quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

TEORIA DA COR E QUADRINHOS SÃO TEMA DE OFICINAS NA CAIXA CULTURAL CURITIBA


Projeto Gente Arteira abre 2014 com duas oficinas culturais gratuitas
A CAIXA Cultural Curitiba recebe pais, crianças, adolescentes e demais interessados em participar de duas oficinas oferecidas pelo Projeto Gente Arteira no próximo dia 22 de fevereiro. O nome, “Cor é Massa!”, já revela que a teoria das cores será explorada de forma lúdica e divertida pelas dez crianças e pais que participarem da oficina matutina. Já “Ilustrando a Palavra", realizada à tarde, parte da pergunta “textos e imagens podem interagir entre si?” para fazer com que dez participantes compreendam, com exemplos práticos, como a interpretação de um texto pode alterar o significado de uma ilustração, e vice-versa.

“Cor é Massa!”
Pais e filhos que participarem da oficina “Cor é Massa!”, realizada pela professora e artista visual Fernanda Stancik, terão a oportunidade de aprender juntos conceitos da teoria da cor ao manusearem massa de biscuit colorida (porcelana fria). Pela criação coletiva de um círculo cromático, os participantes serão capazes de perceber diversas formas e texturas de objetos do cotidiano. Outra atividade prática será a criação de quadros em relevo que, a partir da modelagem da massa de biscuit, irão ganhando formas tridimensionais – o resultado final poderá ser levado para casa pela criança.

A oficineira Fernanda Stancik é graduada em Gravura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (EMBAP). Participou do projeto "FERA Consciência" em oito cidades paranaenses, entre 2009 e 2010, com a oficina "Gravura, Sucata e Meio Ambiente". Em 2012, ministrou a oficina "Cor é Massa!", no 22º Festival de Inverno da UFPR. Atualmente, além das oficinas de arte, Fernanda realiza trabalhos de produção e montagem de exposições em espaços culturais de Curitiba.

“Ilustrando a Palavra”
A análise de obras de alguns escritores como J.R.R. Tolkien, George Orwell e Ray Bradbury é o ponto de partida usado pelo artista João Ferreira para revelar a adolescentes e adultos interessados em desenho de que modo um texto pode alterar o significado de uma ilustração e vice-versa. Também serão utilizados quadrinhos, charges políticas, poemas ilustrados e notícias para trabalhar processos de ressignificação de palavras. A parte prática da oficina prevê atividades de ilustração que partam dos temas debatidos pelo grupo.

O oficineiro João Ferreira é ilustrador, quadrinista, professor de Mangá da Gibiteca de Curitiba e estudante do último ano de Licenciatura em Artes Visuais da Escola de Música e Belas Artes do Paraná.

Serviço:
Oficinas Projeto Gente Arteira - “Cor é Massa!” e “Ilustrando a Palavra”
Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Curitiba (PR)
Data: dia 22 de fevereiro (sábado)
Inscrições: As inscrições são gratuitas e de devem ser solicitadas entre 15 e 19 de fevereiro pelo e-mail caixacultural08.pr@caixa.gov.br, em mensagem contendo nome completo e telefone para contato.
“Cor é Massa”
Horário: 9h às 12h
Número de vagas: 20
Faixa Etária: 10 crianças de 7 a 12 anos e 10 pais
Ilustrando a Palavra
Horário: 14h às 17h
Número de vagas: 10
Faixa etária e requisitos: a partir dos quinze anos e que já tenham contato com desenho.

O UNIVERSO ONÍRICO DE DUDA PAIVA NA CAIXA CULTURAL CURITIBA








Companhia holandesa criada pelo brasileiro Duda Paiva apresenta dois espetáculos de teatro-dança em mostra de repertório





A CAIXA Cultural apresenta em fevereiro "Duda Paiva Company – Mostra Repertório", com dois espetáculos do repertório da premiada Companhia Duda Paiva, criada na Holanda pelo brasileiro Duda Paiva: “Maldição”, encenado nos dias 20 e 21, e “Bastardos!”, nos dias 22 e 23. O artista performático e manipulador de bonecos e objetos costuma conceber histórias fantásticas sobre pessoas em conflito com o mundo que as cerca e as formas como lidam com medos e dificuldades em busca do amor.



Em “Bastardos!”, de 2011, livre-adaptação do romance satírico “O Arranca-Corações”, do escritor e compositor francês Boris Vian, uma série de personagens extraordinários auxiliam um artista desorientado (o próprio Paiva), em uma viagem de autoconhecimento por um mundo futurístico estranho e soturno. Assim como Vian utilizou neologismos para descrever o universo selvagem que criou para o livro, o artista brasileiro amplia sua conhecida linguagem teatral de movimentos animados ao utilizar o próprio corpo, a voz e novas mídias nesta montagem coreografada dirigida por Paul Selwyn Norton.



No cenário invadido pela cor verde do espetáculo “Maldição”, criado em 2008 em colaboração com o Agder Theater, da Noruega, dois homens corroídos pela inveja, o ódio e a competição empreendem uma disputa em uma realidade de contos de fadas e pesadelos. Para contar esta história, Duda Paiva e Paul Selwyn Norton fundem novamente dança, manipulação de bonecos e objetos. “A partir da abstração da dança e do realismo dos objetos, crio um universo mágico onde tudo é possível”, conta o brasileiro, que neste espetáculo divide o palco com Ederson Rodrigues Xavier. Há uma cena de dança que faz referência à famosa sequência de “Godzilla”, em que o gorila está prestes a esmagar a loira do alto de um edifício.



Quando manipulados pelo bailarino/performer, os bonecos criados por Paiva com uma borracha esponjosa, muito leve e flexível, tornam-se parceiros perfeitos para uma dança fantástica, pois se contraem de forma radical, são facilmente lançados ao ar e duplicam de tamanho quando molhados. “A dança quebra a linearidade e as qualidades românticas dos objetos e, assim, eu crio e destruo ao mesmo tempo, promovendo surpresa e admiração, revelando imagens não esperadas bem diante dos olhos do espectador”, explica Paiva.



Sobre o artista:

Duda Paiva chegou à Holanda em 1996 e trabalhou como dançarino para RAZ, Rogie & Company, Itzik Galili, Paul Selwyn Norton e Ron Bunzl. Tão logo descobriu a sua paixão por objetos e manipulação de bonecos, decidiu combiná-los com a dança. “Eu estava procurando uma forma de conexão maior com a plateia. Trabalhei com um número razoável de coreográfos e continuamente tentava quebrar a chamada ‘quarta parede’ entre o performer e o público”, conta.



