sexta-feira, 1 de junho de 2012

Damas-da-noite

 

   
Damas-da-noite
Título Original:     The moonflower vine

de Jetta Carleton

Tradutor:     Regina Lyra

Páginas:     490
Formato:     16 x 23 cm




50 anos após sua publicação original, chega ao Brasil o romance histórico que marcou uma geração nos Estados Unidos. Damas-da-Noite, livro autobiográfico de Jetta Carleton, mostra o cenário rural americano em uma época conturbada depois da Segunda Guerra Mundial. Com National Book Award recebido em 1963, tornou-se um clássico da literatura norte-americana.

Durante a primeira metade do século XX, os recém-casados Matthew e Callie Soames se mudam para uma fazenda no oeste do Missouri. Lá, tocam a vida enquanto criam filhas teimosas, de personalidade forte, que conquistarão o coração do leitor. Apesar de amarem seus pais, todas, a seu modo, tentarão fugir deles e de suas expectativas. Jessica, a mais velha, nunca corresponde ao que o pai deseja para ela. Leonie, a mais bela e obediente das filhas, se interessa pelo único homem que nunca teria a aprovação de seu pai. Mary Jo é um mistério para a família e para o leitor. Mathy, a mais jovem e problemática das filhas do casal, levará desgraça à família e mudará seus destinos para sempre.

Jetta Carleton é mestra na arte da elaboração dos personagens, conseguindo desenvolver cada um separadamente para, em seguida, uni-los na formação do quebra-cabeça da vida da família Soames ao longo de 50 anos. A autora mantém o interesse e a surpresa a cada capítulo.

Damas-da-Noite capta o humor e os tempos da vida rural do Meio-Oeste americano e os trazem à tona. Mentiras, verdades, medos, segredos e angústias brotarão de tal forma que ficará claro porque se trata de um clássico eterno. Um livro para ser lido mais de uma vez.




A CRITICA
“Uma saga familiar norte-americana profundamente tocante... Dramática... Eternamente viva.” - Harper’s

“Damas-da-Noite é um livro encantador. Tem o mesmo sabor de O Sol É para Todos, de Harper Lee.” - Denver Post

“Um feito notável.” - Chicago Tribune

Jane Smiley, Pulitzer autor premiado de A Thousand Acres, The Age of Grief, Moo, e sua estréia no próximo para os jovens leitores, O Georges e as Jóias, fala sobre um livro favorito de seu estado natal - Missouri, JettaCarleton The Vine Moonflower . Smiley falou na BookExpo America, em Nova York em 30 de maio de 2009.




LANÇAMENTO




A dádiva do corvo



A dádiva do corvo
Título Original:     The raven's gift
Jon Turk
Tradutor:     Anna Maria Capovilla

Páginas:     434
Formato:     16 x 23 cm

Um cientista, uma xamã e sua viagem singular pelo deserto siberiano

Jon Turk contornou de caiaque o cabo Horn, atravessou a passagem do Noroeste e remou toda a costa do Pacífico. Mesmo assim, a viagem mais estranha que já fez se deu quando ele, um cientista, decidiu conhecer o mundo espiritual e enfrentar todos os seus preconceitos. Essa é a surpreendente história contada em A dádiva do corvo, seu primeiro livro publicado no Brasil.

Em 2000, na remota aldeia siberiana de Vyvenka, Jon Turk conheceu a idosa chamada Moolynaut, uma xamã koryak — povo indígena do extremo leste da Rússia —, e aprendeu sobre suas viagens ao mundo espiritual.

Um ano depois, o espírito de Moolynaut rogou a um corvo que a ajudasse a curar a pélvis de Jon, que sofrera uma fratura em um acidente de alpinismo, do qual nunca se curara. Turk, que não havia encontrado uma explicação racional, procurou o entendimento atravessando a tundra congelada onde a xamã havia nascido.

Com seu estilo íntimo e sincero, o autor compartilha com os leitores seus momentos mais pessoais, como quando lida com uma intensa dor e quando reflete sobre o significado da vida e do ser humano.

Umas poucas linhas

Misha e eu remamos nossos caiaques em 
direção à costa e, em seguida, fizemos uma 
pausa quando sentimos as ondas tornarem-se
 íngremes à medida que tocou o fundo do mar.  
Densas, em forma de pires, nuvens corriam pelo 
céu do Ártico, acumulando-se uma contra a outra 
como se não houvesse espaço suficiente 
para dissipar toda a vasta tundra.




Moolynaut 
Moolynaut nasceu em uma tenda de pele na tundra siberiana, durante o reinado do Czar Nicolau II. Ela não apenas sobreviveu, mas manteve sua espiritualidade através da revolução bolchevique, a ascensão e queda de todo o império soviético e do capitalismo bandito da Perestroika. Ela me pediu para contar a sua história, que é a história de todos os povos indígenas, das selvas da Amazônia e Melanésia para o Ártico.


 A CRITICA
“Uma história inesquecível.”  - Publishers Weekly

“Com A Dádiva do Corvo, Turk uniu magistralmente emoção e aventura.” - Vancouver Sun






LANÇAMENTO






 



Sempre a mesma neve e sempre o mesmo tio de Herta Müller



Sempre a mesma neve e sempre o mesmo tio

de Herta Müller


Páginas: 248
Formato: 14 cm x 21 cm




A relação entre a literatura e a vida sob a opressão política é o fio condutor dos ensaios de Sempre a mesma neve e sempre o mesmo tio (Immer derselbe Schnee und immer derselbe Onkel, 2011), de Herta Müller, escritora alemã vencedora do Prêmio Nobel de Literatura de 2009. Com o volume, o selo Biblioteca Azul da Globo Livros – casa editorial da escritora no Brasil – dá continuidade à publicação das obras da escritora, que já conta com o romance O compromisso, lançado em 2004, e os contos de Depressões, seu livro de estreia, que ganhou edição brasileira em 2010.

Os ensaios dão conta da ligação entre criação artística e experiência pessoal, marcada pelos efeitos do terror e da repressão impostos pelo ditador Nicolau na Romênia, onde Herta Müller viveu antes de partir para a Alemanha. Em Cristina e seu simulacro, ela relata como, durante a época em que trabalha como tradutora em uma fábrica, é intimada a converter-se em espiã da polícia secreta romena. Numa reviravolta irônica e trágica, após recusar a proposta mesmo sob ameaças, passa a ser vista pelos colegas como colaboradora e é isolada: os mecanismos de difamação da ditadura impõem a punição velada.

Em Um corpo tão grande e um motor tão pequeno, a escritora apresenta a figura do pai, motorista de caminhão e alcoólatra que ingressara voluntariamente na SS durante o regime de Hitler. Depois de sua morte é que Herta Müller começa a escrever. A mãe, que foi deportada pelo regime comunista e passou cinco anos num campo de trabalhos forçados, é apresentada no ensaio que dá título ao livro.

É por esse caminho, entremeando memórias da infância e da juventude e relatos vívidos do cotidiano sob a vigilância da política secreta, que a escritora chega às reflexões sobre a importância da literatura, “que pode inventar, por meio da língua, uma verdade que mostra o que acontece ao nosso redor quando os valores descarrilam”. Sempre a mesma neve e sempre o mesmo tio traz também o discurso de agradecimento de Herta Müller por ocasião da entrega do prêmio Nobel de Literatura.

Os próximos livros da autora publicados pelo selo Biblioteca Azul serão Herztier (A terra das ameixas verdes, título provisório), Der König Verneigt Sich Und Tötet (O rei faz uma reverência e mata, título provisório) e Der Fuchs War Damals Schon Der Jäger (Naquela época, o lobo já era o caçador, título provisório).

A autora
Herta Müller nasceu em Nitzkdorf, no Banato, região de minoria alemã na Romênia, em 1953. Seu pai foi soldado da SS nazista e sua mãe foi deportada pelo regime comunista para a ex-URSS, onde passou cinco anos num campo de trabalhos forçados. Poeta e romancista, Herta Müller estudou literatura romena e alemã. Depressões, seu primeiro livro, de 1982, e os seguintes foram censurados pelo regime do ditador comunista Nicolau Ceausescu. Em 1987, emigrou com seu marido, o também escritor Richard Wagner, para a Alemanha, onde passou a lecionar em universidades. Por sua carreira literária, na qual publicou mais de 20 obras, recebeu dezenas de premiações, entre elas o Nobel de Literatura de 2009 e a Grã-Cruz de Mérito com Estrela da Ordem do Mérito da República Federal da Alemanha, em 2010, dada como recompensa por serviços extraordinários nas áreas da política, da economia, da cultura, da arte ou do trabalho voluntário.

Outras obras de Herta Müller publicadas pela Biblioteca Azul


O compromisso

Depressões



Este excerto de vídeo apresenta uma rara entrevista e sincero com Herta Müller, Prêmio Nobel de Literatura de 2009, onde ela fala sobre sua vida crescendo como parte de uma minoria de língua alemã na Romênia rural, seus anos de perseguição nas mãos da polícia secreta Ceasescu, a deserção e sua fuga subseqüente para a Alemanha Ocidental em 1987. Para ver o documentário completo, http://nobelprize.org/mediaplayer/index.php?id=1553




UM LANÇAMENTO

5/6 ANTIQUADOS RECEBE GIOVANNA VELASCO

Antiquados

Todas as terças-feiras na OFF SET


Convidada do dia 5 de junho: Giovanna Velasco


Antiquados é um

projeto de humor de personagens,

voltou em cartaz no dia 15 de maio,

no clube Off Set,

com um elenco fixo

formado pelos humoristas

Fábio Silvestre, Rapha Veles e

Guilhereme Uzeda.

