sexta-feira, 16 de setembro de 2011

midianews - Ação das autoridades com relação ao espectro: vital para o crescimento da banda larga móvel

2.5 GHZ e 700MHz constituindo elementos-chave para o desenvolvimento sócioeconômico do Brasil e América Latina, segundo o UMTS Forum

No evento Futurecom, realizado nesta semana, em São Paulo, o UMTS Forum sugeriu novas e urgentes ações para a disponibilização de espectro para apoiar a rápida expansão do uso de banda larga móvel no Brasil e na América Latina.

Em particular, a entidade que reúne os operadores de telecomunicações argumentou que, além do espectro em 2.5 GHz, cujo leilão já está previsto, os operadores da região podem beneficiar-se fortemente do acesso às frequências harmonizadas da faixa de 700MHz, o espectro do “dividendo digital” que será liberado com o desligamento da TV analógica.

Especificamente, o UMTS Forum tem incentivado ativamente as autoridades brasileiras e da América Latina a adotar o mais apropriado plano de banda para 700MHz a fim de facilitar a harmonização e promoção de economia de escala dos terminais e equipamentos. E para isto, a entidade, com base no seu recente estudo – o Relatório 44 (“Mobile Traffic Forecast 2010-2020”) - apoia, no tempo correto, a “disponibilidade de espectro harmonizado, quando possível em bases globais, com o objetivo de tornar possível o sonho da comunicação de 1Gbps para a média dos usuários” acrescentou. O relatório ressalta, também, a previsão de um incremento em nível global de 33 vezes do tráfego de banda larga móvel no período 2010-2020, e duas vezes maior que isso em países típicos da Europa Ocidental.

“Além de todos os esforços feitos até agora, ainda há a necessidade de harmonizar as novas bandas de frequência para impulsionar o crescimento econômico e a inclusão social proporcionados pela banda larga móvel”, disse o presidente do UMTS Forum , Jean-Pierre Bienaimé. “Para isso o UMTS Forum, com base no recente estudo feito pela entidade, irá apoiar a harmonização das grandes porções de espectros contíguos em novas faixas de frequência”, acrescentou.

Com a Copa do Mundo da FIFA (2014) e os Jogos Olímpicos (2016) no Brasil, dentro de apenas alguns anos, a demanda por serviços de banda larga móvel em todo o país deve atingir níveis recordes. Estes eventos de alto perfil certamente vão demonstrar que a banda larga móvel é um facilitador cada vez mais vital para o desenvolvimento socioeconômico do Brasil” continuou Bienaimé. “Para participar plenamente das oportunidades globais oferecidas por redes de banda larga móvel 3G/4G é vital que o Brasil esteja alinhado com a evolução do espectro em outras regiões do mundo”.

Sobre o UMTS Forum

A banda larga móvel está mudando a maneira como o mundo se comunica. O UMTS Forum ajuda a todos os atores desta cadeia de valor a compreender a nova dinâmica e aproveitar as oportunidades de redes 3G/UMTS e LTE.

O UMTS Forum participa ativamente nos trabalhos da UIT, CE, ETSI, 3GPP e CEPT, bem como de outras organizações técnicas e comerciais a nível mundial. Também contribui para o oportuno licenciamento e na implantação da banda larga móvel em nível global através de um diálogo regular com os reguladores e em posicionamentos em consultas públicas.

A entidade suporta os interesses de seus membros com uma série de estudos, relatórios e outros trabalhos. As principais áreas focam tendências de mercado, os serviços de banda larga móvel e aplicações, mercados estratégicos, espectro e regulamentação, tecnologia e implementação. Também mantém uma forte participação em conferências, seminários e workshops, bem como reuniões periódicas com a mídia, analistas e outros interessados. A associação reúne todos os que têm interesse na banda larga móvel, incluindo operadores de rede, reguladores e os fabricantes de infraestrutura e equipamentos terminais.

Evento - “Palavra Cantada 3D – Show Brincadeiras Musicais”estreia dia 30 de setembro


Você está convidado para

“Palavra Cantada 3D – Show Brincadeiras Musicais”







Estreia – 30 de setembro de 2011







Sinopse curta: “Palavra Cantada 3D – Show Brincadeiras Musicais” - Primeiro show infantil filmado em 3D no Brasil. Sandra Peres, Paulo Tatit e os músicos da Palavra Cantada exploram suas músicas e brincadeiras de forma inédita no Brasil. Eles lançam em cinema 3D um show interativo com 19 músicas da dupla , entre elas, algumas das mais queridas do público, como “Sopa”, “Fome Come”, “Duelo de Mágicos” e “Ciranda”, e algumas inéditas, como “O Caramujo e a Saúva”, “Vem Dançar com a Gente” e “Bolinha de Sabão”.Com direção de Marcelo Siqueira e Carlos Garcia, o filme estreia dia 30 de setembro com exclusividade nas salas da Rede Cinemark em todo o país.

Lançamento - Inédito de Saramago lançado em Outubro

Inédito de Saramago lançado em Outubro

É oficial: A Clarabóia, de José Saramago, chega às livrarias a partir de 15 de Outubro. Pode ler um pequeno excerto aqui.

Lançamento - 90 anos de Paulo Freire: Editora Fundação Perseu Abramo celebra data


Dia 19 de setembro, em comemoração aos 90 anos de Paulo Freire, a Editora Fundação Perseu Abramo lança versão atualizada de "Comunicação e Cultura: as ideias de Paulo Freire", de Venício A. de Lima. O evento será no Auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal, com sessão solene e no dia 20, mesas de debates.


90 anos de Paulo Freire: Editora Fundação Perseu Abramo

celebra data com reedição de Venício Artur de Lima



“Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire”, completa 30 anos de sua primeira publicação e ganha versão atualizada com prefácio de Nita Freire, esposa de Paulo.



Em setembro de 2011 comemoramos os 90 anos do nascimento de Paulo Freire, filósofo e educador brasileiro mundialmente conhecido, referência no campo da pedagogia. Para celebrar esta data, a Editora Fundação Perseu Abramo (EFPA), em parceria com a Editora da Universidade de Brasília (UnB), relança o título “Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire”, de Venício Artur de Lima. Publicado originalmente há exatas três décadas, a nova edição traz uma versão revisada, citações adicionais e prefácio de Ana Maria Freire, a Nita, viúva do pensador. O lançamento está previsto para o dia 19, dia do aniversário de Freire, no Distrito Federal.



Fruto de tese de doutorado defendida em agosto de 1979, a obra traz uma análise sobre a importância de Paulo Freire para o estudo da comunicação sob uma ótica ainda hoje vanguardista. O registro do autor evidencia o conceito proposto pelo educador, que concebe a comunicação de forma dialógica, ou seja, obtida através do direito de todos os indivíduos ao acesso à informação e aos meios necessários para o direito de resposta e articulação. Segundo Lima, ao entender a comunicação como uma relação entre sujeitos, Freire afirma que toda relação de poder fica excluída, sendo que o conhecimento gerado por este diálogo está comprometido, de forma inerente, com a justiça e a transformação social.



As reflexões de Venício A. de Lima acerca da obra de Paulo Freire evidenciam o ineditismo do pensamento visionário do filósofo, que já previa o caminho da comunicação como diálogo sendo a única via coerente, ainda no início da década de 1970, antevendo em muito o surgimento da internet e, por conseguinte, da revolução digital.



“Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire” também aborda de forma ampla os conceitos de censura e liberdade de expressão, destacando o silêncio da grande mídia sobre determinados temas como a forma mais usual de sonegar o conhecimento, ao evitar trazer o assunto para o debate público. A análise de Lima mostra como a obra de Freire permanece há 40 anos como uma das poucas referências amplas e atualizadas para se pensar as novas tecnologias de comunicação e também a tão questionada regulação dos meios.



Tendo como base os livros de Paulo Freire “Pedagogia do Oprimido” (Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1970) e “Extensão ou comunicação?” (Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1971), Venício Lima apresenta ainda uma pesquisa profunda sobre os registros do educador que abordam a comunicação. São diversos artigos e declarações, incluindo muitas publicações inéditas na língua portuguesa.



Todo este mapeamento mostra que, até o final da vida, em maio de 1997, Freire manteve-se fiel à sua formulação original sobre a comunicação como coparticipação de sujeitos que se relacionam e transformam o mundo no contexto da ação cultural libertadora.



