sexta-feira, 29 de agosto de 2014

O conto do covarde de Vanessa Gebbie

O conto do covarde
de Vanessa Gebbie

   

Título Original:     The Cowards Tale
Tradutor:     Sibele Menegazzi

Gênero:     Romance estrangeiro
Páginas:     378
Formato:     16 x 23 cm


UM ROMANCE PODEROSO, POÉTICO E LEVEMENTE ASSUSTADOR, PERMEADO POR UM TOQUE DE HUMOR

O menino Laddy Merridew foi enviado para morar com a avó em uma pequena comunidade do País de Gales. Lá, inicia uma improvável amizade com Ianto Passchendaele Jenkins, o mendigo contador de histórias da cidade que é guardião do legado da Gentil Clara, uma antiga mina da região que explodiu há muitos anos e deixou marcas nas gerações futuras. Por meio das histórias do amigo, Laddy é envolvido pelo passado da cidade e pelos enigmas do presente.
Os homens da cidade – assim como as mulheres que os geraram, as que casaram com eles e as que lamentaram suas mortes – estão interligados pelos ecos da tragédia da Gentil Clara e pela misteriosa figura de Ianto Jenkins, cujas histórias de lealdade e traição, perda e amor, formam uma inesquecível e fascinante colcha de retalhos.
O conto do covarde é uma história ímpar, com texto emocionante e personagens cativantes, que foi considerada por muitos críticos um dos melhores lançamentos de 2011.


 A critica

·     Vanessa Gebbie é vencedora do prêmio Novel in a Year, do Daily Telegraph.

·     “A delicadeza e a generosidade deste romance são fortalecidas pela precisão e perspicácia das palavras.” – Publishers Weekly

·     “Gebbie cria uma história comovente a partir do sofrimento da perda.” – Kirkus Reviews





VISITE
http://www.vanessagebbie.com/welcome/

Coward’s Tale Map

 

Lançamento





Ter e não ter de Ernest Hemingway


Ter e não ter

de Ernest Hemingway

Título Original:     To have and have not
Tradutor:     Ênio Silveira

Gênero:     Romance estrangeiro
Páginas:     280
Formato:     16 x 23 cm


UM DOS LIVROS MAIS REVELADORES DA PERSONALIDADE DO AUTOR DE O VELHO E O MAR

O capitão Harry Morgan não é um homem que se deixa envolver por questões ideológicas. Sempre às voltas com problemas financeiros, ele vive da própria competência profissional, da audácia, da ânsia de liberdade. Um solitário, um durão, um realista que enfrentava bons e maus momentos com a mesma tranquilidade, mas também com a certeza de que um homem solitário está sempre fadado a ter um fim trágico. Um homem severo, decidido a enfrentar qualquer perigo para cuidar da família, só confia em si mesmo e percebe, no momento decisivo, que o poder individual é sempre relativo.
Em seu único romance ambientado em cenário americano e uma das poucas obras a indicar alguma preocupação com assuntos políticos, o mestre do diálogo e do realismo contundente, Ernest Hemingway nos envolve numa história vigorosa e dramática que jamais sairá de nossa memória.

·     O autor foi ganhador do Nobel de Literatura em 1954.

 

Outros Livros


http://suplementocultural.blogspot.com.br/search?q=Ernest+Hemingway


 

Lançamento





A viagem iniciática ou os 33 graus de sabedoria


A viagem iniciática ou os 33 graus de sabedoria

de    Christian Jacq

Título Original:     Le Voyage initiatique ou Les trente trois degrés de la sagesse

Tradutor:     Maria Alice Araripe de Sampaio Doria

Gênero:     Espiritualidade
Páginas:     196
Formato:     16 x 23 cm


A SABEDORIA ATRAVÉS DE UM PASSEIO PELA CATEDRAL DE METZ

As esculturas romanas trazem ao homem uma mensagem espiritual. As da catedral de Metz ilustram os 33 graus da Sabedoria que levam ao conhecimento. Da semente ao fruto, da árvore seca à árvore florida, o caminho é longo e, muitas vezes, perigoso. Contudo, passando por provas e desafios, ele conduz ao autoconhecimento e à realização.
Neste livro em forma de depoimento, ao relatar uma iniciação vivida nos dias de hoje no Ocidente, Christian Jacq nos convida para um encontro mágico – num belo e frio dia de inverno, com um autêntico Mestre de Obras do século XX – e nos mostra a espiritualidade eterna na sua forma medieval.
Além da transmissão de um ritual e de seus valores iniciáticos, o objetivo final é a sensatez, a plenitude e a harmonia que todos buscamos em nós mesmos e ao nosso redor.

·     Christian Jacq é um dos um dos autores franceses mais importantes da atualidade, conhecido por séries best-sellers, como Ramsés e Mozart, ambas publicadas pela Bertrand.
·     No Brasil, o autor alcança a marca de 600 mil exemplares vendidos.




Outros Livros

http://suplementocultural.blogspot.com.br/search?q=Christian+Jacq


O AUTOR
Christian Jacq  nasceu em Paris (França) no ano 1947, doutorou-se em Egiptologia pela Sorbonne. O seu trabalho "o Egipto dos Grandes Faraós" obteve o prêmio da Academia Francesa. Grande conhecedor e enamorado pelo Egipto, escreveu numerosos trabalhos de divulgação histórica, que põe ao nosso alcance a civilização antiga e a egípcia, como por exemplo "As Egípcias" e "A Sabedoria Viva do Antigo Egipto", ou "O Mistério das Catedrais".A sua trilogia "O Juíz do Egipto", composto pelas novelas "A Pirâmide Assassinada" "A Lei do Deserto" e a "A Justiça do Vizir", assim como os cinco títulos da pentalogía dedicado a Ramsés, grangearam uma vez mais, um sucesso cheio boas críticas e vendas. Christian Jacq fundou o Instituto Ramsés, que conta com a maior colecção de fotografias do Antigo Egipto: entre doze e quinze mil fotos, com o projecto de reunir mais de cem mil. No momento, Christian Jacq reside, em Genebra (Suíça).


um lançamento










Convite de lançamento | Jeito de bicho | Alice Ruiz S | ilustrações Eder Cardoso | Iluminuras






Alice Ruiz, Eder Cardoso, Livraria da Vila e Iluminuras

convidam para o lançamento do livro:
Jeito de bicho
Sábado 30 de agosto de 2014
das 11h às 14h

Livraria da Vila - Fradique
R. Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena
fone: 3814-5811

Estacionamento conveniado:
Rua Fradique Coutinho, 983

SHAKESPEARE À MODA BRASILEIRA NA CAIXA CULTURAL CURITIBA



Reestreia do espetáculo é parte das comemorações de 20 anos do grupo Clowns de Shakespeare



A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, de 4 a 7 de setembro, o espetáculo Muito Barulho Por Quase Nada, do Clowns de Shakespeare, que reestreia como parte das comemorações de 20 anos do prestigiado grupo potiguar. A montagem de 2003 é dirigida por Fernando Yamamoto, integrante dos Clowns, e Eduardo Moreira, um dos fundadores do Grupo Galpão, de Belo Horizonte. Esta combinação do sotaque potiguar com o mineiro resultou em uma comédia leve e pitoresca, com música composta e executada ao vivo pelos atores.



Adaptação da obra “quase” homônima de William Shakespeare, a montagem conta a história de dois amores: a paixão romântica e idealizada de Hero e Claudio e a feroz e espirituosa troca de farpas entre Benedicto e Beatriz. Enquanto o Sr. Leonato, o Príncipe Dom Pedro e outros personagens tentam unir os amantes em pé de guerra, Don John, o irmão bastardo do Príncipe, faz de tudo para estragar o clima festivo e divertido. O elenco é formado por Camille Carvalho, Dudu Galvão, Joel Monteiro, João Ricardo Aguiar, Marco França, Paula Queiroz e Renata Kaiser.



Viabilizado em condições precárias e com baixíssimo orçamento, o espetáculo atravessou fronteiras até aquele momento inimagináveis para o grupo nordestino, que ainda vivenciava sua profissionalização: passou por mais de 60 cidades, em 16 estados do país, participando de importantes festivais como o Palco Giratório (Sesc Nacional), o Festival Internacional de São José do Rio Preto – FIT, o Festival Latino-americano de Teatro da Bahia, dentre outros. Foi o grande vencedor do Festival Nordestino de Teatro de Guaramiranga (CE), um dos mais importantes da região Nordeste, e cumpriu duas temporadas na cidade de São Paulo, no teatro Sesc Anchieta (2005) e TUSP (2007).



O grupo

Fundado em 1993, em Natal, Rio Grande do Norte, o Grupo de Teatro Clowns de Shakespeare desenvolve um trabalho de investigação teatral com foco na construção da presença cênica do ator, na musicalidade e no teatro popular, em uma perspectiva colaborativa. As comédias shakespearianas são parte inerente desta pesquisa. Sem adotar uma atitude "museológica" sobre o bardo, o desafio tem sido encontrar na universalidade de sua obra o que faz sentido para o grupo.



