sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Nova oportunidade para inscrições nos cursos da Oficina de Música 2014



Ainda há vagas para alguns cursos da 32ª Oficina de Música de Curitiba, que será realizada de 5 a 26 de janeiro de 2014. A reabertura das inscrições acontece no próximo dia 5 de janeiro, quando o interessado deve preencher o cadastro disponível no site www.oficinademusica.org.br, com dados como nome completo, CPF, endereço, currículo, e-mail e telefone.
Após esse procedimento, o candidato deverá comparecer à Secretaria de Cursos, instalada na UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná, para escolher o curso e obter o número da conta para o pagamento, que será feito exclusivamente por depósito bancário.  A taxa de inscrição varia de acordo com o número de cursos e a modalidade: R$ 100 (um curso), R$ 150 (dois cursos), R$ 180 (três ou mais cursos distribuídos nas duas fases) e R$ 10 (cursos nas Ruas da Cidadania).
Realizada pela Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Curitiba (FCC), por meio do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (Icac), a Oficina de Música oferece, nesta edição, 107 cursos, distribuídos entre as fases de música erudita e música antiga (de 5 a 14 de janeiro), tendo como sede a UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná e, na segunda etapa, música popular (de 15 a 24 de janeiro), que acontece na FESP – Faculdade de Educação Superior do Paraná, além de cursos descentralizados, nas Regionais curitibanas.

Apoios – Para realizar a Oficina de Música, a Prefeitura e a Fundação Cultural de Curitiba (FCC), por meio do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), contam com o apoio das seguintes instituições: Faculdade de Educação Superior do Paraná (FESP), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Birmingham Conservatoire / City University, Embaixada de Portugal no Brasil, Camões Instituto da Cooperação e da Língua no Brasil, Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, Centro Cultural Teatro Guaíra, Comunidade do Redentor, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Consulado Geral da França em São Paulo, E-Paraná, Família Farinha, Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP), Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), Faculdade de Artes do Paraná (FAP), Goethe Institut Curitiba, Gramophone, Secretaria de Estado da Cultura, SESC Paço da Liberdade,  SESI - Serviço Social da Indústria e UFPR/Pró-Reitoria de Extensão e Cultura.  

Serviço:
Reabertura das inscrições para a 32ª Oficina de Música de Curitiba: dia 5 de janeiro de 2014, mediante preenchimento de cadastro no site www.oficinademusica.org.br, seguido de efetivação da inscrição na Secretaria de Cursos, instalada na UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná (Av. Sete de Setembro, 3.165 – Rebouças), quando o interessado recebe orientações para o pagamento.
Valores: R$ 100 (um curso), R$ 150 (dois cursos), R$ 180 (três ou mais cursos distribuídos nas duas fases), R$ 50 (minicursos), R$ 15 (Prática de Coro / adulto e infantil) e R$ 10 (cursos nas Regionais).
Mais informações sobre a 32ª Oficina de Música de Curitiba nos sites:
www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Horários dos espaços da Fundação Cultural de Curitiba para os feriados de Natal e ano novo


Em razão dos feriados de Natal e ano novo, os espaços gerenciados pela Fundação Cultural de Curitiba terão os horários de atendimento alterados.

Confira o que abre e fecha:
MUSEU DA FOTOGRAFIA CIDADE DE CURITIBA (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533, Centro) – Estará fechado nos dias 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.
MUSEU DA GRAVURA CIDADE DE CURITIBA (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533, Centro)
– Estará fechado nos dias 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.

GIBITECA DE CURITIBA (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533, Centro) – Estará fechada nos dias 23, 24 e 25 de dezembro; abre das 9h às 12h e das 14h às18h, nos 26 e 27; estará fechada em 28, 29, 30, 31 de dezembro e 1º de janeiro; retorna o atendimento no dia 2 de janeiro, das 9h às 12h e das 14h às18h; a partir de 4 de janeiro funciona das 14h às 19h.

CENTRO DE CRIATIVIDADE DE CURITIBA (Avenida Mateus Leme, 4700, Parque São Lourenço, Abranches) – Estará fechado nos dias 23, 24 e 25 de dezembro; abre das 9h às 19h, nos 26 e 27, e das 10h às 16h no dia 28; estará fechado 29, 30, 31 de dezembro e 1º de janeiro; retorna o atendimento no dia 2 de janeiro.

CINEMATECA DE CURITIBA (Rua Carlos Cavalcanti, 1.174, São Francisco)
– Fechada nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue o horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.

CASA HOFFMANN (Rua Claudino dos Santos, 58, Largo da Ordem) – Estará fechada nos dias 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.

MEMORIAL DE CURITIBA (Rua Claudino dos Santos, 79, Setor Histórico)
– Estará fechado nos dias 23, 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.

MUSEU DE ARTE SACRA DE CURITIBA – MASAC (Largo da Ordem, anexo à Igreja da Ordem) – Estará fechado nos dias 23, 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.