 

Eles irão se revezar no palco

Apresentando quadros e esquetes

com duração de aproximadamente

15 minutos cada um.

 

A cada terça-feira se apresenta um

convidado especial. No dia  5 de junho,

Antiquados recebe a atriz Giovanna Velasco.

 

 

O Projeto
Alguém poderia se perguntar por que
um show de humor se chama Antiquados.
E a resposta seria: e por que não?
Atualmente a cena de humor tem sido alvo
de uma série de questionamentos éticos
que se tornaram uma verdadeira provação
para os autores de comédia que resolvem
mostrar o seu trabalho. Como ser engraçado e autêntico
hoje em dia sem virar alvo de polêmicas gratuitas?
É preciso pensar duas vezes antes de fazer piada?
Ser humorista se tornou uma questão de coragem mais do que de graça?
É neste ponto que surge Os Antiquados.
Um projeto de comédia teatral que pretende
resgatar a espontaneidade do humor.
Morrer de rir é retrô!
E, vamos combinar, pois pisar em ovos é desperdício de comida,
uma atitude não sustentável. Tendo como inspiração clássicos como
Viva o Gordo, Chico Anysio Show, Os Trapalhões
e TV Pirata, Os Antiquados quer levar adiante
a tradição de desafiar o politicamente correto de forma original e irreverente.
Colocando no palco grandes talentos da atualidade
e convidados especiais que fizeram a história
do humor brasileiro. Sem tempo de soar blasé nem medo de cometer gafes.
Afinal, gafe também não é um tipo de humor?
 
 
 

Serviço

Antiquados

Concepção e direção artística: Danilo Pinoti

Elenco: Fábio Silvestre, Rapha Véles e

Guilhereme Uzeda.

Reestreia da temporada: dia 15 de maio

Sessões todas às terças-feiras por tempo indeterminado

Horário: 21h

Gênero: Humor

Duração: 90 minutos.

Recomendação: 16 anos

Capacidade: 150 Lugares
Ingresso: R$ 30,00

Camarote: R$ 80,00 com R$ 40,00 de consumação

Jantar e show R$ 70,00

Abertura da casa: 20h30

Local: OFF SET

http://www.espacooffset.com.br/

R. Ferreira de Araújo, 589 – Pinheiros

Telefone: 3097-9396.
Aceita os cartões Amex, Diners, Hipercard, MasterCard, Visa.
Tem área para fumantes. Aceita cheques. Aceita reservas.

Tem ar-condicionado. Tem acesso para deficiente.

Tem música ao vivo. Não tem mesas ao ar livre. Valet (R$ 20)

Heitor leu dois livros da Luciana Savaget



Tem post novo no Blog do Le-Heitor.

Heitor ganhou dois livros autografados da sua amiga Luciana Savaget, leu e conta tudo no seu blog: http://blogdoleheitor.sintaxe.com.br

Espaço-tempo mensal na galeria LOGO dedicado aos músicos que abstraíram a canção, ou souberam escondê-la muito bem



Neste sábado (02), acontece a segunda edição do projeto periódico de música da galeria LOGO, com curadoria do artista e músico Carlos Issa. Intitulado Tarde Abstrata, o evento lida com um panorama de práticas e estéticas sonoras bastante amplo, mas conectado. São músicos que estão fazendo uso de sintetizadores, efeitos, tablets, mesas de edição e mixagem com liberdade e um desprendimento de regras que remete ao desmonte que a cultura punk operou na música.
 
O acesso a esses equipamentos e o seu uso, combinado com softwares de áudio e instrumentos tradicionais, amplia as sonoridades e as possibilidades de composição, fazendo surgir uma paisagem musical inclassificável.
 
Na segunda edição da Tarde Abstrata o público é convidado a testemunhar o derretimento da musicalidade ortodoxa em seis atos: A lenda do punk atonal, Vermes do Limbo; a natureza oculta do mundo na raríssima apresentação do Bebe do Abismo; a desconstrução radical da partitura hardcore por Luzia Kame;  a música eletrônica de invenção com o Response Pirituba; e o caos em transe sonoro da dupla Maurício Takara e Jonathan Gall, pela primeira vez no hemisfério sul do planeta. Nos entreatos, a discotecagem abstracionista de Akin Dekard, da rádio on-line Metanol.
 
A segunda edição da Tarde Abstrata acontece em meio ao metagrafismo de Bruno 9li na última chance de ver sua exposição individual na LOGO, Lux Tenebris.

Tarde Abstrata – Junho
>na galeria LOGO
>sábado, 2 de junho
16h30  Response Pirituba
17h15  Jonathan Gall & Mauricio Takara
18h00  Vermes do Limbo
18h45  Luiza Kame
19h30  Bebe do Abismo

Entrada franca
Rua Artur de Azevedo, 401
São Paulo - SP

www.galerialogo.com
www.tardeabstrata.tumblr.com


Sobre a LOGO:
A galeria LOGO, inaugurada em julho de 2011, é porta de entrada para conhecer uma rede de artistas que emerge de um plano paralelo ao mainstream da arte, com nomes ligados a subculturas urbanas e ao cenário underground. Nesse sentido, surge um novo conceito de "outsider": artistas desconectados de uma formação acadêmica linear, que seguem suas pesquisas de ordem artística, filosófica e cultural de maneira independente. Mesmo fora do circuito oficial, eles construíram trajetórias e um público sólidos, aparecendo em exposições, livros e revistas internacionais. Na LOGO, o trabalho desses artistas é apoiado pela pesquisa de um grupo de curadores que entende esses movimentos, de onde desponta um novo interesse pela pintura, pelo desenho e pela colagem, entre outras manifestações, como a música experimental e a performance. Esse conjunto de expressões é então, pela primeira vez, exibido em um espaço reconhecido pela arte contemporânea, pois pelo endereço da LOGO já passaram duas galerias emblemáticas de São Paulo, a Raquel Arnaud e a pioneira Subdistrito. Quanto ao nome LOGO, ele simboliza a consciência de que o mundo hoje é movido pela comunicação visual. Uma analogia para a produção artística que, como uma boa logomarca, atrai olhares e comunica sem palavras, para então estimular a interpretação de diferentes camadas de significado.

Sobre o curador:
Carlos Issa, também conhecido por seu projeto de música Objeto Amarelo, foi convidado para criar a Tarde Abstrata na LOGO por sua influência e acesso a todo um panorama musical ainda pouco divulgado. Não por acaso, no final dos anos 90 era ele quem organizava os seminais eventos Draga, onde a música e arte independentes se encontravam com a arte contemporânea em espaços do underground paulistano. Hoje, o Draga é celebrado pela experimentação de seus cartazes, de suas exposições e de seus shows e está tendo sua história resgatada pela mídia especializada e até por exposições em museus.

Artistas do Bolsa Produção mostram trabalhos nos museus da Gravura e da Fotografia



Artistas do Bolsa Produção mostram trabalhos nos museus da Gravura e da Fotografia



O resultado da quinta edição do edital Bolsa Produção, do Fundo Municipal da Cultura, poderá ser conferido a partir das 19h desta terça-feira (5), nas 14 exposições de 15 artistas que tomam conta do Museu da Gravura de Curitiba e do Museu da Fotografia de Curitiba, instalados no Solar do Barão. As mostras, que permanecem em cartaz até 18 de agosto, revelam a proposta do edital, que é incentivar a experimentação no campo das artes visuais de artistas domiciliados em Curitiba.  
As salas dos museus abrigam as exposições MEDIATO, de Iriana Vezzani; ODRADEK, de Eliana Borges; A MEMÓRIA DA MATÉRIA, de Juan Parada; MOVENTES, de Bernadete Amorim; HOJE, SÓ EMERGÊNCIAS, de Luana Navarro; TERRA HÍBRIDA, de Lidia Ueta; LUGAR ALGUM: CARTOGRAFIAS SOBRE A AUSÊNCIA, de Ângelo Luz; INDI.O.GENTE; de Daniel Chaves; TOPOS, de Rodrigo Dulcio; VÉSPERA, de Thalita Sejanes;  ERRANTE, de Patrícia Tristão; NOITE, de Amanda Calluf; in_permanências, de Cristina Piedade; e ANDRÉ RIGATTI E FERNANDO BURJATO, de André Rigatti e Fernando Burjato.
Durante um ano, os artistas desenvolveram seus projetos, tendo como interlocutores os curadores Márcio Doctors, do Rio de Janeiro e Artur Freitas, de Curitiba, mais a artista gaúcha Vera Chaves Barcellos. O acompanhamento por profissionais da área teórica e por artistas provenientes de outras partes do país favorece diálogos saudáveis, com a intenção de reafirmar talentos artísticos e abrir espaço a novas potencialidades, favorecendo sua inserção na sociedade. 
Para falar sobre a experiência, os interlocutores dos artistas, juntamente com Ana González, coordenadora do programa Bolsa Produção e do Museu da Gravura, realizam no Solar do Barão uma mesa-redonda, às 19h de quarta-feira (6), com entrada franca.