Em seu prefácio, Nita Freire afirma que o autor percorreu tal caminho para “justificar o texto” de seu marido sobre a comunicação, “entendendo o contexto” no qual o educador viveu e formou seu pensamento teórico. Sobre a reedição do livro após 30 anos, Nita comemora: “Este ato de Venício é muito bem-vindo não só por seu envolvimento afetivo com Paulo ou porque ele põe de volta nas discussões acadêmicas o pioneirismo, a importância e a atualidade do pensamento de Paulo, no que se refere à teoria da comunicação, da qual ele próprio é uma das expressões maiores no Brasil, mas por estar sendo este, muito possivelmente, o único livro publicado dentro dos festejos dos 90 anos de nascimento de Paulo”.



O lançamento de “Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire” ocorre em 19 de setembro, a partir das 19h, no auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal, localizado na Praça Municipal, Quadra 2, Lote 5 - Setor de Indústrias Gráficas. O evento integra as comemorações do nonagenário de Paulo Freire e celebra os 30 anos da primeira edição.



Nova edição conta com ilustrações de Brennand



Em meados da década de 60, Paulo Freire, que coordenava o Projeto de Educação de Adultos do Movimento de Cultura Popular do Recife, desenvolveu o “círculo de cultura”, que mais tarde, seria a base de sua metodologia de ensino e alfabetização. Em uma de suas aulas, ao utilizar os “temas dobradiças”, partindo do conceito antropológico de cultura, propunha a leitura de mundo, por meio de imagens. O objetivo era “ajudar o analfabeto a superar sua compreensão mágica ou ingênua da realidade e desenvolver um entendimento cada vez mais crítico”. Dez imagens do artista plástico pernambucano Francisco Brennand que foram utilizadas na época na cartilha de formação, compõe a nova edição do livro. No capítulo “Conceito de Cultura em Freire”, Venício Artur de Lima elabora um minucioso trabalho intelectual de leitura das imagens. Destaque para a obra “Jarro, produto do trabalho do homem sobre a matéria da natureza”, que estetiza a capa da nova edição.



Sobre o autor


Venício Artur de Lima é professor titular de Ciência Política e Comunicação da UnB e autor, dentre outros, de “Diálogos da perplexidade” (Editora Fundação Perseu Abramo: São Paulo, 2009); “Mídia – Teoria e Política” (Editora Fundação Perseu Abramo: São Paulo, 2001); “Liberdade de Expressão vs. Liberdade de Imprensa – Direito à Comunicação e Democracia” (Publisher: São Paulo, 2010). Natural de Sabará, Minas Gerais, nasceu em 1945, filho de professores. Formado em Sociologia e Política pela Universidade Federal de Minas Gerais, em 1991 já possuía dois pós-doutorados, um pelo Institute of Communications Research da University of Illinois e o segundo pela Miami University.




Sobre a EFPA



Fundada em 1997, a Editora Fundação Perseu Abramo é um espaço para o desenvolvimento de atividades de reflexão político-ideológica, estudos e pesquisas, destacando a pluralidade de opiniões, sem dogmatismos e com autonomia. Com mais de 180 livros em catálogo, a editora conta com autores importantes como Antonio Candido, Celso Furtado, Aloysio Biondi, Michael Löwy, Marilena Chaui, Lélia Abramo, Milton Santos, Maria da Conceição Tavares, Francisco de Oliveira, Maria Rita Kehl e Leandro Konder, entre outros.

www.efpa.com.br

twitter.com/editora_perseu




INFORMAÇÕES TÉCNICAS

Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire

De Venício A. de Lima

Editora Fundação Perseu Abramo e Editora Universidade de Brasília

ISBN 978-85-7643-098-8

191 p.

2ª edição revisada

2011



SERVIÇO



Lançamento de “Comunicação e cultura: as ideias de Paulo Freire”



1º Encontro Paulo Freire no Distrito Federal



Sessão Solene



Dia 19 de setembro, às 19h, no Auditório da Câmara Legislativa do Distrito Federal.



Venda Especial do Livro



Dia 20 de setembro, das 8h30 às 18h, no Auditório da Câmara Legislativa.

midianews - Google vence ação contra usuário ofendido no Orkut

O Supremo Tribunal de Justiça (STF) decidiu a favor do Google em um processo movido por um usuário, que alega ter sido ofendido na rede social Orkut. Em primeira e segunda instâncias, a Justiça decidiu que o Google deveria indenizar o usuário em R$ 8.300, mas a empresa recorreu, informa a Info Online.

O Google foi acionado em 2007 e retirou o conteúdo considerad ofensivo do ar. A empresa também alegou que não poderia ser responsabilizado pelo conteúdo dos perfis no site de relacionamentos (controlado por ela), apenas pela identidade de cada usuário.

Para a relatora do caso, juiza Nancy Andrighi, a empresa foi correta. "Ao oferecer um serviço por meio do qual se possibilita que os usuários externem livremente sua opinião, deve o provedor de conteúdo ter o cuidado de propiciar meios para que se possa identificar cada um desses usuários, coibindo o anonimato e atribuindo a cada manifestação uma autoria certa e determinada".

De acordo com Nancy, a fiscalização do conteúdo dos perfis pelo Google implicaria na perda da liberdade dos usuários.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

PROGRAMAÇÃO CINEMATECA | 16 a 22 DE SETEMBRO 2011

16 a 22
SESSÃO VITRINE – 2ª EDIÇÃO
AS SOMBRAS (BR, 2009 – 15min - ficção). Direção de Marco Dutra e Juliana Rojas.
Numa casa de campo, a paciente e seu marido se envolvem com a jovem psiquiatra. Os ruídos da floresta os cercam.
DESASSOSSEGO (BR, 2011 – 63 min. – ficção). Direção de Karim Ainouz,
Felipe Bragança, Marina Meliande, Ivo Lopes Araujo, Carolina Durao, Andrea Capella,Gustavo Bragança, Marco Dutra, Juliana Rojas, Helvecio Marins, Clarissa Campolina, Raphael Mesquita, Leonardo Levis, Caetano Gotardo.
O filme se desenvolve a partir da visão de 14 cineastas, sobre uma carta escrita e inspirada em um bilhete encontrado em um armário abandonado por uma menina de 16 anos. Terceira parte da trilogia Coração no Fogo.
Total do programa 78 minutos
De 16 a 18 – 15h45, 18h e 20h
Dias 19 e 22 – 14h
Dia 20 – 15h45
Ingresso pago: R$5,00 (inteira) – R$2,50(meia) – R$1,00 (aos domingos)

Dia 19, 15h45, 18h e 20h
PROJETO VOLTA ÀS TELAS
O Projeto Volta às Telas, exibe o quinto e último programa do Projeto “Resgate do Cinema Silencioso Brasileiro”.
Programa 5 – Cerimônias Públicas
Total do programa: 117 minutos
FATOS HISTÓRICOS DO TIRO DE GUERRA 19 “RIO BRANCO” (1910-12 – 10 min.). Documentário. Kosmos.
FORÇA PÚBLICA DO ESTADO DE SÃO PAULO (1925-30 – 19 min.). Rossi Film.
CÁSSIA JORNAL (SN.01 e 02 – 1926-30 – 7 min.). M Film.
O NOVO GOVERNO DA REPÚBLICA (1922 - 14 min.). Botelho Film.
O PRÍNCIPE HERDEIRO DA ITÁLIA EM TERRAS DO BRASIL (1924 – 41min.). Botelho Film.
A GRANDE PARADA DOS LEGIONÁRIOS MINEIROS (1931 – 25min.). Botelho e Neto.
Classificação livre
Ingresso gratuito