Fazem parte do repertório do Clowns de Shakespeare as peças Sua Incelença, Ricardo III (2010), fruto do encontro do grupo com Gabriel Villela; Farsa da Boa Preguiça (2010), adaptação da obra de Ariano Suassuna originada de um processo compartilhado com os paraibanos do grupo Ser Tão Teatro (PB); e Fábulas (2006), montagem infantil que rendeu à companhia os mais importantes prêmios do gênero como melhor direção (Fernando Yamamoto) e ator (Rogério Ferraz) pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Artes) e FEMSA/Coca-Cola em 2007.



Serviço:

Muito Barulho Por Quase Nada – Clowns de Shakespeare

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 04 a 07 de setembro (quinta-feira a domingo)

Horários: de quinta-feira a sábado às 20h e domingo às 19h

Ingressos: Vendas a partir de 30 de agosto (sábado). R$ 10 e R$ 5 (meia - conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)

Natura apresenta Fernanda Takai, dia 2 de setembro, no Theatro Net Rio



 

Espetáculo de lançamento do álbum "Na Medida do Impossível"
faz parte da série de shows Natura Musical




Em seu terceiro CD solo e primeiro autoral, “Na Medida do Impossível”, Fernanda Takai colocou sua marca em cada parte do processo: em muitas das composições, na parte gráfica e, claro, em seu modo especial de cantar. Todo o cuidado dessa produção será apresentado ao vivo, dia 2 de setembro (terça-feira), no Theatro Net Rio, na série de shows Natura Musical.



O novo disco foi gravado no estúdio 128 Japs, em Belo Horizonte, e produzido por John Ulhoa. Em um repertório de 13 músicas, Fernanda Takai contou com diversas parcerias. Entre elas, Pitty, que assina com ela a música “Seu Tipo”, Marcelo Bonfá, com quem escreveu “De um Jeito ou de Outro” e Marina Lima e Climério Ferreira, na letra de “Quase Desatento”.



Fernanda também aproveitou para regravar sucessos nacionais, como “A Pobreza”, de Renato Barros, e “Como Dizia o Mestre”, de Benito di Paula. E, ainda, traz “Doce Companhia”, sua versão em português para uma música da cantora mexicana Julieta Venegas. Essas e as demais músicas de “Na Medida do Impossível”, como “Pra Curar Essa Dor” e “You and Me and The Bright Blue Sky”, compõem o repertório do show. A apresentação estará cheia de novidades, como o figurino produzido pela Designer de moda Sonia Pinto.



O cenário é assinado por Renata Rocha (Dois arquitetura e design) e Ulisses Tavares (Giramundo), e traz ao palco alguns elementos da capa do álbum. Uma abordagem fundamental foi desenvolver um cenário "analógico", na contramão das cenografias digitais, e que se expresse como tal, revelando suas técnicas construtivas. Os elementos foram construídos como numa montagem teatral, são físicos e interagem com os artistas.

Ela será acompanhada pela banda formada por Larissa Horta (baixo e vocais), Lenis Rino (bateria e vocais), Lulu Camargo (teclado e gaita) e Tiago Borba (guitarra, violões e vocais).


O projeto “Na Medida do Impossível” que contempla o disco e shows de lançamento foi selecionado pelo edital dedicado à produção musical mineira do programa Natura Musical em 2013. Criado em 2005, como o primeiro recorte regional do programa Natura Musical, o Edital Minas Gerais já patrocinou aproximadamente 100 projetos em oito edições. “Há quase dez anos a cena mineira está no foco do Natura Musical e para nós é uma alegria muito grande poder participar desse momento da carreira da Fernanda, que é uma das artistas mais atuantes e contemporâneas da música produzida em Minas”, diz Fernanda Paiva, gerente de apoios e patrocínios da Natura. 



Fernanda Takai é uma artista da Deck, empresariada por Patrícia Tavares – Do Brasil eventos.experiencia.promo



SERVIÇO

FERNANDA TAKAI – NA MEDIDA DO IMPOSSÍVEL

Dia 02 de setembro (terça), às 21h

Theatro Net Rio

Duração: 90 minutos (aproximadamente)

Ingressos: Plateia e frisas: R$ 120 | Balcão: R$ 60*

* Venda exclusiva pelo sistema Ingresso Rápido. Direito à meia entrada: Menor ou igual à 21 anos; Idosos com 60 anos ou mais; Aposentados; Professor da rede pública municipal; Estudantes; Cliente Net (até 4 ingressos por sessão); Portador de Necessidades Especiais; Classe artística com DRT (até 1 ingresso por sessão).

Classificação indicativa: Livre

Patrocínio: Natura Musical

Capacidade:
Endereço: R. Siqueira Campos, 143, Copacabana

Fone:



SOBRE O NATURA MUSICAL

Há nove anos, o programa Natura Musical patrocina novos talentos, artistas consagrados em momentos emblemáticos da carreira e projetos de preservação de legado e formação musical em todo o Brasil. Com mais de 220 projetos e 1000 produtos culturais patrocinados, entre CDs, DVDs, shows, livros, pesquisas, documentários, exposições, acervos, entre outros, atingindo um público de um milhão de pessoas, o programa ocupa hoje posição única no mercado musical brasileiro como fonte de recursos para a viabilização de projetos em várias plataformas, além de manter uma ativa plataforma digital e webrádio com 24 horas de programação diária. Ao todo, 18 estados das cinco regiões do Brasil foram contemplados e mais de 1 milhão de pessoas beneficiadas.


O programa Natura Musical atua por meio de diferentes frentes, como os Editais Públicos, que visam selecionar projetos de diferentes formatos e estágios da produção cultural por meio das Leis Rouanet e do Audiovisual em todo o Brasil, e da Lei do ICMS em São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Bahia e no Pará; a Seleção Direta, que contempla propostas adequadas ao conceito do programa e de grande relevância e inovação, sem a obrigatoriedade das leis de incentivo; e os Festivais.


OUÇA A WEBRÁDIO NATURA MUSICAL E SAIBA MAIS NO PORTAL
www.naturamusical.com.br



SOBRE A NATURA



Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira que fabrica cosméticos e produtos de higiene e beleza. É líder no setor de venda direta no Brasil e registrou R$ 7 bilhões de receita líquida em 2013. Possui 30 linhas de produtos, sete mil colaboradores, 1,6 milhão de consultoras e operações na Argentina, Bolívia, Chile, México, Peru, Colômbia e França. A estrutura da Natura é composta por fábricas em Cajamar (SP) e Benevides (PA), oito centros de distribuição no Brasil, além de centros de Pesquisa e Tecnologia em São Paulo (SP), Manaus (AM) e Nova Iorque (EUA). Em dezembro de 2012, a empresa adquiriu de 65% da fabricante australiana de cosméticos australiana Aesop, a qual atua em países da Oceania, Ásia, Europa e América do Norte. Para mais informações sobre a Natura, visite www.natura.com.br e confira nossos perfis nas redes sociais:

https://www.youtube.com/user/naturabemestarbem
https://www.facebook.com/natura.br
https://twitter.com/naturanet

Mais informações
www.fernandatakai.com.br

Desigualdade e a pobreza






Segundo artigo publicado na revista colombiana Ensayos de Economía, a partir de 2003, a tendência de redução da desigualdade de renda se explica pela combinação de maior crescimento econômico, melhoria nos indicadores do mercado de trabalho e políticas públicas, apesar da eclosão da crise econômica mundial. Argumenta-se que este trajeto se origina, não única, mas decisivamente na mudança da postura governamental, mais visivelmente a partir de 2006, respaldada pela existência do desenho institucional criado na fase da redemocratização do país a partir da constituição de 1988, recuperada nos últimos anos: o governo passa a adotar políticas deliberadas de incentivo à atividade econômica, reposicionando o papel do Estado na promoção do desenvolvimento. Sustenta-se que o crescimento em si não teria sido suficiente para diminuir a pobreza e a desigualdade, mas permitiu a implementação de políticas públicas como indutoras do dinamismo interno da atividade econômica e como promotoras da redução nos índices de desigualdade de renda.

Ainda, para o estudo, o aumento da fiscalização do Ministério de Trabalho e Emprego e a adoção de uma política de valorização do salário mínimo contribuíram para a formalização no mercado de trabalho e recuperação dos salários. A implementação e expansão dos programas de combate à pobreza, com destaque para o Programa Bolsa Família, complementa a redução da desigualdade de renda, com preponderância do aumento das rendas derivadas do trabalho.