Ao tornar-se artista teatral, Duda Paiva passa a trabalhar com coreógrafos como Mischa van Dullemen e Shintaro e com o realizador teatral Ulrike Quade. Alguns anos depois, em 2004, dá início à sua própria companhia, a Duda Paiva Company, marcada por espetáculos de realismo fantástico que unem dança moderna, objetos incomuns e manipulação de bonecos – como o primeiro solo,  “Angel”, que recebeu inúmeros prêmios internacionais. Internacionalmente conhecida, a companhia já se apresentou em mais de 50 teatros da Holanda e realiza turnês frequentes pela Europa e, uma vez por ano, pelo mundo.






Serviço:

Teatro: Duda Paiva Company – Mostra Repertório

Data: de 20 a 23 de fevereiro de 2014 (quinta-feira a domingo)

Hora: quinta-feira, às 21h; sexta-feira, às 19h e 21h; sábado, às 19h e 21h; e domingo, às 19h.

Local: CAIXA Cultural Curitiba – Rua Conselheiro Laurindo, 280 – Centro – Curitiba (PR)

Ingressos: R$ 10 e R$ 5 (meia – conforme legislação e correntista CAIXA)

Bilheteria: (41) 2118-5111 (terça e quarta, das 12h às 20h, quinta e sexta, das 12h às 21h, sábado das 16h às 21h e domingo, das 16h às 19h)

Classificação etária: Não recomendado para menores de 16 anos

Lotação máxima do teatro: 125 lugares

Submarinos mostra seu disco de estreia no Sesc Vila Mariana dia 20




Fernando Catatau, João Leão, Juliana R., Junior Boca, Marcelo Cabral e Tony Gordin seguem em turnê do álbum “Pela Mágica Imaginação



Submarinos, projeto que reúne Fernando Catatau (guitarra) João Leão (teclados), Juliana R. (voz e teclados), Junior Boca (voz e guitarra), Marcelo Cabral (baixo) e Tony Gordin (bateria) apresenta as composições do seu primeiro álbum, “Pela Mágica Imaginação”, no Sesc Vila Mariana, dia 20 de fevereiro às 20h30.

 O disco de estreia revela a comunhão de ideias do músico e produtor Junior Boca e  suas parcerias com Fernando Catatau e Rian Batista (Cidadão Instigado), Juliana R. e o trompetista Guizado. As influências do rock e do folk acompanhadas por texturas psicodélicas, exploram e sugerem novas opções à música brasileira.
Gravado no estúdio Minduca, mixado e masterizado por Fernando Sanches e produzido por Boca, o CD conta com participações de Bruno Buarque, Fernando Catatau e Thiago França.

No repertório do show, as músicas do disco de estreia e canções de outros compositores, como: "Canção Num Copo D'água"(juliana R.) e "Ao Revólver" (Juliano Gauche).

Para escutar o disco:  https://soundcloud.com/submarinosbanda/sets/submarinos-pela-m-gica-imagina


Submarinos
Dia 20 de fevereiro, quinta, às 20h30
Auditório - 128 lugares
Venda na rede INGRESSOSESC, na bilheteria das unidades, a partir de 12 de fevereiro, às 17h30
Não recomendado para menores de 12 anos
R$ 12,00 (inteira); R$ 6,00 (usuário inscrito no Sesc e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino com comprovante). R$ 2,40 (trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Bilheteria: Terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábado, das 10h às 21h; domingo e feriado, das 10h às 18h30 (ingressos à venda em todas as unidades do Sesc).  Aceita-se todos os cartões.

Horário de funcionamento da unidade: Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30.

Estacionamento: R$ 3 a primeira hora + R$ 1 a hora adicional (matriculados no Sesc). R$ 6 a primeira hora + R$ 2 a hora adicional (não matriculados). 200 vagas.

5/4 INFANTIL - A RAINHA PROCURA REESTREIA NO ALFA





 



Grande Prêmio da Crítica pela APCA- Associação Paulista de Críticos de Arte-,

melhor espetáculo do ano pelo Guia da Folha e finalista em 5 categorias do

Premio FEMSA de Teatro Infantil e Jovem  reestréia no dia 5 de abril, às 16h, no Teatro Alfa.





A Cia do Quintal apresenta



“A Rainha Procura...”



Cesar Gouvêa dirige espetáculo infantil onde os

palhaços- improvisadores da Cia deixam o já consagrado campo de futebol para se aventurar,

com a cabeça à prêmio, por um tabuleiro de xadrez.



72.jpg





A Cia do Quintal reestreia o espetáculo  “A Rainha Procura...” ,  no dia 5 de abril, sábado,  no Teatro Alta- sala B. A temporada vai até o dia 01 de Junho, aos sábados e domingos, com espetáculos sempre às 16h.



Concebido e dirigido por Cesar Gouvêa, em cena, os palhaços- improvisadores da Cia deixam o já consagrado campo de futebol, palco do espetáculo Jogando no Quintal, da mesma companhia,  para se aventurar,  com a cabeça à prêmio, por um tabuleiro de xadrez.





Neste tabuleiro, sobraram apenas a Rainha - que se encontra em um estado de  profunda tristeza e solidão por ter seu reino massacrado pelo exército adversário - e um peão, seu fiel escudeiro.



Na tentativa de recuperar seu reino, a Rainha abre testes para bispos, cavalos, torres e peões. Porém, seus planos acabam mudando de rumo com a aparição de dois palhaços que preferem ser bobos da corte a servir como defensores do território.



A Rainha decide então promover uma audição para bobos da corte, na qual os candidatos terão a difícil tarefa de alegrá-la por meio dos mais inusitados desafios, onde serão obrigados a improvisar, mostrar  seus truques, números ou  habilidades.



Apenas um candidato será o escolhido, mas para tomar a melhor decisão, a Rainha precisará da ajuda do seu povo - a platéia, que terá a decisão do final de cada apresentação em suas mãos.



O espetáculo recebeu o Grande Prêmio da Crítica pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA)  e ganhou o melhor espetáculo do ano pelo Guia da Folha, em 2003. “A Rainha Procura...” também é finalista em 5 categorias do Prêmio FEMSA  de Teatro Infantil e Jovem:  texto original, direção, figurino, atriz e melhor espetáculo infantil.



Serviço:

“A Rainha Procura...”

Concepção e direção: Cesar Gouvêa

Elenco: Rhena de Faria, Claudio Thebas,

Denis Goyos, Davi Taiu,  Álvaro Lages e Ernani Sanchez.

Temporada: de 5 de abril a 1º de junho,

sábados e domingos, às 16h.

o espetáculo estreou em  de 2013

Classificação: livre

Duração: 60 minutos

Local: Teatro Alfa – Sala B – Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722 – Sto. Amaro (Tel. 5693.4000)

Ingressos: crianças até 12 anos: R$ 15,00 / Adultos: R$ 30,00

Como Comprar: Os ingressos dos espetáculos promovidos pelo Instituto Alfa de Cultura no Teatro Alfa estarão à venda sempre com 15 dias de antecedência.

