sexta-feira, 13 de abril de 2012

Prêmio Agente Jovem: Inscrições prorrogadas!

O Ministério da Cultura publicou dia 14/12, no Diário Oficial da União (DOU), o edital Prêmio Agente Jovem de Cultura: Diálogos e Ações Interculturais. Por meio da Secretaria de Cidadania Cultural, o MinC vai premiar 500 iniciativas de jovens entre 15 e 29 anos. As inscrições para a premiação vão até 30/04.

O edital é uma parceria entre o MinC – que investirá R$ 2,9 milhões – e os ministérios da Saúde (R$ 1 milhão) e do Desenvolvimento Agrário (R$ 600 mil), além da Secretaria-Geral da Presidência da República/Secretaria Nacional de Juventude (R$ 500 mil).

Podem concorrer ao prêmio iniciativas existentes e já concluídas nas áreas de comunicação, tecnologia, pesquisa, formação cultural, produção artística, intercâmbio e sustentabilidade. Cada selecionado irá receber premiação no valor de R$ 9 mil. Os premiados poderão se inscrever de acordo com a faixa etária: serão 200 bolsas para jovens entre 25 e 29 anos, número igual para aqueles que têm entre 18 e 24 anos e outras 100 para os jovens de 15 a 17 anos. As inscrições poderão ser feitas pela internet, por meio do SalicWeb, ou pelos Correios.

O edital terá duas fases: habilitação das propostas (análise documental eliminatória) e seleção (eliminatória e classificatória). Os projetos serão avaliados a partir dos seguintes critérios: criatividade, inovação e boas práticas;

impacto social da iniciativa; comprovação da qualidade e efetividade das estratégias de comunicação e de estratégias que promovam o empoderamento para o autocuidado; sustentabilidade valorização da cidadania e da diversidade cultural brasileira.

Para a secretária de Cidadania Cultural do MinC, Márcia Rollemberg, é importante identificar e valorizar o que vem sendo feito por jovens que trabalham com a cultura no Brasil. “Esse prêmio é o primeiro passo de um processo de ação mais ampla e permanente, que vai envolver trabalhos de fortalecimento da formação do agente jovem de cultura, incluindo bolsas de formação, com uma parceria, também, do Ministério da Educação (MEC)”, diz a secretária.


Clique aqui e acesse todas as informações sobre o edital.

CAIXA Cultural expõe as matrizes africanas na dança urbana


Espetáculo de dança “Chapa Quente” em três apresentações
A CAIXA Cultural Curitiba apresenta o espetáculo de dança “Chapa Quente”, de 20 a 22 de abril. A peça criada pela Cia Urbana de Dança é composta por duas coreografias: "9 + 1" e "Chapa Quente". A primeira é suave e instigante, enquanto a segunda é acrobática, um exercício de velocidade que mistura house, dance contemporâneo e street dance.
O espetáculo foi apresentado no Festival Suresnes Cites Danse, na França e no Peak Performances, em Nova Jersey, com T. Jones e Wayne McGregor, em 2011. O desempenho foi elogiado pela revista Vogue italiana e teve destaque nos jornais New York Times, Financial Times e New York Observer.
A trilha sonora original foi criada por Rodrigo Marçal, a partir das coreografias. “Como o próprio nome já diz, é pura adrenalina, acrobática, um exercício de velocidade que mistura house dance contemporâneo e percussão, e explora a vitalidade dos dançarinos”, ressalta Sonia, diretora e coreógrafa da companhia.
A Companhia Urbana de Dança traz um olhar particular sobre os ritmos, danças e coreografias que estabelecem um diálogo entre as matrizes africanas da cultura brasileira e o que há de mais contemporâneo na dança urbana, com seus movimentos acrobáticos e fortes. A dança é posicionada, com toda a diversidade e problematização dos lugares sociais onde ela se manifesta. É um trabalho que não apenas se inspira, mas nasce de um fortalecimento da identidade cultural brasileira.
Sobre a companhia:
A Companhia Urbana de Dança, criada em 2004, é formada por um grupo de jovens oriundos de subúrbios do Rio de Janeiro. O grupo se caracteriza pela força das suas histórias e qualidades artísticas como vigor físico, diversidade de movimentos e sofisticação coreográfica e realiza uma leitura particular e criativa em dança urbana. Suas experiências e ideias são incorporadas como material de criação. Por meio de uma expressão artisticamente arrebatadora, colocam em cena corpos com movimentação forte e ao mesmo tempo sofisticada, marcada pela estética contemporânea.
Seu trabalho vem sendo reconhecido no exterior. Entre suas apresentações estão a Bienal Internacional de Dança de Lyon (2008 e 2010); Museu Quai Branly, em Paris; Rencontres Choreographique de Carthage; Festival Internacional de Biarritiz; Teatro de Chelles, em Paris; Teatro Lido em Medelín, Colômbia; Festival Hoptimum e Hangar 23 em Rouen; Festival Fall for Dance, em Nova York; Festival Jomba na África do Sul.
A peça “ID: Entidades”, conhecida no Brasil como “9+1”, foi considerada pelo NY Times como um dos 10 melhores espetáculos apresentados naquele ano. A trilha sonora, de Rodrigo Marçal, foi indicada ao Prêmio Bessies, em Nova York.
Ficha Técnica:
Direção: Sonia Destri Lie
Coreografia: Sonia Destri Lie e Companhia Urbana de Dança
Mise en scene: Daniela Amorim
Trilha: Rodrigo Marçal
Luz: Renato Machado
Dançarinos: Tiago Souza, Raphael Russier, Miguel Fernandez, Andre Virgilio, Leo Galvão, Johnny Britto e Bianca Popper Monteiro
Duração: 45 minutos
Serviço:
Dança: Chapa Quente
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: de 20 a 22 de abril de 2012
Hora: sexta e sábado às 20h e domingo às 19h
Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)
Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)
Classificação etária: Livre para todos os públicos
Lotação máxima: 125 lugares (02 para cadeirantes)
www.caixa.gov.br/caixacultural

Encontros apresentam artistas de referência nacional e lançam olhar sobre a produção contemporânea

Encontros apresentam artistas de referência nacional e lançam olhar sobre a produção contemporânea



O artista visual Efrain Almeida (CE/RJ) e o professor e curador Marcelo Campos (RJ) se encontram para conversar e refletir sobre Arte, no auditório do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - 3º andar - Centro - fone: (85) 3464.3108), na próxima quinta-feira, 19, às 19 horas, com entrada franca.

É o Encontro com Artistas, atividade realizada em parceria pelo Centro de Artes Visuais de Fortaleza, da Prefeitura de Fortaleza, e o Centro Cultural Banco do Nordeste. O objetivo do Encontro com Artistas é apresentar ao público a trajetória de artistas de referência no circuito nacional de artes e estabelecer um olhar crítico sobre a produção artística contemporânea.

"O primeiro encontro foi com o artista cearense Eduardo Frota, cujo conteúdo já está disponível, na íntegra, no canal do Centro Cultural Banco do Nordeste no You Tube (www.youtube.com/centroculturalbnb); o encontro com Efrain Almeida e Marcelo Campos também ficará disponível no mesmo canal", destaca Jacqueline Medeiros, coordenadora de Artes Visuais do CCBNB-Fortaleza.

No final do encontro, Efrain Almeida lançará livro, editado pela Combogó.



Breves perfis

Efrain Almeida - Estudou, nos anos 1980, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro. Seus trabalhos são constituídos de pequenas esculturas de madeira, objetos produzidos com tecido e aquarelas de tamanhos reduzidos. Com os temas entre a religiosidade e o autobiográfico, Efrain remete seu trabalho a reminiscências infantis, no interior do Ceará. Participou de várias exposições no Brasil e no exterior, residências de artistas e bienais como a 29ª Bienal de Arte de São Paulo.

Marcelo Campos - Professor do departamento de Teoria e História da Arte e coordenador da graduação em Artes do Instituto de Artes da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Doutor em Artes Visuais pela Escola de Belas Artes da UFRJ. Desenvolveu tese de doutorado sobre o conceito de brasilidade na arte contemporânea. Possui textos publicados sobre arte brasileira em periódicos e catálogos nacionais e internacionais. Participou do Mapeamento do Rumos 2001/2013 do Itaú Cultural e do 63º Salão de Abril.

