sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

O último tiro Título Original: One shot de Lee Child


O último tiro

Título Original:

One shot

de Lee Child

Tradutor:

Leo Oliveira

Páginas

406

Formato:

16 x 23 cm



O LIVRO


Aventura, suspense e um final imprevisível. Essa é a mistura apresentada por Lee Child nos seus best sellers, publicados em mais de 20 países. O último tiro, lançado anteriormente como Um tiro e considerado um dos melhores livros do autor, chega aos cinemas brasileiros no começo de 2013. O autor é hoje um dos três escritores do gênero policial mais vendidos no mundo.

O livro tem início com a descrição dos passos de um franco-atirador em direção a um massacre iminente: com controle, precisão, tranquilidade e seis disparos, cinco alvos são atingidos. Pânico, notícia e mistério: todas as evidências apontam para James Barr, um veterano da Guerra do Golfo, como o principal suspeito dos crimes. Barr, no entanto, se diz inocente. E sabe que apenas um homem terá coragem e tenacidade para perseguir a verdade: Jack Reacher, protagonista de todos os títulos de Lee Child.



A CRITICA

“Não se contentando em escrever um suspense estrondoso, Lee Child ainda nos apresenta um dos heróis verdadeiramente durões e memoráveis da ficção atual.”  - Jeffery Deaver

“Todos os romances com Jack Reacher têm histórias interessantíssimas.” - Stephen King

"Lee Child continua a sua ascensão meteórica e mostra domínio da escrita.” - Michael Connelly

“Os livros de Lee Child têm mais ação do que quaisquer outros títulos do gênero.” - Chicago Tribune



O AUTOR
Lee Child (www.leechild.com), britânico de Coventry, divide seu tempo entre o apartamento que possui em Manhattan (onde pode ser visto dirigindo seu possante Jaguar) e a sua casa de campo no Sul da França. Ao ser demitido em 1995, aos 40 anos de idade, devido a um processo de reestruturação na empresa, decidiu fazer desse episódio uma oportunidade de mudar de vida: mudou-se para os Estados Unidos, gastou seis dólares comprando lápis e papel e começou a escrever thrillers de ação (Child sempre foi um leitor voraz). Todos os seus romances têm como personagem principal o bom de briga Jack Reacher (invejado pelos homens, temido pelos inimigos e desejado pelas mulheres), e todos também foram bestsellers mundiais. Do autor, a Bertrand já publicou Dinheiro Sujo, seu primeiro romance. Adora literatura, música e esportes. É casado e tem uma filha.


O FILME

Lee Child: Tom Cruise As Jack Reacher





Jack Reacher Official Movie Featurette: Lee Child






LEIA TAMBÉM

Alerta final
Lee ChildR$ 49,00



UM LANÇAMENTO




60 contos diminutos de Marilia Pirillo

60 contos diminutos

de Marilia Pirillo

 

•Dimensões:
14 x 21cm

•Nº de páginas:
64

•Cores:
2×2

•Tipo de Leitor:
Leitor Crítico


Sabe aquela história de quem conta um conto aumenta um ponto? Esqueça - Marilia Pirillo pois um fim nesse dito e em rapidas tecladas conta um , conta outro, conta sessenta. Um por minuto? Sei lá, mas como pilulas, drops, gotas frenéticas que tecem duvidas, intrigam, alegram, desorientam...E quem já sabia de tudo ao fim de um conto, acabou com um outro dito, o cujo, o tal da pulga atrás da orelha. Livro dela não tem orelha? Esqueça, relaxe e leia, releia, treleia para o prazer nunca acabar. (E.C.)


O LIVRO
60 contos diminutos são minicontos para ler a qualquer hora.
Textos curtos, rápidos, de poucas linhas. Recortes da realidade, pequenas histórias do cotidiano.
Contos de muitos espaços. Espaços provocadores, deixados ali de propósito porque algumas vezes muito mais interessante que mostrar é apenas sugerir e deixar ao leitor a tarefa de “preencher” as lacunas e entender a história por trás da história.
São 60 contos para fazer pensar, questionar, concordar ou discordar. Para imaginar diferente, se identificar, dar de ombros, detestar ou adorar.

A AUTORA
Marilia Pirillo
É gaúcha de Porto Alegre, nascida em 1969. Estudou Artes e se formou em Publicidade e Propaganda pela PUC-RS. Começou a carreira trabalhando com projeto gráfico, editoração e ilustração de revistas de atividades para crianças. Em 1995 ilustrou seus primeiros livros infantis. E em 1998, criou o Laboratório de Desenhos, estúdio destinado a fornecer ilustrações para o mercado publicitário e editorial. Em 2004, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde reside atualmente. Nos últimos anos tem se dedicado exclusivamente à ilustração de livros e à criação de textos para o público infantil e infantojuvenil. Para saber mais, visite o blog da autora em www.mariliapirillo.com

um lançamento




MULHERES NA BÍBLIA de John Baldock

MULHERES NA BÍBLIA


Atos Heróicos, Nascimentos Miraculosos, Rivalidades e Amor Verdadeiro


de John Baldock


PÁGINAS:   256
FORMATO:   17 x 24 cm


De alguma forma livros de ficção que envolvem conspirações, mistérios e uma dose cavalar de especulações sobre textos ditos sagrados (a palavra de Deus, por certo) trouxeram novas visões e não menos especulações sobre o papel das mulheres na Biblia , talvez mais acerca do novo testamento que do antigo, excetuando-se a questão de Eva e do pecado original (como se pudesse existir algum plágio). Pois bem , este é um titulo de boa origem, celere como todo despertador de curiosidades, um bom roteiro de pesquisa enriquecido por ilustrações (o autor era pintor antes de escritor).



O LIVRO
Este livro tem como objetivo valorizar as participações das mulheres na história bíblica e resgatar suas contribuições na formação e consolidação das religiões cristã e judaica.

Com exceção de umas poucas mulheres como Eva, Maria (a mãe de Jesus) e Maria Madalena, as mulheres na Bíblia são geralmente ofuscadas por seus parceiros masculinos. Esta situação não apenas reflete a condição atribuída às mulheres na sociedade ocidental nos últimos dois mil anos, como também revela a natureza patriarcal tanto da religião judaica quanto da cristã. Entretanto, um estudo mais detalhado da Bíblia revela que outrora as mulheres foram consideradas como estando à altura dos homens antes que a eles se sujeitassem. Lemos a respeito de mulheres que foram sacerdotisas no Oriente Próximo, que serviram como juízas e profetisas aos antigos israelitas, e que salvaram o povo judeu da extinção. Até a Sabedoria, que é descrita no livro de Provérbios como a "fonte da vida", foi personificada como uma mulher.

 Mulheres na Bíblia reconta as histórias das mulheres, sejam elas grandes ou humildes que povoam as páginas do Antigo e do Novo Testamentos, bem como dos livros bíblicos conhecidos como Apócrifos. Estas histórias são de amor verdadeiro, de devoção, piedade, incesto, cobiça, adultério, poligamia, necromancia, decapitação, traição e violência; de exploração e abuso de mulheres por homens e de como as mulheres acabaram se vingando.

Com ilustrações de muitas pinturas de grandes mestres, este livro foi elaborado para ser de fácil acesso e é escrito em um estilo claro e direto.

De Adão e Eva a Jesus, Maria e Maria Madalena, Mulheres na Bíblia explora a mudança de papel das mulheres através dos milênios na história bíblica. Suas fascinantes histórias remontam desde relatos de nascimentos milagrosos e fatos heróicos a intrigas ardilosas e fatais. Recontando tais histórias, este livro também explora os significados alegóricos e a importância dos nomes bíblicos.


O AUTOR

John Baldock - Tendo ensinado inicialmente como pintor e professor de arte John Baldock dispendeu vários anos na França, durante o qual estudou História da Arte na École du Louvre em Paris. Em seu retorno para a Inglaterra, John ensina História da Arte, e simultaneamente escreve um livro que explora o aspecto espiritual do simbolismo religioso. Nos últimos vinte anos, ele tem se ocupado com seu interesse na essência espiritual das religiões dominantes - incluindo o Judaísmo, Cristianismo e Islamismo - e tem dado palestras na Europa e Estados Unidos. Ele também é estudioso das diversas tradições religiosas do mundo. Seus livros publicados incluem The Little Book of Zen Wisdom, The Little Book of the Bible, The Elements of Christian Symbolism e The Alternative Gospel.