Pessoalmente (sem taxa de serviço):

Bilheteria do Teatro Alfa: Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), cartões de débito (Visa Electron e Redeshop) ou dinheiro,

Por Telefone: Bilheteria do Teatro Alfa: 11 5693.4000 e 0300 789-3377. Venda efetuada com cartões de crédito (Amex, Visa, Credicard e MasterCard), de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Os ingressos poderão ser retirados no próprio teatro no dia do espetáculo. Taxa de serviço de R$ 2,00 para Sala B. Horário da Bilheteria: de segunda a sábado das 11h às 19h e domingos das 11h às 17h. Em dias de eventos até o início dos mesmos

Pela Internet: www.ingressorapido.com.br  /  11 4003-1212.





Ficha Técnica

Realização: Cia do quintal

Concepção e Direção Geral: César Gouvêa

Atores: Rhena de Faria, Davi Taiu, Claudio Thebas, Denis Goyos, Alvaro Lages e Ernani Sanchez

Dramaturgia: Atores: Rhena de Faria, Davi Taiu, Claudio Thebas, Denis Goyos, Alvaro Lages e Cesar Gouvêa

Direção de Arte: Elisa Rossin

Figurino: Elisa Rossin

Confecção de figurino: Beto Souza

Cenário: César Gouvêa e Elisa Rossin

Trilha Sonor : Caio Juliano e Alvaro Lages

Iluminação: Marcel Gilber

Gestão Cultural e Coordenação de Produção:


Touché Cultural - Ludmilla Picosque

Operação de luz: Almir Rosa

Operação de som: Caio Juliano

Contra regra: Getulio Cristovan






Estão abertas as inscrições para o Curso para Iniciantes do Teatro Escola Macunaíma

Estão abertas as inscrições

para o Curso para Iniciantes do

Teatro Escola Macunaíma





Shopping Eldorado – Alphaville – Barra Funda



Início das turmas:

a partir do dia 22 de fevereiro de 2014



báscio



O curso para iniciantes do

Teatro Escola Macunaíma é voltado  pra quem não tem experiência.

Através de aulas divertidas, onde não há nenhum constrangimento que cause inibição,

desenvolve-se uma aventura no mundo teatral.

-       Formação de Atores.

-       Mesmo que não pretenda ser profissional,

-       sua dinâmica pessoal terá extraordinário impulso em todos os aspectos.

-       Qualidade de vida – muitas experiências práticas.





Idade: Acima de 14 anos

Duração: 4 meses

Frequência: 1 vez por semana

Valor: R$ 219,00 mensais

Em vários dias e horários a partir

de 22 de fevereiro de 2014



Horários

Barra Funda                                                                

23/02 – Domingo

Tarde: 14:40 às 17:30



27/02 – 5ª feira

Manhã: 09:00 às 12:30

Tarde: 14:30 às 18:00

Noite: 19:15 às 22:30



Eldorado

22/02 – Sábado

Manhã: 09:00 às 11:50

Tarde: 14:40 às 17:30



23/02 – Domingo

Tarde: 14:40 às 17:30



27/02 – 5ª feira

Manhã: 09:00 às 12:30

Tarde: 14:30 às 18:00

Noite: 19:30 às 22:45



Alphaville

22/02 – Sábado

Manhã: 11:50 às 14:20



27/02 – 5ª feira

Tarde: 14:30 às 18:00

Noite: 19:15 às 22:30





MATRÍCULAS ABERTAS EM www.macunaima.art.br.



Inscrições e informações:

Macunaíma

www.macunaima.com.br



Unidade Barra Funda:

Rua Adolfo Gordo nº 238 – Campos Elíseos

Telefone: 3217.3400



Unidade Shopping Eldorado: 3º Piso

Telefone: 3814.8667



Unidade Alphaville:

Pça. Das Paineiras nº 82 – Centro Comercial

Telefone: 4208.3538

Anna Calvi lança clipe de “Piece by Piece”



Uma das grandes revelações femininas da música britânica, Anna Calvi estreia o clipe de “Piece by Piece” http://www.youtube.com/watch?v=OcM0jkCeLw4, faixa do último álbum da cantora, “One Breath” (2013), lançado no Brasil pela Deck.

O vídeo é assinado pelos diretores Mathy Tremewan e Fran Broadhurst, do Mathy & Fran, de Londres. A música, de autoria de Anna, conta como uma memória vai se perdendo, parte a parte, combinado à melodia que vai se dissipando, enquanto diferentes sons surgem inesperadamente. O clipe foi gravado em um só 'take' e foca a cantora com sua guitarra.

Mais informações: http://deckdisc.com.br/

RedHook School assina parceria com Sinapro/PR em workshop sobre Gestão em Agências de Propaganda



A RedHook School promove na próxima quinta-feira (20), das 19h às 22h30, na sede da escola, o workshop Gestão em Agências de Propaganda, ministrada pelo publicitário Antônio Lino Pinto, sócio da Talent e diretor do Sinapro/SP e da Fenapro.

Antônio Lino é administrador, com especialização em finanças e contabilidade, sócio da Talent, diretor do Sinapro-SP, diretor da Fenapro e seu representante no Conselho Consultivo do CENP, e Vice presidente da ABAP. É autor dos livros “Pequenas Agências, Grandes Resultados” e “Abri minha agência e agora?”.

Direcionada a empresários, diretores financeiros, contadores e gerentes de recursos humanos, o workshop é dividido em duas partes buscando fornecer uma visão geral sobre os principais pontos de impacto na gestão financeira e operacional das agências.

A primeira parte traz informações sobre elaboração do budget, cash flow e como controlá-los; tributos; formas de faturamento; dicas para manter a agência saudável financeiramente; base de cálculo do Pis/Cofins; controles da Receita Federal sobre as empresas; lucro Presumido; base de cálculo, vantagens e desvantagens da opção e participação nos resultados.

A segunda parte, informações sobre oportunidades e desafios do mercado; gestão de pessoas e da operação; relação entre sócios; governança corporativa e formas de crescimento.

“O Sinapro/PR prioriza ações de capacitação das suas agências filiadas para ajudá-las a manter a competitividade e prestar melhores serviços aos anunciantes. Esse curso do Lino e a parceria com a RedHook School são importantes nesse processo.”, afirma o presidente Rodrigo Rodrigues.

As agências filiadas ao Sinapro/PR têm 20% de desconto sobre o valor total do workshop.