Segundo as autoras, a desigualdade e a pobreza alcançaram patamares altos até a década de 1970 e se estabeleceram nas décadas seguintes em torno de um coeficiente de Gini de 0,6. Esta relação melhorou, com queda contínua do coeficiente de Gini, entre 2001 e 2010 de 0,596 para 0,533, chegando em 2012 a 0,526. Assim, o Brasil viveu nos últimos anos um fato histórico inédito: crescimento econômico com redução da desigualdade, principalmente a de natureza monetária. Em conjunto, no período de 2001 a 2009, a renda per capita do décimo superior aumentou 1,49% ao ano, enquanto a renda dos 10% do estrato inferior cresceu a uma taxa de 6,79% por ano, com melhora na distribuição dos rendimentos em favorecimento da população dos estratos inferiores. Também, segundo o estudo, o aumento do rendimento médio apresentou mais expressividade entre as piores ocupações, como efeito da política de valorização do salário mínimo e das conquistas de acordos e convenções coletivas com elevação real dos salários. Para famílias abaixo da linha da indigência e da pobreza, o peso das “outras fontes” é maior, com o aumento da renda corrente para os décimos inferiores ocorrendo primordialmente pelo impacto das políticas sociais assistenciais, segundo as autoras.

No entanto, aponta-se que, ainda há elevado índice de pobreza e baixa renda média das famílias. Assim, seria urgente avançar na distribuição de renda e realização da cidadania (a formalização no mercado de trabalho e a ampliação dos sistemas de proteção social) para assegurar a continuidade do processo da redução da desigualdade. Da mesma forma, as políticas de combate à desigualdade devem considerar outros aspectos sociais, como acesso ao transporte, alimentação, educação, energia, habitação, trabalho, previdência e terra.



Para ler mais:

Colombi, A. P. F.; Moisa Elicabide, L. C.; Kallabis, R. P. Brasil na contramão: a redução da desigualdade durante a crise mundial In: ENSAYOS DE ECONOMÍA, No.43, JULIO-DICIEMBRE DE 2013.

Quinteto reúne semelhanças entre obras de Brahms e Prokofiev



Repertório para cordas e sopro abre temporada de 14 apresentações no dia 6 de setembro

Separados por fronteiras e por alguns anos de vida, o compositor alemão Johannes Brahms e o russo Serguei Prokofiev poderão ser ouvidos juntos em Curitiba. O concerto "Temas: Obras para cordas e sopro" reúne semelhanças entre as composições dos dois autores e expõe o resultado em uma temporada de 14 apresentações no Paraná. O projeto estreia no dia 6 de setembro, sábado, às 19h, na Sala de Atos do SESC Paço da Liberdade.

"Queríamos aproveitar os termos de importância e relevância das músicas e dos participantes do projeto", explica o clarinetista do projeto Marcelo Oliveira. Para o programa, foram eleitos "Quinteto para clarineta e cordas opus 115", de Brahms, e "Abertura sobre temas hebreus", de Prokofiev. As peças estrategicamente se complementam e têm formações quase idênticas, com solos de clarineta, violinos, viola e violoncelo. Ao quinteto de cordas e sopro soma-se um piano na composição do autor russo.

No palco, além de Oliveira, apresentam-se os colegas de Orquestra Sinfônica do Paraná Maria Ester Brandão (primeiro violino), Alexandre Brasolim (segundo violino), Alexandre Razera (viola), e Maria Alice Brandão (violoncelo). Rodrigo Oliveira ao piano completa a formação. "Juntar as duas obras foi natural pela qualidade delas e também pela formação parecida", acrescenta o clarinetista. A obra de Prokofiev, mais festiva, fecha o programa que inicia em um mergulho de sensações dramáticas e escuras preparadas por Brahms.

Além do caráter musical, a atuação é outro ponto que aproxima os dois. Ambos trabalharam também como pianistas e promoviam seus concertos, nos quais apresentavam, acima de tudo, obras escritas por eles. Tanto um quanto o outro buscava mostrar a importância de o próprio autor providenciar a divulgação de seu trabalho e se lançar às dificuldades para se fazer notado.

O concerto passa por alguns endereços de Curitiba, como o Guairinha, Capela Santa Maria, Aditório Poty Lazzarotto (Museu Oscar Niemeyer), Auditório da Sociedade Polonesa, Auditório da Escola Guido Straube, Centro Israelita do Paraná, Auditório Cordeiro Clève (UniBrasil), além de ir até o Teatro São João, na Lapa, e o Cine Teatro Antônio Cândido do Amaral de Rio Negro. O encerramento da temporada será em janeiro de 2015, como parte da programação da Oficina de Música de Curitiba.

Quinteto para clarineta e cordas opus 115

Obra do compositor alemão Johannes Brahms (1833 - 1897), foi uma das suas últimas composições, escrita em 1891, época em que se encantou pela clarineta e voltou a compor após anunciar sua aposentadoria um ano antes. É uma de suas fases mais festejadas. Tem um quê de melancolia e um toque cigano em partes mais lentas.

Abertura sobre temas hebreus

Composição do russo Serguei Prokofiev (1891 - 1953), uma das figuras mais importantes da música soviética e que foi um dos mais celebrados compositores do século 20. Escreveu a peça em 1919, durante uma visita aos Estados Unidos. A obra contempla uma sonoridade com traços e elementos judaicos, encerrando o programa para cima.

O projeto

"Temas: Obras para cordas e sopros" foi contemplado pelo Mecenato da Fundação Cultural de Curitiba e conta com o patrocínio do Banco do Brasil. Com produção Bruna Bayley, o projeto tem apoio da Sanepar, Museu Oscar Niemeyer, UniBrasil, Padaria América e L'Osteria Concheta.

Serviço:

"Temas: Obras para cordas e sopro"

6 de setembro, 19h

Sala de Atos - SESC Paço da Liberdade

Praça Generoso Marques, 189 - Centro

R$ 15 e R$ 7,50

11 de setembro, 18h

Ave Lola Espaço de Criação

Rua Portugal, 339 - São Francisco

R$ 15 e R$ 7,50

20 de setembro, 19h

Teatro São João

Praça General Carneiro, 189 - Lapa, PR

Entrada gratuita

27 de setembro, 19h

Sala de Atos - SESC Paço da Liberdade

Praça Generoso Marques, 189 - Centro

R$ 15 e R$ 7,50

12 de outubro, 10h

Auditório da Sociedade Polonesa de Curitiba

Rua Ébano Pereira, 502 - Centro

R$ 15 e R$ 7,50

22 de outubro, 15h

Auditório da escola Guido Straube

Rua Jacarezinho, 1680 - Mercês

Entrada gratuita

25 de outubro, 18h

Teatro Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua XV de Novembro, 971 - Centro

R$ 15 e R$ 7,50

6 de novembro, 18h

Auditório Poty Lazzarotto - Museu Oscar Niemeyer

Rua Marechal Hermes, 999 - Centro Cívico

Entrada gratuita

11 de novembro, 15h

Capela Santa Maria

Rua Conselheiro Laurindo, 273 - Centro

R$ 15 e R$ 7,50

12 de novembro, 19h

Auditório Cordeiro Clève - UniBrasil

Rua Konrad Adenauer, 442 - Tarumã

Entrada gratuita

16 de novembro, 19h

Templo Judeu - Centro Israelita do Paraná

Rua Kellers, 383 - Alto do São Francisco

R$ 15 e R$ 7,50

19 de novembro, 18h

Cine Teatro Antônio Cândido do Amaral

Rua Juvenal Ferreira Pinto, 2070, Seminário - Rio Negro, PR

Entrada gratuita

9 de janeiro de 2015, 18h

Capela Santa Maria

Rua Conselheiro Laurindo, 273 - Centro

- parte da programação da Oficina de Música de Curitiba

R$ 15 e R$ 7,50

10 de janeiro de 2015, 19h

Teatro Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua XV de Novembro, 971 - Centro

- parte da programação da Oficina de Música de Curitiba

R$ 15 e R$ 7,50

Paulo Climachauska mostra sua arte em Jardim projetado por Burle Marx

Paulo Climachauska mostra sua arte em Jardim projetado por Burle Marx
Exposição faz parte do projeto Jardim Imaginário da Fundação Ema Klabin



Abertura 30 de agosto de 2014, sábado, às 14 h

Período 30 de agosto a 25 de outubro

Realização Fundação Ema Klabin



A Fundação Cultural Ema Gordon Klabin realiza a segunda  edição do projeto

Jardim Imaginário.  O objetivo é que a arte contemporânea possa dialogar com a

arquitetura e com o acervo da Fundação em sua especificidade, por meio de

trabalhos inéditos cujo ponto de partida, tanto físico quanto simbólico, seja o

jardim projetado por Roberto Burle Marx, na década de 50.

O artista plástico Paulo Climachauska  apresenta   dez “trepa-trepas”

(2,50x2,00x2,00)  espalhados  pelo Jardim da Fundação.  A instalação faz alusão

aos brinquedos infantis ironizando demandas de ludicidade com a produção

contemporânea. Todos na cor branca, os trepa-trepas  foram agrupados para

ressaltar apenas a questão construtiva -- em uma perspectiva geométrica própria

capaz de provocar diferentes leituras. A curadoria é de Gilberto Mariotti.



