde ministraria as disciplinas de Cinema Argentino, História e Estética. É coautor dos livros Industria y Clasicismo (2002) e Modernidad y Vanguardias (2004), dois tomos da série sobre a história do cinema argentino editados pelo Fonda Nacional de las Artes. De 2000 a 2009 trabalha na programação do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata. Em 2005, organiza o primeiro primeiro Festival de Cine Underground de Buenos Aires. Em 2006, lança com o coletivo 1000 Metros Bajo Tierra um circuito de cinema underground que segue em expansão. Seu trabalho na cena underground de Buenos Aires foi tema do documentário norueguês “Goyo-capturing time”.


Serviço: Festival de Cinema: “Curta 8” Local: Teatro da CAIXA Endereço: Rua Conselheiro Laurindo, 280, Centro – Curitiba Data: de 23 a 25 de outubro de 2009 Horários: sexta a partir das 19h, sábado a partir das 17h e domingo a partir das 16h Ingressos: Entrada Franca - Os interessados devem retirar o ingresso na bilheteria do Teatro a partir do dia 20 de outubro de 2009 Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta, das 12 às 19h, sábado e domingo, das 16 às 19h) Classificação etária: Não recomendado para menores de 12 anos Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes) www.caixa.gov.br/caixacultural www.curta8.com.br festival@curta8.com.br

Teatro do Paiol recebe Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani


Depois de turnê pela Europa, o duo traz a Curitiba o show “Baixo e Voz”, com apresentação única nesta sexta-feira (23), às 21h.

Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani chegam a Curitiba nesta sexta-feira (23) para brindar o público com o show “Baixo e Voz”, que toma conta do Teatro do Paiol, às 21h. Depois de turnê pela Europa, o duo traça neste novo espetáculo um delicado panorama da música brasileira atual, mesclando composições dos CDs “Tons - bass and voice”, indicado ao Prêmio da Crítica Schallplattenkritik, na Alemanha; “Desassossego”, fruto do Prêmio Visa conquistado pela cantora em 2005 e indicado ao Prêmio Tim; e “Mosaico”, lançado há pouco tempo.

Formado em 2000, o duo foi saudado pela crítica paulista, que considerou Izabel Padovani “uma intérprete segura, que coloca a técnica a serviço da emoção”, e deu destaque para o baixista Ronaldo Saggiorato, “um virtuose do baixo elétrico de seis cordas”. Baixista renomado, Ronaldo Saggiorato imprime seu virtuosismo nos arranjos e na interpretação de canções que passam por nomes consagrados da música brasileira, como Tom Jobim, Villa-Lobos e Chico Buarque, e chegam aos novos compositores, entre eles Vitor Ramil, Fred Martins e Dante Ozzetti, além de composições próprias.

O instrumentista explora o caráter inusitado da formação e a sintonia musical com a cantora Izabel Padovani, presença frequente em Curitiba. O contrabaixo ora é usado como guitarra, ora como percussão e, aliado à sutileza e força de interpretação da mezzo-soprano, faz deste trabalho um dos mais autênticos exemplos da música brasileira moderna.

Izabel Padovani, uma das mais criativas e competentes cantoras da atualidade, dividiu-se entre São Paulo e Viena nos últimos dez anos, sendo a conquista do Prêmio Visa de Música Brasileira um dos principais motivos do seu retorno definitivo ao Brasil. Formada em Técnica Alexander em Viena, a cantora vem ministrando workshops e oficinas para cantores e instrumentistas em diversas cidades do país, inclusive Curitiba, que já está na sétima edição do “Workshop de Técnica de Alexander para cantores”, organizado pela cantora e produtora cultural Juliana Cortes.

Serviço: Show “Baixo e Voz”, com Ronaldo Saggiorato e Izabel Padovani Data e horário: dia 23 de outubro de 2009 (sexta-feira), às 21h Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho) Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (estudantes e maiores de 60 anos) Informações de bilheteria: (41) 3213-1340

PROGRAMAÇÃO CINEMA CURITIBA

PROGRAMAÇÃO

De 23 a 29 de outubro de 2009

Domingo, dia 25 de outubro – ingresso a R$ 1,00


CINEMATECA - Sala Groff - Rua Carlos Cavalcanti nº 1.174 - fone (41) 3321-3252 (diariamente, das 9h às 12h e das 13h30 às 22h30 – sábados e domingos, das 14h30 às 22h30) www.fccdigital.com.br


Estréia:

A MARGEM DA LINHA (BR, 2009 – 96’ - dvd). Documentário. Direção de Gisella Callas. Depoimentos entre outros de Regina Silveira, Sérgio Sister, José Spaniol.

Através de uma lúdica viagem cinematográfica pelo universo da Arte Contemporânea, A margem da Linha costura com precisão e criatividade depoimentos de artistas plásticos, críticos, curadores, um Lama Budista, além de profissionais ligados à Matemática, Arquitetura, Museologia e Física Quântica, extraindo de seus depoentes as mais provocativas confissões, descobertas e reflexões, entremeadas por imagens de nossa produção artística recente. Classificação livre

Dias 23, 26, 27 e 29 – sessões às 16h e 20h

Dia 28 – sessão somente às 16h



AUTO RETRATO DE BAKUN (BR/PR, 1984 – 43’). Documentário. Direção de Sylvio Back.