RedHook School

Fundada em 2013, a RedHook School é uma escola de criatividade e comunicação com sede em Curitiba mas com uma proposta inovadora de intercâmbio e troca de conhecimento entre diversos países. Aposta em conexões internacionais, nos melhores profissionais do mercado e no uso da tecnologia para proporcionar transmissões ao vivo e interatividade. Entre cursos, workshops e oficinas, a RedHook tem três  pilares de sustentação: a RedHook School, com foco em estudantes que já possuem noção dos temas mas pretendem exercitar e aprofundar seu conhecimento; a RedHook Business, com conteúdo mais voltado às empresas em geral e promoção de cursos de capacitação in company, que funcionam como capacitação profissional e a RedHook Lab, com foco em capacitação para os profissionais das agências através de cursos com nomes reconhecidos no Brasil e no exterior. A RedHook School é uma “finishing school” com cursos livres que proporcionam aos participantes oportunidades de experimentar a realidade do mercado aprendendo de maneira prática.



Serviço:

Workshop RedHook School com Antônio Lino

Data: 20 de fevereiro

Horário: 19h às 22h30

Local: RedHook School (Rua Fernando Amaro, 154 - Alto da XV – Curitiba-PR)

Telefone: +55 41 3524-9702
Inscrição: R$345 (20% desconto para agências filiadas Sinapro/PR e 10% de desconto para sócios do CCPR, GPA-PR, Grupo de Mídia de Curitiba, AMPRO/PR-SC e PRODESIGN-PR).

E-mail: contato@redhookschool.com

Site: www.redhookschool.com

Redes Sociais: Facebook, Twitter, Instagram, Flickr e Youtube

Estreia psicodélica do músico Foba com o EP “Coroados”



Uma road trip psicodélica com influências do rock setentista, dos delírios amorosos, dos devaneios beatniks e sonoridades etéreas. Tudo com o frescor da atual geração de roqueiros. Assim pode ser definido o trabalho de estreia de Foba em seu EP Coroados.

Foba é alter-ego de Giuliano Batista, 26 anos, recifense que morou boa parte de sua vida em Curitiba. Editor e roteirista de filmes, cria um universo sonoro, ambientes cheios de referências audiovisuais, comparados pela mídia especializada a faixas de Pink Floyd, Tame Impala e MGMT.

O projeto nasceu com o sucesso de suas composições e performances inusitadas em festas com os amigos - em sua maioria músicos. Para dar mais poder a suas criações, Foba então convocou o baterista Alexandre Guedes e o guitarrista Wonder Bettin, ambos do grupo Esperanza; o guitarrista Marcos Dank, o baixista Guilherme Pereira e João Caserta (produtor do primeiro disco A Banda Mais Bonita da Cidade), que fez os teclados, gravou e mixou Coroados.

O trabalho conta com a estreia de Wonder Bettin como produtor e o EP foi lançado no final de 2013. Já neste primeiro trimestre de 2014, Foba tem dois shows marcados para Curitiba, o primeiro no dia 6 de março, quando deve tocar as músicas de Coroados e outras que ficaram de fora do registro.

Enquanto começa suas apresentações, Foba continua compondo para a gravação do próximo registro. “Deve sair ainda este ano, com o título Cão do Inferno, que é o nome da minha música mais recente, uma referência à definição de amor dada por Bukowski: ‘Love is a dog from hell’, explica o artista.

Tudo indica que será uma longa viagem. Uma viagem que vale a pena acompanhar de perto. A largada já foi dada, com Coroados.

O QUE ESTÃO DIZENDO SOBRE A ESTREIA DE FOBA:
- “Ele tinha essas músicas só no formato violão, (...) mas a partir do momento que tem banda, as músicas já tomam outro formato. Então a gente mexeu um pouco, mudou algumas coisas, sim, mas procuramos manter aquela coisa ‘catch’ que ele tinha tocando sozinho.” (músico Wonder Bettin, em entrevista para a Revista NOIZE
).
- “Pois Coroados é um EP louco e vibrante, daquele tipo de som capaz de fazer alguém mudar o comportamento espontaneamente por alguns instantes – para a tensão ou para o relaxamento, para o repouso ou para a perturbação. Coroados parece algum tipo de droga que você toma e não sabe exatamente onde vai dar, e é exatamente esse mundo de possibilidades sem fim que a deixa tão atraente.” (jornalista Felipe Gollnickresenha do site Defenestrando
 
).
- Foba tinha algumas músicas que ele costumava tocar no violão para os amigos durante festinhas intimistas. Todos vibravam e gostavam das canções espontâneas e das performances alucinadas, então Foba resolveu levar suas composições adiante e transformá-las em um projeto (...) para passar o carnaval de 2013 fazendo um som em uma casa no Balneário Coroados, litoral do Paraná. Foi por lá que nasceu o EP Coroados,(...) uma mistura doida de hard rock, stoner e psicodelia.“ (Cena Independente #25 – resenha do Site Fuga Underground
 
).

O professor e sua contribuição para um mundo humanizado





O professor e sua contribuição para um mundo humanizado

Profª. Elza Maria Cruz Brito

Diante da realidade que vivemos no mundo atual, é preciso encontrar caminhos para se dar um salto na qualidade da educação em todos os níveis de ensino.

Quando se observa a divulgação feita pelos meios de comunicação e tantas informações obtidas por muitas pessoas, que, diretamente estão envolvidas no processo educacional, identificam-se inúmeros problemas que vêm se desencadeando nas instituições escolares.
Como professores, devemos ter consciência da nossa responsabilidade para ajudar a minimizar a situação e, gradativamente, sair dessa crise. Sabe-se que novas mentalidades, novas posturas, iniciativas, muito empenho e decisão é que poderão construir uma sociedade diferente, humanizada e ética. E é exatamente no desenvolver da educação sistemática que poderemos promover uma “revolução” de mentes e de atitudes, na perspectiva de um mundo melhor. Afinal, a pessoa humana é o centro da educação: a vida do ser humano em sua totalidade está envolvida, inevitavelmente, na educação.
(Clique para continuar a ler ou entre em http://boletimodiad.blogspot.com )
Projeto: “Educação para o Pensar: minha cabeça ≠ de bola”

OBJETIVO GERAL
Promover a reflexão filosófica nas escolas sobre a realização da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, em uma abordagem interdisciplinar, na intenção de ampliar a compreensão da comunidade educativa das dimensões sociais, políticas, econômicas, éticas e epistemológicas desse evento, permitindo a elaboração de um posicionamento consciente e crítico diante do mesmo e a participação entusiasmada e respeitosa na torcida brasileira.
Veja o Projeto em www.portalser.net

Por que os Devotos de Krishna Não Comem Alho e Cebola?