Não deixe de ver também

LA REAL MARIA DE MAGDALA? BBC






The Holy Bible: Ruth - A Faithful Woman


um lançamento


Apoio à produção literária da Bahia: inscrições até 17/01


A Secretaria de Cultura da Bahia está com edital aberto de apoio à publicação de livros por editoras baianas. A ideia é apoiar propostas de edição de livro individual ou coleção (três volumes, no mínimo) de autores baianos, cuja temática seja a cultura baiana em suas diversas expressões. As inscrições podem ser feitas até 17/01.
Leia mais

IRMÃOS FAVETTI LANÇAM CD DUPLO NA CAIXA CULTURAL CURITIBA





“Degrau do Tempo” traz interpretações do Trio DFavetti e o trabalho solo de Guego Favetti





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, no dia 16 de janeiro, às 20h, o show de lançamento do álbum duplo “Degrau do Tempo”, dos irmãos Favetti. O álbum traz um cd solo de Guego e outro do Trio DFavetti, composto por Guego, Tita e Titi. O trabalho conta com patrocínio da Caixa Econômica Federal por intermédio da Lei Rouanet.



Guego Favetti:

“Degrau 43”, o primeiro CD do álbum, apresenta 11 músicas interpretadas por Guego Favetti. Entre elas, estão composições de autores paranaenses, como Gerson Bientinez, Sidail César, Ronald Magalhães e Rosy Greca, e músicas próprias, como "Lápis de cor" (em parceria com Lu Pasinato) e "Samba de Besouro Cordão de Ouro" (em parceria com Joel Ferreira). Guego toca na noite curitibana há mais de três décadas e já fez parte do Grupo D’América, conjunto que se dedicou exclusivamente à difusão da música latino-americana.



Trio DFavetti:

O segundo CD, “Rio Curitiba”, traz um conjunto de canções, que representam a simplicidade criativa, a cidade e o interior do sul do Brasil. O Trio DFavetti interpreta toadas, sambas e chorinhos com grande desenvoltura. A música, homônima ao título, surgiu da parceria do maestro Waltel Branco com a poetisa Alice Ruiz, assim como “Saudoso maluco” dos paranaenses Marcelo Sandmann e Benito Rodriguez. Entre os destaques estão ainda “Mercedita” (Ramón Sixto Rios), “Encontros e Despedidas” (Milton Nascimento e Fernando Brant), “As Mocinhas da Cidade” (Nhô Belarmino) e “Onde Ela Mora” (Lápis). O que começou quase como uma brincadeira dos irmãos Favetti, nos saraus musicais do saudoso bar Degrau 43, acabou se transformando num trabalho profissional de alta qualidade, há mais de 15 anos.



Serviço:

Lançamento do CD “Degrau do Tempo”

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 16 de janeiro de 2013 (quarta-feira)

Hora: 20h

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Professores estrangeiros da 31ª Oficina fazem recital de flauta e alaúde







            Concertos diários, ao meio-dia e meia, no Sesc Paço da Liberdade, são uma opção para o público que quer aproveitar a hora do almoço para apreciar algumas das atrações da 31ª Oficina de Música de Curitiba. Já nesta sexta-feira (11), os professores William Carter, dos Estados Unidos, e Rachel Brown, da Inglaterra, que integram o núcleo de música antiga da 31ª Oficina de Música, fazem um recital solo de flauta e alaúde, dois instrumentos característicos da música barroca.

Serão apresentadas duas peças de Johann Sebastian Bach. A primeira é a Suíte para alaúde em Sol menor, que será executada por William Carter. Em seguida, a flautista Rachel Brown apresenta a peça Partita em Lá menor.

            Além de alaúde, William Carter ensina na Oficina de Música técnicas de teorba e guitarra barroca. A música antiga é a especialidade desse americano, nascido na Flórida, que buscou aperfeiçoamento nas escolas europeias e atualmente vive em Londres, como professor da Guildhall School of Music and Drama. Faz parte do grupo The Palladian Ensemble, com quem realizou inúmeras turnês pela Europa, Ásia e Américas. Também atua como alaudista principal da Academy of Ancient Music e o The English Concert. Gravou vários CDs e o seu algum solo “La Guitarra Española”, gravado em 2007, recebeu o prêmio Gramophone Editor’s Choice.

            Rachel Brown é colega de William Carter na Academy of Ancient Music, de Londres, onde atua como flautista principal. O reconhecimento como uma das principais flautistas de música antiga decorre de suas gravações de obras de Quantz, Schubert, Boehm, Bach, Handel e Telemann. Ela é fundadora e solista da London Handel Players. O interesse pela difusão das obras completas desses compositores fez com que Rachel Brown lançasse o seu próprio selo discográfico e editora, a Uppernote.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – E-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.



            Serviço:

            31ª Oficina de Música de Curitiba

            Recital solo de alaúde e flauta transversa com William Carter e Rachel Brown

            Local: Sesc Paço da Liberdade – Praça Generoso Marques, 180 – Centro

            Data e horário: 11 de janeiro de 2013 (sexta-feira), às 12h30

            Entrada franca.

AGENDA ESPECIAL 31ª OFICINA DE MÚSICA | Destaques de 10 a 16 de janeiro

clique para ampliar

Agridoce encerra turnê em março no Lollapalooza



 

Iniciado de forma despretensiosa, o projeto da cantora Pitty e do guitarrista Martin, o Agridoce, tomou dimensões inicialmente inesperadas. Eles lançaram seu primeiro CD e um DVD com registro das gravações, tiveram singles em alta rotação nas rádios e clipes nas paradas das TVs musicais. Participaram das maiores premiações brasileiras de música, vencendo o Prêmio Multishow e o Prêmio Contigo!. Apresentaram-se em grande parte do país e também no festival SXSW, no Texas (EUA), e encerram a turnê no dia 29 de março no Lollapalooza em São Paulo.




O Agridoce, que traz Pitty no piano e Martin no violão, conquistou o público com canções de melodias mais delicadas e acento folk. Entre os sucessos estão faixas como “Romeu”, “Dançando”, “Upside Down”, “130 anos”, “B-Day” entre outras. Até o encerramento da turnê no Lollapalooza, os fãs que ainda não viram o show do Agridoce e aqueles que quiserem rever terão as últimas oportunidades de prestigiarem o trabalho de Pitty e Martin. Segue a agenda:


07/03 - SESI - Macaé / RJ

08/03 - SESI - Campos / RJ

09/03 - SESI - Itaperuna / RJ

13/03 - SESI - Rio de Janeiro (Centro) / RJ

15/03 - SESI - Petrópolis / RJ

16/03 - SESI - Nova Friburgo / RJ

22/03 - SESI - Caxias / RJ

23/03 - SESI - Jacarepaguá / RJ

29/03 – Lollapalooza – São Paulo / SP

Oficina de Música tem espetáculo com temas étnicos







Músicas que integram a cultura de diferentes regiões do mundo, como Israel, Síria, Geórgia, Hungria, Estados Unidos, Noruega, Finlândia, Lituânia, Grécia, Madagascar, Costa do Marfim, Romênia, Ucrânia, Marrocos, Rajastão, Bulgária, África do Sul e Brasil compõem o repertório que o Grupo Omundô apresenta às 19h desta sexta-feira (11), no Teatro do Paiol.

A celebração sonora que promete encantar a plateia faz parte da agenda de espetáculos da 31ª Oficina de Música de Curitiba, realizada pela Prefeitura Municipal e Fundação Cultural de Curitiba. A programação completa da Oficina de Música está no site www.oficinademusica.org.br .

O Grupo Omundô é o desdobramento do Projeto Música dos Povos, uma iniciativa dos professores da FAP – Faculdade de Artes do Paraná, Plinio Silva e Liane Guariente, junto à comunidade acadêmica de todos os cursos ofertados pela instituição. Desde 2003, o Música dos Povos desenvolve intenso trabalho de levantamento, transcrição e execução de temas tradicionais, vocais e instrumentais das mais variadas regiões do planeta.