Objetivos – Desde a sua primeira edição, em finais de 2005, os principais objetivos do Edital Bolsa Produção para Artes Visuais foram incentivar a produção artística de Curitiba e oferecer ao público efetivos mecanismos de acesso a essas manifestações. Além das exposições, constam na programação ações educativas, encontros entre artistas e público, mesas-redondas e publicação de livro impresso. 
“A apresentação do que resulta do desenvolvimento dos projetos é sempre desafiadora”, ressalta Ana González. “O Edital Bolsa Produção disparou a formação de uma rede que veio se ampliando a partir da confluência dos artistas e profissionais envolvidos desde a sua primeira edição, alterando favoravelmente o ambiente artístico da cidade, contribuindo para o alargamento de espaços mais favoráveis à troca de experiências e colaborações e para que o pensamento poético continue a se infiltrar continuamente na sociedade”, explica a coordenadora do programa e do Museu da Gravura. 
Conheça um pouco sobre os artistas expositores e seus respectivos trabalhos:

MEDIATO – Iriana Vezzani, que acumula participações em exposições no Paraná, além de ter realizado palestras sobre artes plásticas e obtido o primeiro prêmio na 2ª Mostra de Artes Visuais da UTP – Universidade Tuiuti do Paraná, apresenta um trabalho que desperta a atenção para questões como a invisibilidade gerada pelo hábito da vida prática no cotidiano. Utilizando madeira e obra de carpintaria, a artista tem por objetivo perturbar e reduzir as noções espaciais do espectador sobre a arquitetura, superando a fronteira do seguro e do estável para criar uma zona de tensão e ambiguidade.

TERRA HÍBRIDA – Com diversos projetos individuais no campo das artes visuais, Lídia Ueta já respondeu por intervenções urbanas, performances, trabalhos em vídeo e fotografia. Desta vez, a artista mostra um projeto elaborado a partir das relações de um imigrante agricultor com o Brasil, a terra que escolheu para viver. Desde 1959, o personagem cultiva, além de plantações, as relações familiares de afeto com o país. O trabalho fotográfico tem representações simbólicas que também levantam questões sobre a passagem do tempo, a identidade e a finitude humana.

ANDRÉ RIGATTI E FERNANDO BURJATO – Pinturas e instalações revelam o talento de dois artistas que possuem extensos currículos. Fernando Burjato é mestre em Artes pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e realizou exposições em várias cidades brasileiras, além de ter publicado os livros “Cabeça, corpo, caveira e alma” e “Arte Brasileira nos Acervos de Curitiba”, esse último escrito junto com Daniela Vicentini.
André Rigatti é mestrando em Artes Visuais pela Udesc – Universidade do Estado de Santa Catarina e atuou como professor colaborador da FAP – Faculdade de Artes do Paraná. Participou de exposições coletivas e individuais em importantes espaços paranaenses e tem seu nome citado em publicações renomadas na área de artes plásticas.

MOVENTES – Formada em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná e pós-graduada em História da Arte do Século XX pela Embap – Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Bernadete Amorim mostra objetos que classifica como “estofados interativos”. A artista realizou exposições no Paraná, Santa Catarina e Brasília, figurando em importantes publicações de artes plásticas. Também respondeu pela cenografia da peça “Um dia fora do tempo”, encenada no Teatro Guaíra, em 2006.

ERRANTE – A instalação de Patrícia Tristão usa madeira, espuma, microfone e som para se apropriar da sala, articulando tempo, espaço, práticas e condutas como forças dinâmicas de relações e enfrentamentos. A artista é graduada em Artes Visuais pela FAP – Faculdade de Artes do Paraná e aperfeiçoou conhecimentos em cerâmica no Instituto Condorhuasi, na Argentina. Integrou diversas exposições coletivas e teve o conjunto de obras premiado no 1º Salão Nacional de Cerâmica da Casa Andrade Muricy, em 2008.

TOPOS – Rodrigo Dulcio preparou uma surpresa para o público, com a instalação “Topos”, que somente será revelada na abertura da exposição. O jovem artista, que já participou de mostras coletivas, formou-se pela Embap – Escola de Música e Belas Artes do Paraná, complementando conhecimentos no ateliê de escultura do Centro de Criatividade de Curitiba e nos ateliês de gravura do Museu da Gravura de Curitiba.

in_permanências – A exposição de Cristina Piedade reúne quatro pinturas em grandes formatos, executadas em tinta acrílica sobre tela, com acabamento de verniz de cera e esticadas em chassis de madeira. Formada desde 2009 em Pintura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, mesma instituição na qual realiza pós-graduação em História da Arte Moderna e Contemporânea, a artista já participou de várias exposições coletivas, em Curitiba.

NOITE – O ensaio fotográfico de Amanda Calluf reúne imagens em preto e branco de paisagens noturnas que remetem ao silêncio, à solidão, à penumbra e a um estado de espírito que leva a sonhos, lembranças e devaneios. Amanda Calluf começou a fotografar em 1998, enquanto cursava Jornalismo. Desde 2003 se dedica a projetos autorais, expressando-se por meio da fotografia. Em 2006 e 2007 fez mestrado em Fotografia e Cultura Urbana no Goldsmiths College, em Londres. Suas fotos foram publicadas em revistas, livros e catálogos na Inglaterra, Alemanha e Itália.

INDIO.O.GENTE – Videoinstalações de Daniel Chaves (Dach) mostram um personagem que aparece e desaparece, conforme seu corpo vai sendo “enterrado” por objetos, tijolos, madeiras, coisas comuns do cotidiano do homem urbano, fazendo com que a paisagem se transforme num caos absoluto, onde predomina o excesso de informações visuais. Formado em Artes Visuais pela Universidade Tuiuti do Paraná (2002-2005), com pós-graduação em História da Arte Contemporânea pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná (Embap), Daniel Chaves participou de diversas exposições coletivas. Este ano expôs no Museu Oscar Niemeyer e na Galeria Ibakatu.

A MEMÓRIA DA MATÉRIA – Juan Parada tem como proposta uma instalação e inserções espaciais de uma série de trabalhos numa das salas de exposições do Solar do Barão. Os trabalhos agrupados formam um ambiente, sem limite claro entre as partes que o constitui. Também faz parte da exposição uma grande escultura instalada no pátio do Museu da Fotografia. Os trabalhos dialogam e se relacionam entre si.  O primeiro deles refere-se ao espaço arquitetônico como expansão do trabalho de arte. Graduado em escultura pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Juan Parada integra o coletivo de artistas Interluxartelivre, com o qual realizou diversas exposições. O artista também atua em projetos de arte urbana.

ODRADEK – Apropriando-se do nome de um personagem de Franz Kafka (Odradek, do conto “As preocupações de um pai de família”), Eliana Borges propõe a reflexão sobre as relações e interações entre as diversas linguagens de arte – neste trabalho, em particular, as que se utilizam dos elementos som, palavras, corpo e imagem. Artista plástica e performer, graduada em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo (1986), mudou-se para Curitiba em 1989 e desde então atua como arte-educadora, faz cenários e direção de arte para vídeo e cinema, e desenvolve vários projetos de design gráfico para revistas e livros.

HOJE, SÓ EMERGÊNCIAS – A exposição de Luana Navarro foi desenvolvida no contexto do fotojornalismo sensacionalista, a partir de fotografias publicadas na editoria de polícia do jornal Tribuna do Paraná. A obra é apresentada em forma de instalação fotográfica, que se utiliza de textos, fotografias recortadas, espelhos quebrados, como forma de induzir à reflexão sobre os signos que envolvem as notícias sobre violência. Luana Navarro é artista visual, formada em Jornalismo, com especialização em História da Arte Moderna e Contemporânea. Seu trabalho em fotografia autoral recebeu premiações, entre elas o Prêmio Funarte de Fotografia Marc Ferrez (2010).

VÉSPERA – O trabalho de Thalita Sejanes é resultado de um cruzamento entre a ação de desenhar e a ação de tecer. Após a pesquisa, foi escolhida uma técnica de tricô, na qual os dedos cumprem o papel que seria das agulhas, gerando uma trama que se apresenta como uma espécie de linha. A performance consiste em levar a ação repetida deste processo ao espaço expositivo, em ações de aproximadamente duas horas, três ou quatro vezes por semana, ao longo da mostra. Thalita formou-se pela Faculdade de Artes do Paraná e desenvolve sua pesquisa artística desde 2008, tendo realizado exposições em museus e galerias de arte de Curitiba.

LUGAR ALGUM: CARTOGRAFIAS SOBRE A AUSÊNCIA – Artista visual, performer e coreógrafo, Ângelo Luz apresenta uma instalação com diversas técnicas. Graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal do Paraná (2011), foi aluno intercambista na SHBK Städelchule, em Frankfurt (Alemanha), participou de grupos de estudos em dança e atualmente desenvolve o projeto Descontrole Remoto, integrante da Rede Nacional Funarte – Artes Visuais, 8ª Edição.

Serviço:
Exposições da 5ª Edição do Bolsa Produção.
Locais: Museu da Fotografia Cidade de Curitiba e Museu da Gravura Cidade de Curitiba (Solar do Barão – Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro).
Data: de 5 de junho (abertura às 19h) a 18 de agosto de 2012.
Horário de visitas: de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h; sábados e domingos, das 12h às 18h.
Entrada franca.

Mesa-redonda com a participação de Márcio Doctors (RJ), Artur Freitas (PR), Vera Chaves Barcellos (RS) e Ana González, coordenadora do programa Bolsa Produção e do Museu da Gravura.
Local: Solar do Barão (Rua Carlos Cavalcanti, 533 – Centro).
Data e horário: dia 6 de junho de 2012 (quarta-feira), às 19h
Entrada franca.