 Por que os Devotos de Krishna

Não Comem Alho e Cebola?

 

por Kurma Dasa




Kurma Dasa, o mais famoso cozinheiro do movimento Hare Krishna

e estrela do programa Cooking with Kurma responde à pergunta.



“Por que os devotos de Krishna não comem alho e cebola?”. Essa é uma das perguntas mais comuns feitas a mim. Aqui está a minha resposta curta: como um devoto de Krishna e praticante de bhakti-yoga, eu não como alho nem cebola porque eles não podem ser oferecidos a Krishna.



Aqui está a minha resposta mais longa: você talvez saiba que a cebola e o alho são membros da família botânica aliáceos (alliums) – juntamente com o alho-poró, cebolinha e chalotas.



Segundo o ayurveda, a ciência médica clássica da Índia, os alimentos são agrupados em três categorias – sattva, rajas e tamas, respectivamente “bondade”, “paixão” e “ignorância”. Cebola e alho, e as outras plantas aliáceas, são classificadas como rajas e tamas, o que significa que aumentam a paixão e a ignorância.



Aqueles que se submetem a cozinhar ao puro estilo brahmana da Índia, entre os quais me incluo, e vaishnavas – seguidores do Senhor Vishnu, Rama e Krishna – gostam de cozinhar apenas com alimentos da categoria sattva. Esses alimentos incluem frutas frescas, legumes e ervas aromáticas, produtos lácteos, grãos, legumes e assim por diante. Especificamente, vaishnavas não gostam de cozinhar com alimentos rajásicos ou tamásicos porque eles não podem ser oferecidos à Divindade.



Alimentos rajásicos e tamásicos também não são usados porque são prejudiciais para a meditação e atividades devocionais. “Alho e cebola são rajas e tamas e são proibidos aos yogis porque enraízam a consciência mais firmemente no corpo”, diz Dr. Robert E. Svoboda, famosa autoridade no ayurveda.



kurma



Kurma Dasa, autor deste artigo e o mais famoso chef do Movimento Hare Krishna.



Alguns ramos da medicina ocidental dizem que os alliums têm benefícios específicos à saúde; o alho é respeitado, pelo menos nos círculos médicos alopatas, como um antibiótico natural. Nos últimos anos, embora as implicações dos resultados cardiovasculares do allium vegetal tenham sido estudadas com algum detalhe, as implicações clínicas do consumo da cebola e do alho a partir deste ponto de vista ainda não são bem compreendidas.



No entanto, ainda há muitas coisas negativas a se dizer sobre o alho e a cebola. Pouco conhecido é o fato de que o alho no estado bruto pode carregar nocivas (potencialmente fatais) bactérias do botulismo. Talvez tenha sido com consciência disso que o poeta romano Horácio descreveu o alho como “mais prejudicial do que cicuta”.



Deve ser salientado que o alho e a cebola são evitados pelos espiritualistas porque estimulam o sistema nervoso central e podem perturbar votos de celibato. O alho é um afrodisíaco natural. O ayurveda sugere que é um tônico para a perda de potência sexual por qualquer motivo, debilidade sexual, impotência por excesso de vida sexual e esgotamento nervoso decorrente de hábitos sexuais dissipativos. Afirma-se que é especialmente útil para os idosos com tensão nervosa e diminuição da potência sexual.



Os taoístas perceberam há milhares de anos que as plantas da família aliácea eram prejudiciais para os seres humanos em seu estado saudável. Em seus escritos, o sábio Tsang-tsé descreveu os alliums como “os cinco vegetais perfumados ou picantes” e disse que cada um tem um efeito negativo sobre um dos seguintes cinco órgãos – fígado, baço, pulmões, rins e coração. Respectivamente, as cebolas são prejudiciais para os pulmões, o alho para o coração, alho-poró para o baço, cebolinha-capim para o fígado e cebolinha comum para os rins.



Tsang-tsé disse que esses vegetais pungentes contêm cinco tipos diferentes de enzimas que causam “hálito repugnante, odor extremamente desagradável no suor e movimentos do intestino, e levam a ocupações lascivas, aumentam a agitação, ansiedade e agressividade”, especialmente quando consumidos crus.



Coisas semelhantes são descritas no ayurveda. “Além de produzir hálito e odor corporal, essas plantas (aliáceas) induzem irritação, agitação, ansiedade e agressividade. Assim, são prejudiciais física, emocional, mental e espiritualmente”.



De volta à década de 1980, em sua pesquisa sobre o funcionamento do cérebro humano, o Dr. Robert [Bob] C. Beck descobriu que o alho tem um efeito negativo sobre o cérebro. Ele constatou que o alho de fato é tóxico para o homem porque seus íons de hidroxila sulfona penetram a barreira hemato-encefálica e são tóxicos para as células do cérebro.



Beck explicou que, desde os anos 50, sabia-se que o alho reduz o tempo de reação de duas a três vezes quando consumidos por pilotos em testes de voo. Isso ocorre porque os efeitos tóxicos do alho “dessincronizam” as ondas do cérebro.



Precisamente pela mesma razão, a família de plantas do alho tem sido amplamente reconhecida como sendo prejudicial aos cães.



Mesmo quando o alho é usado como alimento na cultura chinesa, é considerado nocivo para o estômago, o fígado e os olhos, bem como causa de tontura e de energia dispersada quando consumidos em quantidades imoderadas.



Nem sempre o alho é visto como tendo propriedades totalmente benéficas na culinária e na medicina ocidental. É amplamente aceito entre os profissionais de saúde que, além de matar bactérias nocivas, o alho também destrói as bactérias benéficas, que são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo.



Praticantes de Reiki explicam que alhos e cebolas estão entre as primeiras substâncias a serem expulsas do sistema de uma pessoa – juntamente com o tabaco, álcool e medicamentos farmacêuticos. Isso torna evidente que aliáceos têm um efeito negativo sobre o corpo humano e devem ser evitados por razões de saúde.



A medicina homeopática chega à mesma conclusão quando se reconhece que a cebola vermelha produz uma tosse seca, olhos lacrimejantes, espirros, corrimento nasal e outros sintomas familiares relacionados com o frio quando consumidos.



Estas são apenas algumas das razões para eu evitar alho-poró, cebolinha, alho e cebola.



Se gostou deste material, também gostará destes: Medicina Aiurvédica para Mãe e Filho, Caminhada, Massagem e Aiurveda: Os Hábitos Saudáveis de A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada, O Vegetarianismo e o Movimento Hare Krsna.