Dia 20, 20h:
PROJETO OLHO VIVO
Lançamento do filme MEDO DE SANGUE (BR/PR, 2011. 20 min. – ficção – 35mm). Direção: Luciano Coelho.
Barulho abafado de algo caindo, vidros estourados, alarme de carro disparado. Ela desce correndo as escadarias do prédio e se depara com a cena. Desesperada, se afasta, deixando ao fundo o corpo ensangüentado de um homem caído em cima do carro amassado. Em um banco de sangue, ela aguarda temerosa o momento de doar. Ele aparece em sua frente. Um fantasma? Uma lembrança? O momento da doação de sangue revelará as dores e desafios do momento de separação do casal.
Classificação 14 anos
Ingresso gratuito
21 a 24
MOSTRA CINEMA E DIVERSIDADE
Evento em parceria com o Instituto Cervantes
Dia 21, 15h45:
CAMPILLO SIM, QUERO | Campillo sí, quiero (Espanha, 2008 – 53 min. DVD).
Direção e roteiro: de Andrés Rubio.
Conta a história de como o prefeito do vilarejo de Campillo de Ranas, município de Guadalajara, que foi virtualmente abandonado há 20 anos, renasceu graças à disposição de atender a casais gays, gerando uma indústria de casamento e turismo que coexiste quase pacificamente com o caráter rural da cidade.
18h:
20 CENTÍMETROS (Espanha, 2005 – 109 min. – DVD). Direção e roteiro de Ramón Salazar.
O filme narra o drama de uma transexual narcoléptica, cuja maior ambição é realizar uma operação que lhe permita mudar de sexo.
20h:
CHUECATOWN (Espanha, 2007 – 93 min. – DVD). Direção de Juan Flahn. Roteiro de Felix Sabroso, Dunia Ayaso, Juan Flahn
Leo e Rey, um casal de gays, vive no bairro madrileno Chueca. Ao mesmo tempo, no bairro, estão acontecendo estranhos crimes de idosas. O assassino, Victor, é o dono de uma imobiliária cuja máxima aspiração é converter o bairro no modelo onde todos seus habitantes sejam jovens, modernos e bonitos vivendo em casas de luxo reformadas. Para isso dedica-se a assassinar idosas que não querem vender seus imóveis.
Dia 22, 15h45:
CHUECATOWN (Espanha, 2007 – 93 min. – DVD).
18h:
EU SÓ OLHO | Yo solo miro (Espanha, 2008 – 18 min. DVD). Direção: Gorka Cornejo
Julia e Eduardo formam um casal aparentemente convencional. Porém, por trás das aparências há verdades inimagináveis, como por trás do carinho mútuo se encontra uma solidão de duas pessoas que não se conhecem.
PULSÕES | Pulsiones (Espanha, 2009 – 11 min. – DVD). Direção e roteiro de José Manuel Carrasco.
Carlos vai se casar dentro de um mês, mas tem sentido diferentes impulsos sexuais e está confuso.
O MÓVEL DAS FOTOS | El mueble de las fotos (Espanha, 2009 - 2 min. – DVD). Direção de Giovanni Maccelli. Roteiro de Susana Lopez.
O móvel das fotos da sala é a vitrine de minha família. Estamos todos, menos...
LALA (Espanha, 2009 - 19 min. – DVD). Direção de Esteban Crespo.
Roteiro de Esteban Crespo e Gustavo Prieto
Jesús volta para a casa com a intenção de surpreender sua família, mas é ele quem fica surpreso. Suas obsessões desencadeiam acontecimentos com conseqüências imprevisíveis.
QUE PACOTE! | !Vaya paquete! (Espanha, 2007 – 8 min. – DVD). Produção de Carlos Grau P. C.
Paco e Tatiana se reencontram nas redondezas de Toledo e se amam ao ar livre. Terminado o ato, voltam a desfrutar do prazer do proibido.
20h:
20 CENTÍMETROS (Espanha, 2005 – 109 min. – DVD).
Dia 23, 15h45:
20 CENTÍMETROS (Espanha, 2005 – 109 min. – DVD).
18h:
CAMPILLO SIM, QUERO | Campillo sí, quiero (Espanha, 2008 – 53 min. DVD).
20h:
EU SÓ OLHO | Yo solo miro (Espanha, 2008 – 18 min. DVD).
PULSÕES | Pulsiones (Espanha, 2009 – 11 min. – DVD).
O MÓVEL DAS FOTOS| El mueble de las fotos (Espanha, 2 min. – DVD).
LALA (Espanha, 19 min. – DVD).
QUE PACOTE! | !Vaya paquete! (Espanha, 2007 – 8 min. – DVD).
Dia 24, 15h45:
EU SÓ OLHO | Yo solo miro (Espanha, 2008 – 18 min. DVD).
PULSÕES | Pulsiones (Espanha, 2009 – 11 min. – DVD).
O MÓVEL DAS FOTOS | El mueble de las fotos (Espanha, 2 min. – DVD).
LALA (Espanha, 19 min. – DVD).
QUE PACOTE! | !Vaya paquete! (Espanha, 2007 – 8 min. – DVD).
18h:
CHUECATOWN (Espanha, 2007 – 93 min. – DVD).
20h:
CAMPILLO SIM, QUERO | Campillo sí, quiero (Espanha, 2008 – 53 min.
Classificação 18 anos
Ingresso gratuito



Cinemateca
Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 22h30. Sábados e domingos, das 14h30 às 22h30.
Informações: (41) 3321-3252

evento -Sempre Um Papo traz a Curitiba o antropólogo Roberto DaMatta






Na próxima terça-feira, dia 20, o escritor fluminense Roberto DaMatta é o convidado do Sempre Um Papo e da Volvo para debate e lançamento do livro “Fé em Deus e Pé na Tábua” (Editora Rocco), que será realizado no Teatro Londrina, no Memorial de Curitiba. Vale lembrar que o lançamento acontece justamente na "Semana Nacional de Trânsito", evento comemorado anualmente no período de18 e 25 de setembro.

“Fé em Deus e Pé na Tábua - ou como e por que o trânsito enlouquece no Brasil”, faz uma análise sobre o comportamento do brasileiro ao volante. Escrita em parceria com João Gualberto M. Vasconcellos e Ricardo Pandolfi, a obra nasceu de duas pesquisas, encomendadas pelo governo do Espírito Santo, com o objetivo inicial de melhorar o trânsito na área da Grande Vitória e do restante do estado. O levantamento, realizado como parte do projeto Igualdade no Trânsito, foi feito entre maio de 2007 e janeiro de 2008, e tinha, entre seus instrumentos de coleta de informação, entrevistas qualitativas com motoristas, pedestres e outros usuários do espaço público.

No livro Roberto DaMatta traça um panorama preocupante do comportamento do brasileiro – não só no volante, mas para além dele. Um comportamento com raízes profundas na constituição cultural do brasileiro. País com origem escravista e aristocrática, onde o espaço de convivência é usado de diferentes formas, dependendo da classe social. É a cultura da casa – onde reside o personalismo, a leniência e um sentido de autoridade – levada para a rua – onde as regras devem funcionar da mesma forma para todo mundo, para manutenção da ordem social. No Brasil, no entanto, os “donos da rua” fazem suas vítimas – nesta dinâmica, os pedestres –, cidadãos sem direito de exercer sua cidadania com a igualdade que um espaço que é de todos pede.
Para o autor, o automóvel é visto e usado justamente como instrumento de poder, dominação e divisão social. O motorista se sente burlador do sistema – as leis são para os outros - provocando caos social e no tráfego. A “fechada”, o xingamento, a agressividade são reflexos claros do conceito do “sabe com quem está falando?”, prática comum no Brasil que, apesar de República, jamais perdeu sua cultura aristocrática. Diferentemente do que ocorre em países e culturas onde o espaço público é visto pelos cidadãos como pertencente a todos e, por isso mesmo, respeitado naturalmente, no Brasil, motoristas e até mesmo pedestres desrespeitam as regras do sistema criando, cada um à sua maneira, sua relação com a rua. Daí a dificuldade em se criar a cultura da direção defensiva, por exemplo, em que motoristas se antecipam às reações e ações dos outros motoristas. Afinal, quem tem que se preocupar com prevenção é sempre aquele ao seu lado. É ele que tem que abrir caminho para o “dono da rua”.

Agora em 2011 inicia-se a Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito, que vai até 2020. A definição de campanha decenal mundial foi decidida pela Assembleia Geral da ONU realizada em março do ano passado. O objetivo da mesma é estimular esforços em todo o mundo para conter e reverter a tendência crescente de fatalidades e ferimentos graves em acidentes no trânsito no planeta.