CASA ROMÁRIO MARTINS (Largo da Ordem, Setor Histórico)
– Estará fechada nos dias 23, 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.
MEMORIAL DA IMIGRAÇÃO POLONESA (Bosque do Papa, Rua Mateus Leme)
– Abre conforme o horário de funcionamento do espaço, das 9h às 18h (sábado, domingo e feriado).
MEMORIAL UCRANIANO (Parque Tingui)
– Abre conforme o horário de funcionamento do espaço, das 9h às 18h (sábado, domingo e feriado).
PORTÃO CULTURAL (Av. República Argentina, 3430, Portão)
– Os espaços Centro de Arte Digital, MuMa e Auditório Antonio Carlos Kraide Estarão fechados nos dias 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.
O Cine Guarani ficará fechado dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1º de janeiro

TEATRO UNIVERSITÁRIO DE CURITIBA – TUC, GALERIA DE ARTE URBANA E CLUBE DE XADEZ ERBO STENZEL (Galeria Júlio Moreira, Setor Histórico)
– Estarão fechados nos dias 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.
TEATRO NOVELAS CURITIBANAS (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 1222, São Francisco)
– Fechado nos dias 23, 24, 25, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.
TEATRO CLEON JACQUES (Av. Mateus Leme, 4700, São Lourenço)
– Estará fechado nos dias 23, 24 e 25 de dezembro; abre das 9h às 19h, nos 26 e 27, e das 10h às 16h no dia 28; estará fechado 29, 30, 31 de dezembro e 1º de janeiro; retorna o atendimento no dia 2 de janeiro.
TEATRO DE BONECOS Dr. BOTICA (Av. Sete de Setembro, 2775, Shopping Estação – Centro)
– Fechado nos dias 23, 24, 25, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.
CONSERVATÓRIO DE MPB (Rua Mateus Leme, 66, Largo da Ordem - São Francisco)
– Estará fechado nos dias 23, 24 e 25 de dezembro; abre nos 26 e 27; estará fechado em 28, 29, 30, 31 de dezembro e 1º de janeiro; retorna o atendimento no dia 2 de janeiro, mas fica fechado nos dias 4 e 5.
TEATRO DO PAIOL (Praca Guido Viaro, s/nº - Prado Velho)
– Fechado nos dias 25 de dezembro e 1º de janeiro. Nos demais dias, segue o horário normal de funcionamento do espaço, conforme programação agendada.
ESTAÇÃO DA LEITURA DO PINHEIRINHO – (Terminal do Pinheirinho, Pinheirinho)
Terá horário especial de atendimento nos dias 26 e 27 de dezembro, 2 e 3 de janeiro (das 9h às 18h); estará fechada nos dias 23, 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.
BONDINHO DA LEITURA (Rua XV de Novembro, Centro)
Terá horário especial de atendimento nos dias 26 e 27 de dezembro, 2 e 3 de janeiro (das 9h às 18h); estará fechado nos dias 23, 24, 25, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.

CASAS DA LEITURA:
Estarão fechadas nos dias 23, 24, 25, 29, 30 e 31 de dezembro e 1º de janeiro.

COTOVIA - Férias e Boas Festas!!!

Informamos que estaremos encerrados para férias de 25 de Dezembro a 1 de Janeiro. Todas as encomendas feitas durante este período só serão satisfeitas a partir de 2 de Janeiro.

Boas Festas!!!

A equipa da Cotovia.

Outra crônica de Natal da Urda

O Dia Mais Mágico do Ano


 

Nós começávamos a esperá-lo muitos dias antes, lá pelo começo de Dezembro, quando, diariamente, na hora do almoço fazíamos um xis sobre o calendário pendurado na parede, perto da mesa, e depois contávamos quantos dias faltavam para o Natal. Outro sinal era o do canto das cigarras, infalíveis anunciadoras de Papai Noel – Ouvir a primeira cigarra era a certeza de que a magia começara! Depois, havia outros sinais, como meu pai instalando o velho pisca-pisca num pessegueiro que havia diante da nossa casa, e a faxina geral que se fazia na casa, e a coroa do Advento na mesa da sala, o dia de se fazer doces-de-Natal, os cantos de Advento na Igreja, o vestido novo a ser provado, a ida à cidade para se comprar novos sapatos... parecia que o dia não iria chegar nunca, mas, numa manhã, ele estava lá!

24 de Dezembro sempre foi, para mim, o dia mais mágico do ano. Eu me lembro, na infância, do grande nervosismo que tomava conta de todos nós desde a manhã desse dia. Minha mãe amanhecia cuidando dos últimos detalhes, deixando a casa impecavelmente limpa, e dando bronca na gente, que estávamos tão excitados que derramávamos o Toddy na toalha da mesa e deixávamos o cachorro entrar em casa e outras coisas assim.

Meu pai, nesses alturas, estava no jardim, cortando um pinheiro, e corríamos para vê-lo. Ele plantava o pinheiro cortado num lata cheia de terra, e carregava tudo para dentro, para a sala de assoalho rebrilhante de tão encerado, e é claro que alguma terra acabava caindo no brilho do assoalho, e que nós pisávamos em cima incontinenti, e saíamos sujando a casa toda, e ai vinha o motivo para apanharmos a primeira vez naquele dia. Ninguém ligava quando apanhava, o que a gente queria era ver o pinheiro enfeitado, e quando meu pai buscava a caixa com os enfeite de Natal, havia um frenesi de excitação tomando conta de nós.

Até aí, minha mãe já havia limpado a terra que caíra no chão encerado, e tudo era muito solene, com eles pendurando cuidadosamente as bolas coloridas de forma simétrica pelos galhos do pinheiro, e nós a queremos ajudar. Sempre conseguíamos derrubar alguma bola no chão, que se estilhaçava espalhando  miríades de cacos de vidro colorido pela sala toda, os quais tentávamos ajuntar antes que minha mãe ficasse muito braba, eu, totalmente encantada pelo brilho do vidro quebrado, e nessa horas sempre um caco de vidro entrava no dedo de alguém e produzia abundante sangramento, o que deixava minha mãe mais nervosa do que já estava.