Polysom lança em vinil “Abraçaço”, de Caetano Veloso

A Polysom traz para o formato vinil, com licenciamento da Universal Music, o mais recente disco de estúdio de Caetano Veloso, “Abraçaço”. O álbum, lançado em 2012, faz parte de uma série de comemorações dos 70 anos do cantor e compositor baiano. Esse é o terceiro trabalho inédito dele em parceria com a BandaCê e foi premiado pelo Grammy Latino, Prêmio da Música Popular Brasileira e Prêmio Multishow.




O disco foi produzido por Moreno Veloso e Pedro Sá (guitarrista da BandaCê). O grupo, formado ainda pelo baterista Marcelo Callado e pelo baixista Ricardo Dias Gomes, vem trabalhando com Caetano desde “Cê” e trouxe à sonoridade do baiano um toque bastante moderno, influenciado pelo “indie rock” contemporâneo. No repertório deste LP estão algumas candidatas a clássicos, como “Um Abraçaço”, “Império da Lei”, “A Bossa Nova É Foda” e “Estou Triste”.


Nesta sexta-feira, dia 14, Caetano Veloso estreia nova turnê no Circo Voador, no Rio de Janeiro, lançando a versão ao vivo de “Abraçaço”, o DVD “Multishow Ao Vivo – Caetano Veloso – Abraçaço”.

Therion: ingressos para único show no Brasil à venda

O Therion, considerado o pioneiro do metal sinfônico mundial, traz a “Evil flowers and Opera – Latin America 2014” para única apresentação no Brasil. Show acontece, no próximo dia 18 de maio, na Via Marquês, em São Paulo. Ingressos já estão à venda..


Esta é a 4° vez que o grupo desembarca no país – foto divulgação.

A produtora 8X8 Live informa que já estão à venda, os ingressos para a única apresentação que a banda sueca Therion realizará no Brasil. O show, confirmado para o próximo dia 18 de maio, na Via Marquês, em São Paulo, faz parte da “Evil flowers and Opera – Latin America 2014”.

No programa, Lori Lewis (vocal), Thomas Vikström (vocal), Christian Vidal (guitarra), Christofer Johnsson (guitarra), Nalle Påhlsson (baixo) e Johan Koleberg (bateria) prometem uma mistura da última tour “Les Fleurs Du Mal” e da sua nova Opera Rock “Adulruna Redivia And Beyond”. Será um show nunca visto fora da Europa.

Os ingressos de 1° lote custam de R$ 90,00 (pista meia entrada e metal do bem) à R$ 280,00 (camarote inteira), e podem ser adquiridos pelo site da Ticket Brasil e pontos autorizados. Mais informações no serviço abaixo.

Os ingressos da promoção “Metal do bem” serão vendidos antecipadamente em todos os pontos de vendas físicos e pela internet. Aqueles que comprarem os ingressos da Promoção Metal do bem antecipados ou no dia do evento devem levar 1 (um) kilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) para doação na entrada do evento. Os alimentos serão doados para a instituição Caminhando que realiza um trabalho de inclusão social de jovens e adolescentes com deficiência física e intelectual.

Com 25 anos de estrada e reconhecidos como os ícones do metal sinfônico mundial, o grupo segue na estrada divulgando o DVD triplo “Adulruna Redivia And Beyond”, que chega ao mercado no dia 28 de fevereiro via Nuclear Blast, além de promover o mais recente e elogiado disco “Les Flerurs du Mal”.

Formado em 1987, o Therion surgiu na bela Estocolmo. O nome é uma homenagem ao álbum “To Mega Therion”, do Celtic Frost, atribuído a Aleister Crowley. Recentemente, o clássico álbum “Theli” foi relançado em uma edição especial com três bonus tracks: "In Rememberance", "Black Fairy" e "Fly To The Rainbow", cover do Scorpions, além de DVD com todo este trabalho executado ao vivo.

Links relacionados:
http://www.megatherion.com
http://www.facebook.com/therion
http://www.twitter.com/_therion
https://www.facebook.com/8x8Live
https://www.facebook.com/UltimateMusicPR

Serviço São Paulo
THERION - Evil flowers and Opera - Latin America 2014
Data: 18 de maio de 2014
Local: Via Marquês
Endereço: Av. Marquês de São Vicente 1589
Abertura da casa: 19:00
Inicio show Therion: 20:30
Classificação etária: A partir de 16 anos

Promoção especial “Metal do bem” todos aqueles que levarem um kilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) no dia do evento terão direito a adquirir seus ingressos na promoção “Metal do bem” com 50% de desconto sobre o valor do ingresso inteiro. Assim você se diverte e ainda ajuda quem precisa.

Os ingressos da promoção “Metal do bem” serão vendidos antecipadamente em todos os pontos de vendas físicos e pela internet. Aqueles que comprarem os ingressos da Promoção Metal do bem antecipados ou no dia do evento devem levar 1 (um) kilo de alimento não perecível (exceto sal e açúcar) para doação na entrada do evento. Os alimentos serão doados para a instituição Caminhando que realiza um trabalho de inclusão social de jovens e adolescentes com deficiência física e intelectual.

Ingressos online
www.ticketbrasil.com.br (em até 12 vezes no cartão)

Ingressos

1º Lote
Pista Meia entrada = R$ 90,00
Pista Metal do bem = R$ 90,00
Pista Inteira = R$ 180,00
Camarote Meia entrada = R$ 140,00
Camarote Metal do bem = R$ 140,00
Camarote Inteira = R$ 280,00

2º Lote
Pista Meia entrada = R$ 100,00
Pista Metal do bem = R$ 100,00
Pista Inteira = R$ 200,00
Camarote Meia entrada = R$ 150,00
Camarote Metal do bem = R$ 150,00
Camarote Inteira = R$ 300,00

3º Lote
Pista Meia entrada = R$ 110,00
Pista Metal do bem = R$ 110,00
Pista Inteira = R$ 220,00
Camarote Meia entrada = R$ 160,00
Camarote Metal do bem = R$ 160,00
Camarote Inteira = R$ 320,00

Na porta
Pista Meia entrada = R$ 120,00
Pista Metal do bem = R$ 120,00
Pista Inteira = R$ 240,00
Camarote Meia entrada = R$ 170,00
Camarote Metal do bem = R$ 170,00
Camarote Inteira = R$ 340,00

Pontos de venda em São Paulo:

Bilheterias do Via Marquês (SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA)
Endereço: Av. Marquês de São Vicente 1589
Horário: Segunda à sábado das 08h às 20h.
Formas de pagamento: Somente dinheiro

Hole - Galeria do Rock*
Av. São João, 439 - 1º andar loja 275 - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sábado das 10h às 19h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American,Express, Diners Club International, Elo.

CadaQual*
Rua Augusta, 2171 - Jardim Paulista - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sábado das 11h às 20h.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American
Express, Diners Club International, Elo.