FABIANO DA SILVA LIDERA EM QUATRO CATEGORIAS NO 25º BRASILEIRO DE MOTO AQUÁTICA (JET SKI)

O gaúcho de Canoas espera repetir, na próxima semana em Boa Esperança (MG), o mesmo desempenho da etapa de abertura, em São Paulo.

 

 

Líder de quatro categorias e uma segunda colocação, faz com que o gaúcho Fabiano da Silva, de Canoas, seja um dos favoritos nas duas etapas decisivas do 25º Campeonato Brasileiro de Moto Aquática (Jet Ski). As disputas serão realizadas de 7 a 10 de junho, na Represa de Furnas, em Boa Esperança, no Sul de Minas Gerais. Os organizadores esperam um público de mais de 15 mil pessoas para os quatro dias de competição, que reunirá representantes de São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, além de convidados do Uruguai, Bolívia e Paraguai.

Silva está motivado para essas finais, principalmente depois do bom desempenho na etapa de abertura, disputada no início do mês, em São Paulo. Na oportunidade, venceu as categorias Runabout Aspirado Stock, Runabout Aspirado GP, Super Course Aspirado Stock e Super Course Aspirado Limited e ficou em segundo na Runabout Aspirado Limited. Em Boa Esperança, na próxima semana, tentará repetir a performance para chegar aos títulos.

O piloto de Canoas participará de 20 baterias em quatro dias e o desgaste será grande, mas está confiante. “Treino cinco dias por semana durante uma hora com personal há 20 anos, sem interrupção. Isso me ajuda a ter resistência para enfrentar uma maratona de baterias como será em Boa Esperança”, revelou Silva, que tem no currículo sete títulos gaúchos, quatro catarinenses, um do endurance 2012, além de vices no Sul-Americano e Sul Brasileiro do ano passado.

Em relação ao equipamento que está utilizando nesse 25º Campeonato Brasileiro de Moto Aquática (Jet Ski), Silva explicou que está preparado para Stock, mas corre na Limited e GP. “Desta forma fico um pouco em desvantagem, porque não posso fazer alterações como determina o regulamento da Stock”, acrescentou o gaúcho que tem planos para disputar o Mundial, no semestre, nos Estados Unidos.

 PROGRAMAÇÃO
.No dia 6, recepção dos pilotos, e acerto dos motores,

.No dia 7, das 9 às 11 horas inscrições dos pilotos e vistoria. Às 11 horas treinos livres da segunda etapa. Às 13 horas tem início a primeira série bateria das categorias do circuito fechado, seguidas pela Super Course às 16 horas será disputada a primeira bateria do Freestyle.

.No dia 8, às 10 horas, tomadas de tempo das categorias Super Course. Às 11 horas, segunda série de baterias do circuito fechado. Das 12h20 às 13 horas – almoço. Às 13 horas prossegue a segunda série de bateria do circuito fechado, seguida pela Super Course. Às 16 horas segunda série de baterias do Freestyle.

No dia 9, às 10 horas tem início a programação da terceira e última  etapa, com as tomadas de tempo da categoria Super Course, seguida da primeira série de baterias do circuito fechado. Das 12h30 às 13 horas – almoço. Às 13h30 prosseguem as categorias do circuito fechado, seguidas pela Super Course. Às 16h30 será disputada a primeira bateria do Freestyle.

.No dia 13, às 13 horas tem início a segunda série de bateria do circuito fechado, seguida da Super Course. Às 15h30 a segunda série de baterias Freestyle. Às 16 horas premiação segunda e terceira etapas e do campeonato.

A segunda e terceira etapas do 25º Campeonato Brasileiro de Moto Aquática (Jet Ski) é uma realização da BJSA - Associação Brasileira de Jet Sports, com homologação da International Jet Sports Boating Association – IJSBA. Os apoios são da Prefeitura Municipal e Câmara Municipal de Boa Esperança, Kawasaki, Sea-Doo/BRP, Yamaha, Jet Traction, CPM7 Full Promotion, PhotoJetski, FULL POWER Energy Drink, Site Bombarco, Solas/Hélices, Sport Resgate, Globo Jet, Pica-Pau Kawasaki Racing, Chopp Germania, Revista BOAT Shopping, 51 Ice e Boa Aventura Turismo e Eventos. O evento conta com a supervisão da Marinha e Corpo de Bombeiros.

Maiores informações nos sites www.bjsa.com.br,  www.jetski.com.br e www.photojetski.com.br

PROGRAMAÇÃO CINEMATECA | 1º A 7 DE JUNHO DE 2012


De 1º a 04
OLHAR DE CINEMA - Festival Internacional de Curitiba (programação final)
Durante sete dias o evento vai oferecer gratuitamente uma seleção ampla e de qualidade, com filmes independentes de todo o mundo. Abrangendo várias expressões culturais, o festival será composto de exibições, debates, oficinas e seminários. As exibições de filmes serão realizadas na Cinemateca de Curitiba e no Itaú Arteplex.
Mais informações em www.olhardecinema.com.br
Entrada gratuita para o Festival

Programação na Cinemateca de Curitiba:

DIA 01- 14h
PROGRAMAS DE CURTAS INTERNACIONAIS 2 (Total do programa: 90min)
MEZZANINE | Mezanin (Croácia, 2011 – 14’ - HD – colorido - ficção). Direção de Dalibor Matanic.
JUKU(Bolívia/Argentina, 2011 – 18’ – HD – colorido -  documentário). Direção de Kiro Russo.
BEAST | Csieska (Hungria, 2011 –  20’ -  HD – colorido). Direção de Atilla Till.
NARCOCORRIDO (EUA, 2011 – 23’ – HD – colorido - ficção). Direção de Ryan Prows.
Classificação 14 anos para todos os filmes do programa
15h45
Exibição com debate
GIRIMUNHO (Brasil, 2011 – 90’ – 35mm – colorido - ficção). Direção de Clarissa Capolina e Helvecio Martins Jr. Classificação 10 anos
18h
SIBERIA | Siberie – (França, 2011 – 81’ – documentário -  HD - colorido). Direção de Joana Preis.
Classificação 14 anos
19h45
UMA MULHER SOB INFLUÊNCIA | A woman under the influence (EUA, 1974 – 155’ – 35mm - ficção ). Direção de Jonh Cassavetes.
Classificação 12 anos

DIA 02 – 14h
PROGRAMA DE CURTAS INTERNACIONAIS 3 (Total do programa:90’). Exibição com debate
LATE AND DEEP (Noruega, 2011 – 17’- HD – colorido – ficção). Direção de Devin Horan.
IT’S NOTHING (Canadá, 2011 – 14’ – HD – colorido - ficção). Direção de Nicolas Roy.
ONE NIGHT WITH YOU (Canadá, 2011 – 13’ – HD – colorido - ficção). Direção de Jeane Leblanc.
WIND SESSION TIGER WOMAN (EUA, 2011 – 11’ – HD – colorido - ficção). Direção de Paavo Hanninen.
MEMÓRIAS EXTERNAS DE UMA MULHER SERRILHADA (BR, 2011 –15’ – 35mm – colorido - ficção). Direção de Eduardo Kishimoto
Classificação 16 anos para todos os filmes do programa
16h
Exibição  com debate
TUDO QUE DEUS CRIOU (BR, 2012 – 105’ – HD – colorido - ficção). Direção de André da Costa Pinto.
Classificação 14 anos
18h30
TWIGGY – (França, 2011 – 82’ – ficção – HD - colorido). Direção de Emmanuelle Millet.
Classificação 10 anos
20h15
FACES (EUA, 1968 – 130’ – 35mm – ficção). Direção de Jonh Cassavetes
Classificação 12 anos

DIA 03 – 14h
PROGRAMA CURTA NACIONAL (Total do programa:77’).
Exibição com debate.
ENTRE NÓS, DINHEIRO (BR, 2011 – 25’ – HD – colorido - ficção). Direção de Renan Rovida.
DONA SÔNIA PEDIU UMA ARMA PARA SEU VIZINHO ALCIDES (BR, 2011 – 18’ – HD – colorido - ficção). Direção de Gabriel Martins.
ASSUNTO DE FAMÍLIA (BR, 2011 – 13’ – HD – colorido – ficção). Direção de Caru Alves de Souza.
NA SUA COMPANHIA (BR, 2011 – 21’ – 35mm – colorido - ficção). Direção de Marcelo Caetano.
Classificação 16 anos para todos os filmes do programa.
16h15
Exibição com debate
ESTRADEIROS (Brasil/Argentina, 2011 – 79’ – HD – colorido - documentário). Direção de Sergio Oliveira e Renata Pinheiro.
Classificação 12 anos
18h30
VIAGEM A PORTUGAL (Portugal, 2011 – 75’ – HD – p&b - ficção). Direção de Sérgio Tréfaut.
Classificação 10 anos
20h15
GANGSTER PROJECT – (Alemanha, África do Sul, 2011 – 54’ – documentário – HDCAM - colorido). Direção de Teboho Edkins.    
Classificação 12 anos

DIA 04 – 13h
GESTO – (Portugal, 2011 – 80’ –HD - documentário – p&b). Direção de Antonio Correia.
Classificação livre
14h45
PROGRAMA CURTA NACIONAL 2 (Total do programa: 76’).
Exibição com debate
OMA (Brasil, 2011 – 22’ – HD – p&b - documentário). Direção de Michael Wahrmann.
REALEJO (Brasil, 2011 – 13’ – HD – colorido - animação ). Direção de Marcos Vinicius Vasconcelos.
VEREDA (Brasil, 2012 – 20’ – HD – colorido - ficção). Direção de Diego Florentino.
PRAÇA WALT DISNEY (Brasil, 2011 – 21’ – HD – colorido - documentário). Direção de Renato Pinheiro e Sergio Oliveira.
Classificação 14 anos para todos os filmes do programa
16h30
Exibição com debate
AS HIPER MULHERES (Brasil, 2011 – 80’ – HD – colorido - documentário). Direção de Carlos Fausto, Leonardo Sette e Tarumã Kuikuro.
Classificação 14 anos