Nunca esqueço que, o tempo todo, nesses dias de Natal, o rádio estava ligado na Rádio Nereu Ramos, que transmitia músicas natalinas entremeadas com votos de boas festas de todas as casas comerciais da cidade e, mais que tudo, eu gostava daquelas musiquinhas tocadas pela harpa paraguaia de Luís Bordón, e o dia fugia dentro dos muitos afazeres, ao mesmo tempo que parecia que nunca iria anoitecer.

No final da tarde, enfim, estava tudo pronto, tudo no seu lugar, e era hora de tomarmos banho e botarmos roupas limpas. Era dia claro, ainda, e jantávamos frugalmente, pão com sardinha e nata, enquanto lá fora, as cigarras quase arrebentavam de tanto cantar, emissárias certas de que a magia só iria aumentar com o cair da noite. Nessas refeições de prelúdio de Natal, era mister que comêssemos uma melancia, e a degustávamos nervosamente, loucos para que a noite caísse e as coisas começassem a acontecer.

E então escurecia. Estava chegando a hora. Minha mãe pegava seu melhores pratos de porcelana, enchia-os de doces-de-Natal e os levava para a sala. Ela e meu pai acendiam as velinhas coloridas do pinheiro enfeitado, dando-lhe um ar de magia que só poderia existir, mesmo, numa noite assim. E nós nos sentávamos, angustiados, expectantes, quase explodindo de tensão, porque sabíamos que logo logo Papai Noel iria bater na porta. O mundo ficava tomado de tal encanto que era difícil de suportar, enquanto as cigarras continuavam cantando e o pisca-pisca do pessegueiro continuava piscando. As velas do nosso pinheirinho ardiam misteriosamente, quando ouvíamos o portão bater, certeza inconfundível que o bom velhinho viera. E então tínhamos certeza de que não poderia haver no mundo nada melhor do que aquilo, aquele dia de nervosismo e aquela noite de magia!



Blumenau, 13 de Dezembro de 1991.



Urda Alice Klueger

10/1 TAPA RETORNA AO ARENA COM 2 ESPETÁCULOS

Grupo Tapa no Teatro de Arena
em 2014

de 10 de janeiro a 2 de fevereiro

Anti-Nelson Rodrigues
Qui, sex e sab, às 21h, e dom, às 19h.

As Viúvas
Qua, às 21h, e Sáb, às 18h30


As Viúvas
de Artur de Azevedo ( 1855-1908)




Ambientado no inicio do século, As Viúvas é um espetáculo composto por três comédias curtas em que três viúvas apresentam suas estratégias para conseguir um casamento. A partir desse tema provocativo o autor maranhense Arthur de Azevedo expõem os valores do final do século XIX. Escritas em anos diferentes, os textos que compõem o espetáculo são Amor por Anexins (1870), Uma Consulta (1901) e O Oráculo (1907).

Serviço:

As Viúvas  de Artur de Azevedo

Direção - Sandra Corveloni

Elenco - Brian Penido, Bruno Barchesi, Clara Carvalho, Cintia Hussey, Riba Carlovich, Fernando Paz / Elcio Rodrigues, Paloma Galasso e Tony Giusti.

Pianista: Jerry Bello

Temporada: de 10 de janeiro a 2 de fevereiro
Qua, às 21h, e Sáb, às 18h30.
Classificação: livre
Duração: 75 minutos




ANTI-NELSON RODRIGUES






Escrita em 1973, essa penúltima peça do maior
dramaturgo brasileiro é um sumário das melhores
e mais saborosas situações rodrigueanas.
Entre humor e o drama, as personagens transitam
à deriva em busca de amor e redenção.

Texto repleto de frases antológicas, tão marcantes
no universo do autor, desde a sua primeira montagem há quarenta anos
“Anti-Nelson Rodrigues” não foi mais encenada profissionalmente,
o que lhe dá um tom de quase ineditismo.

“Anti-Nelson Rodrigues” é um texto surpreendente
à espera de ser redescoberto por várias gerações
que conhecem sobretudo as obras canônicas do autor.


ANTI-NELSON RODRIGUES
Direção: Eduardo Tolentino de Araújo
Elenco:
Augusto Zacchi,
Carol Cashie,
Clara Carvalho,
Conrado Sardinha / Cesar Baccan
Oswaldo Mendes
Penha Pietra’s
Riba Carlovich
Temporada: de 10 de janeiro a 2 de fevereiro
Qui, sex e sab, às 21h, e dom, às 19h.
Duração: 90 minutos



Teatro de Arena Eugênio Kusnet
Rua Dr. Teodoro Baima, 94 – República
Tel: 11. 3256.9463

Capacidade: 98 lugares
Ingressos: R$ 20,00 / R$ 10,00 meia
Bilheteria abre uma hora antes do espetáculo
Vendas só em dinheiro

Festival Sesc_Videobrasil debate interação entre vídeo, cinema e artes visuais no Pivô




Festival Sesc_Videobrasil debate interação entre vídeo, cinema e artes visuais no Pivô

No ano em que comemora 30 anos de história, o Festival de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, em sua 18ª edição, debateu na noite de quarta-feira (18/12) um dos temas mais caros à sua história: a questão da relação do vídeo com as artes visuais e o cinema no encontro “Estranhamento zero: o vídeo entre o cinema e as artes visuais”, parte da programação do Foco 6 - Reflexões em Deslocamento dos Programas Públicos do Festival, que propõe encontros que vão além dos espaços expositivos do Festival e suas temáticas.