Metal Music - Santo André*
Rua Dona Elisa Fláquer, 184 - Centro - Santo André - SP
Horário: Segunda à sexta das 10h às 18h30, sábado das 10h às 17h30.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American

Age Of Dreams - São Bernardo*
Av. Marechal Deodoro, 1754 - 2º Andar loja 33/36 - Centro - São Bernardo do Campo - SP
Horário: Segunda à sábado das 9h às 19h.
Formas de pagamento: Somente dinheiro

Shopping Oriente 500*
Rua Oriente, 500 2º andar - Brás - São Paulo - SP
Horário: Segunda à sexta das 9h às 17h, sábados das 9h às 13h30.
Formas de pagamento: Dinheiro, Débito e Crédito à vista nos cartões Visa, MasterCard, American, Express, Diners Club International, Elo.

*Ponto de venda sujeito a taxa de conveniência

Capacidade: 1.500 pessoas
Acesso para portadores de necessidades especiais
Ar condicionado
Estacionamentos na região: de R$ 20,00 a R$ 30,00 o período

Informações:
8X8 Live | Email: contato@8x8live.com
Ticket Brasil – 4901-1165 | Email: contato@ticketbrasil.com.br
Via Marquês - www.viamarques.com.br | Tel: 11-3611-2696

Apoio:
Nuclear Blast: www.nuclearblast.com/en
Ingressos: www.ticketbrasil.com.br
Local: http://www.viamarques.com.br
Doação de alimentos: www.caminhando.org

Uma Forma de Ajudar Nova Gokula



cid:image001.png@01CF28D5.BC23ED90

Você já pensou em sempre ter garantido um quarto de hotel em NOVA GOKULA durante eventos e momentos importantes? Pois agora isto será possível através de um programa inovador no Brasil chamado LÓTUS MEMBERSHIP. Acesse o link abaixo e fique por dentro!

http://vedanta.com.br/lotus/
 
Atenciosamente,

Vaikuntha Murti Das
VIVA NOVA GOKULA

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Diálogo sobre o tema da divindade François de La Mothe Le Vayer

Diálogo sobre o tema da divindade

François de La Mothe Le Vayer


Coleção: Travessias
2014. 124 p. Dimensão: 16 x 13 x 1,0cm
Peso: 135,00 gramas

François de La Mothe Le Vayer, filósofo francês do século XVII, é autor do Diálogo sobre o tema da divindade, que faz parte de uma obra maior, os Diálogos feitos à imitação dos antigos, publicada sob pseudônimo por volta de 1630. Às vezes considerado um libertino erudito, outras vezes um cristão genuíno, Le Vayer notabilizou-se por tentar conciliar ceticismo e cristianismo. Essa empreitada conceitual, que o levou a refletir sobre a relação entre a fé e os limites da razão, é exposta como ousadia no Diálogo sobre o tema da divindade, nunca antes traduzido para o português.











François de La Mothe Le Vayer (August 1588 – 9 May 1672), was a French writer who was known to use the pseudonym Orosius Tubero. He was admitted to the Académie française in 1639, and was the tutor of Louis XIV.

Early years

Le Vayer was born and died in Paris, a member of a noble family of Maine. His father was an avocat at the parlement of Paris and author of a curious treatise on the functions of ambassadors, entitled Legatus, seu De legatorum privilegiis, officio et munere libellus (1579) and illustrated mainly from ancient history. Francois succeeded his father at the parlement, but gave up his post about 1647 and devoted himself to travel and belles lettres.

Literary career

His Considérations sur l'éloquence française (1638) procured him admission to the Académie française, and his De l'instruction de Mgr. le Dauphin (1640) attracted the attention of Richelieu. In 1649 Anne of Austria entrusted him with the education of her second son and subsequently with the completion of Louis XIV's education, which had been very much neglected. The outcome of his pedagogic labors was a series of books comprising the Géographie, Rhétorique, Morale, Economique, Politique, Logique, and Physique du prince (1651–1658). The king rewarded his tutor by appointing him historiographer of France and councillor of state. La Mothe Le Vayer inherited of Marie de Gournay's library, itself transmitted from Michel de Montaigne.
Modest, sceptical, and occasionally obscene in his Latin pieces and in his verses, he made himself a persona grata at the French court, where libertinism in ideas and morals was hailed with relish. Besides his educational works, he wrote Jugement sur les anciens et principaux historiens grecs et latins (1646); a treatise entitled Du peu de certitude qu'il y a en histoire (1668), which in a sense marks the beginning of historical criticism in France; and sceptical Dialogues, published posthumously under the pseudonym of Orasius Tubero. An incomplete edition of his works was published at Dresden in 1756-1759. He was instrumental is popularizing Skepticism and Sextus Empiricus in particular whom he called "the divine Sexte" (a near blasphemy in Catholic France at the time of the Sun-King, which cost him a higher office of State). Molière was his close friend and it is rumored that much of the iconoclastic satire of his plays were inspired by Le Vayer's erudite and savage (if carefully hidden) criticism of religious hypocrisy - as expressed in his masterpiece Tartuffe (1667), which he defended in a violent (and anonymous) Lettre sur la comedie de l'Imposteur against the religious faction at Court. Le Vayer inspired Spinoza's Treatise of the Three Impostors (i.e. Moses, Jesus, Mahomet)



LANÇAMENTO DA

Tratados sobre o tempo Aristóteles, Plotino e Agostinho

Tratados sobre o tempo

Aristóteles, Plotino e Agostinho

Fernando Rey Puente
José Baracat Júnior

Coleção: Travessias
2014. 155 p. Dimensão: 16 x 13 x 1,0cm
Peso: 165,00 gramas

É difícil discordar de Jorge Luis Borges quando diz que “o tempo é um problema para nós, um terrível e exigente problema, talvez o mais vital da metafísica” . Essa é a questão abordada neste volume, que traz a público traduções inéditas, acompanhadas de notas explicativas, de Aristóteles, Plotino e Santo Agostinho. O leitor encontrará três textos sobre o tempo, legados pela Antiguidade, que são fundamentais para a história da filosofia





Segundo Aristóteles, o tempo é “o número de um movimento segundo o antes e o depois” (Física 219 b1-2). Embora o tempo não seja o movimento, ele afirma que o tempo “é o movimento enquanto possui um número” (Física 219 b3). Como número, o tempo é o número numerado e não o número numerante. Enquanto que o número numerante é o número abstrato, o número numerado é o número concreto. Enquanto que o número numerante é aquele que conta, o número numerado é aquele que é contado. Enquanto que o número numerante designa apenas a quantidade (dez); o número numerado designa a quantidade e a natureza dos entes numerados (dez cavalos). Assim, o tempo é o número numerado porque é o número (quantidade) do movimento (natureza).
Tendo em vista que o tempo é o movimento numerado segundo o anterior-posterior, Aristóteles afirma que o tempo é o número do movimento considerado absolutamente e não especificamente. Neste caso, o tempo é o número do movimento absoluto. Ou seja, o tempo enquanto movimento numerado compreende todos os diversos movimentos que ocorrem segundo categorias determinadas: substância (geração e corrupção), quantidade (crescimento), qualidade (alteração) e lugar (movimento local).