Revelação biográfica de Miguel Bakun, considerado o maior pintor paranaense. A recuperação da vida-obra-e-morte de Bakun, que se suicidou em Curitiba, aos 54 anos, em 1963, é realizada através de sessões espíritas e de lembranças de amigos e parentes. Com essa vertente, o filme libera todo o imaginário oculto em torno do artista. Classificação livre

Exibição em homenagem ao centenário de nascimento de Miguel Bakun, com a presença do cineasta Sylvio Back.

Dia 28, sessão às 20h



PROGRAMAÇÃO

De 23 a 29 de outubro de 2009

Domingo, dia 25 de outubro – ingresso a R$ 1,00

CINE LUZ Rua XV de Novembro nº 822 - fone (41) 3321-3261 (diariamente, das 14h30 às 22h30) e (41) 3321-3252 (de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h30 às 18h) www.fccdigital.com.br



DESEJO E PERIGO (China/EUA/Taiwan, 2007 – 157’). Direção de Ang Lee. Com Tony Leung Chui Wai, Wei Tang, Joan Chen. Após o término da Segunda Guerra Mundial, Yee, chefe da inteligência de Xangai, se envolve com duas jovens Kuang Yu-Min e Wang Jiazhi em um perigoso jogo de intrigas e poder. Classificação 18 anos

De 23 a 25 - sessões às 16h e 19h

Domingo, dia 25 – sessões às 16h45 e 19h45



O GRILO FELIZ E OS INSETOS GIGANTES (BR, 2009 – 82’). Animação. Direção de Rafael Ribas e Walbercy Ribas. Elenco de vozes: Jonas Melo, Marcos Tumura, Júlia Duarte, Bel Garcia. O Grilo Feliz segue compondo suas músicas, para alegria dos habitantes da floresta, e agora deseja gravar um CD. Porém a descoberta de fósseis de insetos gigantes faz com que ele se envolva em uma inesperada aventura, que o obriga a enfrentar um bando de perigosos louva-deuses comandados por Trambika. Classificação livre.

Domingo, dia 25 – sessões às 10h30 e às 15h

Mostra de Filmes em Língua Italiana

Parte integrante da programação do evento O Italiano entre arte, ciência e tecnologia

Dias 24 e 25 de outubro de 2009


Realização:

Consulado Geral da Itália em Curitiba


Local: Cinemateca de Curitiba


Entrada franca

Filmes na versão original em italiano sem legendas em português

Classificação 12 anos para todos os filmes



Dia 24, às 16h:

Fellini: sou um grande mentiroso / Fellini - sono um gran bugiardo (Itália/Inglaterra/França, 2003 – 102’). Direção de Damian Pettigrew. Documentário realizado a partir de entrevista que Federico Fellini concedeu ao cineasta canadense Damian Pettigrew em 1991 e 1992.



Às 20h:

A última sequência / L’ultima Sequenza, de Mario Sesti. Documentário sobre a seqüência final alternativa elaborada por Federico Fellini para o filme “Oito e Meio”. A TV de Fellini / La tivù di Fellini, de Tatti Sanguineti. O filme mostra uma série de cenas realizadas por Federico Fellini nas primeiras três semanas de gravação de seu filme “Ginger e Fred”. Não utilizadas na edição final da obra, essas cenas foram editadas, posteriormente, por Tatti Sanguinetti, resultando em “La Tivù di Fellini”. (Itália/2004-85’).




Dia 25, às 16h:

A Vida de Leonardo da Vinci / La Vita de Leonardo da Vinci (Itália, 2001-150’ aproximadamente). Direção de Renato Castellani. Com Philippe Leroy. A história de Leonardo Da Vinci, de sua infância em Florença à sua morte na França, passando por sua longa estada em Milão.

Às 20h:

Enzo Ferrari (Itália/2004 – 52’). Produção da Cinehollywood (mondocorse). Documentário sobre a lenda de um homem e de uma marca automobilística.

MOSTRA DE COMÉDIA JAPONESA

De 26 de outubro a 1º de novembro de 2009


Consulado Geral do Japão em Curitiba

Local: Cine Luz

Filmes em versão original com legendas em português

Classificação 12 anos para todos os filmes

Entrada Franca


O cinema japonês carrega consigo uma grande tradição, consolidada por meio dos filmes de Akira Kurosawa, principalmente. Além disso, traz consigo grandes produções em desenho animado, com alto nível de produção e que alcançam bilheterias milionárias. No entanto, os realizadores cinematográficos atuais do Japão têm explorado muitos outros temas em seus filmes. É o que poderá ser visto com a “Mostra de Comédia Japonesa”, realizada pela Cinemateca de Curitiba em parceria com o Consulado Geral do Japão. Boa sessão.


Dia 26, às 16h:

SUMÔ, SUOR E PELEJA (1992, 104 min., colorido 16mm) Dir. Masayuki Suo.