"BRUJERIA e OITÃO no Hangar 110"

O controverso Brujeria retorna ao Brasil e inicia sua 3a passagem pelo país em São Paulo, no Hangar 110, dia 18 de abril de 2012 - quarta-feira. O grupo possui uma legião de fãs fervorosos em todo mundo e a paixão pela banda no Brasil já pôde ser comprovada em turnês anteriores quando o grupo realizou duas apresentações lotadas no meio da semana no próprio Hangar 110 em agosto de 2004 e em uma matinê lotada de um sábado em dezembro de 2007 no Inferno Clube.

O Brujeria é formado por músicos renomados da cena underground metal e death metal e sua formação atual inclui membros e ex-membros do Napalm Death, Carcass, Cradle of Filth, At The Gates e Down By Law.

No início, o grupo era liderado por Dino Cazares e Raymond Herrera do Fear Factory e já passaram pelo projeto, músicos do calibre de Billy Gould [Faith No More/ Jello Biafra & GSM] e Jello Biafra [Dead Kennedys, LARD, etc].

Alguns de seus álbuns se tornaram verdadeiros clássicos dentro da cena metal, entre eles: Matando Gueros [1993] e Raza Odiada [1995].

A abertura ficará a cargo do quarteto paulista Oitão.



Serviço:
Brujeria e Oitão no Hangar 110 – São Paulo
Data: 18 de Abril de 2012 – Quarta-Feira
Horário: 19h00
Local: Hangar 110 - R. Rodolfo Miranda, 110 - Bom Retiro
Infos: 11 3229-7442 | www.hangar110.com.br

Ingressos: R$ 60.00 - 1o Lote | R$80.00 – 2o Lote
Porta: Outro Valor

Realização: Hangar 110 e Highlight Sounds
Apoio: Santo Angelo

Informações gerais: 11 3229-7442 – www.hangar110.com.br


5/5 INFANTIL ESTREIA A MENINA QUE BRILHA


CIA. LOUCOS DO TARÔ APRESENTA O ESPETACULO INFANTIL
“A MENINA QUE BRILHA”

Estreia no dia 5 de maio, no Teatro Augusta

Direção de Leandro Galor
Texto inédito de Cal Titanero e Lilian Borges
A Cia. Loucos do Tarô estreia o espetáculo infantil
“A Menina que Brilha” no dia 5 de maio, no Teatro Augusta.
O espetáculo foi realizado j Junto ao Ministério da Cultura
com patrocínio da TEBE Concessionária de Rodovias e Capemisa
Seguradora da Vida e Previdência.
A direção é de Leandro Galor e texto inédito
é de Cal Titanero e Lilian Borges.

Sinopse: A Menina Que Brilha
Era uma vez... Um príncipe solitário que não
podia mais viver sozinho e uma Menina que brilhava.
Era uma vez... Uma onça preguiçosa,
um macaco maluco e um corvo sinistro.
Era uma vez... Uma bruxa malvada, um sapo gosmento,
uma coruja sabida e um leão excêntrico.
Juntamos todos esses “era uma vez” para contar a história
desse príncipe, em uma divertida jornada, cheia de desafios,
em busca do seu tesouro perdido.
Serviço - “A Menina Que Brilha”
Gênero – Infantil
Teatro Augusta – Rua Augusta, 943 – Bela Vista
Estréia dia 05 de Maio – Temporada até 24 de junho de 2012
Sábados e Domingos às 16h
Ingressos - 20,00 (inteira) / 10,00 (meia-entrada)
Horário da bilheteria – Quartas e quintas das 14h00 às 21h00,
Sexta das 14h00 às 21h30, Sábado das 15h00 às 21h00 e Domingo das 15h00 às 19h00
Aceita cheque e cartão, venda também através do Ingresso Rápido
Lotação – 302 lugares
Duração – 40 minutos
Faixa etária – Livre
Estacionamento conveniado
Café / Com Acesso para portadores de necessidades especiais / ar condicionado
A Menina Que Brilha - Ficha Técnica
Autor – Cal Titanero e Lilian Borges.
Direção - Leandro Galor.
Assistência de Direção – Sandro Santos.
Preparação Vocal – Amanda Cappia.
Elenco - Cal Titanero, Carol Mafra, Danielle Scavone, Erica Correia, Gabriela Portieri,
Jô de Souza, Lilian Borges, Mauricio Spina, Ricardo Aciole, Stella Portieri e Thales Cristovão.
Stand in – Danilo Miniquelli e Fabiola Araujo.
Figurino – Thales Cristovão, Larissa Graziel e Celly Lopes.
Cenografia – Leandro Galor e Vinicius Salles.
Iluminação (concepção e operação) – Carol Mafra e Fernando Assunção.
Sonoplastia (concepção e operação) – Leandro Galor e Sandro Santos.
Arte Gráfica: Mauricio Spina e Mun-seo Kang.
Assessoria de Imprensa – Flávia Fusco.
Produção: Bagagê Produções & Cia. Loucos do Tarô.
Realização: Ministério da Cultura e Panapaná Produções.
Patrocínio: TEBE Concessionária de Rodovias,
Capemisa Seguradora de Vida e Previdência,
Instituto Biosegredo e Dinastia Soluções Financeiras.
Apoio Cultural: Link Moto, Pony Brasil, Mitré, Eletel,
Morais Donnangelo Tosiyuki Gonçalves Advogados Associados Revista Caras e Rede Biroska.
Apoio Institucional: CICESP, Fundação Edmilson e Casa da Sopa de Limeira.