Mediado por Eduardo de Jesus, um dos curadores do Festival, o debate teve a participação do cineasta Kiko Goifman (Olhe pra mim de novo), que participou da 10ª à 15ª edição do Festival; do artista plástico e cineasta Cao Guimarães (Andarilho), que esteve em cinco edições anteriores do Sesc_Videobrasil e com a diretora da Escola de Comunicação da UFRJ, Ivana Bentes, pesquisadora do assunto.

Para abrir o encontro, dois filmes foram projetados. Concerto para Clorofila, de Cao Guimarães, que apresenta uma sequência de paisagens naturais ao som da música instrumental que dá título ao filme, e Território Vermelho, de Kiko Goifman, feito a partir da iniciativa de deixar uma câmera na mão de pessoas que trabalham ou pedem dinheiro em semáforos. Os dois filmes foram apresentados na 15ª edição do Festival, que aconteceu em 2005.

Para Ivana Bentes, que abriu o debate, nunca houve um “estranhamento zero” entre o vídeo e as outras linguagens – cinema, TV e artes visuais –, que acabavam por marginalizá-lo, ao mesmo tempo em que ele criava uma linguagem própria e se apropriava de outras, como as artes plásticas. “No vídeo do Kiko (exibido antes do debate), estão incorporadas várias outras linguagens. Grupos distintos se apropriam de uma linguagem”, afirmou. “A força da imagem faz com que ela seja apropriada e revirada. Os vídeos produzidos pela Mídia Ninja fazem uma apropriação selvagem da imagem. Eles descobrem a estética colocando o corpo na rua, neste estado de urgência.”

Cao Guimarães vê “o vídeo como uma ferramenta de captura de imagem em movimento como a película e o Super 8”. Para ele, a função do vídeo hoje à do folhetim no século 19, que é a de narrar a vida cotidiana. Na época em que essa linguagem começou a se estabelecer, porém, nos anos 1980, o vídeo foi uma maneira de quebrar paradigmas da linguagem do cinema, trazendo de volta, por exemplo, o espaço para tela. “O cinema é uma arte do tempo, é uma arte em que o espaço foi eliminado por inteiro”, disse. “O vídeo foi meu cinema nao só por oider fzer planos longuissimos, deixar o fluxo da vida entrar, como trouxe a ideia de espacialidade de volta para o cinema.”

Além disso, segundo Cao, o vídeo foi uma oportunidade para aqueles que desejavam trabalhar com cinema e imagem poderem trabalhar, por conta de seus custos menores. “Não tinha como fazer cinema, o vídeo foi um meio.”

Foi essa dificuldade de se aproximar do cinema, mesmo porque os distribuidores não exibiam nem se interessavam pela video-arte, que a sua obra se aproximou das artes plásticas, sendo exibida em galerias, e que o próprio vídeo se aproximou das artes plásticas. “Se a gente pega a vídeo-arte nos anos 1980 a quantidade de metáforas que havia, o infinito, a imagem rebobinada, a gente vê que é a descoberta de uma linguagem”, afirmou. “Mas não vejo estranhamento zero (entre as linguagens). Vejo estranhamento máximo.”

Kiko Goifman, que já participou de seis edições do Videobrasil, falou da importância do festival em sua carreira. “Essa ideia do punk sempre norteou minha vida. Do it yourself (faça você mesmo)”, contou. “O cinema é careta historicamente, comercial, problemático. O Videobrasil foi um lugar em que vi muitas inovações e que possibilitou que eu produzisse também” e lembrou que nos anos 1980, quem fazia vídeo era mal visto por quem trabalhava no cinema. “Quem fazia vídeo era a escória da escória.”

Criadora e curadora-geral do Festival, que foi o meio de acesso para toda produção em vídeo que se fazia nos anos 1980, Solange Farkas afirmou que a vídeo-arte, naquele momento passou por um momento de afirmação. “Hoje nao tem mais isso. O vídeo era rechaçado pelos dois pólos em que ele deveria estar, tanto o cinema quanto a TV”, contou.

No final da mesa, Ivana Bentes lançou uma questão. “Onde se dá o estranhamento máximo hoje? A gente está num mundo de conflito. Os artistas não estão nas ruas, a rua não está na galeria”, afirma.

Todos os presentes concordaram, porém, que os limites entre o cinema, artes visuais e vídeo estão cada vez mais diluídos, assim como os conceitos de arte e artista.

HIM no Brasil! Setores para única apresentação já estão esgotados

O HIM, considerado um dos maiores ícones da música rock/metal mundial, faz única apresentação, no próximo dia 30 de março de 2014, no HSBC Brasil, em São Paulo. Alguns setores já estão com ingressos esgotados!

Banda vem pela primeira vez ao país em 22 anos de carreira – foto: divulgação
 
A produtora Rádio & TV Corsário recentemente anunciou a vinda da cultuada banda HIM ao Brasil. A única apresentação do grupo no país acontece apenas no dia 30 de março de 2014, no HSBC Brasil, em São Paulo, mas alguns setores já estão esgotados! Os ingressos de pista normal (1° lote), pista vip (1° e 2° lote) acabaram rapidamente.
 
Os fãs interessados em conferir a performance de Ville Valo (vocal), Mikko Lindström (guitarra), Mikko Paananen (baixo), Mika Karppinen aka Gas Lipstick (bateria) e Janne Puurtinen (teclado) na capital paulistana devem correr. O site da Ingresso Rápido evidencia que existem poucos lugares disponíveis à venda no setores de camarote, frisas e cadeira alta. Um novo lote foi aberto nas últimas horas. Mais informações no serviço abaixo.
 