O artista:

Paulo Climachauska nasceu em São Paulo em 1962, formou-se em História e

Arqueologia Pela Universidade de São Paulo. Participou das Bienais de São

Paulo, Havana, Lima, e Mercosul, em Porto Alegre. Realizou exposições

individuais no Moderna Musset, de Estocolmo, na Galeria Millan, em São Paulo,

entre outras. Entre as exposições coletivas de que participou, estão quatro

edições do Panorama de Arte Brasileira, no Museu de Arte Moderna de São Paulo,

além de outras ocorridas no Henry Moore Institute em Leeds, na Inglaterra, no

Museu de arte Contemporânea de Toyota no Japão e no Museum of Fine Arts in

Houston, Texas. Possui obras nos principais acervos públicos do Brasil, a

exemplo da Pinacoteca do Estado de São Paulo, Museu de Arte Moderna de São

Paulo, Instituto Cultural Itaú, Museu de Arte Contemporânea da USP, Pinacoteca

Municipal de São Paulo, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro e Coleção

Gilberto Chateaubriand.



 Serviço:
Projeto Jardim Imaginário -   Trepa- Trepa  - Paulo Climachauska

Curadoria: Gilberto Mariotti

Abertura: Dia 30 de agosto às 14h. Aberta ao público em geral

Período: De 30 de agosto a 25 de outubro. Terça a sexta: das 14h às  17h. 

Sábados de show: das 14h às 16h30.

Ingresso: De terça a quinta: R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia).  Professores

não pagam.

Dias gratuitos e sem agendamento: Sextas e sábados de show

Conheça o trabalho do artista:

http://www.pauloclimachauska.com/detalhaVideo.php?idvideos=4

Indicação: Livre

Local: Fundação Ema Klabin   - Endereço:  Rua Portugal, 43, Jardim Europa, São

Paulo  http://emaklabin.org.br/ 

Não há estacionamento no local




Mano a Mano trio recebe pianista do Zimbo Trio no Paiol



Sérgio Albach, Glauco Sölter e Vina Lacerda fazem show instrumental com Amilton

Godoy

Desde a fundação do Mano a Mano Trio, Sérgio Albach, Glauco Sölter e Vina

Lacerda já percorram o mundo com suas invenções musicais, sempre promovendo

encontros e intercâmbios. Dessa vez, os músicos convidam um dos pianistas mais

importantes da música popular brasileira para dividir o palco do Teatro do

Paiol. Amilton Godoy vem a Curitiba e participa de dois shows, nos dias 12 e 13

de setembro, às 20h30.

Mesclando arranjos elaborados com a improvisação livre, o Mano a Mano Trio

concebeu sua estética após apresentações em diversos festivais de música no

mundo, resultando no CD homônimo lançado em 2011. Após a realização de shows de

lançamento do álbum, o trio apresenta um novo repertório. Para isso, conta com

a presença mais do que especial de Amlton Godoy.

O paulista Amilton Godoy é músico fundador do Zimbo Trio, um dos grupos

brasileiros mais influentes do século 20. Com uma discografia autoral de 52

álbuns e mais de 250 participações em discos, Amilton Godoy é talvez o mais

gravado pianista brasileiro, acumulando em seu currículo as gravações mais

importantes da música instrumental e da MPB. Esteve ao lado de Elizeth Cardoso,

Elis Regina e Tom Jobim, além de apresentações importantes com as orquestras

sinfônicas do Brasil, Venezuela, Argentina, Uruguai, Colômbia, Filarmônica de

Berlim, Town Hall, entre outras.

O pianista também é um dos instrumentistas brasileiros mais premiados da

história. Recebeu o Troféu Imprensa, Roquete Pinto, Pinheiro de Ouro, Chico

Viola, Índio de Prata, Cândido Mendes, VIIº Prêmio Sharp de Música, Prêmio Tim

de Música e o Prêmio da Música Brasileira.

Consolidando sua sonoridade após concertos na Itália, Peru, Venezuela e

Argentina, o Mano a Mano trio desenvolve significativamente um trabalho que não

só apresenta, mas valoriza e enaltece a música popular brasileira, seja

proveniente do nosso cancioneiro folclórico ou das vertentes mais modernas da

nossa música.

Compositores e instrumentistas do primeiríssimo time da música brasileira, Mano

a Mano trio e Amilton Godoy são admiradores mútuos de suas obras. O show, uma

grande homenagem à música instrumental, apresentará, uma reunião de temas de

mestres da música popular, como Tom Jobim, Edu Lobo, Cesar Camargo Mariano, Lea

Freire, Marcos Vale, além das músicais autorais de Godoy, do músico Glauco

Sölter e uma obra instrumental do compositor e arranjador paranaense Waltel

Branco, ícone cultural da cidade de Curitiba.

Serviço:
Mano a Mano Trio convida Amilton Godoy
Gênero: Instrumental
Local: Teatro do Paiol - Praça Guido Viaro, s/n
12 e 13 de Setembro, 20h30
Ingressos: R$ 25 inteira e R$ 12,50 meia-entrada
Informações: (41) 3213-1340

Banda Test Drive faz show domingo, no Teatro do Paiol





A banda Test Drive faz o show de encerramento da turnê “Como a gente quer” no

próximo domingo (31), às 19h, no Teatro do Paiol. Pela primeira vez, em quase

cinco anos de carreira, a banda fará um show totalmente acústico, no qual

tocará todas as músicas de seu último CD. Também serão apresentadas algumas das

canções do terceiro disco de estúdio da banda, que atualmente está em processo

de gravação.

Natural de Cambé e atualmente residente em Curitiba, a banda Test Drive ganhou

o concurso do Gaz+ em 2012 para tocar no LupaLuna, maior festival de música do

estado do Paraná e dividiu o palco com artistas como Charlie Brown Jr, O Rappa,

Marcelo D2, Los Hermanos, entre outros. Ganhou também o concurso Jovem

Curitibano em 2012, organizado pela Prefeitura de Curitiba. Após mais de dois

anos de turnê do seu segundo CD, a banda tem feito os últimos shows antes de

lançar o seu terceiro e aguardado disco de estúdio.



            Serviço:

            Show da banda Test Drive

            Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/nº - Prado Velho

            Data: 31 de agosto de 2014 (domingo), às 19h

            Ingressos: R$ 15 a R$ 40 (à venda também no Túnel do Rock – R. 15

de Novembro, 74)

VALDIR SCREMIN É SÉRIO CANDIDATO À VITÓRIA NA COPA SÃO PAULO DE JET SKI




 O paranaense radicado no Paraguai lidera três categorias no Campeonato

Brasileiro e espera manter a posição neste final de semana, em São Paulo.

 


Um sério candidato à vitória na abertura da Copa São Paulo de Jet Ski é o

paranaense radicado no Paraguai, Valdir Scremin. A competição, que acontecerá

de sexta-feira a domingo, na Represa do Guarapiranga (av. Atlântica, 4.000,

antiga Robert Kennedy), em São Paulo, também será válida pela quarta e

penúltima etapa do Campeonato Brasileiro – Grand Prix 2014 e o piloto, que mora

em Hernandarias, lidera em três categorias e vai brigar para manter a posição

em todas elas.

Scremin lidera as categorias Runabout Turbo GP, considerada a Fórmula 1 da

modalidade, Runabout Turbo Limited e Super Course Turbo Limited. “Espero manter

as posições no Brasileiro e também garantir boa classificação na Copa São

Paulo, que já tem sua segunda e última etapa em setembro. Garantir bons

resultados nesta estreia será fundamental”, explicou o campeão brasileiro de

duas categorias em 2011.

O paranaense de Ivaiporã foi muito bem na segunda e terceira etapas do

Campeonato Brasileiro de Jet Ski – Grand Prix 2014, realizadas em maio, na

cidade mineira de Boa Esperança, vencendo quatro das 12 baterias que disputou.

“Acredito que mesmo tendo problemas com o equipamento, os resultados foram bons

e espero que o jet corresponda às expectativas em São Paulo para tentar brigar

pelas primeiras colocações”, acrescentou.

A programação da Copa São Paulo de Jet Ski começa na sexta-feira com a recepção

aos pilotos e acerto dos motores. No sábado e domingo serão realizadas as

baterias, a partir das 10 horas. As categorias em disputa são as seguintes: Ski

Stock, Ski GP, Runabout Aspirado, Runabout Turbo Stock, Runabout Turbo

Estreante, Runabout Turbo Limited, Runabout Turbo GP, Super Course Turbo

Estreante, Super Course Turbo Stock,  Super Course Turbo Limited, Super Course

Turbo GP, Freestyle Estreante, Freestyle Pro e Freestyle Pro Open.

A etapa de abertura da Copa São Paulo de Jet Ski, que também é válida pela

quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Jet Ski – Grand Prix 2014 é uma

realização da BJSA - Associação Brasileira de Jet Ski, com homologação da IJSBA

- International Jet Sports Boating Association. Produção - CPM7 FULL PROMOTION.