Curitiba Lê comemora aniversário com intensa programação literária





Palestras, lançamento de jornal, laboratórios e rodas de leitura, além de contações de histórias em endereços espalhados pela cidade marcam o aniversário de dois anos do programa Curitiba Lê, desenvolvido pela Prefeitura e Fundação Cultural de Curitiba. Entre os dias 16 e 20 de abril, diversos encontros literários gratuitos permitem que crianças, jovens e adultos compartilhem o prazer de descobrir o universo da literatura.
O programa Curitiba Lê ganhou reconhecimento internacional ao ser incluído na Cátedra Unesco de Leitura, no começo deste ano. Instalada no campus da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-Rio, a instituição é um centro de referência em leitura de múltiplas linguagens e suportes para países de fala portuguesa, e tem como missão contribuir para a transformação da vida social por meio da formação de leitores.
Ao considerar relevante a experiência do Curitiba Lê, a Cátedra avaliza o programa como referência para outros locais que queiram implantar ações de leitura. “Ao integrar o Observatório de Leitura da Cátedra, o programa municipal está entre as mais expressivas atividades desenvolvidas em prol da leitura, em vários países”, comemora Roberta Storelli, presidente da Fundação Cultural de Curitiba.
O Curitiba Lê atesta o sucesso da política pública municipal na área de Literatura, em Curitiba. “O programa, por meio de seus espaços e ações, dissemina o acesso ao universo simbólico da literatura, atingindo todas as regiões e chegando a todas as classes sociais”, diz Mauro Tietz, coordenador de Literatura da Fundação Cultural de Curitiba.
Programação – Na agenda preparada para comemorar o aniversário do Curitiba Lê, o Palacete Wolf (Praça Garibaldi), sede da Coordenação de Literatura da Fundação Cultural, abriga atividades voltadas ao público adulto. Na segunda-feira (16), às 19h, o escritor e professor Otto Winck profere a palestra “Autoficção: labirintos de memória e invenção”. No dia 17 (terça-feira), das 19h às 22h, a poeta, ficcionista, tradutora e professora Luci Collin comanda mais um encontro da quinta edição do Ciclo de Leituras Obras Completas, que aborda a produção do escritor e cineasta Valêncio Xavier.
Dando sequência aos eventos sediados no Palacete Wolf, na quarta-feira (18), às 19h, será a vez do dramaturgo, músico e roteirista Flávio Stein falar sobre a importância da vocalização do texto literário nos processos de mediação de leitura. No dia 19 (quinta-feira), também às 19h, lançamento da sexta edição do Jornal das Oficinas de Análise e Criação Literárias, publicação que reúne textos selecionados entre todos os trabalhos elaborados pelos alunos em 2011. Finalmente, no dia 20 (sexta-feira), a partir das 14h, a Casa da Leitura Dario Vellozo, instalada no Palacete Wolf, abriga a Oficina de Contação de Histórias orientada por Adriane Havro e Luís Teixeira
Na segunda-feira (16), pela manhã e à tarde, as Casas da Leitura situadas nas Regionais da cidade oferecem laboratórios e rodas de leitura, além de sessões de contações de histórias. No Bondinho da Leitura, na Rua das Flores, a atração fica por conta das contações de histórias marcadas na quarta-feira (18), Dia Nacional do Livro Infantil, recebendo a garotada às 10h, 10h45, 15h e 15h45. São variadas opções literárias para celebrar o aniversário do Curitiba Lê com o público de todas as idades. Confira a programação completa no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br.
O programa – Criado pela Prefeitura e Fundação Cultural de Curitiba, em 2010, o programa Curitiba Lê engloba um conjunto de ações em duas grandes áreas da Literatura: a criação literária e a leitura. Para integrar o Curitiba Lê, todas as bibliotecas mantidas pela Fundação Cultural foram transformadas em Casas da Leitura, cada uma recebendo ou mantendo o nome de escritores, jornalistas ou professores.
Somaram-se à transformação das bibliotecas a criação de novos espaços, como a Casa da Leitura Dario Vellozo, o Bondinho da Leitura e a Estação da Leitura do Pinheirinho. No total são 13 endereços que têm como objetivo incentivar ativamente a prática da leitura e envolver a comunidade com o hábito de ler.
A implantação da Estação da Leitura no Terminal do Pinheirinho é um dos projetos inéditos lançados junto com o Curitiba Lê. Ela funciona como posto de atendimento para empréstimo de livros, o que é feito de forma bastante simples, gratuitamente e sem burocracia. Para emprestar um livro, basta apresentar um documento de identificação e informar o endereço. O sistema não utiliza carteiras de usuários. A Estação tem dois terminais de computadores disponíveis ao público para consulta do acervo local e de acervos localizados em outras unidades da Fundação Cultural.
Outro espaço é o Bondinho da Leitura, na Rua das Flores. O tradicional bondinho passou por obras de revitalização e, em 2010, começou a funcionar como posto de atendimento para empréstimo gratuito de livros, integrando-se à série de ações do programa Curitiba Lê.
O local funciona nos moldes da Estação da Leitura instalada no Terminal do Pinheirinho. Quem circula pelo calçadão diariamente pode emprestar livros de literatura de forma simples e gratuita, bastando apresentar um documento de identificação e informar o endereço. No acervo, os leitores encontram clássicos da literatura brasileira e universal, e obras atuais de autores brasileiros e estrangeiros. Estão disponíveis aproximadamente 2.500 títulos para todas as idades.
As Casas da Leitura têm a proposta de atuar como um centro de estudos e pesquisas voltado à leitura, não só do ponto de vista da promoção do hábito de ler como das discussões teóricas sobre os mecanismos e as formas de incentivo. Nesse sentido, elas também são palco de cursos, seminários e conferências voltadas a agentes multiplicadores e incentivadores, como é o caso dos professores da rede municipal de ensino, contadores de histórias, arte-educadores e voluntários.
Fazem parte ainda do programa Curitiba Lê todas as ações que a Fundação Cultural já desenvolve no campo da literatura, atendendo a totalidade das Regionais da administração municipal e voltadas a diversas faixas etárias. Entre elas estão os ciclos de leitura, que se propõem a estudar a obra de determinados autores, além de cursos, oficinas literárias, laboratórios de leitura, rodas de leitura e sessões de contação de histórias. Em 2011 foram ministradas 1.300 rodas de leitura e aproximadamente 600 contações de histórias. Para 2012, estão programadas 1.400 rodas e 500 contações.
Os Laboratórios de Leitura têm como principal objetivo formar novos mediadores de leitura, pensando no leitor do futuro. Finalmente, as Oficinas de Análise e Criação Literária, ministradas por escritores de renome, recebem pessoas que querem investir na produção de textos literários. Ao final dos estudos, textos dos participantes são selecionados por profissionais da área literária para que cheguem ao público em forma de publicação elaborada pela Fundação Cultural de Curitiba.
Serviço:
Programação de aniversário de dois anos do programa Curitiba Lê, desenvolvido pela Prefeitura e Fundação Cultural de Curitiba.
De 16 a 20 de abril de 2012 (segunda a sexta-feira), eventos literários gratuitos no Palacete Wolf (Praça Garibaldi, 7 – Centro), para o público adulto:
dia 16 (segunda-feira), às 19h – palestra “Autoficção: labirintos de memória e invenção”, com Otto Winck;
dia 17 (terça-feira), das 19h às 22h – Ciclo de Leituras Obras Completas 5ª edição: Valêncio Xavier, mediado por Luci Collin;
dia 18 (quarta-feira), às 19h – palestra "Ler e vocalizar o texto literário: processos de mediação de leitura", com Flávio Stein;
dia 19 (quinta-feira), às 19h – lançamento do Jornal das Oficinas de Análise e Criação Literária de 2011;
dia 20 (sexta-feira), a partir das 14h, Oficina de Contação de Histórias, com Adriane Havro e Luís Teixeira.
Dia 16 (segunda-feira), pela manhã e à tarde, as Casas da Leitura situadas nas Regionais da cidade oferecem laboratórios e rodas de leitura, além de sessões de contações de histórias.
No Bondinho da Leitura (Rua das Flores), contações de histórias no dia 18 (quarta-feira), Dia Nacional do Livro Infantil, com sessões às 10h, 10h45, 15h e 15h45.
Confira a programação completa no site www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br.

14/04 IAB SP PROMOVE EVENTO PARA DISCUTIR QUESTÕES DA CIDADE

IAB-SP PROMOVE EVENTO PARA
DISCUTIR QUESTÕES DA CIDADE

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-SP) promove no dia 14 de abril (sábado), das 15h às 22h, o evento RE_CONEXÃO IABsp, que tem o objetivo de marcar o início do processo de discussão das questões da cidade, antecedendo as eleições municipais.

A atividade, que será realizada na sede do IAB e em espaço aberto, na Rua General Jardim (entre as Ruas Bento Freitas e Araújo), marca o início da gestão 2012/2013, presidida por José Armênio Brito Cruz, que destaca como ideia do evento marcar uma nova identidade do Instituto. “Nosso objetivo na gestão do IAB é o de construir uma nova identidade para a arquitetura dentro da sociedade, face pública da nossa profissão. É o IAB próximo às demandas da sociedade e diante das questões que afligem a população que vive em nossas cidades e em nosso país”, explica.

A abertura acontecerá na sede do IAB, na Rua Bento Freitas e as atividades do dia acontecem na Rua General Jardim, que será fechada para o trânsito, e contará com oficina de desenho com o arquiteto Paulo von Poser, apresentação de bandas, projeções de luzes, intervenção audiovisual, exibição de filmes sobre arquitetura, entre outras propostas. O evento marca ainda retomada do processo de restauro do edifício do IAB, após a aprovação do projeto no Ministério da Cultura/Lei Rouanet.

O evento é voltado para arquitetos e população em geral.
José Armênio reforça que “o IAB, que há 90 anos enfrenta todos os grandes temas da sociedade vem, neste novo momento da sociedade brasileira, se colocar como parte integrante deste processo, com propostas e soluções que aumentem a qualidade de vida nas cidades, no país. O desafio é grande, a disposição de enfrentá-lo também. Este evento marca um começo que já não está em seu ponto zero”.