Roberto DaMatta

Roberto DaMatta foi professor do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde dirigiu o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Mestre e doutor pela Universidade de Harvard, também chefiou o Departamento de Antropologia e foi professor de Antropologia da Universidade de Notre Dame (EUA). Em 1995, começou a escrever crônicas para o Jornal da Tarde, de São Paulo, e a partir de 2001 passou a colaborar com o jornal O Estado de S.Paulo.

É autor de “Carnavais, malandros e heróis” e “A casa & a rua, universo do carnaval”, “O que faz o Brasil, Brasil?”, “Relativizando”, “Torre de Babel”, “Explorações: ensaios de antropologia interpretativa”, “Conta de mentiroso”, e “Águias, burros e borboletas”, todos publicados pela Rocco. Além de sua obra em livro, mais de quinze publicados, DaMatta tem centenas de artigos e ensaios em revistas científicas e coletâneas, bem como verbetes em dicionários e enciclopédias, no Brasil e no exterior, publicados a partir de 1963. Mantém uma coluna semanal no O Globo, do Rio de Janeiro.

“Sempre Um Papo”



Com 25 anos de atividade contínua, o projeto “Sempre Um Papo” é considerado um dos mais importantes meios de incentivo a leitura da América Latina. Criado em 1986, em Belo Horizonte, pelo jornalista Afonso Borges, o “Sempre Um Papo” é reconhecido como um dos programas culturais de maior credibilidade do País. Ao longo de sua história, já ultrapassou os limites de Belo Horizonte e chegou a 23 cidades, em 8 estados da Federação, bem como do Distrito Federal.

Além dos eventos “ao vivo”, o “Sempre Um Papo” tem exibição semanal pela TV Câmara. Os programas vão ao ar aos sábados, às 19h, e aos domingos, às 16h. Cerca de 80 dos melhores encontros do “Sempre Um Papo” já foram gravados e estão disponíveis para download livre nos sites da Câmara dos Deputados e do “Sempre Um Papo”.





Serviço:



Sempre um Papo com Roberto DaMatta.

Data e hora: Dia 20 de setembro de 2011, terça-feira, às 19h30

Local: Teatro Londrina - Memorial de Curitiba (Rua Claudino dos Santos, 79 – Bairro São Francisco).

Entrada franca.

Lançamento - De Bizâncio para o mundo: A saga de um império milenar





De Bizâncio para o mundo: A saga de um império milenar
Título Original: Sailing from Byzantium: how a lost empire shaped the world
de Colin Wells

Tradutor: Pedro Jorgensen

Páginas: 320

De Bizâncio para o Mundo, de Colin Wells, é a fascinante narrativa de uma aventura intelectual que conduz o leitor pelos desertos da Arábia até as florestas sombrias da Rússia setentrional, pelas pitorescas cidades da Itália renascentista até os momentos finais de uma cidade milenar. Um livro único sobre o tema.

Bizâncio: sucessor da Grécia e da Roma antigas, esse magnífico império de mil anos foi a ponte entre os mundos antigo e moderno. Sem Bizâncio, as obras de Homero e Heródoto, Platão e Aristóteles, Sófocles e Ésquilo não teriam sobrevivido.

A história do Império Bizantino é repleta de ideias edificantes, de muito drama, de importantes personagens e de corajosos atos de bravura. No livro, Colin trata dos missionários, filósofos e artistas que, contra todas as probabilidades, propagaram os ideais gregos nas sociedades italiana, islâmica e eslava. Com um texto ágil e repleto de versões fascinantes dos fatos, De Bizâncio para o Mundo é uma das grandes publicações históricas sobre a passagem e a perpetuação da cultura ao longo dos séculos.





O AUTOR
C
olin Wells estudou com o eminente bizantinista Speros Vryonis Jr. na Universidade da Califórnia, Los Angeles, e é mestre em Línguas e Literaturas Grega e Romana pela Universidade de Oxford. Há mais de uma década escreve artigos sobre a história e a cultura mundiais.

Visite http://colinwellsauthor.com








um lançamento







Link

Fotógrafo espanhol expõe trabalhos no Instituto Cervantes






Até o dia 30 de outubro, um dos mais importantes nomes da fotografia atual - com obras utilizadas em centenas de revistas e campanhas publicitárias pelo mundo -, o espanhol Pablo Blanes, expõe seus trabalhos no Instituto Cervantes de Curitiba na mostra “metaphotorsis”.

A mostra apresenta fotografias divididas em duas séries, Retratos e Coisas, mas dentro de uma mesma temática a “metaphotorsis”. Na série Retratos, os modelos posam para a câmera de uma maneira muito peculiar, em alguns casos acompanhados de objetos que se incorporam a imagem, criando situações surrealistas ou apresentando situações ilógicas. Já na série Coisas, as imagens representam objetos do cotidiano, modificados digitalmente, e desta forma alterando ou mesclando conceitos e formas.

De acordo com Pablo Planes, o objetivo de “metaphotorsis” é nos levar a questionar a percepção da realidade que recebemos através de nossos sentidos. O fotógrafo explica que esta é uma técnica que consiste em converter uma imagem em algo quase totalmente diferente, mantendo elementos do conceito original da mesma.



Pablo Blanes



Pablo Blanes é o fundador e diretor da Photaki.com, agência que comercializa imagens e ilustrações de mais de 10 mil autores em todo o mundo. Atualmente a empresa distribui um arquivo de mais de 500 mil imagens, disponibilizadas em 14 idiomas.


Serviço:

Exposição “metaphotorsis”, do fotógrafo Pablo Blanes

Data: Até 30 de outubro

Horário: De segunda à sexta-feira das 10h às 19h e sábados das 10h às 13h.

Local: Sala de Exposições do Instituto Cervantes (Rua Ubaldino do Amaral, 925)

Entrada franca.

evento - CCBNB se associa à programação da II Feira do Livro Infantil

CCBNB se associa à programação da II Feira do Livro Infantil, realizando duas oficinas e um workshop



O Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - Centro - fone: (85) 3464.3108) se associa à programação da II Feira do Livro Infantil de Fortaleza, realizando duas oficinas e um workshop em suas dependências.

As duas oficinas são: "Mentiras que contam verdades", com Rosana Mont'Alverne (contadora de histórias mineira, mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais e fundadora do Instituto Cultural Aletria), na próxima quinta-feira, 15, de 14h às 17h; e "Tecendo contos: o contar histórias e a literatura na sala de aula", com Giba Pedroza (contador de histórias e pesquisador de literatura infantil e tradição oral, há 20 anos vem realizando apresentações e oficinas para educadores e crianças, além de intervenções e projetos sociais para empresas e ONGs), na sexta-feira, 16, de 14h às 17h. Por sua vez, Jiddu Saldanha (mímico teatral, além de ator, diretor, poeta e contador de histórias) ministrará a oficina "Contação de histórias", no sábado, 17, de 14h às 17h.

Veja a seguir as sinopses das duas oficinas e do workshop:



Oficina "Mentiras que contam verdades"

Instrutora: Rosana Mont'Alverne

Dia 15, quinta-feira, de 14h às 17h

Os contos são os melhores guias na busca da verdade, pois são portadores de uma sabedoria ancestral, transmitida oralmente de geração a geração e de uma cultura à outra. Mas a verdade surge mascarada e com toda a aparência de ilusão e mentira. Nessa oficina, os participantes terão contato com histórias que discutem essa temática, com exercícios e reflexões sobre com encontrar a verdade nos contos tradicionais.



Oficina "Tecendo contos: o contar histórias e a literatura na sala de aula"

Instrutor: Giba Pedroza

Dia 16, sexta-feira, de 14h às 17h

A proposta desta vivência é capacitar os participantes para que possam desenvolver atividades lúdicas, tendo o contar histórias e a literatura infantil, os mitos e lendas como instrumentos de trabalho, além de buscar uma reflexão sobre a importância da memória afetiva e do imaginário infantil como ferramentas do aprendizado.



Workshop "Contação de histórias"

Dia 17, sábado, de 14h às 17h

O trabalho envolve reflexões e abordagens que demandam estudo, observação e dedicação. São esses elementos que vão dar ao aluno a segurança para que ele possa seguir adiante com sua linguagem, através da avaliação de repertório, exercícios de observação gestual, treinamento gestual, expressão facial, expressão corporal, roda cultural, roda corporal, pesquisa de repertório pessoal e universal.