Apoio Oficial: PREFEITURA DE SÃO PAULO - ESPORTE LAZER E RECREAÇÃO /

COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS - CAPELA DO SOCORRO.  Parceria: KAWASAKI DO

BRASIL, CASARINI SEADOO / BRP, YAMAHA DO BRASIL, X FLOAT, SPETO IMPORTS,

BETHJET, FULL POWER ENERGY, PHOTOJETSKI, TOALHAS SÃO CARLOS, BOMBARCO, PRAINHA

BAR E RESTAURANTE, REVISTA BOAT SHOPPING e PALETERIA CANCUN. O evento conta com

a Supervisão da MARINHA DO BRASIL e Apoio da GUARDA CIVIL METROPOLITANA E CORPO

DE BOMBEIROS.

WASHINGTON GUIZELINI CONFIRMA PRESENÇA NA ABERTURA DA COPA SÃO PAULO DE JET SKI



 O piloto de Goiânia está na luta pelo título brasileiro na categoria Runabout

Turbo GP, considerada a Fórmula 1 da modalidade.


O piloto Washington Luiz Guizelini, de Goiânia (GO), confirmou presença neste

final de semana, na abertura da Copa São Paulo de Jet Ski, que também será

válida pela quarta penúltima etapa do Campeonato Brasileiro – Grand Prix 2014.

O evento que deverá reunir cerca de 50 competidores de vários Estados e

convidados internacionais acontecerá de sexta-feira a domingo (29 a 31) na

Represa do Guarapiranga (av. Atlântica, 4.000, antiga Robert Kennedy), em São

Paulo.

Guizelini ocupa o segundo lugar no Campeonato Brasileiro, na categoria Runabout

Turbo GP, considerada a Fórmula 1 da modalidade, atrás do paranaense radicado

no Paraguai, Valdir Scremin. Para tentar garantir a vitória nas duas baterias

programadas e continuar na luta pelo título, o goiano vem treinando

intensivamente juntamente com sua mulher Gisele Hattori, que também competirá

no final de semana.

O goiano participa ainda da categoria Runabout Turbo Limited e ocupa a sexta

colocação. Em termos de Copa São Paulo, considera fundamental garantir um bom

resultado neste final de semana para ter chances de lutar pelo título na final,

marcada para o período de 19 a 21 de setembro, também na Represa do

Guarapiranga.

Além da briga pelos títulos da Copa São Paulo e Campeonato Brasileiro, os

competidores também lutam por vagas para o Campeonato Mundial, que será

realizado de 4 a 12 de outubro, em Lake Havasu, no Arizona (EUA). A definição

dos classificados será após a etapa final das duas competições, em setembro.

A programação da Copa São Paulo de Jet Ski começa na sexta-feira com a recepção

aos pilotos e acerto dos motores. No sábado e domingo serão realizadas as

baterias, a partir das 10 horas. As categorias em disputa são as seguintes: Ski

Stock, Ski GP, Runabout Aspirado, Runabout Turbo Stock, Runabout Turbo

Estreante, Runabout Turbo Limited, Runabout Turbo GP, Super Course Turbo

Estreante, Super Course Turbo Stock,  Super Course Turbo Limited, Super Course

Turbo GP, Freestyle Estreante, Freestyle Pro e Freestyle Pro Open.

A etapa de abertura da Copa São Paulo de Jet Ski, que também é válida pela

quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Jet Ski – Grand Prix 2014 é uma

realização da BJSA - Associação Brasileira de Jet Ski, com homologação da IJSBA

- International Jet Sports Boating Association. Produção - CPM7 FULL PROMOTION.

Apoio Oficial: PREFEITURA DE SÃO PAULO - ESPORTE LAZER E RECREAÇÃO /

COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS - CAPELA DO SOCORRO.  Parceria: KAWASAKI DO

BRASIL, CASARINI SEADOO / BRP, YAMAHA DO BRASIL, X FLOAT, SPETO IMPORTS,

BETHJET, FULL POWER ENERGY, PHOTOJETSKI, TOALHAS SÃO CARLOS, BOMBARCO, PRAINHA

BAR E RESTAURANTE, REVISTA BOAT SHOPPING e PALETERIA CANCUN. O evento conta com

a Supervisão da MARINHA DO BRASIL e Apoio da GUARDA CIVIL METROPOLITANA E CORPO

DE BOMBEIROS
.

OS DJs ADRIANO PAGANI E E-COLOGYK SE APRESENTAM NO CLASH CLUB NESTE FINAL DE SEMANA



Adriano Pagani e E-Cologyk se apresentam no Clash Club neste final de semana


O Clash Club promove na próxima sexta,​ 29 de agosto, mais uma edição do

projeto EDM, noite dedicada à Electronic Dance Music, estilo que tem dominado

as pistas e festivais do mundo todo. Quem comanda a festa é o DJ Adriano

Pagani, um dos grandes embaixadores da EDM de São Paulo, residente do Clash

Club, Sirena e da rádio Energia 97. O intuito do projeto é reunir grandes

artistas, nacionais e internacionais, em seus diversos estilos dentro desse

segmento e, principalmente, com foco na pista de dança.

No sábado, dia 30, é a vez da festa Gym Sonik, que traz como principal atração,

um dos grandes destaques da atual cena eletrônica nacional, o DJ E-Cologyk.

Mulheres com nome na lista não pagam entrada até 00h30.

Serviço
Festa: EDM
Data: 29 de agosto (sexta)
Line Up: Adriano Pagani, Dimy Soler, Le Paladino e Lugo
Local: Clash Club - Rua Barra Funda, 969 - Barra Funda - São Paulo/SP
Horário: 23h
Preço:
PISTA
Mulheres:
Com lista: VIP
Sem lista: R$ 20,00 entrada ou R$ 40,00 de consumação
Homens:
Com lista: R$ 35,00 entrada ou R$ 70,00 de consumação
Sem lista: R$ 45,00 entrada ou R$ 90,00 de consumação
CAMAROTES
Palco 10 pessoas - R$ 6.000.00
Lateral 10 pessoas - R$ 3.500,00
Mezanino 10 pessoas - R$ 2.500,00
Mesa 4 pessoas Lateral - R$ 1.400,00
Mesa 4 pessoas Mezanino - R$ 1.000,00
Avulso Feminino Pista - R$ 150,00
Avulso Masculino Pista - R$ 350,00
Avulso Feminino Mezanino - R$ 120,00
Avulso Masculino Mezanino - R$ 250,00
Avulso Masculino Palco - R$ 600,00
Informações e lista: http://www.clashclub.com.br/
Reservas de camarotes pelo e-mail: camarote@clashclub.com.br
Aceita os cartões: AE, D, E, M e V
Capacidade: 500 pessoas
Censura: 18 anos
Tel: (11) 3661-1500
Estacionamento: R$20

Festa: Gym Sonik
Data: 30 de agosto (sábado)
Line Up: E-Cologyk, Cheb`Five, Higa Matsuda, Nando Cruz e Deepers
Local: Clash Club - Rua Barra Funda, 969 - Barra Funda - São Paulo/SP
Horário: 23h
Preço:
-PISTA
Mulheres:
Com lista: VIP até 00h30
Sem lista: R$ 20,00 entrada ou R$ 40,00 de consumação
Homens:
Com lista: R$ 35,00 entrada ou R$ 70,00 de consumação
Sem lista: R$ 45,00 entrada ou R$ 90,00 de consumação
-CAMAROTES
Palco 10 pessoas - R$ 6.000.00
Lateral 10 pessoas - R$ 3.500,00
Mezanino 10 pessoas - R$ 2.500,00
Mesa 4 pessoas Lateral - R$ 1.400,00
Mesa 4 pessoas Mezanino - R$ 1.000,00
Avulso Feminino Pista - R$ 150,00
Avulso Masculino Pista - R$ 350,00
Avulso Feminino Mezanino - R$ 120,00
Avulso Masculino Mezanino - R$ 250,00
Avulso Masculino Palco - R$ 600,00
Informações e lista: http://www.clashclub.com.br/
Reservas de camarotes pelo e-mail: camarote@clashclub.com.br
Aceita os cartões: AE, D, E, M e V
Capacidade: 500 pessoas
Censura: 18 anos
Tel: (11) 3661-1500
Estacionamento: R$20

Sobre o Clash Club:
Localizado na Barra Funda em um antigo galpão da década de 30, o Clash Club foi

inaugurado em março de 2007 e, ao longo dos anos, se firmou como uma das

principais casas noturnas de São Paulo, com espaço para shows dos mais variados

estilos de grandes artistas nacionais e internacionais. Já passaram pelo clube

mais de 1.500 artistas, tocando para aproximadamente 1 milhão de pessoas nas

festas e shows realizados. Recém reformado, o Clash ganhou ar de reinauguração,

desde a remodelação da entrada e saída, do mezanino, novos sistema de ar

condicionado, camarotes com banheiros exclusivos e outros bares internos.

Angela Maria e Cauby Peixoto cantam juntos no Guaíra em setembro



Ingressos para show da dupla em Curitiba já estão à venda

Amigos e parceiros desde os anos 60, Angela Maria e Cauby Peixoto voltam a

Curitiba para apresentar o show do álbum "Reencontro" no dia 25 de setembro,

quinta-feira, no Teatro Guaíra, às 21h. Além das músicas do novo trabalho,

Angela e Cauby não deixarão o palco sem cantar seus grandes sucessos de

carreira. Os ingressos já podem ser comprados no site e quiosques do Disk

Ingressos, além da bilheteria do Teatro Guaíra.