Criado em 2007, o Omundô tem como meta fomentar entre os participantes – muitos deles oriundos de outras partes do Brasil, e que possuem experiências e vivências musicais distintas – a pesquisa e a prática, por meio de releitura e arranjos próprios, de um repertório singular. O grupo acumula apresentações por todo o país e possui CDs que registram parte do material pesquisado.

Plinio Silva responde pela direção instrumental e geral, ficando a cargo de Karla Izidro e Natália Bermudez o comando do grupo vocal, sendo que os arranjos são feitos com a participação dos integrantes, em uma espécie de laboratório. O Omundô tem formação variável, com perto de 35 músicos, entre instrumentistas e cantores.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – E-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.



Serviço:

31ª Oficina de Música de Curitiba

Apresentação do Grupo Omundô, sob a direção geral de Plinio Silva.

Data e horário: 11 de janeiro de 2013 (sexta-feira), às 19h.

Local: Teatro do Paiol (Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho)

Ingressos: R$ 20 e R$ 10.

Los Porongas comemora 10 anos de carreira no SESC Belenzinho



 Banda revisita a sua trajetória e lança o clipe “A Dois”



No próximo dia 12 de janeiro, sábado, a banda acriana Los Porongas inicia a turnê de comemoração dos seus 10 anos de carreira e lança o clipe “A Dois”, no SESC Belenzinho.



Formada por Diogo Soares (vocal), Carlos Gadelha (guitarra), Márcio Magrão (baixo) e Jorge Anzol ( bateria e percussão), a banda que colocou o Acre no mapa da música pop brasileira é considerada, pela crítica, como um dos mais talentosos e promissores nomes da nova safra do rock independente nacional.



No repertório do show, uma visita as canções gravadas nos álbuns “Los Porongas”, 2007, e “O Segundo Depois do Silêncio”, 2011. A apresentação conta com convidados que marcam a trajetória do Los Porongas, como os músicos João Leão (teclado), Leandro Febras (trombone) e Thiago Perozzi (trompete).



Serviço:



Data: 12 de janeiro (sábado)

Local: SESC Belenzinho

Endereço: Rua Padre Adelino, 1000, Belenzinho, São Paulo

Horário: 21h

Ingressos:

R$ 24 (inteira)

R$ 12 (usuário matriculado no SESC  e dependentes, aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública com comprovante)

R$ 6 ( trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no SESC e dependentes)

Informações: 11 2076 9700

 

Rhaíssa Bittar e Pélico são atrações do Mundo Pensante



O Mundo Pensante traz ao palco dois nomes que marcam a cena musical paulistana contemporânea, os músicos Rhaíssa Bittar e Pélico. Rhaíssa apresenta o álbum “Voilá” na festa temática “Te Cutuco”, no próximo dia 11, sexta. 

Na quinta, 17, o cantor e compositor Pélico toca as músicas do seu elogiado disco, “Que isso fique entre nós”, às 22h.

O Mundo Pensante, integra música, artes visuais e artes do corpo. O local oferece um lounge para bebericar, saborear bons pratos, assistir shows, apreciar exposições de arte e conversar com os amigos.

Programação:

11/01– Sexta Cool– Rhaíssa Bittar e banda

Tango, forró, gafieira e samba, estas são algumas das vertentes das quais Rhaíssa Bittar bebe no seu primeiro disco, “Voilá”.

Intérprete de personagens e cronistas do cotidiano, Rhaíssa, canta os pequenos e grandes afazeres do momento.

Em seu primeiro trabalho a cantora reuniu músicos como Maurício Pereira, Daniel Szafran, Michel Leme, Nailor Proveta, Ricardo Herz, Banda Paralela e Lulinha Alencar. O disco “Voilá” tem três composições próprias e  traz a mistura das raízes tupiniquins unidas ao jazz e a música popular chinesa.



 Serviço:

Dia: 11 de janeiro (sexta)

Show: Rhaíssa Bittar

Local: Mundo Pensante

Endereço: Rua 13 de maio, 825 – Bixiga – Bela Vista

Horário: 23h30

Preço:   R$ 15

Informações: 11 5082 2657/ http://www.mundopensante.com.br/

Censura: 18 anos

Capacidade: 150 pessoas



17/01– Quinta – Pélico

O paulistano Pélico é multi- instrumentista, mas é como compositor que a sua musicalidade pulsa forte, como nos shows e discos autorais.

Pélico leva ao palco do Mundo Pensante as canções do álbum “Que isso fique entre nós”, lançado em 2011.

Em seu último CD, Pélico, desenvolve uma nova perspectiva de pesquisa, a partir da incorporação de gêneros e instrumentos musicais.



 Serviço:

Dia: 17 de janeiro (quinta)

Show: Pélico

Local: Mundo Pensante

Endereço: Rua 13 de maio, 825 – Bixiga – Bela Vista

Horário: 22h

Preço:   R$ 15

Informações: 11 5082 2657/ http://www.mundopensante.com.br/

Censura: 18 anos

Capacidade: 150 pessoas

 

PROGRAMAÇÃO CINEMATECA | 11 a 17 DE JANEIRO DE 2013



PROGRAMAÇÃO DE FILMES POR OCASIÃO DA 31ª OFICINA DE MÚSICA
DE CURITIBA:
De 11 a 14
16h:
PALAVRA (EN) CANTADA (BR, 2009 – 84’ – documentário – digital). Direção:
Helena Solberg.
O documentário faz uma viagem pela história do cancioneiro brasileiro com um
olhar especial para a relação entre poesia e música. Dos poetas provençais ao
rap, do carnaval de rua aos poetas do morro, da bossa nova ao tropicalismo,
Palavra (En)cantada passeia pela música brasileira até os dias de hoje,
costurando depoimentos de grandes nomes da nossa cultura, performances
musicais e surpreendente pesquisa de imagens. O filme conta com a
participação de Adriana Calcanhotto, Arnaldo Antunes, Chico Buarque, Jorge
Mautner, Maria Bethânia, Martinho da Vila, Tom Zé, entre outros. Imagens de
arquivo resgatam momentos sublimes de Dorival Caymmi, Caetano Veloso e
Tom Jobim.
Classificação livre
Ingresso gratuito

18h e 20h:
Obs: Dia 12 de janeiro sessão desse filme somente às 20 horas
DAQUELE INSTANTE EM DIANTE (BR/SP, 2011 – 110’ – documentário –
digital). Direção: Rogério Velloso
Documentário que percorre a trajetória musical do Nego Dito Itamar
Assumpção, desde os anos da Vanguarda Paulista na década de 1980 até a
sua morte aos 53 anos. Com depoimentos daqueles que conviveram com o
artista, o filme reúne uma seleção de imagens raras garimpadas em acervos
e arquivos particulares, que mostram sua presença antológica nos palcos e
momentos de intimidade entre amigos e familiares. O documentário faz parte
da série “Iconoclássicos”, realizada pelo Itaú Cultural.
Classificação livre
Ingresso gratuito

Dia 12 – 18h
Atenção: Após a sessão, debate com a diretora do filme Tatiana Devos
Gentile e de seu avô Noël Devos.