SERVIÇO
· Data: 14/04/12 (Sábado)
· Horário: das 15h às 22h
· Local: Sede do IAB – Rua Bento Freitas, 306 (próximo ao Metrô República)
· Mais informações: www.iabsp.org.br ou pelo telefone 3259-6597, com Emerson Fioravante.
Evento voltado para arquitetos e população em geral

"Ficções", exposição individual do artista paulista Nino Cais, entra em cartaz no CCBNB-Fortaleza


"Ficções", exposição individual do artista paulista Nino Cais, entra em cartaz no CCBNB-Fortaleza

O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) abrirá a exposição individual "Ficções", do artista visual paulista Nino Cais, com curadoria de Carolina Soares, na próxima terça-feira, 17, às 18 horas. Com entrada franca, a exposição ficará em cartaz até o próximo dia 20 de maio (horários de visitação: terça-feira a sábado, de 10h às 20h; aos domingos, de 12h às 18h).



Texto curatorial (por Carolina Soares)

Em 1920, Tristan Tzara oferece ao leitor instruções de como produzir uma poesia. Simples assim:



Apanhe um jornal./ Apanhe algumas tesouras./ Escolha um artigo do tamanho que você pretende dar ao seu poema./ Recorte o artigo./ Depois recorte cuidadosamente cada palavra do artigo e coloque-as em um saco./ Agite levemente./ Depois retire um recorte após o outro./ Copie-os conscienciosamente na ordem em que saíram do saco./ O poema se parecerá com você./ E você será um escritor de infinita originalidade e encantadora sensibilidade, ainda que incompreensível às massas.



Embora aqui se busque resguardar as devidas diferenças construídas cronologicamente pela História da Arte, não deixa de ser tentador cair em certos devaneios anacrônicos, pois o trabalho de Nino Cais parece se valer de semelhante receita. A aleatoriedade pressuposta na escolha dos objetos que tensiona junto ao seu corpo provoca o observador a entender a obra como uma espécie de "faça você mesmo". Essa instrução, no entanto, não significa o abandono em relação a uma crença nas potencialidades artísticas, mas sim o confronto com certos mecanismos retóricos voltados para meras atribuições de valores estéticos.

Nesse desmonte, os objetos não são, porém, destituídos de uma banalidade ordinária, ou seja, os utensílios de cozinha apropriados, por exemplo, continuam sendo utensílios de cozinha, apenas adquirem funcionalidades simbólicas. E mais, ao aliá-los ao seu próprio corpo, Nino Cais dá margens a narrativas fantásticas. São situações inusitadas em que persiste uma ideia de acaso como oposição à realidade. Do encontro entre o artista e as coisas de seu entorno resultam fissuras irremediáveis. Afinal, de que maneira estabelecer relações de continuidade frente a um corpo humano cujo rosto se mantém recoberto por objetos não apenas diversos como desconcertantes?

São ficções que, mesmo com certo humor, não apaziguam, pelo contrário, provocam inquietações. Ao utilizar seu corpo como material escultórico - elegendo a fotografia como meio não apenas documental, mas também como parte constituinte do trabalho -, Nino Cais recoloca questões em torno da possibilidade de moldar uma fotografia escultórica (ou uma escultura fotográfica?). Com isso, os arranjos, aos quais os objetos estão sujeitos, resultam em trabalhos que transcendem as mais tradicionais categorias, impedindo distinções estritas entre os dois campos, ou seja, as fotografias não são mais registros de esculturas, mas esculturas em si.

Para baratinar ainda mais a conversa, na exposição Ficções, amplia-se o debate ao serem apresentados dois conjuntos de trabalhos: um bidimensional e outro tridimensional. A diferença em suas dimensões, no entanto, não evita com que ambos sejam concebidos a partir de questões semelhantes em torno de uma ideia de escultura contemporânea e de seu caráter objetual. São espacialidades e volumes que favorecem diferentes experiências produzindo tensões não apenas por suas estruturas internas como também por suas relações com o observador que, diante de cada uma, precisa se comportar de maneira diametralmente oposta.

A presença marcante de coisas familiares como utensílios domésticos e enfeites de festas juninas restitui uma temporalidade aos trabalhos que parece falar sempre no presente, acontecer no momento em que os observamos. Com isso, torna-se impossível não olharmos para um balde ou uma bacia, mesmo que pressionados ao teto, e não rememorarmos seus lugares no mundo. Não há ambiguidade. O balde ou a bacia continuam sendo um balde ou uma bacia.

É o que intriga e desconcerta. Simples assim.

AGENDA CURITIBA | Destaques de 12 a 18 de abril


clique para ampliar

14/04 (Sábado) 14hs Semana Jovem encerra com shows na Boca Maldita em Curitiba!

clique para ampliar


hows no Encerramento da Semana Jovem:

Dia: 14 de abril de 2012 (Sàbado)

Horário dos shows:

COLLIN-US (Curitiba/PR) 14:00 horas

AXIOMA (São Paulo/SP) 15:00 horas

Local: Boca Maldita

End: Calçadão da Rua XV de Novembro - Centro - Curitiba/PR

Realização: Smelj e Prefeitura da Cidade.

Apoio: Hotel Brasília

Produção: Raio X Música

Flash mobs nos bairros preparam a cidade para a Bienal de Dança


Os moradores de diversos bairros de Curitiba serão surpreendidos neste sábado (14) com apresentações instantâneas, em locais públicos, dos bailarinos que participam, na próxima semana, da Bienal Internacional de Dança. Vários “flash mobs” vão acontecer simultaneamente em áreas do Boa Vista, Fazendinha, CIC, Santa Felicidade e região central, a partir das 10h. As performances também serão feitas, a partir das 14h, no Bairro Novo, Boqueirão, Cajuru, Pinheirinho e Tatuquara.
O movimento tem a proposta de preparar a cidade e envolver a população neste grande evento de dança que Curitiba promove de 22 a 29 de abril, com a participação das principais companhias de dança do Paraná e de importantes grupos nacionais e internacionais. Os “flash mobs” reunirão bailarinos de 12 companhias, que tomarão as ruas, parques e praças com performances que duram aproximadamente cinco minutos.
A programação é a seguinte:
10h
Regional Boa Vista – Oito Tempos & Lissandra Rodrigues
Regional Fazendinha – Dança Latina Walmir Secchi & Lótus Cia de Dança
Regional CIC – Edson Carneiro & Juliana Carletto
Regional Matriz – Coripheus & Dance Sempre
Regional Santa Felicidade – Ciro Arruda & Grupo In Pulse
14h
Regional Bairro Novo – Back Stage & Street Extreme
Regional Boqueirão – Dança Latina Walmir Secchi & Lótus Cia de Dança
Regional Cajuru – Edson Carneiro & Juliana Carletto
Regional Pinheirinho – Coripheus & Dance Sempre
Regional Tatuquara – Cido Arruda & Lótus Cia de Dança
A Bienal Internacional de Dança de Curitiba é uma promoção do Instituto Curitiba de Arte e Cultura (ICAC), Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura Municipal, com patrocínio do Bradesco e da Nissan. O evento reunirá 27 companhias de dança nacionais e internacionais, bailarinos e coreógrafos de todo o país, em oficinas, palestras, espetáculos e uma série de apresentações ao ar livre, no centro e nos bairros. As inscrições para as 1.530 vagas nas oficinas, palestras e no espaço “Portfólio” estão abertas no site oficial do evento: www.bienaldanca.org.br. Podem se inscrever nas oficinas jovens a partir de 14 anos, estudantes de dança, coreógrafos, bailarinos profissionais e amadores.
Serviço:
“Flash mobs” nos bairros (programação preparatória da Bienal Internacional de Dança de Curitiba)
Dia 14 de abril (sábado), às 10h, em locais públicos do Boa Vista, Fazendinha, CIC, Santa Felicidade e região central; às 14h, no Bairro Novo, Boqueirão, Cajuru, Pinheirinho e Tatuquara.
Mais informações sobre a Bienal Internacional de Dança de Curitiba no site www.bienaldanca.org.br.
Patrocínio: Nissan, Bradesco, Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cultura e Governo Federal.
Apoio: Aspen Santa Fe Ballet, Centro Cultural Teatro Guaíra, Consulado Geral da República da Polônia em Curitiba, Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo, Faculdade Metropolitana de Curitiba – Famec, Fundação Nacional de Artes – Funarte, Galvão Locações, Goethe-Institut Curitiba, Instituto Municipal de Turismo, Internationales Solo Tanz Theatre Festival, Korzo Producties, Polish Dance Theatre, São Paulo Companhia de Dança, Secretaria de Estado da Cultura do Paraná, Secretaria Municipal da Educação de Curitiba, Sistema Fecomércio Sesc Paraná, Sanepar e Universidade Federal do Paraná.
Realização: Instituto Curitiba de Arte e Cultura, Fundação Cultural de Curitiba e Prefeitura de Curitiba.