O novo álbum é o terceiro que conta com a dupla dividindo as vozes.

Samba-canção, bolero e música romântica fazem parte do repertório que inclui,

entre outras, "Como é grande meu amor por você" (Roberto e Erasmo Carlos),

"Apelo" (Vinicius de Moraes/Baden Powell) e "O mundo é um moinho" (Cartola),

entre muitos outros.

Amizade

Nos anos 60, Cauby Peixoto convidou Angela Maria para cantar em sua boate, a

Drink, no bairro do Leme, no Rio de Janeiro. O cantor assistia ao show de

Angela da plateia e não se conteve. Sem nada programado ou ensaiado, subiu ao

palco para acompanhá-la em "Samba em prelúdio" (Vinicius de Moraes e Baden

Powell). Naquele momento, nascia uma parceria musical – além de uma grande

amizade – que dura até os dias de hoje.

Serviço:
Angela Maria e Cauby Peixoto - "Reencontro"
Dia 25 de setembro, quinta-feira, 21h
Teatro Guaíra - R. XV de Novembro, 971, Centro
Ingressos: Plateia R$ 220 (R$ 110 meia), 1o. balcão R$ 160 (R$ 80 meia), 2o.

balcão R$ 120 (R$ 60 meia)
Bilheteria do Teatro Guaíra - de segunda a domingo, das 10h às 22h
Disk Ingressos: www.diskingressos.com.br / (41) 3315-0808


GUIGNARD – Sonhos e Sussurros


GUIGNARD – Sonhos e Sussurros

Solo de tempo contido na precisão do espaço

E trama e tece teia de poesia linha e luz

Sobre Ouro Preto que amanhece agora.

Amílcar de Castro

 


Balões, 1947 (óleo sobre madeira, 50 x 40,5cm)



O ano de 1944 mudou a vida de Guignard. Convidado por Juscelino Kubitscheck,

então prefeito de Belo Horizonte, para criar um curso de arte moderna na

cidade, ele foi para Minas Gerais - e de lá nunca mais saiu. A sinergia que se

estabeleceu entre o artista e a paisagem resultou na criação de uma visualidade

tão particular, que desde então, podemos dizer que a paisagem mineira e a

paisagem de Guignard são uma coisa só.

Setenta anos depois a Galeria Almeida e Dale inaugura, no dia 23 de Setembro, a

exposição GUIGNARD–Sonhos e Sussurros, com curadoria de Denise Mattar. A mostra

apresentará cerca de 40 obras de Alberto da Veiga Guignard,  um dos maiores

artistas que o Brasil já produziu e um professor que influenciou gerações de

artistas. Na seleção das obras a curadora priorizou a apresentação de trabalhos

emblemáticos do artista, refazendo o percurso que vai dos retratos vigorosos da

década de 1930 às encantadas paisagens dos anos 1960.

Guignard nasceu em Nova Friburgo, RJ em 1896, mas residiu na Suíça, França e

Alemanha, de 1907 a 1929. Estudou na Academia de Munique e participou da Bienal

de Veneza e do Salon d’Automne, em Paris. Voltou ao país em 1930, após a morte

de seus familiares, fixando residência no Rio de Janeiro. Quase como um

estrangeiro, Guignard encantou-se com o brilho da luz tropical e com a

exuberância da nossa vegetação, pintando árvores, paisagens e flores. Durante

um período residiu em Itatiaia, onde reencontrou a atmosfera rarefeita das

montanhas. Além da paisagem, os retratos foram um tema privilegiado pelo

artista, e Guignard pintou mulheres, homens, crianças, ricos e pobres, sempre

transcendendo a mera figuração. Os vasos de flores foram outra constante; neles

Guignard ia da exuberância das orquídeas e antúrios à delicadeza de miosótis e

violetas, entremeadas pela beleza de flores idealizadas. Nas festas de São

João, suas lembranças de infância, flutuavam balões povoando os céus com cores.

A ida a Minas determinou uma nova visualidade na obra do artista e, num

processo de depuração, Guignard tornou-se cada vez mais etéreo. Entre brumas e

névoas, criou paisagens reais e imaginárias nas quais o ser humano e suas

criações eram representados em escala mínima, desaparecendo na grandiosidade

das montanhas. Esse percurso será apresentado na exposição que, destaca a

poética do artista, mostrando que, entre nuances e mudanças, o Guignard de 1960

já está contido nos anos 1930. O artista faleceu em Ouro Preto em 1962.

“Em Guignard a figuração é um suporte para a pura emoção estética, toda a obra

do artista é uma experiência espiritual. Seus universos são etéreos, instáveis

e luminosos. Nas paisagens de sonho nada se revela, tudo é sussurro, e, apesar

de marcada por profunda melancolia, a obra de Guignard é doce.” diz a curadora

Denise Mattar.

O artista foi também um exemplo de superação. Nasceu com lábio leporino e

falava com dificuldade, mas apesar disso foi um importante professor. Deu aulas

na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e, na mesma cidade, criou um grupo

que ficou conhecido como “A Nova Flor de Abacate”. Em Belo Horizonte, ensinou

na Escola de Belas Artes que, após a sua morte, recebeu o nome de Escola

Guignard. Foram seus alunos: Iberê Camargo, Amílcar de Castro, Mary Vieira,

Farnese Andrade, Alvaro Apocalipse, Yara Tupinambá, entre centenas de outros. 

Os depoimentos de seus alunos são sempre emocionados, ressaltando que, mais do

que técnica, Guignard ensinava a olhar.

Pela essência poética de sua obra, Guignard despertou a atenção de Cecília

Meireles e Carlos Drummond de Andrade, que escreveram poemas para ele; de

artistas como Portinari, Amílcar de Castro, Carlos Zílio, e de críticos como

Frederico Morais,  Olívio Tavares de Araújo, Roberto Pontual, Walter Zanini,

Lélia Coelho Frota, Sonia Salztein e Rodrigo Naves, entre outros.

A exposição GUIGNARD – Sonhos e Sussurros ficará em cartaz até 29 de Novembro,

com visitação de segunda a sexta das 10 às 18h, sábados das 10 às 14h.


As rochas, de espuma

As conchas, de luar

O sonho pousado,

em ramagens de ar (...)

Levai-me a esse reino

Do Rei Guignard     

        Cecília Meireles, 1947

(...)

cantando em passarinhos e folhagens

em cores mais sutis que própria cor,

de vez, Guignard, que pintas o teu sonho

e na raiz do sonho, vela o amor

 Carlos Drummond de Andrade, 1962



GUIGNARD  – Sonhos e Sussurros, na galeria Almeida e Dale



Visitação: De 24 de setembro a 29 de novembro
De segunda a sexta das 10h às 18h, sábado das 10h às 14h

Rua Caconde 152, 01425-010, São Paulo SP
Telefone: (11) 3882-7120/ 3051-2311





Mostra “Abstrações” apresenta três obras de Manabu Mabe que escaparam do incidente com voo Varig 967



Manabu Mabe, Vibração, 1984
óleo sobre tela
127 x 122 cm
Coleção Roberto Marinho © Instituto Manabu Mabe

Entre os trabalhos que compõem a mostra Abstrações – Coleção Fundação Edson

Queiroz e Coleção Roberto Marinho, em exibição no Espaço Cultural Unifor,

campus da Universidade de Fortaleza, há um conjunto de 19 obras de Manabu Mabe.

Entre elas, há três obras da década de 1950 que escaparam do incidente com o

voo Varig 967, desaparecido no Oceano Pacífico em 1979 – um dos maiores

mistérios da aviação internacional. O avião em questão transportava 53 quadros

de Manabu Mabe.  Por não terem sido emprestadas para uma exposição em Tóquio,

as obras ficaram no Brasil e agora podem ser vistas na mostra.

A exposição, que tem curadoria de Lauro Cavalcanti, promove um intercâmbio

entre os acervos das coleções da Fundação Edson Queiroz e Roberto Marinho,

colocando em conversa 169 obras de artistas consagrados como Mira Schendel,

Antônio Bandeira, Ubi Bava, Cícero Dias, Hércules Barsotti, Iberê Camargo,

Abraham Palatnik, Manabu Mabe e Tomie Ohtake.

A exposição Abstrações – Coleção Fundação Edson Queiroz e Coleção Roberto

Marinho fica em cartaz até janeiro de 2015.

Serviço
Abstrações – Coleção Fundação Edson Queiroz e Coleção Roberto Marinho
Abertura | 17 de julho, às 20h
Visitação | 18 de julho de 2014 a 11 de janeiro de 2015
A visitação ao Espaço Cultural Unifor é gratuita e pode ser feita de terça a

sexta, das 9h às 19h; sábados, das 10h às 18h; domingos, 12h às 18h.