MEU AVÔ, O FAGOTE (BR/RJ, 2011 – 25’ – documentário – digital). Direção:
Tatiana Devos Gentile
Um fagotista, um fagote e sua neta. Meu avô, o fagote é um retrato afetivo de
Noël Devos, fagotista francês radicado no Brasil desde 1952, realizado por
sua neta, documentarista “Na infância, assisti muitas vezes Pedro e o Lobo de
Prokofiev, o avô era o fagote, o meu também era. Qualquer imagem que eu
tenha do meu avô é ligada ao instrumento, à música. Dizem que um casal com
muito tempo de convivência fica parecido. Talvez seja o caso do meu avô e o

fagote. Um quarto de estudos, partituras musicais, cartas, palhetas, desenhos,
a música”.
Classificação livre
Ingresso gratuito

De 15 a 29 – 16h, 18h e 20h:
Atenção: Dia 15 de janeiro, após a sessão das 18h, debate com a diretora
do filme Ana Rieper.
Obs: Dia 23 de janeiro sessões somente às 16h e 18h

VOU RIFAR MEU CORAÇÃO (BR, 2012 – 78’ – documentário – digital).
Direção: Ana Rieper
Documentário que trata do imaginário romântico, erótico e afetivo brasileiro
a partir da obra dos principais nomes da música popular romântica, também
conhecida como brega. Letras de músicas de artistas como Agnaldo Timóteo,
Waldik Soriano, Nelson Ned, Amado Batista, Peninha, Walter de Afogados
e Wando, entre outros, formam verdadeiras crônicas dos dramas da vida a
dois. Em Vou Rifar Meu Coração os temas destas músicas se relacionam com as
histórias da vida amorosa de pessoas comuns, enfrentando o desafio de falar
sobre a intimidade de pessoas reais, em situações reais.
Classificação 12 anos
Ingresso pago: R$5,00 (inteira) – R$2,50 (meia) e R$1,00 (aos domingos)

Cinemateca
Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às
22h30. Sábados e domingos, das 14h30 às 22h30.
Informações: (41) 3321-3252

PROGRAMAÇÃO CINE GUARANI | 11 a 17 DE JANEIRO DE 2013



De 11 a 17 de janeiro de 2013 – 16h (de terça a domingo):

LANÇAMENTO EM CURITIBA:

PEIXONAUTA – AGENTE SECRETO DA O.S.T.R.A (BR, 2012 – 95’ –
animação – colorido – digital). Direção: Celia Catunda , Kiko Mistrorigo. Música:
Paulo Tatit
Peixonauta está pronto para mais um desafio: se tornar Agente Especial da
O.S.T.R.A. — Organização Secreta Para Total Recuperação Ambiental. Mas
para isso, terá que cumprir 7 incríveis missões. Com a ajuda de seus amigos
Marina, Zico e toda a turma do Parque das Árvores Felizes, cumprir as missões
vai ser muito divertido. Com momentos inéditos do Peixe Agente Secreto,
o filme reúne algumas das melhores aventuras da série de TV. Juntos, nós
somos demais!
Classificação livre
Ingresso pago: R$5,00 (inteira) – R$2,50 (meia) – R$1,00 (aos domingos)

De 11 a 17 de janeiro de 2013 – 18h e 20h (de terça a domingo):

CANTORAS DO RÁDIO (BR, 2008 – 85’ – documentário - digital). Direção: Gil
Baroni e Marcos Avellar
O documentário resgata passagens da Era de Ouro do rádio, entre 1930
e 1950, período no qual o rádio se consolidou como o veículo de massas
no Brasil. O fio condutor do filme é o show Estão Voltando as Flores, com
direção e roteiro do pesquisador Ricardo Cravo Albin, no qual se apresentaram
quatro expoentes da época: Carmélia Alves, Carminha Mascarenhas, Violeta
Cavalcanti e Ellen de Lima.
Classificação 12 anos
Ingresso pago: R$5,00 (inteira) – R$2,50(meia) – R$1,00 (aos domingos)

Portão Cultural
Cine Guarani
Av. República Argentina, 3430 - Portão
Funcionamento: de terça a domingo, sessões às 15h30, 18h e 20h
O acesso ao Cine Guarani a partir das 19h é pela portaria do estacionamento
Fone: 3345-4051

Paulo Carvalho lança webclipe com participação de Pecker


O músico Paulo Carvalho está lançando “O Amor é uma Religião”, segundo álbum de sua carreira, e aproveita para colocar no ar o webclipe de “Do Avesso”
http://www.youtube.com/watch?v=D5Lv2Ls6B3s, com participação do espanhol Pecker.

Gravado de forma independente, o webclipe traz a primeira versão da canção. Cada um gravou em sua cidade. Paulo, no Totem Estúdio, em São Paulo. Pecker nas ramblas de Barcelona.

Para o CD, Paulo compôs em espanhol a canção “Inmersión” e convidou Pecker, que veio de Bracelona a São Paulo, para gravar sua participação. A parceria “Do Avesso” ganhou nova roupagem e, no CD, foi registrada sem os vocais de Pecker.

Para assistir o clipe, basta acessar:
http://www.youtube.com/watch?v=D5Lv2Ls6B3s

“O Amor é uma Religião” já está disponível no site (http://www.paulocarvalho.art.br)

Turnê "Religar" do cantor Léo Cavalcanti

Turnê "Religar" do cantor Léo Cavalcanti, que estará presente no projeto "Radar - A nova música brasileira do Teatro Paiol" que acontece no dia 22/01 em Curitiba. http://www.leocavalcanti.com.br/  


Uma daz vozes masculinas mais expressivas da nova geração, Leo Cavalcanti é cantor, compositor, instrumentista, arranjador e produtor musical.

É um artista que se destaca no cenário da nova música
brasileira. Traz como marcas registradas sua forte presença
performática no palco e uma assinatura marcante em suas letras e
produções musicais. Desenvolve uma linguagem musical ímpar, tanto pela qualidade e originalidade de suas composições quanto por seu potencial como cantor.

A gama de influências presentes em seu trabalho é ampla (do
cancioneiro brasilerio à musica oriental, da soul music americana à
musica eletrônica experimental), o que resulta numa sonoridade única,
cosmopolita e vibrante, sem deixar de integrar o terreno da musica
“pop”.

Ele vem consolidando seu nome no Brasil com “Religar”,
que foi selecionado como o melhor disco brasileiro de 2010 pela
revista Manuscrita, entre 100 lançamentos do ano. Ganhou o primeiro
lugar no Festival da Semana da Canção Brasileira, em São Luis do
Paraitinga, e participou de eventos como o programa “Som Brasil” da
Rede Globo, 10 anos do programa Vozes do Brasil da Radio Eldorado FM,entre outros. Realizou turnê na Europa e tem tocado em diversas
cidades brasileiras, com um público crescente.

Seu trabalho vem sendo elogiado por grandes nomes da música
brasileira, tais como: Caetano Veloso, Adriana Calcanhoto, Arnaldo
Antunes, Fernanda Takai, Chico César, entre outros.


Serviço: Ingressos 20,00 Estudantes, idosos, doadores de 1kg de alimento, doadores de sangue e deficientes fisícos.
40 reais inteira
Horário: 20h30
Teatro Paiol Praça Guido Viaro S/N
3213-1340           

Escolha do Cortejo Real do Carnaval 2013 nessa sexta-feira



A escolha do Rei Momo, rainha e princesas do Carnaval 2013 será no Memorial de Curitiba nessa sexta-feira (11) a partir das 20h30. As inscrições podem ser feitas no dia do concurso, no local, uma hora antes do início. As inscrições são gratuitas e para maiores de 18 anos.

A eleição do Cortejo Real abre as festividades do Carnaval em Curitiba. O Rei Momo, a rainha e as princesas participam de todos os eventos da programação, acompanhando os ensaios das escolas de samba, o desfile na Avenida Cândido de Abreu (no dia 9 de fevereiro) e os bailes populares, que estão programados para os dia 11 e 12 de fevereiro, no Ginásio de Esportes do Bairro Novo. Para o público infantil, o horário dos bailes será das 15h às 19h, sendo que os adultos podem se divertir das 20h às 24h.

Entre os requisitos para concorrer ao cortejo real do carnaval curitibano estão simpatia, ritmo e desenvoltura. Para a rainha e princesas, além desses itens, conta ainda a beleza. A comissão julgadora é formada por profissionais de artes cênicas, autoridades e representantes da Fundação Cultural.



Serviço:

Concurso do Cortejo Real do Carnaval 2013 de Curitiba.

Data e horário: 11 de janeiro de 2013 (sexta-feira), às 20h30.

Local: Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 – Setor Histórico)

Inscrições: No local uma hora antes do evento

Entrada franca.