Neste momento, o HIM está em plena turnê promocional do bem-sucedido álbum “Tears on Tape” (Universal Music). Com uma lista de hits absolutos como "For You", "Your Sweet Six Six Six", "Wicked Game" (cover de Chris Isaak), "The Heartless", "When Love and Death Embrace", "(Don't Fear) The Reaper" (cover de Blue Öyster Cult), "Poison Girl", "Join Me in Death", "Right Here in My Arms", "Buried Alive By Love" e "The Funeral of Hearts", e uma série de álbuns que se tornaram clássicos -  como “Greatest Love Songs Vol. 666” (1997), “Razorblade Romance” (1999), “Love Metal” (2003) e “Venus Doom” (2007), o Love Metal do grupo se estabeleceu como um fenômeno global.
 
A tão aguardada excursão pela América Latina consiste, por enquanto, nas seguintes datas:
30/03/2014 - HSBC Brasil – São Paulo, Brasil     
01/04/2014 - Teatro Caupolican – Santiago, Chile     
03/04/2014 - Teatro Flores – Buenos Aires, Argentina     
04/04/2014 - Teatro Flores – Buenos Aires, Argentina
Show no México será anunciado nas próximas horas.
 
Links relacionados:
 
Serviço São Paulo
Rádio & TV Corsário orgulhosamente apresenta HIM no Brasil
Dia: 30 de março de 2013, domingo
Horário: 20h00
Abertura da casa: 2h00 antes do início do espetáculo
Local: HSBC Brasil
End: Rua Bragança Paulista, 1281 – Chácara Santo Antônio
 
Informações e compra de ingressos:
# BILHETERIAS HSBC BRASIL - Rua Bragança Paulista, 1281 / Chácara Santo Antônio.
(Horário de atendimento até o dia 23/12: segunda a sábado, das 10h às 21h e domingos e feriados, das 10h às 20h)
 
# COMPRA POR TELEFONE - Ingresso Rápido - Tel: 4003-1212
(Horário de atendimento: segunda a sábado, das 9h às 22h)
(Formas de Pagamento: cartões de crédito Visa, Mastercard, Credicard, Diners);
 
# COMPRA PELA INTERNET
(Formas de Pagamento: cartões de crédito Visa, Mastercard, Credicard, Diners);
 
# PONTOS DE VENDA CAPITAL, INTERIOR E OUTROS ESTADOS
 
Taxa de Compra através da Ingresso Rápido
Compra em ponto-de-venda: 15% do valor do ingresso
Entrega em domicílio Grande São Paulo: R$ 15,00
Entrega em domicílio São Paulo Capital: R$ 10,00
Retirada na bilheteria: R$ 5,00
 
Para a compra de ingressos para estudantes, aposentados e professores estaduais, os mesmos devem comparecer pessoalmente portando documento na bilheteria respectiva ao show ou nos pontos de venda da Ingresso Rápido. Esclarecemos que a venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do titular da carteira estudantil no ato da compra e no dia do espetáculo, munido de documento que comprove condição prevista em lei.
 
BILHETERIA
Camarote: R$ 350,00
Frisa: R$ 300,00
Cadeira Alta: R$ 250,00
Pista Vip 1° Lote: ESGOTADO
Pista Vip 2° Lote: ESGOTADO
Pista Vip 3° Lote: R$ 440,00
 
Pista 1° Lote: ESGOTADO
Pista 2° Lote: R$ 190,00
Pista 3° Lote: R$ 240,00
 
Meia-entrada
Camarote:R$ 175,00
Frisa: ESGOTADO
Cadeira Alta: R$ 125,00
 
Pista Vip 1° Lote: ESGOTADO
Pista Vip 2° Lote: R$ ESGOTADO
Pista Vip 3° Lote: R$ 220,00
 
Pista 1° Lote: ESGOTADO
Pista 2° Lote: R$ 95,00
Pista 3° Lote: R$ 120,00
 
Capacidade: 4000 lugares
Censura: 14 anos (desacompanhados). Menores dessa idade somente acompanhados dos pais ou responsáveis.
Duração: Aproximadamente 1h30
Abertura da Casa: 2h antes do espetáculo
Estacionamento: Hot Valet (com manobrista)
Aceitamos dinheiro e cartões de débito e crédito (Visa, Mastercard, Credicard e Diners)
Não aceitamos cheques
Acesso para deficientes físicos
Ar condicionado
 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Flip e revista serrote apresentam e-book Três ensaios


 
Publicação reúne três dos 14 ensaios escritos pelos alunos da oficina literária realizada durante a última edição da Flip
 