Mais inform

COR-LUZ - HERMELINDO FIAMINGHI E O PARADIGMA CONCRETO



Exposição na Dan Galeria traz 40 obras do artista que criou um novo paradigma

na arte brasileira


Cor-Luz 9002/ 1990/ 140 x 150 cm/ Têmpera/óleo sobre tela


“Eu achava que poderia existir uma arte em que a cor era ela mesma. Digo “ela

mesma” e não cor pura, porque tecnicamente essa história de cor pura é própria

da linguagem de um crítico. Na verdade, que parâmetro é conferido a uma cor

para se dizer que ela é pura? Talvez possa-se dizer que uma cor é mais luminosa

que a outra, ou mais limpa.”

As palavras de Hermelindo Fiaminghi (1920-2004) expressam o desejo nascido na

exposição de Max Bill, realizada no MASP, em 1950, que se consumaria no início

da década seguinte na estética que veio a ser conhecida como Cor-Luz, centro da

exposição sobre o artista na Dan Galeria, que reunirá também obras do período

concretista.

Paradigma da obra de Fiaminghi, a Cor-Luz é caracterizada pela obtenção da cor

e da imagem por meio de retículas feitas em pincel compostas individualmente,

por meio do pincel e tinta, criando uma nova maneira de composição de imagem,

ao invés da tradicional mistura de tintas. Cada ponto é uma espécie de unidade

celular da pintura e desvela o que está por detrás da pintura tradicional. Por

meio das retículas e da pesquisa em torno da fusão e difusão da cor pela luz,

Fiaminghi leva às artes plásticas a influência da estética da arte gráfica –

que exerceu nos anos 1940 - ao mesmo tempo em que retoma o caráter plástico da

pintura. “Quando elimina a construção geométrica da escola concretista e passa

a trabalhar com a retícula, Fiaminghi inicia o paradigma da Cor-luz”, afirma

Peter Cohn, da Dan Galeria, curador da exposição junto de Daniela Bousso.

O artista

Hermelindo Fiaminghi nasceu em São Paulo em1920. Cursa, entre 1936 e 1941, o

Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde teve aulas com Lothar Charoux (1912

- 1987) e Waldemar da Costa (1904 - 1982). Inicia sua trajetória como artista

gráfico no início dos anos 1940, ao passar a se dedicar a litografia. Em 1946,

monta sua primeira empresa no setor, o Graphstudio.



No início dos anos 1950, o artista começa a realizar trabalhos abstratos, em

que revela a influência da arte construtiva, e colabora ainda com os poetas

concretos na programação gráfica de seus poemas. Em 1955, na terceira Bienal de

Artes de São Paulo, é “denunciado” como concretista, embora tido como “intruso”

por um dos líderes do movimento, o artista Waldemar Cordeiro (1925 - 1973),

cujo manifesto – Ruptura, que dera nome ao seu grupo – fora concebido pouco

tempo antes. Ao longo dos anos 1950, contribui na produção gráfica dos

poemas-cartazes de poetas concretistas de São Paulo, como Haroldo de Campos

(1929 - 2003) e Décio Pignatari (1927-2012).

Em 1959, Fiaminghi rompe com Waldemar Cordeiro (1925 - 1973) e o grupo de

artistas concretistas de São Paulo. A partir dos anos 1960, o artista inicia as

experiências com a cor que criaram a estética e o paradigma da Cor-Luz. Na

década de 1980, realiza uma série de "desretratos", como o de Haroldo de

Campos, de 1985, e de "despaisagens", com pinceladas livres, que revelam o

colorido como superfície flutuante. A Cor-Luz marcará sua obra e busca

artística até o fim de sua vida.

Hermelindo Fiaminghi – Cor-luz, na Dan Galeria

Coquetel de abertura: sábado, dia 30 de agosto, das 10h às 14h

Visitação: De 30 de agosto a 30 de setembro
De segunda a sexta das 10h às 18h, sábado das 10h às 13h

Rua Estados Unidos, 1638
Telefone: (11) 3083-4600

 


MX confirma abertura para o Exodus em SP

A banda brasileira MX foi escolhida, através de voto popular, para abrir a

apresentação do Exodus, em São Paulo. Show acontece no próximo dia 4 de

outubro, no Carioca Club. Ainda há ingressos à venda.


Banda está divulgando o novo álbum "RE-Lapse" - foto: divulgação

A produtora 8X8 Live acaba de confirmar a banda brasileira MX para abrir a

apresentação do Exodus, em São Paulo. O show acontece no próximo dia 4 de

outubro, no Carioca Club.

O grupo que está retornando à ativa após hiato de 15 anos, foi escolhido pelo

público em votação realizada nas redes sociais, concorrendo com outros grandes

artistas. A atual formação do MX conta com Alexandre da Cunha (bateria/vocal),

Alexandre ‘Morto’ (baixo/vocal), Décio Jr. (guitarra) e Alexandre ‘Dumbo’

(guitarra). O repertório desta exibição deve ser composto pelas principais

composições dos álbuns Simoniacal (1988) e Mental Slavery (1990). Neste

momento, o quarteto do ABC está divulgando o novo álbum "RE-Lapse".

Já o Exodus, no auge dos seus 32 anos de carreira, retorna ao Brasil trazendo

na bagagem a sua clássica formação: Steve “Zetro” Souza (vocal), Gary Holt

(guitarra, Slayer), Lee Altus (guitarra), Jack Gibson (baixo) e Tom Hunting

(bateria).

Steve “Zetro” Souza enviou recado super descontraído convidando o público a

prestigiar a tão aguardada exibição em São Paulo. Confira o video em

https://www.youtube.com/watch?v=mFOfJ5pxTBc.

Os ingressos continuam à venda pela internet (Ticket Brasil e Clube do

Ingresso) e diversos pontos autorizados. Os ingressos de 3° e último lote

custam de R$ 100,00 (pista estudante/promocional) à R$ R$ 280,00 (camarote

inteira). Mais informações no serviço abaixo.

A nova passagem do Exodus pelo Brasil consiste nas seguintes datas:
01/10 – Botequim – Belém
02/10 – Minas Brasília Tênis Club – Brasília
04/10 – Carioca Club – São Paulo
05/10 – Circo Voador – Rio de Janeiro

Recentemente, a banda divulgou que está prestes a lançar o álbum “Blood In,

Blood Out”.

Links relacionados:
http://www.exodusattack.com
http://www.8X8Live.com
http://bandamx.com.br/ptbr/
http://theultimatemusic.com
http://www.cariocaclub.com.br

Serviço São Paulo
8X8 Live orgulhosamente apresenta Exodus
Data: 04/10/2014
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde 2899, Pinheiros
Abertura da casa: 17h | Inicio show MX: 18h | Inicio show Exodus: 19h15
Classificação etária: a partir de 16 anos

Promoção especial “Metal do bem” todos aqueles que levarem um kilo de alimento

não-perecível (exceto sal e açúcar) no dia do evento terão direito a adquirir

seus ingressos na promoção “Metal do bem” com 50% de desconto sobre o valor do

ingresso inteiro. Assim você se diverte e ainda ajuda quem precisa.

Os ingressos da promoção “Metal do bem” serão vendidos antecipadamente em todos

os pontos de vendas físicos e pela internet. Aqueles que comprarem os ingressos

da Promoção Metal do bem antecipados ou no dia do evento devem levar 1 (um)

kilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) para doação na entrada do

evento. Os alimentos serão doados para a instituição Caminhando que realiza um

trabalho de inclusão social de jovens e adolescentes com deficiência física e

intelectual.
Doação de alimentos: www.caminhando.org

Ingressos online
www.ticketbrasil.com.br (em até 12 vezes no cartão)
www.clubedoingresso.com (em até 6 vezes no cartão)

Ingressos

3º Lote
Pista Meia entrada = R$ 100,00 | Pista Metal do bem = R$ 100,00
Pista Inteira = R$ 200,00
Camarote Meia entrada = R$ 140,00 | Camarote Metal do bem = R$ 140,00
Camarote Inteira = R$ 280,00

Na porta
Pista Meia entrada = R$ 115,00 | Pista Metal do bem = R$ 115,00
Pista Inteira = R$ 230,00
Camarote Meia entrada = R$ 160,00 | Camarote Metal do bem = R$ 160,00
Camarote Inteira = R$ 320,00

Pontos de venda em São Paulo:

Bilheterias do Carioca Club (SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA)
Rua Cardeal Arcoverde, 2899
Horário: Segunda à sábado das 9hrs às 20hrs.
Pinheiros, São Paulo – SP Tel: 3813-8598
Formas de pagamento: Somente dinheiro.

SP Rock - Galeria do Rock*
Av. São João, 439 - 3º andar loja 402 - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sábado das 10h às 18h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American,Express, Diners Club International, Elo.