Quarteto português é uma das atrações da 31ª Oficina de Música






            O Quarteto de Cordas Lopes-Graça, de Portugal, é uma das primeiras atrações da 31ª Oficina de Música, promovida pela Prefeitura e Fundação Cultural de Curitiba.
            Criado no âmbito da Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, o Quarteto Lopes-Graça é formado por professores daquela instituição, todos eles também renomados músicos de carreira solo. Luis Pacheco Cunha, Anne Victorino D’Almeida (violinos), Isabel Pimentel (viola) e Catherine Strynckx (violoncelo) desenvolvem um repertório dedicado às obras de compositores portugueses. O próprio nome do quarteto rende homenagem a um dos maiores maestros e compositores portugueses do século XX, Fernando Lopes-Graça (1906-1994). No primeiro concerto em Curitiba, o quarteto tocará uma de suas obras, o “Quarteto de Arcos nº 1”.

            O quarteto tem importante atuação nos festivais de música de Portugal e recentemente foi contemplado com subsídio do Ministério da Cultura daquele país para realizar uma série de 12 concertos. Em 2009 lançou seu primeiro CD, com obras de Fernando Lopes-Graça e António Victorino d’Almeida.

            No concerto do dia 14, na Capela Santa Maria, o quarteto contará com a participação especial de dois professores da Oficina de Música – o oboísta alemão Fabian Schäffer e a pianista Olga Kiun. Com Fabian Schäffer, os músicos portugueses tocam uma obra de Benjamin Britten, para oboé e trio de cordas; e com Olga Kiun, executam o “Quinteto com piano em dó maior”, de Henrique Oswald.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.





Serviço:

31ª Oficina de Música de Curitiba

Apresentações do Quarteto de Cordas Lopes-Graça



Local: Capela Santa Maria Espaço Cultural – R. Conselheiro Laurindo, 273 – Centro

Data e horário: 14 de janeiro de 2013 (segunda-feira), às 20h30

Ingressos: R$ 20 e R$ 10

Música nas telonas da Cinemateca, Cine Guarani e Sesc Paço Liberdade





Pelo quarto ano consecutivo, a Oficina de Música de Curitiba incorpora à programação uma mostra de filmes e documentários. A novidade da 31ª edição é a ampliação das salas de cinema. Além da Cinemateca de Curitiba, o Cine Guarani, no Portão Cultural, e o Sesc Paço Liberdade também estarão realizando, de hoje até o dia 29 de janeiro, sessões de cinema com entrada gratuita ou preços populares, sendo algumas delas com a participação de diretores para um bate-papo com o público.

No total, a mostra reúne oito filmes cujos enredos se relacionam com o universo da música e que são produções mais recentes do cinema nacional. Na Cinemateca a programação inicia logo mais, às 16h, com a apresentação do documentário “Palavra (En) Cantada”, de Helena Solberg, até o dia 14. No mesmo período, também pode ser conferido o documentário “Daquele Instante em Diante”, do diretor Rogério Velloso, nas sessões das 18h e 20h, filme que integra a série “Iconoclássicos”, realizada pelo Itaú Cultural - e gentilmente cedido pela instituição para a programação especial do evento.

No próximo sábado (12), a Cinemateca exibe o documentário “Meu Avô, o Fagote”, documentário dirigido por Tatiana Devos Gentile, neta do personagem do filme, o fagotista francês radicado no Brasil, Nöel Devos. No final da sessão, haverá um debate com a neta/diretora e o avô. Ainda na Cinemateca, o público poderá conferir “Vou Rifar meu Coração”, de Ana Rieper, documentário sobre a música brega e que foi muito bem recebido pela crítica nacional. As sessões acontecem entre os dias 15 e 29.

No dia 22, às 20h, a Cinemateca promove uma sessão única do DVD “Fato – Da Tamancalha ao Sampler”, uma homenagem aos 18 anos do grupo paranaense.

Guarani – O Cine Guarani participa da mostra de cinema da Oficina de Música apresentando dois documentários. Entre os dias 11 e 24, fica em cartaz “Cantoras do Rádio”, de Ricardo Cravo Albin, sempre às 18h e 20h. A partir do dia 25 até 7 de fevereiro, será exibido  “O Futuro do Pretérito –Tropicalismo Now”, de Ninho Morais. No dia 25, aliás, às 18h, terá uma sessão comentada com o diretor do documentário. No Guarani, a entrada custa R$5,00, R$2,50 e R$ 1,00 (domingo).

Praça – O Sesc Paço Liberdade vai tornar a Praça Generoso Marques uma grande sala de cinema ao ar livre. No lugar será montado um telão de 350 polegadas para exibição de três documentários: “Vou Rifar meu Coração”, “Futuro do Pretérito – Tropicalismo Now” e “As Canções” (Eduardo Coutinho) nos dias 23, 24 e 25 de janeiro, respectivamente, às 20h. O Paço também disponibilizará 150 cadeiras para o público.





A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia Em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema Fecomércio Sesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Mônica Filgueiras & Eduardo Machado Galeria convida para a abertura da exposição “Layers, Camadas, Sobreposições Interativas” da artista Magy Imoberdorf


Cada desenho consiste em várias folhas de polyester transparentes sobrepostas que permitem interação na obra



Vernissage dia 22 janeiro de 2013, a partir das 19h.




A Mônica Filgueiras & Eduardo Machado Galeria convida para a abertura da exposição “Layers, Camadas, Sobreposições interativas”, da artista plástica Magy Imoberdorf, no dia 22janeiro de 2013, com vernissage a partir das 19h.



Serão exibidos 25 desenhos, em 3 tamanhos:  29x42 cm,  42x60 e 60x88 cm. Cada obra consiste em várias folhas de polyester, transparentes sobrepostas,  que podem ser rearranjadas em ordens diferentes, mudando o foco da ação proposta pela artista.



Magy Imoberdorf desenha, desde que se conhece por gente,  tudo que a cerca, recriando assim o universo das pessoas sob o seu  ângulo.





Neste novo trabalho, ela discute o vai e vem das  pessoas,  cada vez mais anônimas e cada vez mais  indo e vindo sem saber de onde ou para aonde. O desfocado criado pelas várias sobreposições de transparências reproduz a falta de foco que acontece na nossa atenção para com o mundo e os outros.



Cada um caminhando sozinho, vivendo e se movimentando em meio a uma  massa de gente que o torna mais um anônimo no meio de tantos.



Esta difícil ser reparado no meio de tantos iguais. Roupas parecidas, conversas  com alguém outro que não esta presente ou ouvem coisas de maneira particular e privada no meio do publico e coletivo. Vão aonde? Vão fazer o quê? Que pressa.  Essa é a pergunta  de Caetano Veloso: o que vão fazer?  Vão fazer nada em outro lugar.



Nesta exposição a superposição de desenhos de pessoas em movimento  permite a exploração de mais de um caminho a ser percorrido.



“Esta exploração e atenção de meu olhar para as atitudes físicas das pessoas me permitiu chegar a conclusão de que, em geral, elas não ultrapassam 5 movimentos. Percebi que, se a pessoa que estou desenhando mudou de posição é só esperar que ela volta para à posição anterior” revela a suíça Magy Imoberdorf, que hoje divide seu tempo entre o Brasil e seu ateliê em Berlim.



Serviço

“Layers, Camadas, Sobreposições interativas”, da artista plástica  Magy Imoberdorf

Abertura: dia 22 de Janeiro de 2013, terça-feira, às 19h

Exposição: de 22 de Janeiro a 16 de fevereiro de 2013

25 desenhos, em 3 tamanhos:  29x42 cm,  42x60 e 60x88 cm

Local: Mônica Filgueiras & Eduardo Machado Galeria
Rua Bela Cintra, 1533
Tel (11) 3082-5292

Horário: 2a a 6ª feira, das 10h às 19h
Sábado, das 10h às 14h30

Site: www.filgueirasemachadogaleria.com.br



Sobre  a artista

Magy Imoberdorf  nasceu na Suíça,  onde cursou a ECAL em Lausanne com formação em  artes gráficas. Aos 23 anos emigrou para o Brasil. 

Sua  primeira exposição foi na Galeria São Paulo em 1984. A maioria de suas obras passa pelo desenho,  mesmo que, depois ele seja colado em madeiras ou em outros materiais. Quase sempre são retratos ou reflexões  sobre as pessoas em sua volta ou os fatos do momento.