Em 2013, a tradicional oficina literária da Flip foi dedicada ao ensaio, gênero fronteiriço entre o jornalismo e a literatura.A Flip e a revista serrote apresentam agora o ebookTrês ensaios, resultado do trabalho desenvolvido durante a 11ª edição da festa literária, realizada de 4 a 6 de julho de 2013.
Coordenada por Paulo Roberto Pires, editor da revista serrote, publicação quadrimestral de ensaios do Instituto Moreira Salles, a oficina contou com a participação do escritor brasileiro Francisco Bosco e do ensaísta e escritor britânico GeoffDyer. As aulas, para 17 alunos pré-selecionados (entre mais de 50 inscritos), aconteceram na Pousada Literária, em Paraty.
Dos 14 ensaios escritos (três alunos não apresentaram seus textos), foram selecionados três. Não houve competição, e sim a vontade de mostrar raciocínios e estilos que definem um bom ensaio. “Mais do que um capricho intelectual, divulgar e estudar o ensaio hoje são para mim uma tomada de posição. Trata-se de uma das formas possíveis de fazer frente ao esvaziamento do jornalismo e da academia em suas configurações mais tradicionais”, afirma o editor e professor da oficina literária. 
O ensaio “Entre os crentes”, da carioca Anna Virginia Balloussier, mostra os esforços da jornalista que procura compreender o universo evangélico brasileiro. “Diante da linha de sombra”, do médico Daniel Martins de Barros, reflete sobre o medo e outros sintomas da angústia, especialmente a que se desenvolve no momento de transição entre a vida adolescente e a adulta. Por último, “A poética das frestas”, da contista Vanessa C. Rodrigues, combina filosofia e literatura para decifrar uma cena da infância, no sutil entrelaçamento entre o lido e o vivido.
Para Paulo Roberto Pires, trata-se de um gênero que privilegia a clareza e tem como destinatário o leitor inteligente, não necessariamente especializado. “Desde Montaigne, o ensaio é um convite à conversa inteligente entre quem escreve e quem lê – conversa na qual os dois mais aprendem do que ensinam.”
O ebookTrês ensaios é gratuito e pode ser baixado na página daFlip www.flip.org.br e também na da revista serrote: www.revistaserrote.com.br.
 
A Flip 2014 acontecerá entre 30 de julho e 3 de agosto. Realizada sempre no início do mês de julho, a Flip escolhe nova data para essa edição em função da Copa do Mundo, que acontece durante o mês de julho no Brasil.


Mentiras genuínas de Nora Roberts

   

Mentiras genuínas

de   Nora Roberts

Título Original:     Genuine Lies
Tradutor:     Bruna Hartstein
   
Páginas:     630
Formato:     16 x 23 cm


Com quase 680 milhões de exemplares vendidos no mundo, traduzidos para mais de quarenta idiomas, em que, somados, permaneceram quase mil semanas na lista de mais vendidos do The New York Times, Nora Roberts apresenta um de seus maiores sucessos: Mentiras genuínas.

Eve Benedict fez de quase tudo na vida. Foi uma das maiores atrizes da história de Hollywood, ganhou dois Oscar e um Tony, teve quatro maridos e uma legião de amantes. Sua beleza é estonteante, seu poder, inigualável. Não há segredo ou mentira de Hollywood que ela não conheça. Após cinquenta anos sob os holofotes, ela quer passar sua vida para o papel. Mas todos estão a seus pés, implorando para que ela não faça isso. Até que ponto a renomada biógrafa Julia Summers estará disposta a arriscar a própria vida pelos segredos de outra mulher?

Mentiras genuínas traz uma história eletrizante de suspense, intriga e romance. Para isso, Nora Roberts criou um cenário vívido de Hollywood, centro cinematográfico mais importante do mundo, onde muitos mistérios pairam no ar. No fim, por meio de muitas reviravoltas, o leitor terminará o sem acreditar no desfecho.

“Simplesmente inigualável.” (The Boston Globe)

“Nora Roberts consegue realizar os nossos maiores sonhos.” (The New York Times)

“Nora Roberts faz um trabalho magnífico ao entrelaçar as excitantes histórias do passado de Eve Benedict à história de amor que se desenvolve.” (USA Today)


Lançamento





Bixiga 70 faz show no projeto "Som em 4 Tempos" no dia 20 de dezembro



Banda apresenta as músicas de seu segundo disco na Sala Guiomar Novaes
O Bixiga 70 participa do projeto "Som em 4 Tempos" no dia 20 (sexta), na sala Guiomar Novaes, às 20h. Representante da nova cena musical, o grupo explora o território de fusão da música instrumental africana, latina e brasileira em composições próprias e versões de artistas brasileiros, como Luiz Gonzaga, Pedro Santos e Os Tincoãs.
O segundo álbum da banda, o homônimo "Bixiga 70", une os ritmos dos terreiros, a cultura jamaicana, as dinâmicas jazzísticas, os sons que vibram nos acordes da música do Pará, as vibrações da Etiópia e um certo clima de “blaxploitation à brasileira”. Num mesmo disco estão compondo, criando e tocando as composições criadas a partir de trabalhos desenvolvidos no estúdio Traquitana, localizado no coração boêmio de São Paulo, o Bixiga.
No palco, Décio 7 (bateria), Marcelo Dworecki (baixo), Maurício Fleury (teclado e guitarra), Cris Scabello (guitarra), Rômulo Nardes (percussão), Gustavo Cék (percussão), Cuca Ferreira ( sax baritono), Daniel Nogueira (sax tenor), Douglas Antunes ( trombone) e Daniel Gralha (trompete) irão tocar músicas do novo “Bixiga 70”, como “Deixa a Gira Girá”, “Ocupai”, “Kalimba”, “5 Esquinas”, “Kriptonita”, “Tigre’, “Tangará”, “Retirantes” e “Isa”.
 Show: Bixiga70 
Dia 20 de dezembro sexta, 20h
Duração: cerca de 60min| Recomendação etária: livre | Ingressos: R$10 (meia: R$5)
Endereço: Alameda Northman,158 - Santa Cecília

Os portões de John Connolly

   