Lançamento - Asas (vol. 1)




Asas (vol. 1)
Título Original: Wings
de Aprilynne Pike


Tradutor: Sibele Menegazzi


Coleção: Fadas
Páginas: 294



Laurel foi encontrada na porta da casa de seus pais adotivos e sempre estudou com a mãe. Aos quinze anos, após se mudar para uma nova cidade e se matricular em uma escola, sua vida muda completamente. Para começar, desde sempre solitária, ela ganha um grupo de amigos e um admirador apaixonado, David. E isso será apenas o início.

À primeira vista, Laurel é uma garota comum, com os problemas de qualquer adolescente. O que a diferencia, porém, é ter um segredo maravilhoso e perigoso: ela é uma fada e tem a missão de proteger o portal de Avalon.

Ao produzir uma teia unindo mitologia e realismo, Aprilynne criou um romance emocionante, impressionante e absolutamente maravilhoso. E, em virtude do realismo criado por ela e da narrativa incrível, o leitor terá a nítida sensação de estar na mente de Laurel.

A AUTORA

Aprilynne Pike vem criando histórias de fadas desde que era uma criança de imaginação fértil. Completou seu bacharelado em escrita criativa aos vinte anos na Lewis-Clark State College, em Lewiston, Idaho. Vive atualmente com o marido e os três filhos.
Saiba mais em www.aprilynnepike.com.




um lançamento





evento - musica - Orquestra de Câmara de Curitiba recebe convidados internacionais




O concerto “Música Inglesa”, que a Orquestra de Câmara de Curitiba apresenta neste fim de semana, leva ao palco convidados internacionais. Sob o comando do maestro alemão Stefan Geiger, o grupo executa obras de Benjamin Britten (1913 – 1976) e Gordon Jacob (1895 – 1984), num espetáculo que conta com a participação da instrumentista suíça Zora Slokar (trompa) e do tenor paulista Sérgio Wernec Jr. As apresentações acontecem às 20h de sexta-feira (16) e às 18h30 de sábado (17), na Capela Santa Maria, dentro da temporada 2011 patrocinada pela Volvo.

O mais conhecido compositor britânico do século 20, Benjamin Britten, integra o programa com as peças “Serenata para Tenor, Trompa e Cordas, Op. 31” (1943) e “Sinfonia Simples, Op. 4” (1934). O encontro musical completa-se com o “Concerto para Trompa e Cordas” (1955), de Gordon Jacob, que revela o profundo conhecimento do autor sobre técnicas instrumentais. As peças selecionadas para a apresentação da Orquestra de Câmara de Curitiba mostram o refinamento do trabalho desenvolvido pelo grupo curitibano, que enriquece sua atuação com a presença de convidados ilustres.

Professor de música de câmara e trombone, na Universidade de Música e Teatro de Hamburgo, além de trombone solo da Orquestra Sinfônica daquela cidade alemã, o maestro Stefan Geiger é vencedor de vários concursos internacionais. Com formação musical na Alemanha, França e Estados Unidos, o regente dedica especial atenção à chamada “música nova”, apresentado música moderna com a Orquestra da Rádio de Hamburgo. Os compromissos musicais já levaram Geiger à China, onde se apresentou em 2002, com a Filarmônica de Câmara de Bremen.

O espetáculo do fim de semana também conta com solistas de renome internacional. A suíça Zora Slokar é uma instrumentista apaixonada por música de câmara, que começou sua formação musical pelo violino, mas depois optou pela trompa. Zora tem dividido projetos com artistas de destaque, além de participar dos principais festivais da Europa e obter importantes premiações. Como trompista principal, atuou com grandes orquestras e atualmente é trompa solista da "Orchestra della Svizzera Italiana", em Lugano (Itália).

O tenor Sérgio Wernec Jr. integra o Coral Paulistano do Theatro Municipal de São Paulo e tem se apresentado como cantor solista em obras consagradas, entre elas “Requiem”, de Mozart; “Missa em Sol”, de Schubert; “O Messias”, de Haendel; “Orfeu”, de Monteverdi; “O Barbeiro de Sevilha”, de Rossini; “La Traviata”, de Verdi; e “Porgy and Bess”, de Gershwin. Paralelamente às apresentações com orquestras nacionais de destaque, atua como regente titular do Coro Jovem Sinfônico de São José dos Campos, do Coral da UNAI e do Coral Musicativa.



Serviço:

Apresentações da Orquestra de Câmara de Curitiba com o programa “Música Inglesa”, tendo como convidados o maestro alemão Stefan Geiger, a instrumentista suíça Zora Slokar (trompa) e o tenor paulista Sérgio Wernec Jr, dentro da temporada de concertos 2011 patrocinada pela Volvo.

Datas e horários: dia 16 (sexta-feira), às 20h, e dia 17 de setembro de 2011 (sábado), às 18h30.

Local: Capela Santa Maria – Espaço Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 273 – Centro),

Ingressos: R$ 15 e R$ 7,50 (meia-entrada)

Lançamento - Arraiais e vilas D’El Rei: espaço e poder nas Minas setecentistas


Arraiais e vilas D’El Rei: espaço e poder nas Minas setecentistas
Cláudia Damasceno Fonseca

731 p.


A afirmação de que Minas Gerais era a capitania mais urbanizada da colônia tornou-se quase um lugar-comum na historiografia brasileira. Poucos pesquisadores, no entanto, colocaram a questão urbana no centro de suas reflexões. Num enfoque interdisciplinar, que associa temas e métodos da história, da geografia e do urbanismo, Cláudia Damasceno Fonseca analisa as relações entre espaço e poder em suas múltiplas escalas e dimensões, revelando novas facetas da história política, socioeconômica e religiosa das Minas setecentistas.

Saiba um pouco mais do que pensa a autora . Estado do Brasil com o maior número de municípios (853), Minas Gerais comemora este ano três séculos da criação dos primeiros deles - Nossa Senhora do Carmo (atual Mariana), Vila Rica (Ouro Preto) e Sabará. Então, como agora, a instituição destas entidades administrativas, na época conhecidas como "termos", foi objeto de disputas e polêmicas e atendeu a interesses econômicos e políticos, conta Cláudia Damasceno Fonseca, professora da Universidade Sorbonne Nouvelle-Paris 3 e autora de artigo sobre o assunto publicado na edição da "Revista de História" da Biblioteca Nacional.

- Como acontece hoje, a criação dos primeiros municípios mineiros foi uma resposta a questões políticas e econômicas - avalia Cláudia.

Em 1707, Minas foi palco de um sangrento conflito entre os paulistas descobridores das jazidas de ouro e os chamados "emboabas", grupo composto pelos "reinóis" (portugueses recém-chegados da Metrópole) e "baianos" (colonos do Nordeste) que afluíam continuamente à região atraídos pelo garimpo, levando-a a concentrar 20% da população da Colônia na época.

Na luta pelo poder e controle das minas, os paulistas, em número menor, acabaram derrotados em 1709. Alguns deles perderam suas terras e postos de superintendentes das minas, enquanto outros foram vítimas de massacres. Mas nem o derramamento de sangue foi suficiente para a Coroa se mexer. Foi só quando o líder reinol Manuel Nunes Viana se autoproclamou governador que a Metrópole resolveu tomar uma atitude, diz a historiadora: - A guerra causou muitas perdas dos dois lados, mas a Coroa só interveio quando um dos revoltosos desrespeitou a autoridade régia e se autoproclamou governador. A Coroa viu nisso um risco a sua soberania e controle do interior do Brasil.


LANÇAMENTO DA

evento - CRISTINA AREIA ARRANCA FORMAÇÃO NA FAME DE MARTA CARDOSO








Marta Cardoso, directora da recentemente criada Escola de Actividades Culturais, FAME – Fábrica de Artistas, arranca dia 21 de Setembro

com o primeiro Workshop de Representação Nível I, contando com a actriz Cristina Areia como coordenadora e formadora desta acção.





Neste Workshop, o aluno vai desenvolver técnicas para a construção e representação de um personagem. Direccionado a pessoas acima dos 13 anos e sem experiência específica na área, esta formação pretende despertar talentos inatos, através da aprendizagem de métodos e técnicas particulares para o cinema, teatro ou ficção. Serão trabalhados no programa deste Workshop, a desinibição, confiança, improviso, criação de personagens e preparação de um texto que será base da apresentação pública final desta formação.