Acredita ainda na estética. Que a obra tem que ter beleza. Mesmo que o assunto seja, por vezes  dramático,  ele contem um lado bonito de se ver.  Hoje a artista divide seu tempo entre o  Brasil e a cidade de  Berlin, na Alemanha.

Sua próxima exposição acontece na  Monica Filgueiras/ Eduardo Machado Galeria de Arte,  em 22 de Janeiro 2013.



Exposições individuais / Individual Exhibitions

                        2011 Camadas / Leyers
 Galerie Interaction (Berlin, Germany)

                        2010 Memorias da artista  (São Paulo, Brasil)

                        2007 Desenhos, esculturas, assemblages Fondation Florence / Espace Commines (Paris, France)

                        2007 Desenhos, esculturas, assemblages 
Brasilea Fondation (Basel, Switzerland)

                        2006 Esculturas e assemblages Galeria Fundação Stickel (São Paulo, Brasil)

                        2005 Ar-T-shirts 600 camisetas diferentes em prol da fundação Dorina Novill.   Galeria Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

                        1997 Cortes da vida 
Galeria Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

                        1994 Resultados da Maratona de desenho em NYC  at the New York Studio School (NYSS) 
Galeria Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

                        1992 Desenhos e assemblages VAL Galeria (São Paulo, Brasil)

                        1988  Desenhos com lapis de cera 
Galeria Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

                        1984 Retratos em Patchwork 
Galeria São Paulo (São Paulo, Brasil)



Exposições em Grupos / Group Shows

          2012  Galerie Belvedere em Paraty Brasil

                        2011 Galeria Ímpar
(São Paulo, Brasil)

                        2011 Galleria Belvedere
(Paraty, Brasil)

                        2011 Art Basel at the Brasilea Foundation
(Basel, Switzerland)

                        2011 Sejam bem-vindos Galeria Ímpar São Paulo, Brasil)

                        2011 Roupa de Domingo 
Casa das Rosas (São Paulo, Brasil)

                        2011 Mube (São Paulo, Brasil)

                        2010 Galeria Olido
A  paralelo a   Bienal International de São Paulo (São Paulo, Brasil)

                        2010 Galeria da Daslu
 com curadoria de Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

                        2010 Roupa de Domingo Galeria Pontes (São Paulo, Brasil)

                        2009 Roupa de Domingo Galeria Olido (São Paulo, Brasil)

                        2009 Mulheres das Artes Associação de Medicina de São Paulo (São Paulo, Brasil)

                        2008 Tuppyexx Galeria Mônica Filgueiras (São Paulo, Brasil)

O CCBB apresenta entre os dias 12 e 27 de janeiro série de shows concebidos para crianças de todas as idades.


O Centro Cultural Branco do Brasil de Brasilia sedia, entre os dias 12 e 27 de janeiro, a primeira edição do projeto Pequenos Contemporâneos, que prevê a realização de uma série de shows, com diferentes artistas e estilos, dedicados às crianças. Shows inteligentes que agradam aos pequenos pela ludicidade e sagacidade; música de qualidade que apetece também aos adultos que partilham com os pequenos suas vidas. Trabalhos que versam direta ou indiretamente sobre as relações entre o universo adulto e infantil, que fomentam trocas entre pessoas em diferentes fases da vida, fases essas que se retroalimentam, se complementam e carentes de iniciativas culturais capazes de uni-las em um mesmo ato fruitivo-afetivo. Trabalhos artísticos infantis de gente grande: infantis, mas não infantiloides.
Esta primeira edição, que será realizada no CCBB de Brasília, contará com seis shows: três deles já existentes e três concebidos especialmente para o Pequenos Contemporâneos. As atrações são: Tum Pá (Barbatuques), Pequeno Cidadão (Edgard Scandurra, Antonio Pinto e Taciana Barros) e Kleiton e Kledir e o Grupo Thorll com o show Par ou Impar. Os shows interpretados e rearranjados serão os clássicos Saltimbancos (Chico Buarque), Arca de Noé (Vinicius de Morais) e Quero Passear (Grupo Rumo). O primeiro pelo grupo Bixiga 70 e cantores convidados como Anelis Assumpção, Alzira Espindola, Mauricio Pereira e Skowa, o segundo por André Abujanra e músicos convidados como Kiko Dinucci, Melina Mulazani, Theo Werneck, metais e vocal da banda Móveis Coloniais de Acajú e o terceiro pela cantora Tulipa Ruiz
Não é novidade que estamos em um mundo onde a facilidade de produção e circulação de trabalhos musicais é tão maior que no mundo de outrora, tendo em vista as nossas novas possibilidades tecnológicas. Também sabemos que temos cada vez mais estilos musicais convivendo simultaneamente e maiores possibilidades de fruição de músicas de diferentes lugares, tendo em vista a translocalidade contemporânea do mercado musical (afinal de contas podemos conhecer novos produtores, artistas e estilos musicais de diferentes lugares a partir de nossos computadores, celulares, tablets conectados à internet, e assim diversificar nosso consumo e pluralizar nossas referências).
Frente a isso, chega a ser no mínimo estranha a constatação da dificuldade em encontrar produções musicais diversas e de qualidade voltadas para as crianças (também ou exclusivamente) e em circulação no mercado musical nacional. Adultos com vozes infantilizadas e arranjos musicais simplistas, nada audazes ou criativos, ainda integram um modus operandi de fazer música para crianças, como se estas pessoas, as crianças, subestimadas, fossem seres humanos incompletos e, portanto, fadados a ouvir uma música “menor”. E, pobres dos pais que, por vezes com poucas opções, acabam por vivenciar as experiências musicais infantiloides de seus filhos, que mais os distanciam destes que promovem situações onde pais e filhos podem compartilhar um mesmo trabalho artístico, cada um ao seu modo.
É claro que, ao longo dos tempos, várias exceções à indústria musical massiva despontaram, escapando de diferentes formas e graus de suas práticas predominantes. Alguns acabam descambando para uma ditadura do “didatismo” sobre o lúdico e o poético, como se os primeiros fossem prioridade sobre os demais e como se a brincadeira e a poesia não propiciassem formas de experienciar o mundo e, consequentemente, levassem ao aprendizado – aprendizado este que, muitas vezes, nenhum processo didático poderia substituir.
O projeto Pequenos Contemporâneos em Brasília tem por objetivo levar ao público do CCBB da cidade parte da nova produção cultural brasileira, pesquisas musicais de qualidade, de artistas brasileiros “de peso”, relacionadas ao universo infantil. Shows que podem ser apreciados tanto por adultos quanto por crianças, propiciando momentos de compartilhamentos entre estes e atendendo seus diferentes interesses. A intenção é incluir o público infantil e seus responsáveis – carentes de ações culturais que os atendam – na grade programática de um dos principais centros culturais brasileiros (o CCBB Brasília) comprometidos e preocupados com a qualidade artística dos projetos que incentivam, democratizando assim o acesso à cultura para estes pequenos cidadãos. E, em última instância, incentivar novas pesquisas e produções relacionadas aos “pequenos brasileiros”, tendo em vista a carência destes no mercado musical brasileiro.