Teatro infantil para animar o fim de semana




Os pequenos já têm o programa perfeito para se divertir no fim de semana. “A Terra dos Meninos Pelados” estreia no Teatro de Bonecos Dr. Botica (Shopping Estação), com sessões às 15h e às 17h de sábado e domingo (14 e 15). Já no Teatro do Piá (Praça Garibaldi), a atração é a fábula “O Malefício da Mariposa”, às 11h de domingo (15).
Da obra de Graciliano Ramos, “A Terra dos Meninos Pelados” passeia entre a realidade e a fantasia, mostrando como esses dois mundos podem se fundir. Com direção de Manoel Kobachuk, um dos mais importantes bonequeiros do Brasil, o espetáculo conta a história do menino Raimundo que, com um olho preto e outro azul e nem um fio de cabelo na cabeça, desenhava na calçada coisas de Tatipirum, um país onde todos os habitantes eram como ele.
A comédia “O Malefício da Mariposa”, de Federico Garcia Lorca, mergulha no universo dos insetos para retratar os dramas vividos por causa do amor. Com direção geral de Ana Rosa Tezza e direção de arte a cargo de Cristine Conde, a fábula faz uso da poesia para se aprofundar no imaginário dos pequenos seres do jardim. Os cenários, figurinos e bonecos são criações da companhia, e no elenco estão Alessandra Flores, Janine de Campos e Val Salles.
Serviço:
Espetáculos infantis:
“A Terra dos meninos pelados”, com direção de Manoel Kobachuk.
Local: Teatro de Bonecos Dr. Botica (Shopping Estação – Av. Sete de Setembro, 2.775).
Data e horário: dias 14 e 15 de abril de 2012 (sábado e domingo), com sessões às 15h e 17h.
Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (estudantes, idosos e crianças de até 5 anos).
“O Malefício da Mariposa”, com direção geral de Ana Rosa Tezza.
Local: Teatro do Piá (Praça Garibaldi, 7 – Setor Histórico)
Data e horário: dia 15 de abril de 2012 (domingo), às 11h.
Entrada franca

Choro e rock no Parque Náutico do Iguaçu


O Parque Náutico do Iguaçu será palco de shows musicais, neste domingo (15), com mais uma opção de lazer e cultura no fim de semana. Quem toma conta do espaço, às 15h30, pelo programa Música nos Parques da Fundação Cultural de Curitiba, é Julião Boêmio com o espetáculo “O Choro Curitibano”. Mostrando a riqueza do estilo musical e a trajetória do choro, que se confunde com a história da própria MBP, o músico promete animar o público.
A segunda atração do domingo fica por conta do Tubo Coletivo, com o seu programa “Fora do Eixo”, apresentando a banda Punkake. O quarteto, que já é considerado a maior banda feminina do sul do país, executa um repertório que mistura música de garage, powerpop, punk e indie. Com acordes pesados, letras marcantes e muitas distorções, a vocalista Bacabí e suas companheiras de banda sempre surpreendem o público com shows únicos e explosivos.
Além do show, o Fora do Eixo promove atividades recreativas para as famílias, oferecendo pintura infantil, mesas de jogos, varal das artes com poesias de José Geraldo e gravuras de Gilberto Oliveira e “book crossing” (intercâmbio de livros). As atividades paralelas estão abertas à participação de outros artistas que queiram se integrar ao Fora do Eixo, mediante inscrição pela internet, no endereço http://foradoeixocuritiba.tnb.art.br.

Serviço:
Programa Música nos Parques, da Fundação Cultural de Curitiba, com apresentação de Julião Boêmio.
Projeto Fora do Eixo nos Parques, realizado pelo Tubo Coletivo, com apresentação da banda Punkake e atividades recreativas.
Data e horário: dia 15 de abril de 2012 (domingo), às 15h30, no Parque Náutico do Iguaçu (Rua João Miqueletto, s/n – Alto Boqueirão)
Entrada franca

Uma história da Química através de tudo

No dia 12 de Abril, quinta-feira, no Auditório do Pavilhão do Conhecimento - Ciência Viva, em Lisboa, junte-se a nós para este programa:

15h30 - 16h00
Haja Luz! Uma história da Química através de tudo
Jorge Calado

16h00 - 16h30
O namoro entre a Física e a Química
Carlos Fiolhais

Jorge Calado vai ao Pavilhão do Conheci

mento dar uma aula de Química diferente, a propósito da reedição do livro Haja Luz! Uma história da química através de tudo pela IST Press, editora universitária do Instituto Superior Técnico. Não sabemos se Carlos Fiolhais vai dar uma aula de Física mas certo, certo, é que ele considerou em 2011 esta publicação como o melhor livro português de ciência.

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Olhares geográficos: Modos de ver e viver o espaço


Olhares geográficos: Modos de ver e viver o espaço
de Iná Elias de Castro; Paulo Cesar da Costa Gomes e Roberto Lobato Corrêa (orgs.)



Páginas: 192
Formato: 14 x 21 cm

O LIVRO

Os textos de Os textos de Olhares geográfico, organizado por Iná Elias de Castro, Paulo César da Costa Gomes e Roberto Lobato Corrêa, propõem-se a debater as diferentes formas assumidas pelo processo de estruturação social que se expressam no espaço.

Além de manifestação da diversidade e da complexidade sociais, o espaço constitui uma dimensão fundadora do “ser no mundo”, mundo este — tanto material quanto simbólico — que se concretiza em formas, conteúdos e movimentos. Falar de espaço significa, portanto, visualizar a materialidade que deriva daquele processo.

Em Olhares geográficos: Modos de ver e viver o espaço, política, cultura e economia são eixos que estabelecem grades de leitura do espaço que permitem revelar as especificidades de cada um deles. Esses parâmetros constituem três dimensões que expressam tanto os processos de estruturação e organização sociais, assim quanto a materialidade que lhes é subjacente. Nenhum deles esgota as possibilidades de descrição e análise geográfica, e todos contribuem para uma melhor compreensão do objeto comum dos trabalhos, que é o espaço da geografia.

Esta coletânea dá continuidade ao compromisso dos organizadores de trazer grandes temas em pauta na geografia contemporânea. Como a ambição intelectual dos autores não é pequena, o percurso escolhido para a coletânea é sinuoso e nos oferece a possibilidade de refletir sobre os espaços da política, da cultura e da economia, bem como sobre suas interações. Nenhum desses eixos, porém, esgota as possibilidades de descrição e análise. Organizado por Iná Elias de Castro, Paulo César da Costa Gomes e Roberto Lobato Corrêa, propõem-se a debater as diferentes formas assumidas pelo processo de estruturação social que se expressam no espaço.




OS AUTORES (organizadores)

Iná Elias de Castro é professora e pesquisadora do Departamento de Geografia da UFRJ, com Pós-Doutorado pela Universidade de Sourbonne em Paris, sendo também autora do livro O Mito da Necessidade e organizadora de Brasil : Questões Atuais da Reorganização do Território e Geografia, Conceitos e Temas.

Paulo César da Costa Gomes é professor de Geografia da UFRJ e doutor pela Universidade de Sourbonne em Paris. Bolsista pelo Governo do Canadá nas Universidades de Otawwa e British Columbia. Atualmente ele é vice-coordenador do Curso de Pós-Graduação de Geografia da UFRJ. O livro Geografia e Modernidade é de sua autoria e, Geografia, Conceitos e Temas e Brasil : Questões Atuais da Reorganização do Território foi coordenado por ele.

Roberto Lobato Corrêa é professor e pesquisador do Departamento de Geografia, da UFRJ, tendo atuado no Conselho Nacional de Geografia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Publicou por esta editora Trajetórias Geográficas e colaborou na organização do livro Brasil: Questões Atuais da Reorganização do Território.