Dia 04 – 19h
LANÇAMENTO DE CURTAS METRAGENS
HISTÓRIAS DE ALCÂNTARA (PR/2012 – 20 min – documentário). Direção de Juliana Rodrigues, Lari Glass e Mariana Lima.
O vídeo conta a história de uma das cidades que na época da colonização foi uma das mais ricas do Brasil e hoje está entre as que tem o menor número de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
PASSEIO NA SOMBRA (PR – 15 min - ). Direção de Mariana Lima.
A jovem Jezebel chega em casa querendo dormir, após conseguir entrar no sono ela começa a ser dominada pelos seus sonhos e pesadelos. Quando ela menos espera se depara numa viagem fora do corpo. Tudo se transforma num pesadelo curioso quando ela se depara com uma série de situações estanhas e é testemunha do que as pessoas fazem quando estão sozinhas.
SONO DE NINA (PR/ 2012 - 20 min – ficção). Direção de Paulo de Tarso Akamine.
Erica, uma adolescente problemática, mantém Nina, uma mulher mais velha, cativa num ambiente escuro, imenso e vazio.  Aplicando injeções e tranquilizantes, ela a deixa indefesa e sedada a maior parte do tempo.
Não tendo alternativa, Nina dorme para fugir daquela realidade difícil e insuportável. Em seu sono, ela está numa imensa floresta, um lugar bucólico, iluminado e silencioso, onde pode caminhar livre e tranquila. Mas mesmo neste paraíso, aparentemente mágico e onírico, Nina vai ter que enfrentar perigos desconhecidos e invisíveis.
CAPITAN (PR/2012 - 17 min – documentário). Direção de Vinicius Ferreira.
Capitán narra um dia completo de treinamento de jovens aspirantes a boxeadores no antigo centro de Havana. Com imagens que demonstram o trabalho duro e o ritmo corporal quase coreográfico dos movimentos.
Classificação 14 anos para todos os filmes
Entrada gratuita


De 05 a 10
MOSTRA DE FILMES ITALIANOS
Programação de filmes da segunda edição do Evento MIA CARA CURITIBA, em parceria com o Consulado Geral da Itália em Curitiba
Filmes com legenda em português.
Classificação livre para todos os filmes da mostra.
Entrada gratuita para a mostra

Dia 5 – 20h30h 
FAMÍLIA FELIZ | Happy Family (Itália, 2010 – 90 min – comédia). Direção de Gabriele Salvatores.

Dia 6 – 16h30
FAMÍLIA FELIZ  | Happy Family (Itália, 2010 – 90 min – comédia). Direção de Gabriele Salvatores.
20h30h
UMA VIDA TRANQUILA | Una Vita Tranquilla (Itália/Alemanha/França, 2010 – 105 min – drama). Direção de Claudio Cupellini.

Dia 7 – 16h30
UMA VIDA TRANQUILA | Una Vita Tranquilla (Itália/Alemanha/França, 2010 – 105 min – drama). Direção de Claudio Cupellini.
20h30
A VIDA FÁCIL | La Vita Facile (Itália, 2010 – 96 min – comédia). Direção de Lucio Pellegrini.

Dia 8 - 16h30
A VIDA FÁCIL | LA VITA FACILE (Itália, 2010 – 96 min – comédia). Direção de Lucio Pellegrini.

20h30
VINTE CIGARROS | 20 SIGARETTE (Itália, 2010 – 94 min – drama). Direção de Aureliano Amadei.
.
Dia 9 - 16h30
VINTE CIGARROS | 20 SIGARETTE (Itália, 2010 – 94 min – drama). Direção de Aureliano Amadei.
20h30
A MULHER DA MINHA VIDA | La Donna della mia Vita (Itália, 2010 – 96 min – comédia). Direção de Luca Lucini.

Dia 10 – 16h30
A MULHER DA MINHA VIDA | La Donna della mia Vita (Itália, 2010 – 96 min – comédia). Direção de Luca Lucini.
20h30
A VIDA FÁCIL | LA VITA FACILE (Itália, 2010 – 96 min – comédia). Direção de Lucio Pellegrini.



Cinemateca
Rua Carlos Cavalcanti, 1174, São Francisco
Horário de funcionamento: segunda a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 22h30. Sábados e domingos, das 14h30 às 22h30.
Informações: (41) 3321-3252

Postado por Eduardo Cruz às 6/01/2012 10:59:00 AM 0 comentários
Marcadores: Cinemateca de Curitiba

terça-feira, 29 de maio de 2012

CENÁRIO DE CAOS de Bob Garfield


CENÁRIO DE CAOS

de Bob Garfield






Número de Páginas: 304

O que acontece quando a antiga ordem mundial entra em colapso e o Admirável Mundo Novo não está preparado para substituí-Ia - não dispõe de novos veículos de publicidade, no­vas fontes noticiosas, novas plataformas para a divulgação de ideias políticas e novos meios para garantir a produção de mais episódios de Lost? Bem-vindo ao Cenário de Caos.
O caos já se instalou, e Bob Garfield sabia disso. No papel de editor da Advertising Age e coapresentador do programa de rá­dio "On the Media", da NPR, há muito tempo ele ligou os pontos de uma realidade cuja existência muita gente do marketing e da mídia se negava a admitir. Neste livro fascinante, aterrorizante, instrutivo e às vezes hilário, Garfield não se limita a mostrar a desintegração da mídia e do marketing tradicionais. Antes, ele percorre cinco continentes em busca de soluções. Suas viagens começam nas pastagens da Dinamarca e levam-no da Estônia à Austrália, de Israel à Inglaterra, de Montenegro ao Brasil, de Los Gatos, na Califórnia, a Conshohocken, na Filadélfia.
As descobertas reveladas em Cenário de Caos representam a solução para todas as instituições que quiserem sobreviver na era digital da Pós-Mídia. Sua técnica é a arte e a ciência da Listenomics. Escute você também e seja um agente da mudança neste Cenário de Caos!

O AUTOR
Bob Garfield é colunista, crítico, ensaísta, escritor e uma personalidade dos meios de comunicação. "Ad Review", sua conceituada coluna na revista Advertising Age, elogia ou espicaça anúncios, fazendo dele uma das figuras mais temidas do mundo do marketing. Garfield - que também é um dos entrevistadores do programa de rádio "On the Media", da rádio NPR - é colunista do USA Today, editor-colaborador do The Washington Post Magazine e colaborador do The New York Times, da Playboy, do Sport Illustrated e de muitas outras publicações.




 UM LANÇAMENTO

**

SAÚDE VISUAL POR TODA A VIDA de Meir Schneider


SAÚDE VISUAL POR TODA A VIDA

de Meir Schneider

Número de Páginas: 228



Meir Schneider desenvolveu um sistema inteiramente novo de exercícios terapêuticos - combinando movimento, respiração e imagens mentais - para ajudar milhares de pessoas a combater seus problemas de visão. Os exercícios deste livro vão ajudá-lo a criar uma rotina básica e saudável que você pode incorporar imediatamente à sua vida. Praticando com  regularidade os exercícios e seguindo os conselhos de Meir é possível evitar a catarata, degeneração macular e outros problemas visuais degenerativos, bem como aumentar a expectativa e qualidade de vida. Este livro é muito mais do que um guia de exercícios; é um convite à transformação.


O AUTOR
Meir Schneider
nasceu em Lvov, Ucrânia, em 1954, com catarata, astigmatismo e nistagmo.  Emigrou  para Israel com os pais aos quatro anos de idade e, aos sete, foi declarado legalmente cego. Ele nunca aceitou a condição de cego. Tinha ataques de fúria, durante os quais lançava os óculos ao chão e pisoteava-os. Não conseguia quebrá-los de tão grossas que as lentes eram e gritava. Os pais, ambos surdos, não eram atingidos pela gritaria. Mas a avó, Savta, docemente o acalmava dizendo que as coisas podiam mudar. Sempre.
Amigos, como uma dona de biblioteca volante semi-paralítica – que lhe ensinou técnicas de relaxamento -  e outro jovem, Isaac – com problemas visuais igualmente graves – deram-lhe incentivo para a grande virada de sua vida. Isaac apresentou-lhe o método do oftalmologista William Bates (1860-1931) de estimulação da visão. A despeito da descrença radical da família e amigos, dedicou-se com fervor aos exercícios para os olhos, aliando as técnicas de ioga, auto-massagem e movimento. Dezoito meses mais tarde, ele tinha desenvolvido a visão funcional, que lhe permitiu alguns anos mais tarde (1981) tirar carteira de motorista, sem qualquer restrição, expedida pelo Governo do Estado da Califórnia.