LANÇAMENTO DA

Diálogos das Carmelitas

de Georges Bernanos

Tradução: Roberto Mallet

Formato: 14 X 21 cm
Número de Páginas: 160
Acabamento: Brochura

Lançamento: 2013



Em 1794, no período da Revolução Francesa conhecido como Reino do Terror, dezesseis irmãs carmelitas do mosteiro de Compiègne foram condenadas à morte, sob a acusação de fanatismo, e executadas em praça pública. Aos pés da guilhotina, as freiras entoaram hinos religiosos e renovaram seus votos. Dez dias depois da execução, o Grande Terror terminou.


Partindo desse episódio, trágico e verídico, e tendo como base a novela A Última ao Cadafalso, da escritora alemã Gertrud von Le Fort, Diálogos das Carmelitas foi concebido originalmente, em 1948, para o roteiro de um filme – realizado e exibido apenas em 1960. Antes disso, em 1956, o compositor Francis Poulenc usou o texto para criar o libreto de sua ópera homônima.


Esta obra é considerada o "testamento espiritual" de Bernanos: um texto brilhante sobre a renúncia, o sacrifício e o medo, escrito por ele à beira de sua própria morte e publicado postumamente.







O AUTOR
Georges Bernanos

Georges Bernanos (Paris, 20 de fevereiro de 1888 — Neuilly-sur-Seine, 5 de julho de 1948) foi um escritor e jornalista francês. Bernanos participou intensamente da vida política de seu país: foi soldado de trincheira na Primeira Guerra Mundial e repórter na Guerra Civil espanhola. Em 1917, casou-se com Jeanne Talbert d’Arc, descendente em linha direta de um irmão de Joana d’Arc. Georges e Jeanne tiveram seis filhos entre 1918 e 1933: Chantal, Yves, Claude, Michel, Dominique, Jean-Loup. Passou a infância em Fressin (Pas de Calais).

Chegou ao Brasil aos cinqüenta anos de idade acompanhado da mulher, seis filhos e de um sobrinho. Primeiro foi para Itaipava, no estado do Rio de Janeiro, depois residiu em Juiz de Fora, Vassouras e Pirapora onde escreveu Les enfants humiliés e tentou a criação de gado. Numa série de artigos posicionou-se contra o armistício franco-germânico. Durante a Segunda Guerra Mundial permaneceu no Brasil, residindo entre 1938 e 1945 em Barbacena, Minas Gerais, numa casa situada no bairro Cruz das Almas que lhe foi oferecida por amigos. Nesta casa escreveu Lettre aux Anglais, Le Chemin de la Croix-des-Ames e La France contre les Robots. Esta casa hoje se transformou no "Museu George Bernanos". Ali veio a terminar a sua obra Monsieur Ouine, que publicou na França, por ocasião do seu regresso em 1946.


 












 Lançamento da
Editora É
É Realizaçõe
   


O Estilingue (Histórias de um menino)

O Estilingue

(Histórias de um menino)

de Carlos Herculano Lopes

2012. 133 p.  Dimensões: 20 x 14
Peso: 170g.

Que o leitor não se engane, pois este não é um livro de memórias tradicional, daqueles em que só depois de anos de vivência alguns escritores lançam mão do seu passado para trazê-lo ao presente. A memória aqui não é a do homem feito, nem do escritor experimentado, mas de um adolescente sensível à escrita, que deixou registrada de forma inusitada sua pouca experiência de vida. Mas que experiência! Esta obra descreve a primeira infância de um menino no interior do Brasil, na região do Vale do Rio Doce, em Minas Gerais, no final dos anos de 1960. A infância é contada por um narrador-autobiográfico quando tinha apenas 12 anos. Tudo é relatado de forma despojada, mas com muito lirismo e pureza: descobertas, conflitos, castigos, amizade e viagens, ainda que imaginárias. Com certeza, jovens e adultos, do campo ou da cidade, vão se encantar com esse estilingue que se estica para o presente e para o passado no tempo surpreendente da escrita. Mário Alex Rosa 





LANÇAMENTO DA

A Política da Prudência de Russell Kirk




A Política da Prudência

de Russell Kirk

Tradução: Gustavo Santos e Márcia Xavier de Brito

Formato: 16 X 23 cm
Número de Páginas: 496
Acabamento: Brochura

Lançamento: 2013



Ao longo de toda a carreira, Russell Kirk esteve no meio das controvérsias de sua época. Em A Política da Prudência, Kirk esforça-se por defender uma verdadeira "política prudencial" conservadora em oposição à "política ideológica" fomentada pelos que se tinham identificado como conservadores e aliados, incluindo libertários e neoconservadores. Kirk expõe dez princípios, acontecimentos, livros e pensadores que definiram a mentalidade e a alma conservadoras. Também analisa as dificuldades apresentadas aos conservadores pelo aumento da centralização política e econômica, por políticas internacionais imprudentes, pela deterioração educacional e por outros sintomas de decadência cultural. Ao comemorar os vinte anos de lançamento de A Política da Prudência, a editora É Realizações traz, para o público de língua portuguesa, a presente edição crítica e anotada com apresentação de Alex Catharino, introdução de Mark C. Henrie, e ensaios de Bruce Frohnen, Gerhart Niemeyer e Edward E. Ericson Jr.


O sr. Kirk conseguiu, numa sucessão de livros que provaram ser acadêmicos e populares, [...] fazer com que a voz de um pensamento conservador inteligente e vigoroso fosse respeitada neste país.
Flannery O'Connor, Romancista e ensaísta norte-americana

A influência de Russell Kirk em Washington, D.C., será muito maior que a da maioria dos políticos transitórios que chegam à cidade ano após ano.
Edwin J. Feulner, Fundador e Presidente da Heritage Foundation

Dr. Kirk ajudou a renovar o interesse e o conhecimento de uma geração por essas "ideias verdadeiras", essas "coisas permanentes" que são a base e a infraestrutura intelectual do renascimento conservador em nossa nação. Levou os norte-americanos a encontrar o sentido do mundo político que os rodeia e a conseguir lidar com os problemas universais da experiência humana.
Ronald Reagan, 33º Presidente dos Estados Unidos







 Lançamento da
Editora É
É Realizaçõe