Um grupo de estudantes universitários é obrigado a fazer parte de um clube de sumô para poderem se formar. Inicialmente desinteressados e atrapalhados, os estudantes aos poucos se envolvem com o espírito do mais tradicional esporte japonês.

Às 18h:

MUITA ADRENALINA (1999, 110 min., colorido – 16mm) Dir.Shinobu Yaguchi.

Comédia romântica de humor negro sobre uma tímida enfermeira e um humilde balconista que encontraram uma mala de dinheiro pertencente à Yakuza e acabam envolvidos numa alucinante perseguição.

Às 20h05:

SWING GIRLS (2004, 105 min., colorido – 16mm) Dir: Shinobu Yaguchi.

Numa pequena cidade do interior, um grupo de dezesseis meninas e um menino precisa montar uma banda instrumental, ainda que quase ninguém ali tenha qualquer aptidão musical.





Dia 27, às 16h:

DIÁRIO DE UM PESCADOR (, 1994, 106 min., colorido – 16mm) Dir. Azuma Morisaki

Baseado em uma comédia popular de Yamazaki Juzo e Kitami Kenichi, o roteiro do filme produzido em parceria com Yamada Yoji, o diretor da série Tora-san, representa a tradição Shochiku de mesclar comédias e problemas familiares.

Às 18h15:

WATER BOYS (2001, 91 min., colorido – 16mm). Dir.Shinobu Yaguchi

Comédia colegial sobre cinco garotos que estimulados pela nova e atraente professora de natação de sua escola, decidem montar uma equipe de nado sincronizado.

Às 20h05:

TODOS ESTAMOS VIVOS (Diretor: Yojiro Takira, 1993, 115 min., colorido – 16mm)

Num país do sudeste asiático, um grupo de executivos japoneses envolve-se numa operação de guerrilha. Foi eleito o 3º melhor filme pelo público leitor da revista Kinema Jumpô em 1993, e recebeu o prêmio de melhor ator e melhor ator coadjuvante.




Dia 28, ás 16h:

O FANTASMA DO BAR (1994, 110 min., colorido – 16mm). Dir. Takayoshi Watanabe

Pouco antes da morte de sua esposa, Sotaro promete a ela não se casar novamente. Mas tendo que dirigir seu bar sozinho achou melhor se casar com Satoko, uma moça apaixonada por ele. Na primeria noite de casados, a esposa falecida retorna para assustar o novo casal.



Às 18h05:

NODO – JIMAN (1998, 112 min., colorido – 16mm) Dir., Kazuyuki Izutsu.

O famoso concurso de cantores amadores “nodo-jiman”, transmitido pela emissora NHK, chega a uma pequena cidade e provoca alvoroço entre seus moradores.

Às 20h15:

MUITA ADRENALINA – reprise



Dia 29, às 16h:

WATER BOYS – reprise

Às 18h:

SUMÔ, SUOR E PELEJA – reprise

Às 20h:

NODO – JIMAN – reprise





Dia 30, às 16h:

TODOS ESTAMOS VIVOS – reprise

Às 18h15:

SWING GIRLS – reprise

Às 20h15:

DIÁRIO DE UM PESCADOR – reprise



Dia 31, Às 16h15:

NODO – JIMAN – reprise

Às 18h10:

O FANTASMA DO BAR – reprise

Às 20h15:

WATER BOYS - reprise



Dia 1º, às 16h:

SWING GIRLS – reprise

Às 18h:

DIÁRIO DE UM PESCADOR – reprise

Às 20h:

SUMÔ, SUOR E PELEJA – reprise

Exposição de porcelanas revela a arte que vem do fogo


Mostra no Centro de Criatividade de Curitiba reúne mais de duas mil peças e permite ao visitante antecipar as compras de Natal.

O Centro de Criatividade de Curitiba, espaço da Prefeitura Municipal, abriga, de 23 de outubro a 8 de novembro, a tradicional exposição Arte do Fogo, que reúne peças de porcelana pintadas à mão e queimadas em fornos de altas temperaturas. Os trabalhos são realizados pelas integrantes do Núcleo Rosi da Silva Kleina, composto por artistas da mesma família. Todas as obras estarão à venda, permitindo ao visitante antecipar a compra dos presentes de Natal. A entrada é franca.

A mostra Arte do Fogo ocupa desde 1993 o mesmo local e coloca ao alcance do público obras baseadas em porcelanas antigas da França, Holanda, China e Inglaterra, resultado das pesquisas que o grupo desenvolve durante o ano. A exposição reúne peças em diversos tamanhos e formatos, que estarão à venda com preços variados. As porcelanas podem ser utilitárias, como jogos de chá, jantar, fruteiras e galheteiros, ou decorativas, entre elas relógios, vasos, jarras e pratos de parede.

A história do núcleo teve início com o trabalho de Rosi Kleina, artista autodidata que repassava seus conhecimentos nas técnicas de pintura em porcelana para alunos residentes nas imediações do Parque São Lourenço. As primeiras edições da mostra contavam com trabalhos de todos os alunos. Depois, optou-se por expor porcelanas criadas pelas pintoras da família, todas discípulas de Rosi, chegando a reunir sete artistas, entre irmãs, sobrinhas e filhas.