CadaQual*
Rua Augusta, 2171 - Jardim Paulista - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sábado das 11h às 20h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

School of Rock – Moema*
Rua dos Chanés, 263 – Moema – São Paulo – SP
Horário: Segunda à sexta das 9h às 20h. Sábado das 9h às 14h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

Metal Music - Santo André*
Rua Dona Elisa Fláquer, 184 - Centro - Santo André - SP
Horário: Segunda à sexta das 10h às 18h30, sábado das 10h às 17h30.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American

Age Of Dreams - São Bernardo*
Av. Marechal Deodoro, 1754 - 2º Andar loja 33/36 - Centro - São Bernardo do

Campo - SP
Horário: Segunda à sábado das 9h às 19h.
Formas de pagamento: Somente dinheiro

School of Rock – São Caetano*
Rua São Paulo, 1154 – Ceramica – São Caetano - SP
Horário: Segunda à sexta das 10h às 22h
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

Twister Games – Itaquera*
Shopping Itaquera – Rua Manoel da Nobrega, 712 - Loja 338/339 Piso Paineira –

Diadema – SP
Horário: Segunda à sabado das 10h às 22h – Domingo das 14h às 20h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

Twister Games – Diadema*
Shopping Praça da Moça – Av. José Pinheiro Borges, Loja 245 – Itaquera – SP
Horário: Segunda à sabado das 10h às 22h – Domingo das 14h às 20h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

Shopping Oriente 500*
Rua Oriente, 500 2º andar - Brás - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sexta das 9h às 17h, sábados das 9h às 13h30.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa,

MasterCard, American, Express, Diners Club International, Elo.

*Ponto de venda sujeito a taxa de conveniência

Capacidade: 1.500 pessoas
Acesso para portadores de necessidades especiais
Ar condicionado
Estacionamentos na região: de R$ 20,00 a R$ 30,00 o período
Chapelaria no local: R$ 5,00

terça-feira, 26 de agosto de 2014

O mistério dos Deuses (Vol. 3 Trilogia O Ciclo dos Deuses)

O mistério dos Deuses (Vol. 3 Trilogia O Ciclo dos Deuses)
de  Bernard Werber



Título Original:     Le Mystere des Dieux
de Jorge Bastos

Gênero:     Romance estrangeiro
Coleção:     O Ciclo dos Deuses
Páginas:     532
Formato:     16 x 23 cm


O MARCANTE DESFECHO DA TRILOGIA O CICLO DOS DEUSES
No início, quando chegaram à cidade de Olímpia e foram aprovados na categoria de anjos da guarda, os alunos-deuses eram 144. Agora, esse número está reduzido quase pela metade. Ao longo do jogo em que precisam fazer evoluir seus próprios humanos – e ao fim do qual somente um aluno sairá vencedor –, muitos já foram eliminados e transformados em seres mitológicos. Diante desses perigos, Michael Pinson tenta sobreviver e impedir a extinção de seu povo.
Neste volume final, Michael continua sua saga em busca dos maiores mistérios do universo. Depois de descobrir o que há no alto da montanha, ele retorna à Ilha de Aeden para disputar a final do jogo das divindades, que conta apenas com 12 alunos-deuses sobreviventes. Mais do que nunca, seu objetivo é vencer, pois, como recompensa, o ganhador poderá conhecer pessoalmente o Criador.
·     Bernard Weber é conhecido mundialmente pela série best-seller O Império das Formigas, que vendeu mais de um milhão de cópias somente na França.
·     Escritor francês mais lido em todo o mundo, com todos os seus livros elogiados pela imprensa do seu país. Traduzido para mais de 25 idiomas e com mais de 20 milhões de exemplares vendidos no planeta.

Lançamento








Milênio: A construção da cristandade e o medo da chegada do ano 1000 na Europa



A construção da cristandade e o medo da chegada do ano 1000 na Europa

de Tom Holland

Título Original:     Millenium
Tradutor:     Alexandre Martins
EAN:     9788501084781
Gênero:     História
Páginas:     434
Formato:     16 x 23 cm




Milênio é sobre a época de Otto, o Grande, califas e reis vikings, eremitas, monges e servos. Um momento da história que testemunhou a disseminação dos castelos, a invenção da fidalguia e a fundação da monarquia papal. Acima de tudo, um período que incutiu nas pessoas o medo de que o mundo acabasse e – com um esforço enorme que ainda é capaz de nos afetar – reinventou a civilização mais uma vez. Um feito memorável, nada menos do que a fundação do Ocidente moderno.


O AUTOR
Tom Holland é o autor de Rubicão, que foi candidato ao Prémio Samuel Johnson e venceu o Prémio Hessell-Tiltman em 2004; de Fogo Persa, que venceu o Prémio Runciman da Liga Anglo-Helénica em 2006; e do muito elogiado Milénio, todos eles já editados pela Alêtheia. É também autor de diversas adaptações de Homero, Heródoto, Tucídides e Virgílio para a BBC Rádio. O seu mais recente livro Sob o Signo da Espada (Alêtheia Editores, 2012) mereceu as melhores críticas internacionais.



 
UM LANÇAMENTO









O samba moderno de LuÍsa Maita na CAIXA Cultural Curitiba



 
Cantora e compositora paulista traz músicas de seu primeiro disco, Lero-Lero, em que alia influências do pop e do eletrônico às raízes do samba e da MPB



A CAIXA Cultural Curitiba apresenta, no dia 2 de setembro, às 20 horas, show da cantora e compositora paulista Luísa Maita, no projeto Samba de Bamba. A artista canta músicas de seu primeiro disco, Lero-Lero, formado por composições próprias em que as influências da música pop e eletrônica estão associadas a uma base acústica enraizada no samba, na bossa nova e na música popular brasileira. A cantora vem acompanhada pelos músicos Érico Teobaldo (bateria, MPC, programação), Magno Vito (baixo) e Rafa Barreto (guitarra).



Luísa Maita alimenta-se, na mesma intensidade, da tradição musical brasileira e do pop americano. Para Luísa, não há diferença sensível entre João Gilberto e Michael Jackson, Nana Caymmi e Beyoncé, funk carioca e R&B. Como compositora, teve os sambas Madrugada e Amado Samba gravados pela cantora Virgínia Rosa. Beleza, gravado por Mariana Aydar em seu segundo álbum, foi eleita uma das melhores músicas de 2009 pela revista Rolling Stone Brasil. Como cantora, busca, em suas próprias palavras, “atingir o máximo de expressão com o mínimo de afetação”.



Em Lero-Lero, a artista une referências musicais e pessoais com preciosismo e despojamento. Suas composições apresentam uma galeria de ritmos tradicionais brasileiros desconstruídos, do samba ao maculelê, da bossa nova ao baião. Eles surgem reduzidos a células rítmicas básicas transformadas pelos timbres eletrônicos dos beats e a instrumentação acústica.



O álbum figurou em primeiro lugar no iTunes na categoria álbuns latinos e na lista dos CDs mais vendidos de Latin Music na Amazon. Em boa medida, a atenção do público foi reflexo da aparição de Luísa no programa All Things Considered, da NPR (National Public Radio), nos Estados Unidos, que retransmite sua programação para mais de 700 rádios norte-americanas. A boa repercussão levou a cantora a realizar sua primeira turnê nos EUA e Canadá, com shows que renderam críticas positivas no The New York Times, The Washington Post e Boston Globe. No Brasil, o álbum figurou nas principais listas de melhores discos de 2010, entre elas, as da revista Veja e Rolling Stone.



Em 2011, Luísa recebeu o prêmio de Artista Revelação do Ano na 22.ª edição do conceituado Prêmio da Música Brasileira. No mesmo período, estreou na Europa passando por importantes festivais e, em seguida, retornou à América do Norte para realizar 30 shows em 26 cidades durante 45 dias.



A cantora participou da gravação da música de encerramento das Olimpíadas em Londres e foi convidada para integrar o disco Tribute to Caetano Veloso, em homenagem aos 70 anos do cantor. Atualmente, prepara o lançamento do projeto eletrônico “Tamoios”, com o produtor inglês Daniel Hunt (Ladytron) e o brasileiro Fernando Rischbieter, e trabalha no repertório do próximo trabalho solo.



Samba de Bamba:

Mensalmente, o projeto Samba de Bamba recebe músicos que têm o compromisso de apresentar composições que, ao mesmo tempo, respeitem o passado cultural e mostrem ser possível renovar o samba brasileiro com qualidade. “Estamos apresentando as várias vertentes do samba produzido no Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, dentre outras regiões do país”, conta Rodrigo Browne, idealizador do projeto Samba de Bamba.



A próxima atração do projeto Samba de Bamba é o mineiro Alexandre Resende, no dia 7 de outubro.







Serviço:

Samba de Bamba – Luísa Maita

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)

Data: 02 de setembro de 2014 (terça-feira)

Hora: 20h

Ingressos: À venda a partir de 30 de agosto. R$ 10 e R$ 5 (meia - conforme legislação e correntistas que pagarem com cartão de débito CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (de terça a sábado das 12h às 20h, e domingo, das 16h às 19h)

Classificação etária: Livre para todos os públicos

Lotação máxima: 125 lugares (2 para cadeirantes)