O Workshop decorrerá nas instalações da FAME, em Lisboa, dias 21, 22, 26, 27 e 28 de Setembro, das 19h às 22h, com uma apresentação pública no fim-de-semana após a conclusão da formação. As inscrições para este Workshop de Cristina Areia, permanecem abertas na FAME – Fábrica de Artistas.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

relançamento - Passeio a Ouro Preto



Passeio a Ouro Preto
Lúcia Machado de Almeida

Coleção: Obra Avulsa
171 p.


A reedição de Passeio a Ouro Preto apresenta o texto integral em português, com prefácio de Angelo Oswaldo de Araújo Santos e notas de Celina Albano. Inclui em novo projeto gráfico de Márcia Larica, desenhos de Guignard que não constam da edição original. O livro integra a trilogia de Lúcia Machado de Almeida sobre as cidades históricas mineiras, ao lado de Passeio a Sabará e Diamantina, este último em fase de preparação. Essas publicações homenageiam o centenário de nascimento da autora, comemorado em 2010.





LANÇAMENTO DA

Lançamento- As 60 Ações Inteligentes para o Sucesso




As 60 Ações Inteligentes para o Sucesso
As Atitudes Essenciais para Você Chegar Lá

de Eugênio Sales Queiroz


Nº de páginas: 144

Algumas coisas estão fora da ordem , como dizia Caetano Veloso...Quando nos dedicamos um pouco (modo de falar, pois não?) ao estudo dos problemas economicos e as modernas tecnicas de gerenciamento seja de recurso humanos, seja de administração pura, acabamos por nos surpreender que nas listas dos livros mais vendidos (da área) nos deparamos com títulos que mereceriam apenas e tão somente figurar nas listas dos ditos de "auto-ajuda", afinal "quem roubou meu queijo, foi o monge ou o executivo?"

Bem todos conhecem a seriedade editorial de casas como a Qualitymark, nossos antigos parceiros neste suplemento. E mesmo assim em seu catálogo vez por outra nos deparamos com títulos como o deste lançamento -

As 60 Ações Inteligentes para o Sucesso

Bem e porque um cientista social e consultor empresarial escreve um livro com este título. Pudemos perceber é que busca incutir o senso de oportunidade, atitude (como os modernos querem). defende a tese de que o mercado de trabalho ..."só está aceitando o profissional que busca fazer a diferença".

Sem preconceitos, eu e o autor ...“Convido você a fazer uma profunda reflexão sobre sua vida, tanto no sentido pessoal como no profissional, que é o foco deste livro.”
É assim que Eugênio Sales Queiroz inicia a apresentação da obra, indicando, com clareza o que o leitor encontrará nestas páginas.

Em textos dinâmicos e objetivos, através de temas como metas, responsabilidade, dinamismo, persistência, sabedoria, criatividade, ética, marketing pessoal, entre outros, o leitor aprenderá a seguir em frente rumo à suas realizações com mais determinação e garra. Partindo ao entendimento de que tudo é possível quando o assunto é reorganizar e reinventar estruturas pessoais e profissionais, pois todos podem ir além, podem crescer mais, lutar mais, ser mais!

Desfrute deste livro com a mente aberta e o espírito alegre para começar um novo momento na sua vida. Não se contente com a mediocridade. Faça sempre o seu melhor. Afinal, você merece o Sucesso. Você nasceu para fazer Acontecer!

UM LANÇAMENTO







Lançamento - A mocinha do Mercado Central - Stella Maris Rezende



A mocinha do Mercado Central
Stella Maris Rezende


Páginas: 112


Maria Campos. Este era o nome completo da mocinha do interior de Minas Gerais. Pouco, pensava ela. Principalmente se comparado ao da amiga Valentina Vitória Mendes Teixeira Couto. Faltava-lhe o sobrenome do pai, já que fora concebida em uma circunstância trágica. Mas o que pode representar de fato um nome? Valentina, a quem Maria no princípio achara meio enxerida, e que acabou por se tornar uma grande amiga, sabia de cor o significado de todos eles. Da situação adversa, Maria tirou a ideia que a colocaria em uma sequência de aventuras: adotaria em cada lugar por onde passasse uma personalidade que correspondesse ao sentido do nome escolhido.


Este é o enredo do livro de Stella Maris Rezende, com ilustrações de Laurent Cardon e uma participação especial do ator Selton Mello, que não apenas faz a apresentação, como também aparece na história como referência afetiva para a personagem principal. A mocinha do Mercado Central tem a peculiaridade de se situar entre o romance, que narra o desenvolvimento de um protagonista, e uma sequência de contos que se desenrolam em diferentes cidades por onde ela passa. A obra fala da vida em uma fase de transformações, cheia de descobertas e desafios. Fala, em síntese, do desejo de liberdade que só é alcançado com a coragem de se reinventar a cada nova relação.

Mesmo estando em São Paulo, no Rio de Janeiro ou em Brasília, Maria nunca perde o jeito mineiro. E a narrativa de Stella Maris, cheia de lirismo e imaginação, mantém uma descrição vívida e realista das personagens e lugares, e garante a autora na tradição dos grandes prosadores das Gerais.

A AUTORA POR ELA MESMA

Nasci ali juntinho da Serra da Saudade
Minas Gerais, Dores do Indaiá
Meu nome, Stella Maris
Eu sou estrela-do-mar

Mestra em Literatura Brasileira pela Universidade de Brasília, sou professora, cantora, atriz, artista plástica, dramaturga, mas o que eu mais sou mesmo é escritora, uma contadeira de histórias fascinada pelas palavras e pelas entrelinhas.

Sou uma artista que lida com a magia da linguagem, as imagens, a imaginação, as metáforas, as ambiguidades, a mentira, a verdade, os mistérios, as delicadas e as terríveis perguntas da condição humana.

Tenho várias dezenas de livros publicados, entre romances, novelas, crônicas, contos, poemas e uma peça teatral, para o público adulto e o infanto-juvenil.

Tive a alegria de receber prêmios importantes: Prêmio Nacional de Literatura João-de-Barro (1986, 2001 e 2008), Prêmio Bienal Nestlé/categoria infanto-juvenil (1988), Altamente Recomendável para Jovens/FNLIJ para vários livros, Redescoberta da Literatura Brasileira/Revista Cult/categoria conto (2002), Menções Honrosas da Câmara Brasileira do Livro (1987 e 1988), Prêmio Fundação Biblioteca Nacional/ Bolsa para Autores com Obra em Fase de Conclusão (2007), Prêmio Literatura Para Todos/categoria conto/MEC/2008 e 3 indicações ao Jabuti. Meus livros são recomendados em revistas e catálogos de países latino-americanos e europeus. O livro mais premiado, Último dia de brincar (1987), está entre os melhores livros de Literatura Infantil do Século XX, Programa Nacional Biblioteca na Escola/FNDE/MEC. Em 2010 fui a ganhadora do Prêmio Barco a Vapor/Fundação SM.

No final dos anos 1970 e no início dos 80, interpretei a Fada Estrelazul do programa Carrossel, TV Manchete/Brasília, e a Tia Stella do programa Recreio, TV Record/Brasília.

Vivi parte da infância em Belo Horizonte.

Em 1962 me mudei para Brasília; fui pioneira na cidade do céu fulgurante.

Desde 2007 eu moro no Rio de Janeiro.

Com a oficina Letras Mágicas viajo pelo Brasil e por outros países de língua portuguesa, a convite de escolas, universidades, bibliotecas, centros culturais, congressos e feiras do livro. É muito bom ver crianças, jovens e adultos encantados com as Letras Mágicas que moram dentro deles.

Quem quer escrever, escreve.
Principalmente, se terminou de ler um livro maravilhoso.
Um livro maravilhoso escreve outros livros dentro da gente.
É preciso saber ler esses livros dentro da gente.

Eu disse que sou escritora.

Mas para que isso seja intenso e verdadeiro, sou leitora, a todo instante, de modo apaixonado, com angústia e com alegria, sou leitora, cada vez mais.