Programação:

O projeto Pequeno Cidadão nasceu em 2009 da iniciativa de um antigo grupo de amigos da década de 1980, que se conheceram justamente através da música e que se reencontraram pelo fato de seus filhos frequentarem a mesma escola. São eles:Edgard Scandurra (ex-Ira!), Taciana Barros (ex-Gang 90) e Antônio Pinto(compositor de trilhas sonoras de filmes como Central do Brasil). O gênero do trabalho é, segundo seus próprios autores, música psicodélica para crianças. Suas letras versam sobre os primeiros problemas existenciais do ser humano. O myspace do grupo afirma: “as músicas são inspiradas nos nossos filhos, na nossa experiência como pais e também nas nossas lembranças de infância. Os temas são: sapo-boi, lagartixa, chupeta, uirapuru, futezinho na escola, leitinho... e aí vai.... Os shows estão muito divertidos!”. E são divertidos de fato: playground, malabares, fantasias e desenhos animados projetados em telões o compõe. Em Pequeno Cidadão, temas infantis são realizados através de ritmos adultos que vão do pop rock ao forró. É música popular brasileira contemporânea para os pequenos contemporâneos do mundo em que vivemos.
Kleiton & Kledir tiraram um coelho da cartola. Os irmãos K&K tinham uma carta na manga e acabam de alegrar o mercado fonográfico brasileiro com um delicioso disco feito especialmente para crianças. Depois de vários anos fazendo sucesso entre os adultos, K&K fizeram uma viagem ao país da garotada e criaram uma dezena de canções inspiradas nesse universo cheio de fantasia e imaginação. São músicas que falam de bichos, mágicos, bruxas, pirulitos estranhos, pum perfumado, brincadeiras de rua e, no meio disso tudo, surge até uma versão infantil da eterna guerra dos sexos: um desafio, onde um guri e uma guria se enfrentam em forma de versos rimados. “Par ou Ímpar” resgata um tempo em que nossos grandes autores escreviam canções para crianças. Kleiton & Kledir criaram temas como “O Mágico Estrambólico”, “Pirulito Esquisito”, “Formiga Atômica” e “Bicho Gente” que certamente irão povoar de histórias e personagens o imaginário de toda uma nova geração. Com letras inspiradas e um vocabulário rico e diversificado, o disco é uma ótima diversão para crianças de todas as idades, em especial para as que estão em fase de alfabetização. Ao mesmo tempo, deve funcionar como uma boa ferramenta para professores em sala de aula, nesse momento em que o ensino de música nas escolas passa a ser obrigatório.
Fundado em 1996, o grupo Barbatuques é referência no trabalho musical com percussão corporal, ou seja, na produção de música orgânica utilizando os corpos dos músicos como instrumento (voz, palmas, estalos, batidas de mãos e pés...). Neste ano de 2012, o Barbatuques criou seu primeiro CD e show dedicado ao público infantil: Tum Pá. O trabalho já circulou pelos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Tum Pá traz sons cotidianos (da natureza, da cidade, do mundo) em uma grande viagem musical através dos corpos dos músicos e do público.

A Arca de Noé interpretadas e rearranjadas pelo irreverente cantor, compositor, multi-instrumentista Andre Abujamra e convidados como Kiko Dinucci, Melina Mulazani, Theo Werneck, metais e vocal da banda Móveis Coloniais de Acajú.
A Arca de Noé é um clássico infantil de Vinícius de Moraes criado na década de 1980. O álbum fez parte da infância de grande parte dos pais de hoje e ainda “faz a cabeça” da criançada. A proposta aqui é levar ao público de Pequenos Contemporâneos as músicas de

Tulipa Ruiz é cantora, compositora e ilustradora da nova safra artistica brasilira. Gravou seu primeiro disco ”Efemêra”, em 2010, o album foi recebido com grande entusiasmo pela mídia e público – eleito o melhor do ano pelo jornal Folha de São Paulo, Revista Rolling Stone e Prêmio MultiShow. Em julho de 2012, lançou “Tudo Tanto” o album que listado como melhor do ano nas maiores listas de melhores discos do pais.
O disco escolhido pela cantora para a participação no projeto Pequenos Contemporâneos foi ''Quero Passear'' do grupo Rumo, grupo musical brasileiro surgido em 1974 e dissolvido em 1991. O Rumo foi constituído em 1974 por um grupo de alunos da Escola de Comunicação e Artes da USP liderados por Luiz Tatit e com nomes com Ná Ozzetti, Paulo Tatit, Ciça Tuccori, Gal Oppido, Fábio Tagliaferri, na sua trajetoria. Em ''Quero Passear'' o grupo canta canções para crianças. Com destaque para a primeira faixa, 'canção do carro', que é uma adaptação de 'car song' do Woodie Guthrie, e para a nona faixa 'noite no castelo' que ganhou um Prêmio Sharp de melhor música infantil.

Já o musical Saltimbancos ganhou projeção a partir da versão brasileira de Chico Buarque e sua montagem no Canecão no final da década de 1970. Nosso intuito é produzir uma versão show do musical com músicas interpretadas e rearranjadas pelo grupo Bixiga 70 e cantores convidados como Anelis Assumpção, Alzira Espindola, Mauricio Pereira e Skowa. A ascensão deste conjunto instrumental paulistano foi meteórica. No final de 2010 o grupo fez sua primeira apresentação, tendo como inspiração máxima a obra do nigeriano Fela Kuti (1938-1997), o afrobeat, no entanto, foi apenas o ponto de partida de um repertório que ganhou temas próprios rapidamente. “Luz Vermelha” e “Tema di Malaika” (ambas do pianista Mauricio Fleury) e “Mancaleone” (do baixista Marcelo Dworecki) estão entre as gemas próprias que fidelizaram uma platéia animada e participativa.


Serviço:

12/01 - Pequeno Cidadão às 16h

13/01 - ‘’Par ou Ímpar’’ - Klayton e Kledir e Grupo Throll às 16h
17 e 18 /01 - ‘’Tum Pá’’ - Barbaturques às 19h
19 e 20/01 - ‘’Arca de Noe’’ com Andre Abujamra e convidados às 16h
24/01 - ‘’Quero Passear’’ com Tulipa Ruiz as 19h
26 e 27/01 - Saltimbancos com Bixiga 70 e convidados - às 16h
O CCBB disponibiliza ônibus gratuito, identificado com a marca do Centro Cultural. O transporte funciona de terça a domingo, saindo do Teatro Nacional a partir das 11h.
Consulte todos os locais e horários de saída no site e no facebook.
CCBB Brasília
Aberto de terça-feira a domingo das 9h às 21h
SCES Trecho 2 – Brasília/DF Tel: 61 3108-7600
e-mail: ccbbdf@bb.com.br site: bb.com.br/cultura
redes sociais: facebook.com/ccbb.brasilia e twitter.com/CCBB_DF

Reunião define últimos detalhes da 31ª Oficina de Música de Curitiba





Agora falta pouco para começar a 31ª Oficina de Música de Curitiba. Amanhã (9) acontece a cerimônia de abertura no grande auditório doTeatro Guaíra, a partir das 20h30. Por isso, ontem (7), a Fundação Cultural de Curitiba convocou todos os profissionais e parceiros envolvidos na realização do evento para participarem de uma reunião, na Capela Santa Maria Espaço Cultural, com o objetivo de fazer ajustes, afinar o trabalho e planejamento da produção e definir os últimos detalhes.

A reunião foi liderada pela diretora geral da 31ª Oficina de Música, Janete Andrade, e contou com a presença do presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Marcos Cordiolli. “Um evento deste porte e natureza mobiliza um conjunto de expertises fundamental para sua realização. Agradeço o esforço de toda a equipe que irá trabalhar na Oficina de Música. Nosso desejo é somar com todos e que todos somem conosco”, disse.

Os quatro diretores artísticos da Oficina de Música também prestigiaram o encontro: Osvaldo Ferreira (Direção Artística da Oficina de Música Erudita), Rodolfo Ritcher (Direção Artística da Oficina de Música Antiga) e Sérgio Albach, responsável, ao lado de Glauco Sölter, pela Direção Artística da Oficina de Música Popular Brasileira e Música Latino-americana. Na ocasião, foi apresentada toda a equipe de trabalho e esclarecidas as dúvidas de logística, organização, infraestrutura, segurança dos instrumentos e espaços culturais.

“Foi uma reunião de praxe nos bastidores do evento, para sintonizar a equipe e passar orientações. A Oficina é um evento de grande porte, então temos algumas preocupações, como a circulação de pessoas nos camarins e a segurança dos espaços culturais”, explicou Janete Andrade. “As expectativas não podiam ser melhores. Estamos preparados para a o evento e está tudo caminhando dentro do que foi programado”, concluiu. A equipe básica da produção da 31ª Oficina de Música de Curitiba é formada por cerca de 150 pessoas, entre profissionais da Fundação Cultural de Curitiba, terceirizados e voluntários.