Cursou:

Bar Ilan University, Tel Aviv, 1973 – 1975
BA, Philosophy from University of San Francisco, 1978
PhD, the Healing Arts from Golden State University, 1982. Doctoral Dissertation: “The effects of Therapeutic movement combined with subtle massage and manipulation compared with conventional medical treatment in cases of muscular distrophy”

Os princípios que descobriu quando trabalhava seus olhos formaram a base do método Self-Healing, desenvolvido para trabalhar com portadores dos mais variados problemas de saúde. Em 1975 Meir montou o primeiro Institute For Self-Healing em Tel Aviv, Israel ( 1973 – 1976 ),  onde cresceu,  juntamente com dois dos seus primeiros pupilos – Vered e Danny. Por muito tempo Meir teve dúvidas de que seu método pudesse ser ensinado, já que boa parte das massagens e exercícios que produziam espetaculares resultados com pessoas portadoras de distúrbios graves – e tidas como incuráveis pela medicina – como esclerose múltipla, distrofia muscular, poliomielite, artrite reumatóide, degeneração da mácula, entre tantos outros, foram desenvolvidos junto com o cliente, na própria sessão, e com forte caráter intuitivo. Milhares de horas de prática clínica foram delineando a estrutura do Método Meir Schneider -  Self-Healing – os princípios, as técnicas, os exercícios e a fundamentação científica.

Em 1976, Meir mudou-se para San Francisco, USA. Aí montou consultório junto com o optometrista Ray Gottlieb, com o qual manteve intensa colaboração durante vários anos. Fundou o Center for Conscious Vision (1977–1978), o Center for Conscious Health (1978–1980) e em 1980, o Center For Self-Healing. Quatro anos depois obteve permissão do Departamento de Educação do Estado da Califórnia para formar alunos no método e funcionar como School For Self-Healing. Desde 1980 até o momento presente,  existe o Self – Healing Research Foundation, que busca fundos para uma pesquisa  evidenciando a eficácia do método na distrofia  muscular e na degeneração macular. E se mantém aberto para qualquer outra pesquisa que tenha como objetivo a comprovação do método cientificamente. 

Sua jornada pessoal, os primeiros anos de desenvolvimento do método, suas raízes, influências, primeiros casos e parcerias foram narrados em seu primeiro livro “Uma Lição de Vida”, publicado no Brasil pela editora Cultrix e em mais quatro idiomas: inglês, francês, húngaro, e hebraico. Seu segundo livro, o Manual de Autocura, publicado nos USA em 1994, foi também publicado em russo além dos outros cinco idiomas do primeiro livro.





UM LANÇAMENTO

**

8/6 76ª MOSTRA MACUNAÍMA DE TEATRO


76ª MOSTRA MACUNAÍMA DE TEATRO

De 8 de junho a 29 de julho






Peça de Estreia: Boca de Ouro de Nelson Rodrigues




Começa no  dia 8 de junho, em São Paulo, a 76ª Mostra Macunaíma de Teatro, com o tema “Ação em Tempos de (in)quietude”. Serão apresentadas mais de 50 montagens encenadas pelos alunos da escola, e dirigidas por seus professores, na maior mostra de teatro do país.  As apresentações acontecem nos 5 teatros do Macunaíma, que ficam na rua Adolfo Gordo, 238, até o dia 29 de julho.

O Macunaíma é a única escola que possui cinco  teatros completos, para que os alunos possam exercitar, desde cedo, a interpretação em um palco de verdade. Uma vivência única, com técnicos especializados, iluminação e cenários de nível profissional. Cada turma funciona como uma unidade independente, onde o professor tem a possibilidade de escolher o texto e a interpretação de sua preferência.

Programação de 8 de junho a 1º de julho

Boca de Ouro
Datas: 8, 9 e 10 de junho e 23, 24 e 25 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Gênero: Tragédia carioca
Duração: 75 minutos
Recomendação (idade): 14 anos
Direção: Christiane Lopes
Autor: Nelson Rodrigues
Sinopse
A história de um famoso bicheiro carioca que é contada em três versões diferentes por
uma ex-amante que relata a cada vez uma personalidade diferente para o protagonista que acabou de morrer assassinado.


"Os Azeredo mais os Benevides"
Data: 8, 9 e 10 de junho
Horários: 19:00 horas e 21:00 horas
Teatro: 3
Capacidade: 72 lugares
Gênero: Tragicomédia
Duração: 90 minutos
Recomendação: 12 anos
Direção: Adriana Costa
Assistência de Direção: Tally Mendonça
Agradecimentos: Thiago Silveira
Autor: Oduvaldo Vianna Filho
Sinopse: Não foi à toa que o cacau frutificou naquela terra. Sumo amargo. O valor de alguns homens
é frágil como a porcelana em decadência, lascada. Lascados. Entregues à má sorte.
Azarados. A boa sorte é propriedade dos Bem de Vida. Mais-valia.
Início do século XX. Na Bahia, lavradores trabalham para um jovem burguês. As relações humanas,
entre iguais e desiguais, revelam as nuances econômico-sociais, psíquicas e comportamentais que as permeiam.
Da amizade conveniente à opressão, subentendidas ou escancaradas, as lutas que o homem trava no mundo.

O REI DE RAMOS
Data:  08, 09 e 10 de junho
Horários: 19 e 21 hs
Teatro:  04
Capacidade: 74 lugares
Gênero: comédia musical
Duração: 75 minutos
Recomendação (idade): 10 anos
Direção: WANDERLEY MARTINS
Autor: Dias Gomes
Sinopse: Dias Gomes em “O REI DE RAMOS” discorre sobre os usos e abusos de poder de grupos que agem nas frestas
e flancos deixados pelas autoridades governamentais. Usa a estrutura de famílias ligadas ao jogo do bicho para
traçar agudas críticas a sociedade brasileira, mas de uma forma saborosa e bem humorada.

Estado de Sítio
Data: 11, 12, 13 e 15, 16, 17 de junho
Horários: 19h00 e 21h00
Teatro: 4
Capacidade: 74 lugares
Gênero: Drama
Duração: 80 minutos
Recomendação (idade): 12 anos
Nome da peça:
Direção: Reginaldo Nascimento
Assistência de Direção: Erika Resan
Autor: Albert Camus
Sinopse (evitar romance):
A aparição de um cometa incitando o medo. A Peste e sua secretária (a Morte) depondo um governo
reacionário e instituindo um poder arbitrário. Uma cidade sitiada e uma população dividida.
o meio desse cenário desolador e aterrador haveria espaço para uma “revolta” estimulada pelo amo
r aos seres humanos e pela liberdade? Em nome do amor e da rejeição ao totalitarismo, Albert Camus,
ganhador do prêmio Nobel, escreveu em 1948 esta obra em louvor ao mundo utópico, livre, solidário e justo.

Partido
Data:  12, 13 e 14 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Gênero: Infanto Juvenil.
Duração: 50 minutos
Recomendação (idade): livre
Direção: Mônica Granndo
Autor: Ítalo Calvino
Sinopse: Ninguém é inteiramente bom. Assim como ninguém é inteiramente mau.
Somos muito mais completos e complexos na composição do nosso caráter. "Partido" é a história do Visconde de Terralba,
que volta da guerra partido ao meio, atingido por uma bala de canhão. Metade bom, metade mau. Quase
enlouquece os moradores da região com suas maldades e bondades extremas.
Comédia, drama, aventura, musical... que desfecho pode ter essa história ?

A Revolução dos Bichos
Data:  12, 13 e 14 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 2
Capacidade: 96 lugares
Gênero: Infantil
Duração: Aproximadamente 40 minutos
Recomendação (idade): livre
Nome da peça: Direção: Glaucia Palmieri
Autor : George Orwell
Sinopse:
“Um belo dia os animais de uma granja se dão conta da vida indigna a que são submetidos por seu dono.
Liderados pelos porcos, organizam uma revolução para expulsar o fazendeiro. Vitoriosos, logo percebem
os conflitos entre os próprios bichos, as diferenças, as disputas e perseguições se intensificam. E agora no que isso vai dar?”



A Invasão
Data:  12, 13 e 14 / junho / 2012
Horários: 19 e 21 h.
Teatro: 3
Capacidade: 72 lugares
Gênero: Drama
Duração: 70 min.
Recomendação (idade): 10 anos
Nome da peça:
Direção: Alex Capelossa
Assistência de Direção: Manoli Baltadakis e Renan Botelho
Autor (caso haja mais de um favor informar): Dias Gomes
Adaptação: Alex Capelossa
Sinopse:
Entre os extremos do amor e ódio, a luta e a morte ganham espaço sem nenhuma complacência.
Em meio a problemas não resolvidos e a uma realidade fraudulenta, o povo tem fome de mudanças. É tempo de invadir!

Cala Boca Já Morreu
Data: 15, 16 e 17 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Gênero: Comédia
Duração: 80 minutos
Recomendação (idade): 14 anos
Direção: Christiane Lopes
Autor: Luis Alberto de Abreu
Sinopse: João Gregório é um caipira que migra para São Paulo em busca de uma vida melhor.
Seguindo os passos do protagonista vamos mergulhar num metrópole cheia de contradições e surpresas.

13
Data:  15, 16, 17 de junho
Horários: 19:00 e 21:00
Teatro: 2
Capacidade: 96 lugares
Gênero: Drama
Duração: 60 minutos
Recomendação (idade): livre
Nome da peça:
Direção: Marcela Grandolpho
Assistência de Direção: Fábul Henrique
Autor (caso haja mais de um favor informar): Mike Bartlett
Tradutor: Marcela Grandolpho
Sinopse: Em Londres,12 pessoas acordam todos os dias aterrorizadas pelo mesmo pesadelo.
Um jovem chamado John tem uma visão para o futuro de todos e algo terrível está para acontecer.
Ironia, pessimismo, repressão, abuso de poder. Uma explosão, e suas vidas livres e independentes desaparecerão para sempre. E você, tem pesadelos?