UM LANÇAMENTO

NOVA TEMPORADA DO TESTE DE AUDIÊNCIA NA CAIXA CULTURAL






Sucesso de público projeto traz novas produções para análise dos curitibanos





A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, na próxima terça-feira (17), a nova temporada do Teste de Audiência, projeto de cinema idealizado por Márcio Curi e Renato Barbieri, que consiste na exibição de um filme nacional não finalizado e em um bate-papo entre o diretor do filme e o público.



O projeto completa 6 anos de existência e entra na 4ª temporada curitibana. O filme, ainda em fase de finalização, é analisado, em todos os seus aspectos, pelo público presente. Um dos grandes destaques da última temporada foi o filme “Xingu”, de Cao Hambúrguer, que está em evidência em festivais internacionais e em cartaz nos cinemas brasileiros.



Além de oferecer aos cineastas uma preciosa ferramenta de trabalho, o Teste de Audiência colabora também para a formação do público e para o desenvolvimento de uma metodologia científica de aprimoramento e finalização das obras audiovisuais. Por meio de uma ampla pesquisa sobre o estágio de filmagem e montagem dos novos filmes brasileiros, os curadores selecionam os títulos mais adequados ao projeto.



Nessa etapa, são considerados critérios de diversificação geográfica e de gênero, sempre respeitando a qualidade cinematográfica em seus aspectos técnicos e narrativos. Esses aspectos essenciais permitem montar uma grade de programação forte e plural, refletindo e respeitando os valores da cinematografia brasileira.



Serviço:

Cinema: Teste de Audiência 2012 – 1ª sessão

Local: CAIXA Cultural - Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 17 de abril de 2012 (terça-feira)

Horário: 20h

Ingressos: Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do Teatro, no dia do evento, a partir das 19h

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sexta-feira das 12h às 20h, sábado das 16h às 20h e domingo das 16h às 19h)

Classificação etária: Não recomendado para menores de 16 anos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares (02 para cadeirantes)

18/4 TUTU RECEBE NO ESTÚDIO EMME




Tutu Recebe

Diogo Franco


Dia 18 de abril, no Estúdio Emme






O projeto Tutu Recebe apresenta o musico e compositor Diogo Franco, no dia 18 de abril, no palco do Estúdio Emme em São Paulo.




Tutu Moraes, pesquisador de música brasileira, DJ e criador da Festa do Santo Forte, é o curador da noite TUTU RECEBE. No projeto, que tem edições mensais, ele recebe novos nomes da Musica Brasileira.



DIOGO FRANCO – SHOW ENGRENAGEM SEM FIM

Diogo Franco é cantor e compositor, criador de uma linguagem própria singular onde transita entre a simplicidade intimista da voz e violão e baladas sutilmente psicodélicas que culminam em puro rock and roll. Filho do polêmico Walter Franco, Diogo não nega ás influencias do pai, poesia concreta e desconstruções musicais, além de influencias da música indiana.

“Engrenagem Sem Fim” - Cada música é como uma peça de um quebra-cabeça. Cada peça uma mensagem diferente ao espectador. Sempre com letras fortes e marcantes, foge do canto macio e das músicas românticas, interpretando diferentes personagens conforme a música pede. A banda é composta por Raulito Duarte e Igor Esparrel nas guitarras, Daniel Kid no baixo, Rodrigo Vitali na bateria e percussão e Marcelo Guanabara nos teclados. Como muito participou dos shows de seu pai, nada mais justo do que convidá-lo. Walter Franco estará presente cantando alguns sucessos de sua carreira.

Um show de muita inspiração e energia contagiante, um prato cheio para quem gosta de experimentar novos sabores musicais.



Serviço

TUTU RECEBE

Dia: 18 de abril, quarta-feira
Abertura da casa: 22h30
Ingresso: R$ 30,00

Local: Estúdio Emme

Av. Pedroso de Morais, 1036 – Pinheiros
Horário da Bilheteria:

de segunda a sábado, das 13h00 às 20h00

ou até horário de abertura da casa.

Tel para informações: (11) 3031.3290
Valet no local
Não recomendado para menores de 18 anos.
A casa aceita cartões, dispõe de chapelaria,

e área aberta (externa) para fumantes

Festa Let´s Groove apresenta Orquestra Brasileira de Música Jamaicana


Dia 21 de abril no Estúdio Emme






A festa Let’s Grove traz para o palco do Estúdio Emme a Orquestra Brasileira de Música Jamaicana Como o nome sugere, reproduz de maneira inteligente e divertida, versões de grandes clássicos da música brasileira em ritmos jamaicanos criados nas décadas de 50 e 60. Ska, Rocksteady e o Early Reggae são alguns dos dançantes ritmos que permeiam na Orquestra.


É difícil traduzir em palavras o entusiasmo do público ao dançar “O Guarani”, clássico da música erudita brasileira transformado em Ska, ou Águas de Março uma bossa nova do mestre Tom Jobim, tocada em Early Reggae.
Criada originalmente pelo músico e produtor Sergio Soffiatti e pelo trompetista Felippe Pipeta, a OBMJ sem pretensão alguma, faz jus ao antropofagismo de Oswald de Andrade que inspirou gerações de Mutantes a Nação Zumbi.


Seu primeiro cd “VOLUME 1” lançado a poucos meses é uma verdadeira festa da música brasileira e já está em sua segunda tiragem. Com canções que vão de Tico Tico no Fubá à Trenzinho do Caipira e com arranjos bem elaborados, as músicas são fieis tanto em sua estrutura original como na sonoridade da música jamaicana dos anos 60.



Por falar em arranjo, famosas Orquestras e Big Bands tinham arranjadores próprios , só pra citar alguns Duke Ellington, Glen Miller, Paul Mauriat entre outros. Esses acabaram elevando seus nomes à titulo de suas respectivas. A OBMJ é bem parecida, Sergio Soffiatti assina a produção do trabalho, assim como os arranjos.
O reconhecimento do trabalho da OBMJ cresce tanto da mídia especializada, como com público em geral. Na internet já receberam quase 400.000 acessos de vários lugares do mundo. Em 2009, foram considerados pela Revista Época Banda Revelação e ainda tiveram a honra de dividir o palco com a lendária banda jamaicana The Skatalites, inventores do Ska.



São Paulo, Brasilia, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e Campina Grande são alguns dos lugares que a OBMJ já passou. Seus shows são marcados por uma essência simples: a diversão. Entre nessa festa da música brasileira e venha dançar com a gente, por que “É hora de dançar Ska!”
Os integrantes da Orquestra Brasileira de Musica Jamaicana são:

Sergio Soffiatti (guitarra e vocais), Felippe Pipeta (trompete e flugelhorn), Rubem Marley (trombone e backing vocals), Igor Thomaz (sax barítono e sax alto), Fernando Bastos (sax tenor e flauta), Marcelo Cotarelli (Trompete e Flugelhorn), Fabio Luchs (bateria e backing vocals), Rafael Toloi (contra-baixo) e Pedro Cunha (piano e órgão).



Serviço

Let´s Groove apresenta

Orquestra Brasileira de Música Jamaicana

Data: 21 de Abril (sábado)
Abertura da casa: 23h30
Ingresso: Antecipado: R$ 25,00

Na porta: R$ 40,00

Local: Estúdio Emme

Av. Pedroso de Morais, 1036 – Pinheiros
Horário da Bilheteria:

de segunda a sábado, das 13h00 às 20h00,

para venda de ingressos antecipados.

bilheteria reabre no sábado,

no horário do início da festa,

para a venda de ingressos na porta.

Tel para informações: (11) 3031.3290
Valet no local
Não recomendado para menores de 18 anos.
A casa aceita cartões, dispõe de chapelaria,

e área aberta (externa) para fumantes
Estúdio Emme
www.estudioemme.com.br



Sobre o Estúdio Emme

O Estúdio Emme proporciona uma experiência completa, através de serviços exclusivos, para quem gosta de moda, música, cultura e diversão. Instalado junto à loja da marca, que dá nome à casa, em Pinheiros, o local tem uma programação que destaca o pop, rock, música brasileira, música eletrônica e suas variações em DJ sets ou performances ao vivo.