SAIBA MAIS EM
http://www.stellamarisrezende.com.br/index.php

visite
http://globolivros.globo.com/infantis.asp


Matéria sobre o dia do escritor realizada no dia 24/07/1998 com a escritora Stella Maris Rezende

UM LANÇAMENTO





****

evento - Ciclo de Palestras - Estudando a Auto-Obsessão

*******

evento - musica - Música com Bebés & Papás


Música com Bebés & Papás

Com Indalécio Paiva
17 de Setembro de 2011

Bebés dos 2 meses aos 2 anos

Inscrições: 10 euros (bebé e acompanhante)

Sessão 1 – 10h às 10h45

Sessão 2 – 11h às 11h45

Fazer música com bebés & papás é antes de mais uma sessão de partilha e sociabilização.

Os bebés e respectivos acompanhantes são expostos a um ambiente musical rico, de qualidade, variado em timbres e estilos musicais, com vista à aquisição de um vocabulário e repertório musical.

A música e as histórias sonoras contadas transportam-nos para um mundo de fantasia, proporcionando momentos inesquecíveis. Através da observação, da imitação e da experimentação ao longo da sessão os bebés desenvolvem principalmente a percepção sensorial, a linguagem gestual, a coordenação motora e posteriormente e consequentemente, a construção de conceitos de propriedades do som como forte e fraco, rápido e lento, timbres, noção de pulsação, grave e agudo.


Expressão Musical

Crianças dos 3 aos 6 anos
Sábados

Turma I: 10h30 - 11h15

Turma II: 11h30 - 12h15

Início das Aulas: 8 Outubro 2011

Mensalidade: 20 euros

Email: clubeliterario@fla.pt


Atelier Instrumental I
Mensalidade: 50 euros
Iniciação Musical
Sábado, 13h45 - 14h30 (crianças dos 5 aos 10 anos)
Sábado, 13h45 - 14h45 (crianças/adolescentes dos 10aos 15 anos)
Instrumento: Guitarra, Violino ou Piano
Horário a marcar de acordo com a disponibilidade do aluno
Música em Conjunto: Coro Infanto-Juvenil
Sábado, 14h45 - 15h45

Atelier Instrumental II
Mensalidade: 35 euros
Iniciação Musical
Sábado, 13h45 - 14h30 (crianças dos 5 aos 10 anos)
Sábado, 13h45 - 14h45 (crianças/adolescentes dos 10aos 15 anos)
Instrumento: Guitarra, Violino ou Piano
Horário a marcar de acordo com a disponibilidade do aluno

Descrição: Descrição: Descrição: Descrição: logotipo_CLP.jpg



Clube Literário do Porto

Rua Nova da Alfândega, nº 22

4050-430 Porto

Tel. 222 089 228

Fax. 222 089 230

Email: clubeliterario@fla.pt

URL: www.clubeliterariodoporto.co.pt

BLOGUE: http://clubeliterariodoportofla.wordpress.com/

evento - teatro - CIDADE no Teatro José Maria Santos


A Cidade.

Clair quer ser beijada, mas não quando faz calor. Christopher consegue um emprego e, para comemorar, quer colocar todos num carro e pegar a rodovia na contramão. Jenny sofre com os seus sapatos e não sabe o porquê os está calçando.

Sob a superfície dos pequenos dramas de uma tradutora, um marido, uma filha e uma vizinha, Martin Crimp cria um enigmático jogo em que os piores pesadelos da vida cotidiana são sutilmente sugeridos, mas jamais chegam a ser completamente revelados.

FICHA TÉCNICA:

Autor: Martin Crimp

Elenco: Ana Carolina Lisboa

Letícia Guazzelli

Lilyan de Souza

Márcio Mattana

Tradução: Francisco Innocêncio

Pesquisador e Dramaturgista: Marcelo Bourscheid

Produção Executiva: Lilyan de Souza

Iluminação: Lucas Mattana

Cenário e Figurinos: Paulo Vinícius

Direção: Márcio Mattana

Realização: Inominável Cia. de Teatro

Tem post novo no Blog do Le-Heitor.


Tem post novo no Blog do Le-Heitor.

Heitor vive momentos de tensão em sua primeira luta política, a luta em defesa da sua biblioteca, e conta tudo no seu blog: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

Notícia - Ex-constituintes participam do lançamento da revista Perseu nº6






Com as presenças dos ex-deputados constituintes José Genoino e Olívio Dutra, a FPA promoveu o lançamento da revista Perseu nº6, durante o Congresso. Esta edição da Perseu traz documentos, fotos e artigos sobre a participação do PT na Constituinte.


Revista PERSEU n° 6: História, Memória e Política


Aos leitores chega o sexto número de PERSEU: HISTÓRIA, MEMÓRIA E POLÍTICA. Quando lançamos o edital de chamada de textos para este número, sob o tema “República, Trabalhadores e Direitos Sociais na América Latina” não poderíamos supor a calorosa acolhida que ele recebeu por parte dos pesquisadores. O significativo número de contribuições de qualidade que chegou, nos proporcionou a convicção de que se consolida e solidifica o papel de PERSEU como espaço dedicado a pensar e a fazer a história do ponto do vista da esquerda e dos trabalhadores.

Assim, este sexto número de PERSEU, em seu Dossiê apresenta três textos. O primeiro traz uma reflexão sobre a importância do trabalhismo anterior a 1964, que combina a adesão à democracia com a luta pelas reformas estruturais, a mobilização de massas com a ação institucional. O segundo discute a experiência dos Cordones Industriales chilenos na época do governo da Unidade Popular (UP), sob a presidência de Salvador Allende, iluminando novas formas de atuação política dos trabalhadores. E o último deles discute o movimento comunitário urbano de favelas na cidade do Rio de Janeiro e suas transformações em meio ao processo de redemocratização do Brasil nos anos 1980. Ao Dossiê segue o usual conjunto documental e iconográfico – fundado no rico acervo do Centro Sérgio Buarque de Holanda da Fundação Perseu Abramo, e publicado desde o seu primeiro número – e que neste número vem dedicado ao Partido dos Trabalhadores (PT) e à Constituinte, trazendo documentação que cobre o período de 1985 a 1988.



evento - Curso realiza travessia pela arte contemporânea brasileira



Curso realiza travessia pela arte contemporânea brasileira, entre 1970 e o início do século XXI



Realizar uma travessia pela arte contemporânea brasileira, entre os anos 1970 e a primeira década do século XXI, através de temas que estabelecem diálogos pertinentes entre distintas gerações de artistas, apontando contribuições significativas para o estudo e a experimentação de suportes no campo das artes visuais brasileiras.

É este o objetivo do curso "Paralelos: um panorama da arte contemporânea brasileira", a ser ministrado pelo professor carioca Felipe Scovino, no auditório do Centro Cultural Banco do Nordeste-Fortaleza (rua Floriano Peixoto, 941 - 3º andar - Centro - fone: (85) 3464.3108).

Com inscrições gratuitas - na recepção do Centro Cultural ou pelo e-mail cultura@bnb.gov.br -, o curso acontecerá no período de 20 (terça-feira) a 23 (sexta-feira) deste mês, no horário de 14h às 17h.

Veja a seguir a sinopse do curso:



Primeiro Dia (terça-feira, 20)

* Arte sonora, um breve panorama sobre as convergências entre arte e som no Brasil:

Uma travessia de obras que convergem arte e som realizadas entre 1970 e 2010, em contato com um campo experimental que envolve obras de Cildo Meireles, Tunga, Antônio Dias, Chelpa Ferro, Paulo Vivacqua, entre outros.



Segundo Dia (quarta-feira, 21)

* Experimentações pictóricas:

Nos últimos 40 anos, fomos assombrados pelo tema da morte da pintura, entretanto a arte brasileira foi pródiga em manifestar a pintura como meio de experimentação. Contatos com diálogos entre as monotipias de Carlos Vergara, os suportes inventivos utilizados por Leda Catunda ou Adriana Varejão e a investigação dos artistas da Casa 7 ou de Luiz Zerbini.



Terceiro Dia (quinta-feira, 22)

* Formas de enfrentamento: arte, política e identidade:

No ano 1970, a ditadura era o "tema" de ordem, em maior ou menor grau, para os artistas, nos anos de 1990 e 2000, o processo de globalização provocou o rompimento da associação imediata entre lugar, identidade e cultura.