Cada uma das artistas possui estilo próprio, desenvolvendo porcelanas em áreas diversas. Envolvida pela pesquisa, Rosi elabora peças com motivos inspirados nas pinturas francesas do século 18 e inglesas do século 19, além de destacar-se pela pintura de rosas.


Serviço: Arte do Fogo – Exposição de Porcelanas Pintadas a Mão Local: Centro de Criatividade de Curitiba (Parque São Lourenço – Rua Mateus Leme, 4.700) Data: de 23 de outubro a 8 de novembro de 2009 Horário de visitas: de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 12h e das 13h às 21h, e aos sábados, das 8h30 às 12h e das 14h às 18h Entrada franca Contato com Rosi da Silva Kleina: (41) 3338-2277 / (41) 9964-1630

Educação Musical



25 de Outubro, Domingo

10h30/13h00

Pedagogia e Metodologia Orff (Acção de Formação)
Org.: Carl Orff Projecto – Educação Musical

16h00

Orquestra Orff Júnior

“Música com todos”

Atelier de Música dirigido a crianças, jovens e adultos

(Animação: Orquestra Orff Júnior, orquestra infantil e juvenil do Carl Orff Projecto - Educação Musical)

Clube Literário do Porto
Rua Nova da Alfândega, n.º 22
4050-430 Porto
T. 222 089 228
Fax. 222 089 230
Email: clubeliterario@fla.pt
URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

Coleção Conexão Juventudes


clique para ampliar

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Passado Imperfeito


Passado Imperfeito
Em busca de um herdeiro



de Julian Fellowes

Nº de páginas: 600


Damian Baxter é o homem mais rico da Inglaterra, com um patrimônio estimado em 500 milhões de libras. Mora sozinho em um castelo suntuoso, cercado de empregados. Porém, está morrendo. Uma carta, sem remetente ou assinatura, recebida há meses, afirma que ele possui um herdeiro.

Estranho pois, quando se casou, já era estéril, resultado de uma caxumba aos vinte e poucos anos. Teria, então, sido pai na adolescência? Mas quem teria escondido a criança ou mantido esse segredo por tanto tempo? E por quê? Ele precisa tirar essa dúvida antes de morrer.
É nesse momento que pensa em investigar o acontecido, mas já sabe que não será fácil, pois o único homem que sabe onde procurar é seu pior inimigo.

O AUTOR
Julian Fellowes, ator, escritor, realizador e produtor, estudou em Ampleforth, no Magdalene College, em Cambridge e na Webber Douglas Academy of Dramatic Art. Escreveu o argumento do premiado filme Gosford Park, realizado por Robert Altman, que em 2001 recebeu o Oscar de melhor argumento original. Em 2005 realizou Mentiras Sinceras, com o qual ganhou o prémio da National Board of Review para o melhor realizador estreante. Julian Fellowes é casado e tem um filho.

UM LANÇAMENTO DA

HOTEL YOGA



HOTEL YOGA
histórias da Índia
de Maura Moynihan


PÁGINAS: 212

Muito embora com um timming irregular é de se destacar uma India vista sob outros olhos. Destaque para o conto de abertura "Um bom trabalho em Delhi" e " Um alto comissário para os refugiados", (E.C.)

De forma inspirada e envolvente, Maura Moynihan nos transporta para a Índia em Hotel Yoga. Em seis fascinantes histórias, ela mostra um país de grandes contradições, onde a tradição indiana convive com a modernidade, religiões milenares se misturam ao caos urbano e indianos se relacionam com estrangeiros. Repleto de humor e diálogos sagazes, é um livro imperdível para quem quer conhecer melhor esta maravilhosa nação, apontada como uma das futuras grandes potências do século XXI.

Nos anos 1970, Maura Moynihan mudou-se para Nova Délhi com sua mãe e seu pai, Daniel Patrick Moynihan, então embaixador americano na Índia. Moynihan ficou fascinada pelas contradições do país: religiões milenares em meio ao caos urbano, a enorme disparidade entre ricos e pobres, a tradição familiar indiana e o encanto da modernidade ocidental. Três décadas de observação profundamente sensível serviram de inspiração para as histórias desta obra, cujos personagens vêem suas crenças desafiadas ao interagir com pessoas que não fazem parte de sua cultura. Expatriados americanos e britânicos misturam-se a amigos, colegas e serviçais indianos, e suas histórias seguem a mudança ou a estagnação resultante dessa interação. Hari, um jovem criado indiano, espera a ajuda de seu amável patrão britânico para escapar de um casamento arranjado. Melanie, funcionária da embaixada americana, sofre uma desilusão ao descobrir que seu amante casado a usara para conseguir um visto. Num retiro no Himalaia, um grupo de endinheirados se reúne em busca de iluminação espiritual, mas seu altruísmo é testado quando recebem o pedido para ajudar no dote de uma família pobre da Índia. Com diálogos sagazes e cenas envolventes, Moynihan examina como ocidentais e orientais lutam pela dignidade. Repleto de humor e angústia, Hotel Yoga é a formidável estréia na literatura de uma escritora que entende a complexidade e a universalidade dos medos, desejos e esperanças do ser humano.