Os portões

de  John Connolly

Título Original:     The Gates
Tradutor:     Dênia Sad

Páginas:     304
Formato:     16 x 23 cm
  

Como todas as suas obras voltadas para o público jovem, John Connolly, em Os portões, apresenta uma história extremamente criativa, com uma linguagem típica dos jovens e várias citações literárias importantes, desde São Tomás de Aquino até a teoria quântica. Como o próprio autor afirma, “um livro precisa, acima de tudo, ensinar às pessoas amar a literatura”. Escrito para um público mais novo do que o de O livro das coisas perdidas, sua obra anterior publicada pela Bertrand, mas, da mesma forma, original, o livro possui várias citações e mensagens subliminares ao longo de toda a trama. Connolly, conhecido por sua criatividade mágica, consegue novamente produzir uma história diferente de todas as demais do gênero. Os portões é uma narrativa divertida e mágica de um menino de 11 anos que, ao lado dos dois melhores amigos e seu cachorro, precisa evitar que os demônios vindos do inferno dominem o planeta Terra. O título do livro refere-se às portas que se abrem para a saída dessas criaturas malignas.  John Connolly mistura fantasia, humor e ciência numa história arrebatadora, que prova que aprender também pode ser muito divertido. Com certeza, todo leitor vai se divertir com as notas de rodapé do autor.  “Demoníaco e sombriamente cômico, salpicado de ciência, história e notas de rodapé engraçadas sobre todos os assuntos, desde São Tomás de Aquino até a teoria quântica.” (Daily Telegraph) “Chocante!” (Jeffrey Deaver) “Connolly tem uma mente repleta de histórias fantásticas.” (O Estado de S. Paulo)
 




O AUTOR
John Connolly
nasceu em Dublin em 1968. É o autor irlandês mais conhecido pelo mundo na atualidade e o primeiro autor não americano a ganhar o prêmio US Shamus.



Lançamento










Casa Kozák é doada para a Prefeitura de Curitiba




Imóvel no Uberaba voltará a ser biblioteca, obras devem começar em 2014 

A Casa Kozák, imóvel localizado no bairro do Uberaba e que faz parte do espólio do cineasta e pesquisador Vladimir Kozák falecido em 1979, sem deixar herdeiros, foi doada pelo governo do Estado à Prefeitura Municipal de Curitiba após solicitação feita pelo prefeito Gustavo Fruet. A decisão publicada no Diário Oficial do Estado foi sancionada no último dia 6 de dezembro e prevê a reativação da biblioteca em até dois anos. Com a transferência do imóvel para a Prefeitura de Curitiba, a administração municipal poderá incluir no orçamento para 2014 a previsão de recursos para reforma e reativação da biblioteca. 

Na sexta-feira (13), líderes comunitários do Uberaba estiveram reunidos, na sede da Fundação Cultural de Curitiba, com o presidente Marcos Cordiolli e o vereador Helio Wirbiski que anunciou a destinação de R$ 250 mil de suas emendas individuais para as obras e outros R$ 50 mil para a manutenção do espaço. As emendas serão votadas na próxima semana.

Cordiolli enalteceu o trabalho conjunto realizado pelos poderes públicos. 
“Vamos honrar a confiança do prefeito Gustavo Fruet, do governador Beto e Richa e do vereador Helio Wirbiski levando programas que ajudem a ampliar o acesso à literatura e à cultura no bairro do Uberaba”, disse Cordiolli.

“Esse é um presente que os moradores do Uberaba e região aguardam há muito tempo e que conquistamos depois de um ano de muito trabalho junto ao governo do Estado e a Prefeitura de Curitiba”, afirmou Wirbiski.
Histórico – Localizada na Vila São Paulo, na Rua Padre Júlio Saavedra, n° 588, a Casa Kozák tornou-se um Centro de Cultura e biblioteca em 1992. Por decisão judicial, a casa com os móveis, objetos, filmes e outros registros deixados por Kozák foi incorporada ao acervo do Museu Paranaense. Em julho de 2011, foram identificados vários problemas estruturais na edificação, razão pela qual foi solicitada vistoria por parte da COSEDI – Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis, que emitiu relatório sugerindo a imediata interdição do local. Considerando que a referida casa não era propriedade do Município ou da Fundação Cultural de Curitiba e sim do Estado do Paraná, o imóvel foi devolvido ao Estado para a elaboração de projeto de reforma.

O pesquisador – Tcheco naturalizado brasileiro, Vladimir Kozák chegou ao Brasil em 1924, instalando-se no Paraná. Depois percorreu outros estados brasileiros, registrando em filmes, fotografias, desenhos e aquarelas o cotidiano de grupos indígenas brasileiros e manifestações da cultura popular. Os registros cinematográficos reúnem 36 horas de filmes em 16mm coloridos e não sonorizados. Grande parte das filmagens é dedicada ao homem e ao território paranaense, entre as décadas de 1940 e 1950, e constitui uma rica fonte de pesquisas para cineastas, antropólogos, geógrafos, biólogos e historiadores.

Megadeth: ingressos para histórica apresentação no Brasil à venda


Os ingressos para a única apresentação da banda norte-americana Megadeth no Brasil, já estão à venda. Show, que faz parte da turnê que comemora 20 anos de lançamento do clássico álbum “Youthanasia”, está confirmado para o dia 4 de maio de 2014, no Espaço das Américas, em São Paulo. 