Stultífera Navis: Nau dos Loucos
Horários:  19:00 horas  e 21:00 horas
Teatro: teatro 3.
Data: 15, 16 e 17 de junho
Gênero: Comédia
Duração: 60 minutos
Recomendação (idade): 16 anos.
Direção: Adriana Costa
Autor : Luís Alberto de Abreu
Sinopse : O sono da razão produz monstros? Vinde a mim os cansados, os desiludidos, os que pararam
no meio do caminho. O mundo não tem sentido. O único sentido da vida é o prazer. Vinde ao prazer!
E, pendurado no alto do mastro ri como um demônio enlouquecido... Espere! É um índio?
Descubra um mundo de riquezas, onde os homens nascem para conquistá-la ou morrem desiludidos.
Um mundo onde até Deus preferiu se esconder. Stultífera Navis está no caís a ancorar? Ou partir?
          

Mensch
Data: 18, 19 e 20 de junho
Horários: 19:00 e 21:00
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Gênero: drama-comédia
Duração: 70 min.
Recomendação (idade): 12 anos
Direção: Renata Mazzei
Assistência de Direção: Francisco Gonçalo
Autor: Millor Fernandes
Sinopse: Qual é o momento que paramos para perceber o que nos move? Todos os dias somos recobertos
de diversos tipos de influencias que nos geram estímulos para respostas como as sensações, motivações,
reações e inquietudes. A capacidade de enxerga-las é momentânea, pois, somos homens complexos de valores
e perspectivas em constante mudança, sendo atingidos por diferentes direções que nos afetam todos os dias.
O que molda um homem são as escolhas que ele faz, e estas escolhas são consequenciâs de suas reações.


Hamlet
Data:  18, 19 e 20 / junho / 2012
Horários: 19 e 21 h.
Teatro: 4
Capacidade: 74 lugares
Gênero: Drama
Duração: 70 min.
Recomendação (idade): livre
Direção: Alex Capelossa
Autor: William Shakespeare
Adaptação: Alex Capelossa
Sinopse: “Ser ou não ser? Eis a questão”. Essa é uma das expressões mais conhecidas
da literatura mundial e sua atualidade indica a força da obra de William Shakespeare em nossos dias.
De maneira descontraída, a peça Hamlet passará por uma limpeza. Sem deixar de nos divertir,
a montagem nos conduzirá a uma reflexão sobre a própria condição humana.


O Palácio dos Urubus
Data: 19, 20 e 21 de Junho
Horários: 19h e 21h
Teatro: 02
Capacidade: 96 lugares
Gênero: Comédia
Duração: 90 minutos
Recomendação (idade): 16 anos
Direção: Lucas De Lucca
Assistência de Direção:  Carolina Loureiro e Samuel Gibran
Autor : Ricardo Meireles Vieira
Sinopse:
"Atenção, atenção! Povo de Babaneiralle!
Estão todos convocados para uma audição com nosso saudosíssimo, humaníssimo, justíssimo e soberaníssimo Rei,
Vossa Majestade Navarro Ramirez Penna Cassaroli, e toda sua corte.
Atenção! Haverá muita banana, abacaxi, melancia, pompa e circunstância!
Aqueles que não comparecerem serão condenados à forca, guilhotina, ao fuzilamento ou a qualquer outro meio majestoso de execução!"

O Palácio dos Urubus conta a divertida e intrigante história de um país tropical, onde um rei e sua
extravagante corte governam em meio ao caos e à corrupção. Movida pela agricultura (e pela sorte),
Babaneiralle passa por um momento decisivo: a tentativa de derrubar o regime monárquico atual
e instalar uma República. Ou talvez o Totalitarismo, o Autoritarismo... Ou até mesmo uma Democracia...
Bom, certeza mesmo é que você não vai querer perder este momento (muito menos sua cabeça!).

EST° A° ÇÃO[desembarque do lado esquerdo do trem]
Data:  19, 20 e 21 de junho
Horários: 19h e 21h
Teatro: 03
Capacidade 72 lugares
Gênero: Absurdo
Duração: 75min.
Recomendação (idade): 12a
Direção: Lúcia de Léllis
Assistência de Direção: Felipe Michel e Gustavo Braunstein
Autor: Harold Pinter
Sinopse:
Um simples ponto. Um pequeno conto. E ao redor ângulos retos de uma prisão.
Olha-se o ponto, ouve-se o conto, a cela some, mesmo assim te aprisiona.
A vigília da existência, a vigia da violência. O poder que não se mostra, mas ata o que é ser.
Esta ação é extática. Um movimento empedrado, imposto.
Estar são é um dever. Não se pode embriagar.
Deve-se calcular. Medir o tempo, o espaço, e os efeitos.
A raiz quadrada, os quadrados do catetos, sem a hipotenusa.
A física, o físico. Micro olhar sobre o macro estar.
O Poder.


Perdoa-me Por me Traíres
Data: 19, 20 e 21 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 5
Capacidade: 72 lugares
Gênero: Tragédia carioca
Duração: 75 minutos
Recomendação (idade): 16 anos
Nome da peça: Direção: Christiane Lopes
Autor: Nelson Rodrigues
Sinopse: Glorinha, jovem de 16 anos, de família de classe média, é levada pela amiga Nair a uma luxuosa
casa de prostituição. No decorrer da trama, seu tio Raul faz surpreendentes revelações sobre o passado de sua mãe.

O Santo Milagroso
Data:  22, 23 e 24/06
Horários: 19h e 21h
Teatro: 02
Capacidade: 96 lugares
Gênero: comédia
Duração: 70min.
Recomendação (idade): 10a
Direção:  Lúcia de Léllis
Autor : Lauro César Muniz
Sinopse:De um lado, uma paróquia, um padre e um sacristão. De outro, uma pastora protestante,
sua irmã e sua igreja. Realidades aparentemente tão opostas, mas que na verdade apresentam interesses comuns
em quantidade suficiente para mover uma cidade inteira e ocasionar um verdadeiro milagre. Ou, melhor dizendo, uma verdadeira confusão.

No Natal A Gente Vem Te Buscar
Data: 22, 23, 24 de junho
Horários: 19h00 e 21h00
Teatro: 3
Gênero: Drama
Duração: 70 minutos
Recomendação (idade): 12 anos
Direção: Reginaldo Nascimento
Autor: Naum Alves de Souza
Sinopse No Natal a gente vem te buscar passeia por várias fases do mundo  de Emilia,
uma mulher de meia-idade que é precocemente colocada em um asilo. Depois de achar que ira viver
  na casa da irmã,  ela se depara com sua realidade, é confinada neste asilo onde de certa forma cria  uma
nova família, e em sua constante espera pelo retorno da irmã, traz a tona toda uma história de vida,
revirando seu baú de memórias, vai abrindo diante do publico uma teia de emoções e lembranças,
apresentando uma vida de dramas e frustrações reais  seus e de seus parentes mais próximos.

SENHORA DOS AFOGADOS
Data: 22, 23 E 24 DE JUNHO

Horários: 19:00 e 21:00
Teatro: TEATRO 4
Capacidade: 74 lugares
Gênero: TRAGÉDIA
Duração: 70 MINUTOS
Recomendação (idade): 12 ANOS
Direção: CAROLINA COSTA
Assistência de Direção: FELIX LIEBRECHT E LUCIANA FAGANELLO
Autor NELSON RODRIGUES
Sinopse:
Durante anos, cada integrante da família Drummond guardou um segredo que, quando revelado,
é capaz de desestruturar qualquer família. O que acontece quando todos esse segredos são revelados de uma só vez?
Quando o caos se instala, já não existem mais valores familiares, a luta é para manter sua própria honra e esconder a verdade.


O HOMEM DE LA MANCHA
Data:  23, 24 e 25 de junho
Horários: 19 e 21 horas
Teatro: 05 (cinco)
Capacidade: 72 lugares
Gênero: drama
Duração: 70 minutos
Recomendação (idade): 14 anos
Direção: WANDERLEY MARTINS
Assistência de Direção: Célio Jemene
Autor (caso haja mais de um favor informar):
Dale Wasserman
Sinopse: O autor coloca Cervantes questionado pela Inquisição (isso já diferencia bastante esse musical de tantos outros da Broadway).
A censura da inquisição (ou o Inquerito Politico Militar dos tempos da ditadura militar brasileira) já se encerrou ou está apenas
disfarçada em uma nova censura econômica???

Boca de Ouro
Data: 8, 9 e 10 de junho e 23, 24 e 25 de junho
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Gênero: Tragédia carioca
Duração: 75 minutos
Recomendação (idade): 14 anos
Nome da peça:
Direção: Christiane Lopes
Autor: Nelson Rodrigues
Sinopse: A história de um famoso bicheiro carioca que é contada em três versões diferentes por uma
ex-amante que relata a cada vez uma personalidade diferente para o protagonista que acabou de morrer assassinado.

Tietê, Tietê
26, 27 e 28 de Junho
Horários: 19h e 21h
Teatro: 01
Capacidade: 86 lugares
Gênero: Comédia
Duração: 90 minutos
Recomendação (idade): 16 anos
Nome da peça:
Direção: Lucas De Lucca
Autor: Alcides Nogueira Pinto
Sinopse: Era uma vez a Semana de Arte de 22. Um dia, um dos dois 2 engordou e virou 3, olha para outro
2 e tinha nascido a Revolução de 32. Em algum momento, buscando as raízes brasileiras, um grupo de intelectuais
se depara com as personagens de Lobato. Tudo acaba em sopa Maggi e marmelada de banana. Seria um faz de conta?