SOBRE O LIVRO
”Lindamente escrito... ora cômico, ora comovente. Moynihan soube como ninguém ouvir a voz da Índia.“ Peter Bergen, autor de Holy War, Inc.

”Um livro delicioso e encantador, com revelações sensacionais sobre o mundo indiano.“ Ismail Merchant, indicado para o Oscar de melhor diretor e produtor

”Hotel Yoga é uma leitura marcante, inteligente, penetrante, escrita com delicadeza e encanto. Quem procura o melhor da literatura da atualidade não pode perdê-lo!“ John Henneth Galbraith, ex-embaixador americano na Índia

A AUTORA
Por muitos anos, MAURA MOYNIHAN trabalhou como consultora de refugiados na Índia e no Nepal. A escritora também atuou em vários filmes e foi co-criadora da dupla cômica "Moynihan & Green". Andy Warhol a lançou na carreira musical e seu CD Yoga Hotel foi aclamado internacionalmente. Moyhihan divide o tempo com amigos e a família entre as cidades de Nova York e Nova Délhi.



UM LANÇAMENTO

O guardião da flor de lótus



O guardião da flor de lótus
Um suspense repleto de aventura e espiritualidade

de Andrés Pascual


Nº de páginas: 440


A misteriosa morte do lama tibetano, Lobsang Singay, que estava prestes a revelar uma descoberta sem precedentes na história da medicina chama atenção de todos. Após anos de investigação em seu monastério, Singay conseguiu fundir os avanços científicos do ocidente com a sabedoria ancestral dos tibetanos, no entanto pouco antes de partir para a tão aguardada conferência em Harvard, morre em estranhas circunstâncias. Jacobo, um jovem espanhol imerso em uma crise pessoal e profissional, vê-se empenhado em investigar o que há por trás dessa intrigante morte. A resposta poderia estar em um documento milenar que uma seita budista e os serviços de inteligência do exército chinês anseiam possuir. Para encontrá-lo, Jacobo empreende uma vertiginosa viagem pelos inacessíveis cumes do Himalaia, a partir do norte da Índia até as profundidades do fascinante Tibete. Ao mesmo tempo em que tenta se desviar dos perigos que o cercam, aprenderá com seu mestre Gyentse que esse universo mágico também abriga a solução de seus conflitos internos. A investigação de um crime torna-se uma jornada espiritual para o coração do Budismo.

O AUTOR

Andrés Pascual (Logroño, 1969) graduado em Direito pela Universidade de Navarra e desde 1992 como advogado em La Rioja.

É um grande amante da música. Pianista e cantor e compositor, fez parte de várias bandas e compôs músicas para outros artistas.

Já percorreu vários países em quatro continentes: Etiópia, Botsuana, Namíbia, Madagáscar, Líbano, Síria, Myanmar, Nepal, Tibet, Índia, Vietnã, Equador, entre outros.
Seu primeiro romance, O Guardião da flor de lótus, tem mais de 100.000 leitores na Espanha e foi traduzido em várias línguas. Sua nova obra, O compositor de tempestades (VIII Finalista Prémio Novel da cidade de Torrevieja), não perde um pingo de romance, sensibilidade e sentido de aventura que caracterizou a sua estréia.

UM LANÇAMENTO DA

Terapia do Relax



TERAPIA DO RELAX

de ELZI NASCIMENTO e ELZITA MELO QUINTA


As mudanças e exigências de uma sociedade em ritmo acelerado de produção e em desgaste impingem ao cidadão do terceiro milênio necessidades de sobrevivência que vão além da busca do progresso e do conforto material. Estar em paz consigo e sintonizado com todas as peripécias da cibernética que revolucionam o mundo parecem ser situações antagônicas. Mas, é aí que Terapia do Relax pretende inovar, provando que é possível viver o corre-corre de hoje sem perder a auto-estima, o autocontrole e a paz interior. Você pode curtir-se, curtindo a vida, usufruir os benefícios do progresso sem sentir o efeito colateral provocado pelos horários que escravizam, robotizam e automatizam o homem. Relaxar é um dom da vida. Vivencie esse dom, de forma fácil, simples e descomplicada.


O LIVRO

a obra vem acompanhada de um CD com 5 faixas que vão ajudá-lo nos
exercícios de respiração, relaxação e meditação
u Terapia do Relax traz flashes do Yoga, priorizando práticas e vivências de
respiração, posturas e relaxação de forma fácil e funcional, para reduzir a
tensão do dia-a-dia
u os exercícios propostos no livro, bem como as práticas, vêm ilustrados com
fotos mostrando o desenvolvimento das posições e posturas indicadas