Guilherme Uzeda no dia 14/4 em OS ANTIQUADOS


Guilherme Uzeda no dia 14/4 em

OS ANTIQUADOS

Projeto de humor que acontece todos os sábados,

às 23h59, no Teatro Renaissance





Se apresentam no dia 14 de abril:

Rapha Véles

Guilherme Uzeda

Rodrigo Cáceres

Fernando Viera



“Os Antiquados” é um novo

projeto de humor na cidade.



A cada sábado 5 artistas

se revezam no palco para apresentar

seus quadros e esquetes,

com duração de aproximadamente

15 minutos cada um.





Nas primeiras edições os artistas

serão convidados pela produção.

Durante a temporada,

eles poderão ser indicados pelo público

através de pesquisas que serão realizadas durante as apresentações e pela internet.





Serviço

Os Antiquados (humor)

Estreou: dia 25 de Fevereiro

Horário: Sessões todos os sábados, às 23h59

Duração: 90 minutos.

Recomendação: 16 anos

Local: Teatro Renaissance

Alameda Santos, 2233 - Jardins

Bilheteria: Terça a quinta, das 14h às 20h.

Sexta a Domingo, das 14h até o início dos espetáculos.

Internet: www.ingressorapido.com.br

11 4003-1212

Valor do ingresso: R$ 60,00 / meia R$ 30,00

Capacidade: 448 lugares

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.


Heitor leu um livro de um escritor bem legal, que ele conheceu no ano passado; conta uma NOVIDADE do Salão da FNLIJ, que começa na semana que vem; e da uma notícia muito boa sobre sua luta política: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br


Bienal Internacional de Dança abre espaço para a criação

A dança em todos os estilos, que invade Curitiba de 22 a 29 de abril com a realização da Bienal Internacional de Dança, também revela o talento de coreógrafos e criadores. A bienal abre espaço para a apresentação de trabalhos com os encontros de “Portfólio”, que acontecem nos dias 26 e 28, das 9h às 12h, no Teatro Londrina do Memorial de Curitiba. Os interessados em participar devem se inscrever diretamente no site www.bienaldanca.org.br, até o próximo domingo (15).
Os pretendentes precisam enviar breve currículo com um resumo das suas atividades como criadores e link no youtube, conforme a ficha de inscrição. Será feita uma curadoria para selecionar os trabalhos que serão apresentados nos dias 26 e 28 a um grupo de convidados, que reúne produtores, coreógrafos e diretores de companhias internacionais e nacionais. O resultado da curadoria será divulgado no dia 18 de abril, no site da bienal.
A iniciativa tem por objetivos a troca de informações, a atualização profissional e o agenciamento dos coreógrafos, sendo que o tempo máximo para exposição de cada trabalho será de 20 minutos.
A Bienal Internacional de Dança reforça a política cultural de Curitiba, que tem como meta a difusão de todas as linguagens da arte, atingindo as mais diversas plateias. No caso específico da dança, a Fundação Cultural de Curitiba também disponibiliza editais do Fundo Municipal da Cultura, permitindo que os agentes culturais locais tenham apoio financeiro para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, que ao serem realizados levem à ampliação do conhecimento nessa área.

Serviço:
Bienal Internacional de Dança de Curitiba
Portfólio – Espaço para Criadores (destinado exclusivamente para criadores/coreógrafos)
Inscrições até o dia 15 de abril de 2012, diretamente no site www.bienaldanca.org.br
O resultado da seleção dos trabalhos inscritos será divulgado no dia 18 de abril de 2012, no site www.bienaldanca.org.br
Apresentações dos trabalhos selecionados nos dias 26 e 28 de abril de 2012, das 9h às 12h, no Teatro Londrina do Memorial de Curitiba.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Reedição Dicionário crítico de política cultural | Imagem



OS OBJETOS COTIDIANOS SOB O OLHAR DE ADRIANA TABALIPA




A exposição “The End Factory Project” apresenta pinturas, gravuras e instalações da artista paranaense


A CAIXA Cultural apresenta, de 11 de abril a 10 de junho, a exposição “Adriana Tabalipa: The End Factory Project” da artista paranaense Adriana Tabalipa. A mostra traz pinturas, gravuras, objetos, instalações, desenhos e uma performance inédita da artista, focalizando o percurso de 20 anos de uma produção poética ininterrupta e conta com a curadoria do crítico colombiano Santiago Rueda Fajardo. Após a temporada em Curitiba, o projeto será apresentado nas unidades da CAIXA Cultural de Salvador e Brasília. A abertura acontece no dia 10 de abril às 19h30 e a entrada é franca.

Paranaense radicada no Rio de Janeiro, Adriana Tabalipa iniciou sua trajetória artística no final dos anos 80. Desde então, sua poética perpassa performances, objetos, pinturas, gravuras e desenhos, apresentados em exposições no Brasil e em outros países. Com importantes referências na arte de M. Duchamp, Yves Klein, Arman, Jean Tinguely, entre outros, os objetos que Adriana Tabalipa utiliza em seus trabalhos descaracterizam a palavra "fábrica" em sua origem. Assim, a exposição “The End Factory Project” (Projeto Fábrica do Fim) surge inspirada na transmutação do objeto industrial e, por conseqüência, da própria noção de fábrica.

“A fábrica de Warhol também é uma referência, num contexto mais amplo, no sentido de estabelecer à palavra “factory” um significado ‘outro’ que narra a descaracterização dos objetos, já modificados pela arte desde Duchamp”, pontua o produtor da exposição, AjAx Afonso José Afonso.

Como bem pondera a crítica Eleine Bourdette sobre a obra e as manobras estéticas de Adriana Tabalipa, a artista opera “repotencializando o ready-made duchampiano, no uso das cores, texturas e na ênfase formal dos mesmos, que são retirados do âmbito utilitário e por ela localizados no plano estético. Esta manobra plástica e estética provoca no ato da observação um desafio perceptivo, intensificado nas suas instalações, pois nelas estão em jogo múltiplos objetos que assaltam a percepção do observador".

A CAIXA Cultural promove ainda, no dia 05 de junho às 20h, palestra e o lançamento de livro, com edição trilíngue e com título homônimo ao da exposição, contendo reproduções de imagens dos trabalhos da artista e ensaios críticos. A exposição foi contemplada pelo Edital de Ocupação dos Espaços da CAIXA e a publicação do livro viabilizada por meio do Programa de Incentivo à Cultura de Curitiba (Paic - Mecenato), da Fundação Cultural de Curitiba, com patrocínio integral da CAIXA.


Ficha Técnica:
Artista e Performer: Adriana Tabalipa
Curadoria: Santiago Rueda Fajardo
Coordenação Geral: Ajax Afonso José Afonso
Montagem e Projeto: Adriana Tabalipa e Afonso José Afonso

Serviço:
Exposição “Adriana Tabalipa: The End Factory”
Local: CAIXA Cultural – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba/PR
Abertura: 10 de abril às 19h30
Palestra: 05 de junho às 20h
Visitação: de 11 de abril a 10 de junho
Horário: De terça a sábado das 9h às 20h e domingo das 10h às 19h
Ingressos: Entrada Franca.
Informações: (41) 2118-5114
Classificação etária: Livre para todos os públicos
www.caixa.gov.br/caixacultural

Espiritismo e Consciência de Krishna - parte 4


Espiritismo e Consciência de Krishna:

Um Estudo Comparativo em Transmigração da Alma,

Posição dos Espíritos (Bhutas), Epistemologia e Objeto de Culto

por Thiago Costa Braga

(Bhagavan Dasa Adhikari Bhakti-sastri)

PARTE 4 de 4

leia em


****

Grande Lançamento - Sri Sri Siksastaka


Sri Sri Siksastaka -

Oito Versos para o Amor a Deus

Sri Caitanya Mahaprabhu
Páginas: 152 |

Formato: 14x21 cm

Comentários de Sua Divina Graça Srila Bhaktivinoda Thakura
e Sua Divina Graça Srila Bhaktisiddhanta Sarasvati



O Senhor Caitanya Mahaprabhu (1486-1534) instruiu seus discípulos a escreverem livros sobre a ciência de Deus, uma tarefa que seus seguidores continuam a realizar até os dias atuais. Embora fosse amplamente conhecido como um erudito em sua juventude, o Senhor Caitanya nos deixou apenas oito versos,chamados Siksastaka. Estes oito versos revelam de forma concisa e clara os ensinamentos de Sri Caitanya Mahaprabhu, cuja essência é o cantar dos santos nomes do Senhor.