Fazem parte desse estudo obras de Antonio Dias, Antonio Manuel, Artur Barrio, Carlos Zílio, Ivens Machado, Nelson Leiner, Paulo Bruscky, Ronaldo Duarte, Rosângela Rennó, Renata Lucas, entre outros.



Quarto Dia (sexta-feira, 23)

* Em trânsito:

O estado de invenção da arte brasileira passa por confluências, choques e apropriações entre os suportes. Em obras que permitem a ampliação de seus termos "de origem" (pintura, escultura e objeto), tomaremos contato com novas práticas e alargamentos do objeto de arte, em um ambiente de reflexão que permitirá contatos entre artistas de distintas gerações. Obras de artistas como Ernesto Neto, Felipe Cohen, Jac Leirner, José Damasceno, José Resende, Marcius Galan, Nelson Felix, Nelson Leirner, Waltercio Caldas, entre outros, serão apresentadas e discutidas.



Trajetória do professor

Felipe Scovino é professor da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e curador. É autor dos livros Arquivo Contemporâneo (7Letras, 2009), Cildo Meireles (Azougue Editorial, 2009) e Carlos Zílio (Museu de Arte Contemporânea de Niterói, 2010). É co-autor de Coletivos (Circuito, 2010). Foi ganhador da bolsa de estímulo à produção crítica (Minc/Funarte) em 2008.

Lançamento - Genética: escolhas que nossos avós não faziam de Mayana Zatz


Genética: escolhas que nossos avós não faziam
de Mayana Zatz

Páginas: 202


O que você faria se pudesse escolher o sexo do seu filho? Impedir que ele tenha uma doença grave selecionando seus genes – mesmo que seja depois de adulto? O que os avanços da engenharia genética nos reserva para o futuro? Até onde podemos – ou queremos ir – com a escolha de embriões, células-tronco, testes de DNA, clonagem? São questões modernas que mais cedo ou mais tarde baterão à nossa porta, e que a bióloga e geneticista brasileira Mayana Zatz procura levantar nesse livro original e humano – "GenÉtica: escolhas que nossos avós não faziam" (assim mesmo, com “e” maiúsculo, para chamar a atenção para a outra face da evolução da ciência).

Mayana, que é uma pesquisadora da USP conhecida internacionalmente, e participou ativamente da aprovação pelo Congresso Nacional das pesquisas com células-tronco embrionárias, traz um pouco de sua experiência para o cotidiano das pessoas. As histórias por ela relatadas poderiam ocorrer com qualquer um de nós – porém, no estágio atual do nosso conhecimento, nossas respostas nem sempre serão as mesmas.

“Este livro é uma bomba em todas as certezas acomodadas, ele coloca problemas, página a página, frente aos quais nossa bulas de bem viver entram em parafuso.A Genética está para o século XXI assim como a Física esteve para o século XX. Os avanços da Genética deixam para trás uma forma de viver e geram problemas de ordem ética que não podem, curiosamente, ser resolvidos geneticamente.” É o que diz o médico e psiquiatra Jorge Forbe no prefácio.

Como observa a especialista em Biodireito, Adriana Diaféria, que também comenta a publicação: “O livro nos mostra claramente diversas questões não só da relação do ser humano consigo mesmo, mas principalmente na ruptura de dogmas - como o caso da reprodução a partir de células somáticas e a manipulação, congelamento e o descarte de embriões, dentre tantos outros -, retomando a necessidade de se revitalizar as mais tradicionais questões filosóficas. Questões como: O que é a vida? O que somos? O que desejamos ser? estão presentes nessa discussão. “

A importância de "GenÉtica: escolhas que nossos avós não faziam" é diretamente proporcional à relevância e às implicações dos assuntos que o livro aborda, e ao impacto potencial de suas consequências para nossas vidas, tanto em termos práticos quanto de visão de mundo. Da lista de seus capítulos emerge um quadro sinótico, senão de um admirável mundo novo, de uma parte tão admirável quanto nova de nosso próprio mundo: paternidade ou o direito de não saber; confidencialidade; diagnóstico pré-natal; gêmeos, trigêmeos e mais; menino, menina e o que você faria se pudesse escolher; embriões salvadores; projeto Genoma; loira ou morena, alta ou baixa, atleta ou cientista; pesquisas com células-tronco; bancos de cordão umbilical; testes de DNA na farmácia; clonagem e o que nos reserva o futuro. E já nos envolve o presente, numa discussão que implica, acima de tudo, em escolhas. Escolhas culturais, escolhas políticas, escolhas jurídicas, escolhas familiares, escolhas pessoais. Em todo caso, escolhas obrigatórias. De um tipo que nossos avós não podiam fazer, e que nós não poderemos evitar. Melhor começar a se informar.

Com capítulos curtos em linguagem clara e até mesmo divertida (pois as questões já são complexas o suficiente), o livro oferece ainda duas preciosas ferramentas adicionais: um verdadeiro minidicionário com os principais termos e expressões envolvidos (“Para entender melhor”) e uma lista de sites úteis (além de bibliografia especializada). E conta com uma apresentação de Dráuzio Varela, que não esconde seu entusiasmo com a leitura: "A noite em que comecei a ler o livro, quase perdi a hora de levantar.As histórias que ele conta são tão instigantes que fica difícil parar de pensar nelas."

A AUTORA
Naturalizada brasileira, Mayana Zatz, nasceu no dia 16 de julho de 1947, em Tel Aviv, Israel. Bióloga molecular, ela é professora do Departamento de Biologia do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo. Desde 2005, exerce o cargo de pró-reitora de pesquisa da USP.

Pesquisadora renomada em genética humana, com contribuições principalmente no campo de doenças neuromusculares em que é pioneira, atualmente seu laboratório no Centro de Estudos do Genoma Humano da USP também realiza relevantes pesquisas no campo de células-tronco. Mayana já publicou mais de 280 trabalhos científicos.



Provocações - Mayana Zatz

UM LANÇAMENTO

Artigo - Correspondência Bhaktivedanta: Dr. Mohapatra


Nesta segunda de oito correspondências de Prabhupada selecionadas para publicação no Amigos de Krishna, lemos um excerto da carta de Srila Prabhupada datada de 21 de março de 1976, endereçada ao Sr. Chittaranjan Mohapatra, Mayapur. Nesta carta, Srila Prabhupada enfatiza a importância de sanarmos nossas dúvidas sobre a nossa posição e a posição de Krsna com base na autoridade das escrituras reveladas. Exemplarmente tendo as escrituras por base, Prabhupada responde às perguntas: “Por que devemos sacrificar tudo por Krsna? O que é sacrifício?” e “Como podemos abandonar a atração pelo sexo oposto?”.

leia em
*****

Lançamento - Os últimos passos de um vencedor de José Roberto Burnier


Os últimos passos de um vencedor
de José Roberto Burnier


Páginas: 256

Para quem gosta de nossa história recente e de jornalismo com alma!

O experiente repórter José Roberto Burnier acompanhou de perto os cinco últimos anos do ex-vice-presidente da República. Nesse período, estabeleceu uma relação de amizade e confiança com José Alencar, convivendo mais com ele, seus familiares e médicos que com a própria família — no momento de sua morte, Burnier era o único jornalista dentro do Hospital Sírio-Libanês e foi o primeiro a anunciar seu falecimento, em rede nacional, quando a emoção precisou ser controlada, e o repórter então prevaleceu sobre o amigo e admirador.

Burnier reconstrói, a partir de depoimentos do próprio Alencar e de vasta pesquisa, o vitorioso caminho percorrido pelo garoto pobre que se tornou empresário bem-sucedido e vice-presidente da República. Além disso, traz informações inéditas e exclusivas sobre a doença e a morte do vice-presidente, confirmando que, além de um inesquecível exemplo de amor à vida, José Alencar foi um vencedor.



O AUTOR
José Roberto Burnier - O jornalista trabalha há 27 anos na TV Globo e, quando era correspondente na Argentina, ajudou a desenvolver, com Marcos Losekann e Caco Barcelos, um "kit" que dispensa a presença de cinegrafista. Começou na retransmissora da Globo em Campinas.


Jô Soares entrevista José Roberto Burnier 13/09/2010

UM LANÇAMENTO