CONTEÚDO

Prefácio
Apresentação
Agradecimentos
RELAX & TENSÃO
TENSÃO, CONTRAÇÃO & DESCONTRAÇÃO
RESPIRAÇÃO: SOLTE SEUS AIS. VIVA EM
PAZ
DESFAZENDO MITOS, QUESTIONANDO
RITOS:
Breve Histórico
NOÇÕES BÁSICAS: YOGA, UM SENTIDO
DIFERENTE
VIVÊNCIA RELAXANTES. TENDÊNCIAS
ESTRESSANTES
ALONGANDO MÚSCULOS E IDÉIAS
MEDITAÇÃO: A ARTE DE ESCUTAR O SILÊNCIO
ORIENTE-OCIDENTE: COMPLEMENTO
ESSENCIAL
TERAPIA DO RELAX: ADMINISTRAÇÃO


Um lançamento



BBC cria cargo de editor de mídia social

Com o intuito de investir cada vez mais em redes sociais e se adaptar ao cenário da mídia mundial, a BBC acaba de criar o cargo de editor de mídia social. O profissional, que vai trabalhar no escritório na Inglaterra, tem como função explorar cada vez mais as novas mídias. “Como outras muitas novas organizações, estamos no início de algo muito novo”, comentou Nic Newman, chefe de Tecnologia e Mídia da BBC.

“Nós reconhecemos a importância das ferramentas de mídias sociais. Com esse novo cargo, estamos coordenando as melhores práticas. A decisão de ter um editor de mídia social é o melhor caminho para entender como elas funcionam”, continua ele.

A BBC também vai investir num novo site, para dar ênfase às novas mídias.

Mundial de Windsurf começa nesta quarta em Ilhabela


Cinqüenta velejadores, de dez países, competem até domingo na raia montada na praia da Armação

São Paulo (SP) - Cinquenta dos melhores windsurfistas do planeta – entre eles o atual campeão mundial e pelo menos seis "top 15” do mundo – começam a disputar, nesta quarta-feira, o Wind Brasil – Mundial de Fórmula Windsurf 2009. A competição, uma das mais importantes do calendário internacional, será realizada até domingo, no Centro Náutico BL3, na praia da Armação, em Ilhabela (SP). Estarão em jogo importantes pontos para os rankings da International Sailing Federation (ISAF), da International Windsurfing Association (IWA) e da International Formula Windsurfing Class (IFWC).

Entre os brasileiros favoritos a um lugar no pódio estão o catarinense, bicampeão mundial de Fórmula (peso leve) e líder do ranking 2009 Wilhelm Schurmann; o baiano radicado no litoral paulista e tetracampeão nacional Paulão dos Reis (11º no ranking) e o cearense Gabriel Browne, velejador do país mais bem colocado (9º) na Copa do Mundo de Fórmula Windsurfing, realizada mês passado, em Santa Pola, Espanha. "O fato de conhecermos a raia onde acontece o campeonato traz uma vantagem para a gente”, avisou Schurmann.

As principais estrelas internacionais da modalidade já estão em Ilhabela. Destaque para o argentino Gonzalo Costa Hoevel, segundo do ranking, vencedor do Wind Brasil, em 2008, em Fortaleza, e campeão sul-americano em torneio disputado, também no ano passado, na praia da Armação, mesmo local onde acontece agora o evento organizado pela empresa cearense Arrow Marketing, e também para o australiano Steve Allen, medalha de ouro na Copa do Mundo de Santa Pola.

O polonês Wojtek Brzozowiski, o inglês Ross Williams (7º no ranking) e o dinarmarquês Jesper Vestersrom (8º no ranking) e o italiano Alberto Menegatti (13° no ranking) também figuram como fortes candidatos à vitória no Brasil. "A nata da Fórmula Windsurf mundial estará no Litoral Paulista, o que garantirá disputas equilibradas e emocionantes em todas as regatas”, avaliou Teka Lenz, presidente da Associação Brasileira de Windsurf (ABWS). "O nível técnico será altíssimo, podem ter certeza”, apontou Décio Sanford, diretor da Arrow Marketing.

O ranking mundial de Fórmula Windsurfing é formado pela somatória de pontos da Copa do Mundo (cada ano é disputado em um país diferente - esse ano foi em Santa Pola), pelo Grand Prix Tour (concentra a maior premiação e tem, em 2009, duas etapas na Polônia e duas no Brasil) e também pelos campeonatos continentais e nacionais. A segunda etapa do GP Tour na América do Sul, também organizada pela Arrow Marketing, está programada para ocorrer entre os dias 25 e 29 de novembro, em Fortaleza (CE).

Capital dos esportes náuticos - A escolha de Ilhabela para ser sede de uma das provas do Mundial, de acordo com Décio Sanford, se deu porque ela é considerada a capital dos esportes náuticos do País, recebe o maior evento de vela de oceano da América Latina (a Semana de Vela, em julho), além de ser responsável pela formação de diversos campeões do windsurfe.

Investimento alto - O investimento para a realização do Wind Brasil – Mundial de Fórmula Windsurf 2009 em Ilhabela é de R$ 1 milhão, de acordo com Décio sanford. Os recursos para a realização do torneio mundial no Litoral de São Paulo foram viabilizados pela própria Arrow Marketing, com apoio do Ministério do Turismo, Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura de Ilhabela.