A 31ª Oficina de Música de Curitiba é uma realização do Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural e Prefeitura de Curitiba, Governo do Estado do Paraná, Ministério da Cultura e Governo Federal, com o patrocínio da Petrobras e da Sanepar, por meio da Lei de Incentivo à Cultura. A 31ª edição conta ainda com o apoio cultural das seguintes instituições: Ano Brasil Portugal, Casa da Música de Portugal, Centro Cultural Teatro Guaíra, Conservatório de Lyon, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Faculdade de Artes do Paraná, Família Farinha, Goethe-Institut Curitiba, Jasmine Alimentos, Musicamera Produções, Orquestra Filarmônica de São Petesburgo, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura da Universidade Federal do Paraná, Rádio e Televisão Educativa do Paraná – É-Paraná, Sistema FecomércioSesc Senac Paraná e Universidade Tecnológica Federal do Paraná.



Mais informações sobre a 31ª Oficina de Música de Curitiba nos sites:
www.oficinademusica.org.br
www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br
www.facebook.com/fundacaoculturaldecuritiba
www.twitter.com/fccuritiba

A arte do nu feminino no Museu da Fotografia



O Museu da Fotografia Cidade de Curitiba abriga de 12 de janeiro a 11 de fevereiro a exposição “Tales of Talena”, que reúne fotos de nus femininos do fotógrafo Jean Rodrigues. Nas fotos em preto e branco, o artista trabalha com as tonalidades do cinza a partir de influências de mestres como Jean Loup Sieff e Sebastião Salgado. O contra-luz é uma das principais linguagens das dez fotos nas dimensões 40x60 cm.
Jean Loup Sieff, nascido em 1986, começou a fotografar, ainda pelo sistema analógico, nos anos 2000. Após enveredar-se por outros meios de comunicação, como editor de jornal televisivo e webdeveloper, mudou-se para Curitiba e em 2010 voltou à fotografia, agora no meio digital.
Desde então tem atuado principalmente como fotógrafo de espetáculos musicais de bandas como Pearl Jam, Bad Religion, Misfits, Gene loves Jezebel e artistas como Seu Jorge e Michel Teló. Como retratista, começou a desenvolver seu trabalho de nu autoral.Também colaborou na realização das I e II Semana da Foto de Curitiba em 2011 e 2012.  Também participou da VI Maratona Fotográfica de Curitiba em 2011. Mostrou seu trabalho nas exposições “Sem licença para a liberdade, sem licença para o carnaval e sem licença pra namorar”, na Galeria Sem Licença, e “Br Blues”, no Jokers Pub.

Serviço:
Exposição “Tales of Talena”, de Jean Rodrigues
Local - Museu da Fotografia Cidade de Curitiba – Solar do Barão (R. Carlos Cavalcanti, 533, Centro)
Data: 12 de janeiro a 11 de fevereiro de 2013
Horário:  9h às 12h e 14h às 18h (3ª a 6ª feira) e 12h às 18h (sábado e domingo)
Entrada franca
Informações: (41) 3321-3260

Suicidal Angels: show poderoso e estridente à caminho do Brasil



Banda toca em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre

A banda Suicidal Angels, uma das sensações do heavy metal europeu, já está viajando rumo ao Brasil. O grupo recentemente se apresentou na Cidade do México e, segundo a imprensa especializada, a performance dos gregos foi devastadora.

“Desde o início, o público não deu trégua com muito slam, mosh e bate-cabeça, e após 15 minutos de show, mostraram como uma banda foi surpreendida pela resposta dos fãs, deixando cada gota de suor possível acima do piso. (...) Um bom começo para o ano, com poder e muito thrash estridente suicida”, declarou Andre Dulché, repórter do site Polvora. Leia a matéria completa e fotos em http://polvora.com.mx/2013/01/la-noche-de-suicidal-angels/.

Com 11 anos de estrada e participação em grandes festivais da Europa, Nick Melissourgos (vocal/guitarra), Chris Tsitsis (guitarra), Angel Kritsotakis (baixo) e Orfeas Tzortzopoulos (bateria) tocam em Porto Alegre (09/01 – Beco), Curitiba (10/01 – Espaço Cult Arte), São Paulo (12/01– Hangar 110) e Rio de Janeiro (13/01 - Rio Rock & Blues Music Club). Os ingressos em todas as cidades continuam à venda.

Recentemente, Nick Melissourgos (vocal/guitarra) concedeu entrevista exclusiva à The Ultimate Music - Press. Confira em http://theultimatepress.blogspot.com.br/2013/01/suicidal-angels-agressividade-que-vem.html. Além disso, eles mandaram uma mensagem em video http://www.youtube.com/watch?v=Fp6Lf7KU53A&f.

Mais fotos do show no México estão disponíveis em http://theultimatepress.blogspot.com.br/2013/01/suicidal-angels-show-poderoso-e.html.




Serviço Porto Alegre

Abstratti Produtora apresenta Suicidal Angels no RS

Data: 09/01

Local: Beco

End: Av. Independência, 936

Hora: 18h - abertura da casa | 19h – Wishcraftt | 20h – Leviaethan | 21h – Suicidal Angels

Ingressos: R$ 60,00 (1° lote) | R$ 70,00 (2° lote) | R$ 80,00 (3° lote)

Pontos de venda:

Lojas:

A Place (Centro Shopping - Rua Voluntários da Pátria, 294, loja 150)

Zeppelin (Galeria Luza - Rua Marechal Floriano, 185, loja 209)

Short Fuse (Galeria Malcom e Shopping Total)

Online: www.ticketbrasil.com.br (em até 12x no cartão)





Serviço Curitiba - Furia Metal Festival

CP Management e Metal Music orgulhosamente apresentam Suicidal Angels

Data: 10/01

Local: Espaço Cult Arte

End: Rua Doutor Claudino dos Santos, 72 - Largo da Ordem

Tel: 41 3323.2381 - http://www.espacocultart.com.br

Hora: 20h (Abertura da casa) | 20h30 (bandas convidadas) | 23h (Suicidal Angels)

Bandas: Poison Beer, Necropsya, Jailor

Ingressos: Pista: R$ 40,00 (1° lote – estudante/promocional)

Pontos de Venda: Lets Rock (41 3324.2676), Tunel do Rock (41) 3322.4077

Venda online: www.ticketbrasil.com.br (à vista ou parcelado)




Serviço São Paulo - Furia Metal Festival

CP Management e Metal Music orgulhosamente apresentam Suicidal Angels

Bandas convidadas: Leviæthan, Guillotine, ByWar

Data: 12/01

Local: Hangar 110 – Rua Rodolfo Miranda, 110 (próximo do Metrô Armênia)

Hora: 19h (Abertura da casa) | 20h (bandas convidadas) | 22h30 (Suicidal Angeles)

Ingressos: Pista promocional R$ 80,00 (1° lote)

Pontos de Venda: Die Hard (11 3331.3978), Consulado do Rock (11) 3221.7933, Mutilation (11) 3222.8253 e Paranoid (11) 3221.5297

Santo André: Metal CDs (11) 4994.7665

Venda online: www.ticketbrasil.com.br (à vista ou parcelado)




Serviço Rio de Janeiro - Furia Metal Festival

CP Management, Metal Music e SCELZA Produções orgulhosamente apresentam Suicidal Angels

Bandas convidadas: Prophecy, Sodomizer

Data: 13/01 - Domingo

Local: Rio Rock & Blues Music Club

End: Rua Riachuelo, 20 (próximo dos Arcos da Lapa)

Tel. 21 2222.2334 - www.riorockebluesclub.com.br

Hora: 20h (Abertura da casa) | 20:30h (bandas convidadas) | 23h00 (Suicidal Angeles)

Ingressos:

Pista promocional R$ 50,00 (1° lote promocional, meia entrada inclusa) | R$70,00 (no dia)

Pontos de Venda: Sempre Música (Ipanema) - 21 2523-9405 | Sempre Música (Catete) - 21 2265-6910 | Scheherazade (Tijuca) - 21 2569-1250 | Hard n Heavy (Flamengo) - 21 2552-2449 | Niterói e São Gonçalo - Rodrigo: 21 9742-5991.

Informações: (21) 9858-1699 - Scelza

Venda online: www.ticketbrasil.com.br (à vista ou parcelado)