Mudança de Hábito
Data: 26, 27, 28 de junho de 2012
Horários: às 19h e 21h
Teatro: 02
Capacidade: 96 lugares
Gênero: Comédia/Musical
Duração: 1h30
Recomendação (idade): Acima de 12 anos
Direção: Beto Marcondes
Autor : Joseph Howard e Dan Goggin
Sinopse : Deloris Van Cartier, decadente cantora de um cassino, presencia um assassinato comandad
o pelo seu amante, Vince LaRocca. Ameaçada de morte, ela se vê obrigada a pedir ajuda da polícia,
que irá escondê-la, até o julgamento, em um lugar nada convencional: um convento.
A partir desse momento, a vida de Deloris e das freiras desse convento jamais será a mesma.

MÁGICO DE OZ
Data: 26, 27, 28 de junho de 2012

Horários: 19:00h e 20:00h
Teatro:  3
Capacidade: 72 lugares
Gênero: Infantil
Duração: 50 minutos
Recomendação (idade): Livre
Direção: Dalila D’Cruz
Sinopse Após um furacão atingir a fazenda de sua tia, Dorothy vai parar com sua casa
e seu cachorro na fantástica  cidade de Oz, onde as coisas são bonitas e mágicas. Porém, o seu maior
sonho é voltar para casa, para isso ela deve encontrar um mágico, que lhe mostrará como realizar esse
seu sonho. Para chegar até ele, contudo, Dorothy viverá uma aventura inesquecível através do caminho de tijolos amarelos.

“(In)finito (Des)apego”
Data: 26, 27 e 28 de Junho de 2012
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 4
Capacidade: 74 lugares
Gênero: Performativo
Duração: 60 minutos
Recomendação (idade): 12 anos
Direção: Eduardo de Paula
Autor: Processo Colaborativo inspirado na obra “Os Cimos” de João Guimarães Rosa
Sinopse: Uma, duas... Quantas? Muitas mil são as que fazem? Onde? Nas árvores os cimos se douram.
E quando foi que as cores não estiveram? A espera pode ter envelhecido. Um menino com coragem pode
se lembrar do que nunca soube. Por que não mais querer se não é preciso deixar que vá? Já!
Tornou outra vez, mas não é mais. Mudou o sorriso, o choro, o grito... Está. O que queres?

Arlequim, servidor de dois amos
Data:  29, 30 de junho e 01 de julho.
Horários: 19hs e 21hs
Teatro: 1
Capacidade: 86 lugares
Duração: 80 minutos
Recomendação (idade): livre
Direção: Mônica Granndo
Assistente de direção: Fernando Alcântara
Autor: Carlo Goldoni
Sinopse:
Venham se divertir com o nosso atrapalhado Arlequim que servindo a dois patrões,
confunde além dos pratos de comida, as cartas, as roupas e os corações dos enamorados que chegam
a acreditar que seus sonhos estão perdidos. No meio de tantas confusões e peripécias
nosso anti-herói ainda encontra tempo de arrumar casamento pra ele mesmo.



Vestido de Noiva
Data: 29 e 30 de junho e 01 de julho
Horários: 19:00 e 21:00
Teatro: 3
Capacidade: 72 lugares
Gênero: drama
Duração: 80 min.
Recomendação (idade): 14 anos
Direção: Renata Mazzei
Autor: Nelson Rodrigues
Sinopse: Intercalando os planos da memória, alucinação e realidade, a vida de
Alaíde vai sendo desvendada, a partir do momento em que ela sofre um atropelamento e fica entre a vida e a morte.


“Depois da Chuva”
Data: 29, 30 de Junho e 01 de Julho
Horários: 19:00 e 21:00 hs
Teatro: 4
Gênero: Performativo
Duração: 60min
Recomendação (idade): 12 anos
Nome da peça:
Direção: Eduardo de Paula
Autor: Processo Colaborativo inspirado na obra “As Margens da Alegria” de João Guimarães Rosa
Sinopse:
Sem hora e sem data?
Uma grande saudade, memória que não volta, despedida de alguém... sendo uma mudança que estabelece a renovação, a morte pura é a criança que cresceu.
Em seus diversos caminhos, esse futuro incerto pode representar o fim da linha, ou o início dela.
Ausência, saudades, vazio, lembrança, amor eterno... a morte é uma saudade que chegará, em seu tempo, seu lugar.
Inevitável, a morte é para quem fica.
E a vida... a vida continua.

Diário de um louco
Data: 29 e 30 de Junho e 1 de Julho
Horários: 19h e 21h
Teatro: 5 (cinco)
Capacidade: 72 lugares
Gênero: Drama
Duração: 70 min
Recomendação (idade): 12 anos
Nome da peça:
Direção: Lúcia de Léllis
Assistência de Direção: Felix Liebrecht
Autor: Nicolai Gógol
Sinopse:
“Antigamente eu defendia uma tese, a que regresso de vez em quando, que defende
que o homem quando descobriu que era inteligente não aguentou o choque e enlouqueceu.”


76ª Mostra Macunaíma de Teatro

De 8 de junho a 29 de julho

Ingressos: R$ 14,00 (R$ 7,00 meia)

Bilheteria: na sede do Macunaima das 9h às 21h

ou pelo site www.ingresso.com

Tel: 4003.2330

Teatros do Macunaíma 1, 2, 3, 4 e 5

www.macunaima.com.br

Rua Adolpho Gordo, 238 – Barra Funda

(11) 3217.3400

Paiol reúne o melhor da música caipira com Oswaldo Rios e amigos



Integrante do grupo Viola Quebrada, um dos principais representantes da música de raiz no Paraná, Oswaldo Rios apresenta o show “Paiol Caipira” nesta quarta-feira (30), às 20h, no Teatro do Paiol. Entre causos e canções, o show leva a plateia a mergulhar na história da música caipira brasileira. Para dividir o palco, Oswaldo Rios convida Daniel Vicenti, Gerson Gomes, Maikel Monteiro e as duplas Nézio & Raminho e Robson & Wagner.
Com quase 30 anos de carreira, Oswaldo Rios já passeou pelo pop e pela MPB, mas sua verdadeira paixão é a música caipira. Na década de 90 fez parte do projeto sertanejo “Três Paus”, ao lado de Sérgio Deslandes e Rogério Gulin, com quem ainda divide os palcos no grupo Viola Quebrada. Em sua trajetória artística, Oswaldo já gravou cinco CDs e um DVD.
Sobre os convidados - Nézio e Raminho, dois músicos consagrados, formaram a dupla no início deste ano. Nézio, com mais de 50 anos de carreira, e Raminho, com mais de 40, resolveram juntar suas experiências para levar aos fãs o melhor do gênero caipira. A outra dupla que participa do show é formada por Robson e Wagner. Os dois estão juntos desde 2007.
Participam ainda do espetáculo os músicos Daniel Vicenti e Gerson Gomes. Daniel é formado pela FAP, estudou viola caipira com Rogério Gulin e fez oficinas com Roberto Correa, Ivan Vilela e Fernando Deghi. Gerson Gomes aprendeu os primeiros acordes ao violão aos 12 anos de idade, também estudou viola caipira com Rogério Gulin e Braz da Viola, e desde 2009 se dedica ao ukulele, espécie de cavaquinho havaiano.
Outro convidado é Maikel Monteiro, apreciador e pesquisador da música de raiz. Ele participou em 2006 do filme “Belarmino e Gabriela”, dirigido por Geraldo Pioli, e atualmente comanda o programa “Brasil Caboclo – A Música Caipira com Gostinho de Saudade”, na Rádio Educativa AM 630.

Serviço:
Show Oswaldo Rios e Amigos
Local: Teatro do Paiol – Praça Guido Viaro, s/n – Prado Velho
Data: 30 de maio de 2012 (quarta-feira), às 20h
Ingressos: R$ 20 e R$ 10

13/6 MOSTRA MACU APRESENTA A ONDA

Mostra Macu apresenta
A Onda


A Mostra Macu de Teatro
apresenta a peça “A Onda”,
nos dias 13, 14 e 15 de junho,
com apresentações em 2 horários:
às 19h e 21h.

O texto discute a possibilidade
de reedição de movimentos fascistas
como os existiram durante toda a história?
Quando pensamos que estamos
evoluídos podemos ser surpreendidos
sendo levados pela massa.
A Onda é um movimento que
transforma a vida das pessoas,
que as faz trabalharem em
equipe para que os resultados
sejam coletivos,
empolgante e contagiante
a onda passa e vai arrebatando pessoas.
Mas o que pode estar por trás da onda?
Até onde a onda poderá nos levar?

A Onda
Direção: Beto Marcondes

Autor: Todd Strasser , Dennis Gansel e Peter Thorwarth

Data: 13, 14 e 15 de junho

Horários: 19h e 21h

Teatro: 4

Capacidade: 96 lugares

Gênero: drama

Duração: 90 minutos

Recomendação: 12 anos

Ingressos: R$ 14,00 (R$ 7,00 meia)

Bilheteria: na sede do Macunaíma das 9h às 21h

ou pelo site www.ingresso.com

Tel: 4003.2330

Teatros do Macunaíma 1, 2, 3, 4 e 5

www.macunaima.com.br

Rua Adolpho Gordo, 238 – Barra Funda

(11) 3217.3400