Além da etapa em Ilhabela, a Arrow Marketing é responsável pela organização da outra prova do Mundial de Fórmula Windsurfing na América do Sul, que este ano acontece entre 25 e 29 de novembro, em Fortaleza (CE). E também da etapa brasileira do Mundial da modalidade Freestyle, entre os dias 3 e 13 de dezembro, na praia do Icaraizinho, em Amontada, Ceará.

Os três eventos válidos pelo Mundial organizados pela empresa cearense em 2009 contam com a chancela da Associação Brasileira de Windsurf (ABWS), entidade que conta com cinco mil atletas em seu quadro de associados.

Muito mais em 2010 – No próximo ano, o Wind Brasil, projeto responsável pelas etapas do Mundial de Windsurf realizadas no Brasil desde 1997, vai crescer. Se em 2009, a Arrow Marketing se comprometeu em promover três etapas - de duas modalidades - no País, em 2010 este número vai crescer. "Em primeiro lugar, vamos agregar a classe RSX Olímpica (faz parte do programa dos Jogos Olímpicos) junto com a Fórmula”, avisou Décio Sanford.

O executivo afirmou também que em vez de três provas, serão quatro ao todo no território nacional: uma de Freestyle, no Ceará, e três que englobariam disputas da Fórmula e da RSX Olímpica, uma na Ilhabela, uma em Búzios (RJ) e outra em Fortaleza (CE). "Com essas competições, queremos fomentar ainda mais o turismo náutico e também a prática do esporte no Brasil”, afirmou Décio Sanford.

Credenciamento de imprensa termina nesta terça-feira – A imprensa interessada na cobertura da etapa de Ilhabela do Mundial deve se credenciar até esta terça-feira, às 17 horas pelo email zdl@zdl.com.br. Como será disponibilizada embarcação para acompanhamento das regatas, é fundamental que os veículos se credenciem, definindo os nomes e funções de seus profissionais.

A etapa de Ilhabela do Wind Brasil – Mundial de Fórmula Windsurfe 2009 é uma realização da Arrow Marketing, representante oficial das entidades internacionais de windsurfe no Brasil e na América do Sul, com apoio do Ministério do Turismo, Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura Municipal de Ilhabela.

LEIA *

CCBBrasil Itinerante apresenta Toda Nudez Será Castigada



A programação do Centro Cultural Banco do Brasil Itinerante traz para Curitiba o espetáculo teatral Toda Nudez Será Castigada, com Armazém Cia de Teatro. Nos dias 23 e 24 de outubro, no Teatro Guaíra, o público paranaense poderá conferir a adaptação para os palcos do texto de Nelson Rodrigues, que conquistou o Prêmio Eletrobrás de Teatro 2006, nas categorias de Melhor Iluminação, Melhor Cenografia e Melhor Figurino, e o Prêmio Shell de Teatro 2005 nas categorias de Melhor Direção (Paulo de Moraes) e Melhor Iluminação (Maneco Quinderé).

A peça começa pelo fim, com a voz de Geni (Patrícia Selonk) rodando num gravador. "Herculano, quem te fala é uma morta. Eu morri. Me matei." É Herculano quem ouve. Abrindo mão de sua maior surpresa – o suicídio da protagonista –, Toda Nudez Será Castigada é toda contada em flash-back e a ação vai se construindo fragmentariamente, como cacos da memória de Herculano (Thales Coutinho).

O viúvo Herculano é o chefe de uma família conservadora, “uma família só de tias”. Fez um pacto com Serginho, o filho de 18 anos, prometendo que jamais iria substituir a mãe do menino por outra mulher. Movido por um ódio desmedido e de olho no dinheiro de Herculano, seu irmão, o ardiloso Patrício, sustenta uma das ideias centrais da peça: "todo casto é um obsceno". Antagonista em estado bruto, Patrício promove, então, a aproximação entre Geni e Herculano. É um encontro insólito. Herculano é um homem austero, o "semi-virgem". Geni é prostituta, movida por instinto, pulsão de vida, ao mesmo tempo que acha que vai morrer de câncer.



"A Geni subverte por meio do sexo", diz Patrícia Selonk – vencedora do Prêmio Shell 2009 – que interpreta o papel. “O texto é uma montanha-russa, não tem parada. A trama parece se construir toda dentro da cabeça de Herculano. Ele é uma espécie de ‘herói expressionista’, oscilando o tempo todo entre a ciência e a fé, entre a liberdade de pensamento e os dogmas”, acentua Paulo de Moraes. Herculano brande seus princípios, mas sucumbe à carne. A hipocrisia ronda a família do viúvo.



Não é por acaso que Nelson Rodrigues adota para a peça o subtítulo "obsessão em três atos". O fantasma da morte ronda o tempo todo enquanto o desejo se impõe, mas com ele a impossibilidade amorosa. O autor conduz Herculano como protagonista, mas, lá pelas tantas, converge para Geni, "expondo a trajetória clássica de ascensão e queda de uma heroína", segundo Moraes.