Banda tocará clássico álbum “Youthanasia” na integra – foto divulgação
A Rádio & TV Corsário recentemente anunciou o retorno do Megadeth, considerado um dos maiores ícones do heavy metal mundial, ao Brasil. O grupo vem ao país trazendo na bagagem a turnê que celebra 20 anos de lançamento do clássico álbum “Youthanasia”. O show está confirmado para o dia 4 de maio de 2014, no Espaço das Américas, em São Paulo.
O púbico interessado em conferir a esta performance histórica de Dave Mustaine (vocal/guitarra), David Ellefson (baixo), Chris Broderick (guitarra) e Shawn Drover (bateria) na capital paulistana, pode garantir presença antecipada pelo site da Ticket 360 (www.ticket360.com.br) e pontos autorizados, nas bilheterias do Espaço das Américas.
Os ingressos de 1° lote custam R$ 80,00 (pista meia entrada promo), R$ 160,00 (pista inteira), R$ 160,00 (pista vip entrada promo), R$ 320,00 (pista vip inteira), R$ 175,00 (mezanino meia entrada promo) e R$ 350,00 (mezanino inteira). Mais informações no serviço abaixo.
“Youthanasia” é um dos trabalhos mais importantes na história da música pesada. Lançado em 1994 e seguindo uma linha mais cadenciada, o álbum ganhou disco de ouro, platina e prata em diversos países, fincou posição no topo das paradas mundiais e traz clássicos como "Reckoning Day", "Train of Consequences", "A Tout le Monde", "Elysian Fields", "The Killing Road", "Blood of Heroes", "Family Tree" e a faixa título.
A excursão pela América do Sul consiste, até o momento, nas seguintes datas:
26/04 - The Metal Fest 2014 - Santiago, Chile
01/05 - Estádio Cubierto Malvinas - Buenos Aires, Argentina
04/05 - Espaço Das Américas - São Paulo, Brasil
Com quase 40 milhões de discos vendidos, nomeado para 10 Grammys e vivendo um dos melhores momentos de sua carreira, o Megadeth atualmente está em plena turnê promocional do álbum “Super Collider”.
Formada em 1983, após Dave Mustaine ter saído do Metallica, o grupo lançou 14 álbuns de estúdio, quatro álbuns ao vivo, dois EP e cinco compilações. A última vinda ao Brasil, aconteceu em outubro deste ano, quando abriram alguns shows para o Black Sabbath.
Links relacionados:

Nile confirma show no renomado Hellfest Open Air

O Nile, um dos grupos mais respeitados do technical death metal, foi confirmada como atração do renomado e concorrido festival francês Hellfest Open Air. Banda está prestes a desembarcar no Brasil. Os shows acontecem em Curitiba (19/12 – Music Hall), São Paulo (21/12 – Carioca Club) e Porto Alegre (22/12 – Opinião). Ainda há ingressos à venda. 
 
 

 


Grupo desembarca no Brasil na próxima semana com repertório de clássicos – foto: divulgação
 
A banda norte-americana Nile, um dos nomes mais respeitados do technical death metal, continua em ascensão no cenário internacional. Após encerrar rápida passagem pela Austrália, o grupo confirmou apresentações em dois importantes festivais: o NEW ENGLAND METAL & HARDCORE FESTIVAL, que acontece entre os dias 17, 18 e 19 de abril, em Massachusetts (EUA), ao lado de Iced Earth, All That Remains, Sabaton e Revamp, e garantiu presença no concorrido Hellfest Open Air, que será realizado, no dia 21 de junho, em Clisson (FRA), tendo Iron Maiden, Aerosmith, Black Sabbath, Megadeth, Deep Purple, Slayer, entre outros grandes nomes, no cast.
 
Na próxima semana, Karl Sanders (guitarra/vocal), Dallas Toler-Wade (guitarra/vocal), Chris Lollis (baixo/vocal) e George Kollias (bateria) trazem a “At The Gate Of Sethu 2013 Tour” à América Latina. Os shows pelo Brasil acontecem em Curitiba (19/12 – Music Hall), São Paulo (21/12 – Carioca Club) e Porto Alegre (22/12 – Opinião).
 
Os fãs interessados em assistir a performance na capital paulistana podem garantir presença no site da Ticket Brasil (https://ticketbrasil.com.br/show/nile-sp) e nos pontos autorizados pela empresa. Os ingressos custam R$ 70,00* (pista meia-entrada), R$ 90,00* (pista promocional), R$ 150,00* (camarote meia-entrada) e R$ 200,00* (camarote promocional)*.
 
No repertório executado nas mais recentes exibições que divulgam o disco “At the Gate of Sethu” (Nuclear Blast Records), os músicos tocaram diversas composições consideradas clássicas. Confira o set list regular desta excursão:
Dusk Falls Upon the Temple of the Serpent on the Mount of Sunrise
Sacrifice Unto Sebek
Defiling the Gates of Ishtar
Kafir!
Hittite Dung Incantation
The Inevitable Degradation of Flesh
Enduring the Eternal Molestation of Flame
Supreme Humanism of Megalomania
Sarcophagus
The Howling of the Jinn
Ithyphallic
The Blessed Dead
Lashed to the Slave Stick
Unas Slayer of the Gods
Black Seeds of Vengeance
 
A turnê do Nile pela América Latina consiste nas seguintes datas:
14/12 - Lima, Peru - Bar Etnico
15/12 - Santiago, Chile - Caupolican
17/12 - Buenos Aires, Argentina - Roxy Live Show
19/12 - Curitiba, Brazil - Music Hall
21/12 - São Paulo, Brazil - Carioca Club
22/12 - Porto Alegre, Brazil – Opinião
 
Com quase 20 anos de estrada, o Nile destila técnica a cada riff, sendo a mitologia egípcia, árabe e mesopotâmica suas principais fontes líricas. A primeira passagem da banda pelo país aconteceu em 2010, quando se apresentaram, no dia 18 de março, no Santana Hall, em São Paulo.
 
Confira o videoclipe para a música "Enduring The Eternal Molestation Of Flame" em http://www.youtube.com/watch?v=99KHIkENKBM.