****

‘SANTOS 100 ANOS DE FUTEBOL ARTE’

O DVD, produzido pela Canal Azul, traz o filme na íntegra e

mais 88 minutos de cenas e depoimentos inéditos.






Fundado em 14 de abril de 1912, por três amigos fanáticos por futebol, o Santos Futebol Clube em apenas 100 anos, elevou o futebol do status de esporte á condição de arte, devido á beleza plástica de suas jogadas e a habilidade quase irreal dos jogadores que defenderam sua camisa.

Tornou-se internacionalmente reconhecido e respeitado pela excelência do seu futebol, pela categoria de seus jogadores dentro do campo, pelos dribles e gols assinalados, pelos atletas que revelou e pelos títulos acumulados.

O Santos chega aos 100 anos. Mas não podemos esquecer que em 1962, apenas á 50 anos de sua fundação, já se consagrava Campeão do Mundo! Excursionava pelas principais cidades do planeta realizando jogos espetaculares, nos quais uma platéia formada por homens, mulheres e crianças se encantava com a beleza do futebol que praticava. A bola que o time do Santos chutava de um lado para o outro até chegar ao gol adversário, foi tornando-se sinônimo de Arte.
E o Futebol-Arte tornou-se a assinatura do Santos.

Sim, foi no Santos que surgiu Pelé e se estabeleceu como o Rei do Futebol, título que até hoje, 30 anos após o término de sua insuperável carreira permanece sem sucessor.
Mas o time do Santos é Pelé e muito mais! Sempre reuniu jogadores extraordinários e sempre colocou em campo, times de grande talento em todos os jogos profissionais ou amistosos que disputou nessas 10 décadas de sua existência. Ao lado do “Rei” jogava uma verdadeira seleção dos melhores profissionais do período. E depois que Pelé se aposentou, novos talentos, criados, treinados e lançados pelas categorias de base do clube, encantaram o Brasil e o mundo com a arte do futebol que se materializa como mágica nos pés desses garotos.
Não é á toa que um dos primeiros ídolos e artilheiros do clube tinha o apelido de Feitiço, hoje uma figura mítica nos corredores da Vila Belmiro. “O Luiz Macedo parece que tem feitiço nos pés!...” Assim, por um breve momento, pedimos licença e nos apropriamos da poesia de Noel Rosa para dizer que, esse sim, é o verdadeiro Feitiço da Vila!
“Eu sei tudo o que faço / sei por onde passo / paixão não me aniquila / Mas, tenho que dizer /
modéstia à parte / meus senhores / Eu sou da Vila!” – Noel Rosa – “Feitiço da Vila”. #

São inúmeros os fatos divertidos que cercam a historia do Santos Futebol Clube.
Em excursão pela África em meados dos Anos 60, interrompeu uma guerra, quando as nações rivais decidiram estabelecer um armistício para assistirem ao jogo do Santos.
O cessar-fogo durou apenas o pouco tempo que o time permaneceu na região.

No mesmo período, numa partida na cidade de Kingston, Jamaica, realizada numa excursão internacional de jogos amistosos, o futebol do Santos hipnotizou um garoto chamado Robert Nesta Marley. No final dos Anos 70, esse mesmo garoto, já consagrado com o apelido de Bob Marley, cantor, compositor e criador do “reggae” veio ao Rio de Janeiro para divulgar um de seus discos. Aproveitou a ocasião para jogar uma “pelada” com a turma do Chico Buarque. Nesse jogo ele fez questão de vestir a Camisa 10 do Santos F. C.
Foi bastante fotografado e essa imagem correu o mundo.

Time que mais marcou gols em toda a historia do futebol até hoje (sic), um de seus jogadores,
somente “um” de seus jogadores, marcou mais de 1.200 gols, e vejam bem, todos registrados nas súmulas dos juízes. Ou seja, rigorosamente contados. Desnecessário dizer quem foi esse jogador.

Para o produtor do filme Ricardo Aidar. O Santos é um time quase sobrenatural com uma historia coberta de glórias. “O Santos teve o maior jogador da historia, parou uma guerra e foi o primeiro time do planeta a conquistar um bicampeonato mundial. Tem uma torcida que se espalha por todos os cantos do mundo. Para o Canal Azul foi uma grande honra produzir esse filme”.O documentário “Santos 100 Anos de Futebol Arte”, produzido pelo Canal Azul, com roteiro e direção da premiada cineasta Lina Chamie, e lançado pela ST2 Vídeo é o filme OFICIAL das comemorações do Centenário do Santos Futebol Clube.
O lançamento desse DVD é sem dúvida, a ação mais abrangente que o clube poderia oferecer á seus torcedores e todas as pessoas que gostam de futebol. Festas e comemorações estão programadas para o ano inteiro, mas nenhuma ação pode alcançar um número tão grande de torcedores e admiradores quanto esse DVD.
Com esse produto, o Santos Futebol Clube pode contemplar seus torcedores, espalhados pelo Brasil e pelo mundo, com seu legado mais precioso: sua historia.
Proporciona a alegria de relembrar com imagens (algumas raras e praticamente esquecidas nos arquivos do tempo) e depoimentos de atletas, torcedores e jornalistas, a trajetória sem precedentes do “alvinegro praiano”.
O torcedor poderá ver, rever e se emocionar com a historia do Santos, suas conquistas, seus gols mais significativos, partidas decisivas, jogos épicos e também as dificuldades e reveses que o clube enfrentou.
Em 12 capítulos, a diretora Lina Chamie narra as principais passagens da história do clube, após uma longa e cuidadosa pesquisa em acervos públicos e particulares no Brasil e no exterior.
“Procurei refletir a dimensão ampla e humana do futebol em nossa cultura”, comenta a diretora, também torcedora fanática do alvinegro da Vila Belmiro.

Como conteúdo extra, o DVD traz ainda entrevistas extensas com Pelé, Carlos Alberto, Serginho Chulapa, Robinho, Neymar e outros, além dos ‘curta-metragens’ “Muro 100 Anos de Futebol Arte” sobre um grupo de artistas plásticos que fizeram um mural em homenagem ao Santos F.C. e “Historia Santista”, totalizando aproximadamente 182 minutos de duração.

E para a alegria do torcedor santista, outros dois filmes do Canal Azul já estão em fase de pré-produção que completarão uma trilogia sobre o Santos Futebol Clube: “Meninos da Vila - A Magia do Santos” dirigido por Kátia Lund e “Santos de Todos os Gols”, previsto para 2014, mais uma vez dirigido por Lina Chamie, mostrando os melhores e principais gols do time da Vila Belmiro.
_________________________________________________________________________
# Nessa canção, Noel Rosa se referia á Vila Isabel, bairro carioca onde nasceu e segundo ele é o berço do samba.
________________________________________________________________________

DVD “SANTOS 100 ANOS DE FUTEBOL ARTE”
Lançamento: ST2 VIDEO / site: www.st2.com.br
Realização: Canal Azul
Produção: Ricardo Aidar e Kátia Lund
Direção e Roteiro: Lina Chamie

INFORMAÇÕES TECNICAS:
Idioma: Português
Legenda: Sem Legenda
Duração: Filme: 94 min. / Extras: 88 min. / Total: 182 minutos aprox.
Formato: DVD 9 NTSC Cor
Tela: 16:9 Screen Format
Áudio: DST Digital Surround 5.1 / Dolby Digital 5.1 / Dolby Digital 2.0
Indicação Etária: Livre
Nas lojas á partir do dia 14 de abril de 2012.
PREÇO SUGERIDO: R$ 32,90