A montagem do Armazém não é presa a uma época ou a um lugar. "Não montamos uma tragédia carioca, mas uma obsessão em três atos", diz o diretor. A cenografia dá o suporte necessário a essa encenação não-realista, sugerindo as gavetas da memória de Herculano, com suas portas giratórias que compõem no palco uma caixa inteiriça de acrílico e ferro. As transparências marcam os vitrais coloridos – que tanto poderiam ser de uma igreja ou de um bordel, dando possibilidade ao sagrado e ao profano.



Ficha técnica:

Texto: Nelson Rodrigues

Direção: Paulo de Moraes

Iluminação: Maneco Quinderé

Cenografia: Paulo de Moraes e Carla Berri

Figurinos: Rita Murtinho

Música Original: Arrigo Barnabé

Letra da Canção-Tema: Roberto Riberti

Músicos: piano – Arrigo Barnabé

violoncelo – Raif Dantas Barreto

violino – Luis Amato

voz – Arrigo Barnabé e Simone Mazzer

Trilha Sonora Pesquisada: Paulo de Moraes

Projeto Gráfico: Alexandre de Castro

Fotografias: Mauro Kury



Elenco:

Patrícia Selonk

Thales Coutinho

Ricardo Martins

Sérgio Medeiros

Simone Mazzer

Verônica Rocha

Isabel Pacheco

Simone Vianna

Raquel Karro

Marcelo Guerra


Serviço: Teatro: Toda Nudez Será Castigada Dias: 23 e 24 de outubro de 2009 Horário: 20h Ingressos: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada) para estudantes, idosos. Clientes e funcionários do Banco do Brasil também pagam meia (benefício válido, inclusive, para o acompanhante) Classificação indicativa: 16 anos Local: Teatro Guaíra – Grande Auditório Endereço: Rua XV de Novembro, nº 971 - Centro

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Os ossos sagrados


Os ossos sagrados
Uma relíquia milenar, um segredo revelado


de Michael Byrnes


Nº de páginas: 448


Uma relíquia é roubada dos subterrâneos do Monte do Templo, em Jerusalém. Treze soldados israelenses são mortos. As tensões estão no limite e diante do ultraje a um dos símbolos sagrados da comunidade palestina, o serviço de investigação israelense trabalha contra o relógio para encontrar pistas sobre os criminosos antes que a comoção popular deflagre uma onda de violência.

Enquanto isso, no Vaticano, a cientista americana Charlotte Hennesey e o antropólogo italiano Giovanni Bersei são secretamente contratados para analisar um misterioso tesouro arqueológico que pode desvendar um grande mistério: um esqueleto humano de aproximadamente dois mil anos, com inconfundíveis marcas de crucificação.

Sob vigilância do malévolo Salvatore Conte, mercenário de confiança do Vaticano, Charlotte precisa trabalhar rápido para descobrir a surpreendente verdade que ameaça os pilares da fé.



UM LANÇAMENTO DA

O PROJETO HADES


O PROJETO HADES
de Lynn Sholes e Joe Moore


(autores dos
best-sellers: A Conspiração do Graal e O
Último Segredo)


Páginas: 344 págs


Fabricada com material da Árvore da Vida, usada para ferir o corpo de Cristo na Crucificação e possuída por alguns dos homens mais poderosos da história – Constantino, Carlos Magno, Adolf Hitler –, a Lança do Destino está prestes a ser usada novamente. Desta vez, as Forças do Mal devem encontrar essa antiga relíquia para lançar o Projeto Hades. A menos que Cotten Stone consiga deter os seus inimigos mortais, eles conseguirão provocar uma anarquia mundial sem precedentes, culminando na vitória final do Filho do Amanhecer, que possuirá a alma de todos os
homens, mulheres e crianças da Terra.

NOTÍCIA DE ÚLTIMA HORA NA SNN: Anomalia no relógio atómico BOULDER, Colorado Numa anomalia nunca vista, o Instituto Nacional de Estandardização e Tecnologia anunciou que, misteriosamente, o relógio atómico se adiantou hoje exactamente 666 anos. Algumas organizações sugerem que a alteração da data tem conotações bíblicas ou satânicas. «AQUELE QUE POSSUIR A LANÇA TERÁ NAS MÃOS O DESTINO DO MUNDO.» Forjada a partir da Árvore da Vida, utilizada para perfurar o flanco de Cristo quando da Crucificação e possuída por alguns dos homens mais poderosos da história do imperador Constantino a Carlos Magno e Adolf Hitler , a Lança do Destino está prestes a ser de novo convocada. Desta vez, as Forças do Mal vêem-se obrigadas a encontrar a antiga relíquia para lançarem o Projecto Hades. A menos que Cotten Stone os possa deter, os seus inimigos mortais lançarão o mundo num caos global e sem precedentes, que culminará com a derradeira vitória do Filho da Aurora, que tomará para si as almas de todos os homens, mulheres e crianças à face da Terra.

OS AUTORES


SOBRE O LIVRO
“Um romance excepcional, um labirinto tenebroso de suspense, intriga internacional e horror apocalíptico” - Douglas Preston, escritor best-seller do New York Times
“Revelador, absorvente, mas ainda mais importante do que isso, um suspense sensacional da primeira à última página!” – James Rollins, autor best-seller do New York Times




UM LANÇAMENTO